dcpv – dobradinha ítalo-peruana: Killa e Pomodori.

05  e 06/04/12

Dobradinha ítalo-peruana: Killa e Pomodori.

A Drix estaria em SP, depois de um tour uruguaio. Os Loguercio, também, pra passar a Páscoa. E nós, no embalo, demos uma escapada da grande FV.

Tudo isso pra fazermos uma pré-convenção do ISB brasiliense (uma pena a Sueli e o Jorge não estarem por aqui).
Com a Drix, todos fomos conhecer o restaurante Killa, um peruano (a culinária preferida dela, não sei por qual motivo? rs) que fica em Perdizes, totalmente deslocado do eixo dito gastronômico da cidade.

As famílias compareceram em peso (Guilheme, Gustavo e a Re também estavam) para recepcionar a mineirinha.
O Killa é bem pequeno. E aparentou ser muito autêntico, já que do cardápio constavam muitas receitas típicas peruanas.

Iniciamos os trabalhos gerando uma pequena confusão na casa: pedimos um cleriquot, que constava tanto do menu real como da internet, e o garçom nos disse que não sabia e nem tinha idéia do seria. Fiquei na dúvida e insisti um pouco, até que o outro garçom apareceu e disse que o barman faria a tal “sangria branca”, com uma cava.

Pedimos algumas entradas pra “entrarmos” no clima: papas a la huancaina (batatas cozidas servidas com salsa de aji amarelo), …

mini-causas de camarões, …

mini-causas ahumadas de salmão (causas, apesar do sócio-especialista, são bolinhos de batata recheados das mais variadas formas) …

… e ele, o pulpo crocante (flambado em pisco).

Tudo bem bom e reconfortante, além do piruá viciante que foi oferecido como snack.

Como principais, fizemos uma blitz no menu: foram 3 lomos saltados (um pra Drix, outro pro Gustavo e um, só carne e batata, pra Re), …

… um Tacu Tacu pra Lourdes (um pescado de peixe branco empanado em panko com feijão branco e bananas salteadas), …

… um Buenazo e pesto pro Guilherme (um filé de salmão acompanhado de espaguete e pesto de huacatay), …

… um de la patada, uma grande novidade pro sócio (magret de pato fatiado com salsa teryaki e tabule de quinua) …

… e uma chaufa pulenta pra nós, um prato derivado da influência chinesa no Peru. É uma comida a base de arroz salteado com camarão, lula e mexilhão, além dum curioso  tempero a base de kimchi, uma conserva coreana de acelga.

Pedimos uma recarga no cleriquot e enquanto isso, pensávamos nas sobremesas.

A maioria estava suspirando pelos homônimos limenhos. Foi aí que o garçom nos disse que eles tinham terminado, já que ” a saída tinha sido grande”. Resultado? Tivemos que nos contentar com pancakes rellenas (panqueca de maçã com doce de leite e sorvete de creme) …

… e dulces de Cecília (uma fraquinha degustação de supostos doces típicos limenhos).

Corta pra outra noite. O nosso grupo estava desfalcado da Drix (voltou pra BH) e da Re (estava com saudades da grande FV).

Resolvemos, de comum acordo, experimentar a comida do Pomodori, sobre a nova gestão do Diogo Silveira.

Fomos ao lugar certo; um italiano da gema. O salão é muito confortável e aconchegante.

Como era o jantar da sexta-feira Santa e todos tínhamos nos empanturrado de bacalhau, optamos por tomar um vinhozinho, comer uma “bella pasta” e conversar.

Quanto ao vinho, resolvemos tomar um Pinot Nero St Michael-Eppan, incrivelmente italiano e mais Pinot Noir, impossível.

Quanto as massas, o Gustavo escolheu Ravioli de cebola caramelada com fonduta de Grana Padano.

Já o Guilherme, disse que ia esconder de todos qual seria o seu prato. E conseguiu, porque eu não me lembro. (Lourdes?? A Lourdes já informou nos comentários abaixo que eram ótimos Ravioli ao molho bisque de lagosta e camarão. :)

A Lourdes foi de Ravioli cremoso de nata ao perfume de limão siciliano.

O Eymard bypassou o pato e optou por um frugal Gnocchi de batata ao molho de tomate italiano e pecorino trufado.

A Dé escolheu Trofie com pesto Genovês ao pomodoro e ricota de búfala.

Eu, Pici integral (estou na fase naturalista. rs) com cogumelos silvestres defumados na lenha.

Todas as massas estavam deliciosas e al dente, como manda o regulamento.
Ainda experimentamos sobremesas e num esquema maluco: foram 2 Tiramisus (um pro Gullhereme e um pra mim e pra Dé), …

… uma torta quente de banana com farofa de amendoas e sorvete de baunilha pro Gustavo, …

… um Merengue italiano, com frutas do bosque e sorvete de mascarpone pra Lourdes …

… e uma colher pro Eymard, que pitacou (afinal de contas, ele é o presidente) em todos os doces.

Tomamos uns cafés, planejamos os próximos passos franceses, comemos uns biscotti e aproveitamos pra marcar um “vapt-vupt” até a Reims paulistana.

Mas isto foi assunto prum outro post.

Au revoir.

.

10 Responses to “dcpv – dobradinha ítalo-peruana: Killa e Pomodori.”


  1. 1 Adriana Pessoa maio 25, 2012 às 10:36 am

    Hahaha…essa do Gustavo esconder o prato dele foi muito boa! Morri de rir…

  2. 3 Lourdes maio 25, 2012 às 3:06 pm

    Fui consultar as bases para confirmar e pedir autorização para publicação. Após consentimento, revelou que seu prato foi um Ravioli ao molho bisque de lagosta e camarão. Forte, mas nota 10. O feriado foi ótimo na companhia dos amigos paulistas e mineira!

  3. 4 EYMARD maio 25, 2012 às 11:26 pm

    Adriana, toda vez que chegamos em um restaurante a pergunta é: – o que voce vai pedir? Ai começa uma negociaçao intensa (-voce pede isso que eu peço aquilo e cada um experimenta do outro….rs). Nesse dia ele se rebelou! Nao vou falar! Surpresa….Delicia de final de semana com os amigos em Sao Paulo. Com direito a irmos (sem os Luz) na exposiçao do Portinari e voltar no dia seguinte pois realmente a exposiçao Guerra e Paz é emocionante.

  4. 5 Sueli OVB maio 26, 2012 às 11:43 pm

    Que delícia de pré-convenção! Também fiquei com pena de não ter estado aí.
    Mas vamos logo matar uma saudade grande.
    Adorei os programas e as escolhas. E esse cleriquot me pareceu, além de refrescante, delicioso. A Adri só provou ou aprovou?
    Beijão

  5. 6 Drix maio 27, 2012 às 1:10 am

    Adorei finalizar minha viagem de pré Semana Santa com essa escala em São Paulo. Além do jantar peruano, almoço italiano, a exposição Guerra e Paz e livros de presente da Re. Perfeito!

    Quanto ao peruano…adorei! (bem, gostar de peruano eu já gosto há sete anos…rs ). Mas com a convivência (não com o peruano, com os confrades) digamos que aprendi a observar algumas coisas. Senti falta da fatia de palta (ou abacate) nas causas. Dá um sabor especial. O lomo cortado em tiras fica mais gostoso. Estava mais para cubos (daí estar quase cru, na minha avaliação). E tinha pouco molho. Com relação à sobremesa Edu já disse tudo. Comi uma sobremesa em Lima que adorei, mas não me lembro do nome. Parecia uma mouse e tinha algarrobina. Bem, apesar de parecer o contrário, após esses comentários, digo que la comida era muy buena. E claro que nos divertimos muito. Ah, Sueli, nem provei o cleriquot! Só o tradicional brinde, molhando os lábios.

  6. 7 Drix maio 27, 2012 às 11:53 am

    Comentários peruanos: Los comentarios acerca de los platos son perfectos. Las papas a la huancaina parecen exquisitas. O “piruá viciante” se llama cancha. Una curiosidad: o tacu tacu, en Perú, es un “mexidinho” de arroz con frejol, huevo y carne que se acostumbra hacer en desayuno con lo que sobró en la noche anterior. Ninguna sorpresa el plato elegido por Drica ser el lomo saltado :- )

    Comentários brasileiros: Las papas a la huancaina estavam mesmo muito gostosas. Fiquei impressionada com a variedade de maíz que conheci no Perú. Mais até do que com a variedade de batatas. Se o breakfast americano parece um exagero, fiquei impressionada com o desayuno peruano. Bem, nada a comentar sobre o lomo saltado. É realmente o meu “filet a milanesa com salada de batatas” peruano :- )

  7. 8 eymard maio 27, 2012 às 12:12 pm

    O Carlos, travestido de Drix, na primeira parte do comentario está ótimo. Quebra de paradigmas. Muito bom. Bem vindo Carlos.
    Realmente, nenhuma surpresa Adriana ter pedido um lomo saltado — a la Joana D’Arc!!!!! rs

    • 9 Drix maio 27, 2012 às 4:38 pm

      É verdade, Eymard, esqueci que o lomo saltado tinha um toque francês: a la Joana D’arc! Pedi para passarem mais um pouquinho… mas isso, para mim, já é uma rotina… Conforme o restaurante (ou o delivery) quando digo “um filet…” o garçon (ou a atendente) ja completa “aberto e torrado”… rs rs

  8. 10 eduluz junho 1, 2012 às 6:53 pm

    Adriana, e escondeu muito bem! rs Tanto que você achou que era o Gustavo!!

    Lourdes, grato pela salvada. Já está corrigido.

    Sócio, quem se rebelou? Onde está esta surpresa??

    Sueli, é claro que a Drix nem provou!!!

    Drix, você está parecendo o Luiz Américo Camargo. Ou seja, uma crítica gastronômica muito boa.

    Carlos, eis os comentários ferrazenses: você precisa aparecer, mérrrrrmão!!:) É ou não é, sócio?

    Drix, já voltou ao normal!! rs

    Abraços venuzianos pra todos


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se a 404 outros seguidores

Blog Stats

  • 1,029,531 hits
maio 2012
S T Q Q S S D
« abr   jun »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Atualizações Twitter


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 404 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: