dcpv – thaítalo. é carne (e moída)

número 405
16/12/2014

Thaítalo. É carne (e moída).

O fio condutor deste menu é a carne moída.

DSC08515

E por mais incrível que pareça, nenhuma delas é carne de boi. Numa receita usarei frango e na outra porco (em forma de linguiça).

DSC08518

Ambas são homenagens. A entrada, ao Mestiço, um dos nossos restaurantes preferidos na praia e com uma cozinha com tendências tailandesas.

DSC08537

E o principal, a Itália (pra variar).

DSC08516

Vamos lá, então.

Entrada – Krathong-thong.

Esta entrada é a melhor de todas em todos os tempos. Nós aprendemos a comer krathong-thong sempre que possível. E nunca enjoamos.

DSC08534

E o que são os tais? São cestinhas crocantes recheadas com uma carne moída de frango, milho e temperos especiais.

DSC08546

Para fazê-la, basta fritar 4 colheres de sopa de cebola finamente picada e 200g de frango cozido picado bem fininho por 2 minutos.

DSC08534

Adicione 2 colheres de sopa de cenoura bem picada, 2 colheres de açucar, 1/4 de colher de chá de shoyu, 1/2 colher de coentro em pó e 1/2 colher de sal e frite por mais 3 minutos.

DSC08535

Deixe esfriar e divida esse recheio entre as cestinhas fritas (até tenho a receita delas, mas aproveitei umas que sobraram do pedido que fizemos ao Mestiço no final de semana).

DSC08545

Não preciso nem dizer que ficaram maravilhosas.

DSC08547

Ainda mais acompanhadas (descoberta nossa) dum espumante muito bom, o  Cava Freixenet Cordon Negro que foi “dia da marmota, cordão cheiroso, fresh gordon“.

DSC08549

Principal – Polenta a Calabresa.

Esta também estava fácil de fazer (mesmo porque a Dé adora polenta).

DSC08563

Aproveitei o nosso retorno do Piemonte com alguns bons ingredientes, entre eles uma Polenta ao Taragno.

DSC08517

Foi só juntar um bom caldo de legumes com os grãos e ela estava feita.

DSC08562

Pro molho, fiz uma base com salsão e cenoura cortados finos, …

DSC08526

… juntei a linguiça cozida e cortada em pedaços (sem a pele)…

DSC08527

… coloquei alguns tomates cortados (sem pele e sem recheio) …

DSC08528

… uma lata de tomates pelados e deixei apurar.

DSC08530

Ai foi só servir a polenta quente com o molho também quente.

DSC08565

Uau! A noite estava devidamente aquecida.

DSC08567

Harmonizamos com um bom tinto, o Zinfandel Niles 2011 California que achamos “emblemático, deofanzin, sunrise“.

DSC08571

Sobremesa – Pudim de limão e canudos variados.

Eis mais uma sobremesa feita pela nossa pastissier oficial, a D Vera.

DSC08572

Um tremendo pudinzão e canudinhos pra serem preenchidos pelos mais variados doces.

DSC08574

Calóricos, mas extremamente saborosos.

DSC08576

Fique com a opinião dos moídos (perceba que o Deo teve que trabalhar no lodjinha e não pode comparecer a esta festa):
Comida excelente. A melhor polenta que comi até hoje!! (Edu)
A melhor polenta que eu comi na minha vida. (Mingão)

DSC08551DSC08568

Pronto!

DSC08521

Este menu ítalo-tailandês caiu bem demais.

DSC08520

Ainda mais, parodiando o Mingão, com a presença da melhor entrada que comemos nas nossas vidas.

DSC08523

ความอยากอาหารที่ดี!

.

dcpv – dia tre – piemonte – olha que nome legal de cidade: la morra

24/11/14

Dia Tre – PiemonteOlha que nome legal de cidade: La Morra.

Era mais um dia incrível de frio e nublado.

DSC07461

Mais íncrível ainda como tudo combina com o Piemonte.

DSC07464

Tomamos o nosso ótimo café da manhã no hotel

DSC07468

… e rumamos pra conhecer Cherasco.

DSC07487

Que, por sinal, não é uma cidade muito turística (só estávamos nós quatro por lá), mas que é muito interessante.

DSC07482

Passeamos por todo o centro histórico, …

DSC07490

… conhecemos igrejas bem bacanas …

DSC07494

… e, curioso, descobrimos que o lugar é conhecido por produzir escargots.

DSC07508

Continuamos o tour pra tentar ver como é La Morra.

DSC07512

Ela é uma cidadezinha piemontesa pequena e charmosa e além de tudo, um centro gastronômico de excelência.

DSC07515

O problema é que vimos uma loja tão bacana, a Galo Wine Gallery, a GWG, …

DSC07517

… com uma vendedora tão especializada e criativa, que não tivemos o que fazer a não ser comprar um montão de coisas.

DSC07523

Como tínhamos uma reserva feita no melhor restaurante do Piemonte, o Bovio, zarpamos pra lá.

DSC07525

E tudo continua mágico.

DSC07529

O cheiro de trufa branca, …

DSC07528

… a paisagem, …

DSC07526

… a comida. Uau!

DSC07527

Todos pedimos entrada e principal. Alguns pratos foram coincidentes:

DSC07532

O risotto carnaroli mantecatto con cuore di Fondutta foi a entrada da Dé …

DSC07543

… e principal da Lourdes.

DSC07544

O Tagliolini al trenta Rossi con tartufo bianco di Alba foi a minha entrada …

DSC07551

.. e o principal do Eymard.

DSC07553

A entrada da Lourdes foi Uovo in pasta alla Bergese con tartufo bianco di Alba.

DSC07548

O Eymard pediu como entrada La batuta di fassone piemontese.

DSC07547

A Dé foi de ovo estralado com trufas brancas como principal …

DSC07555

… e eu, tagliata di vitela con scaglie di parmigiano e, é claro, tartufo bianco.

DSC07559

Tudo absolutamente perfeito e admirável.

DSC07560

Os vinhos foram um bianco Gavi di Gavi …

DSC07535

… e um Barolo do Vietti.

DSC07539

Como sobremesa, um semifredo al Torrone con cioccolato caldo.

DSC07568

Pronto!

DSC07571

Estávamos tão saciados (na melhor concepção) que o único jeito seria continuar o nosso passeio por esta região tão particular.

DSC07573

E resolvemos passar pelo centro de La Morra.

DSC07583

A cidade é bem pequena, …

DSC07589

… mas as paisagens de todo o vale do Langhe compensam a subida …

DSC07594

… da rua principal.

DSC07587

Retornamos ao tour com a intenção de conhecer a cidade de Barbaresco, homônima do vinho tão conhecido.

DSC07605

Eis mais um lugar bacana, que é dominado pelo mito Angelo Gaja.

DSC07606

Ainda tivemos tempo de degustar alguns vinhos locais, …

DSC07615

… numa enoteca que fica dentro de uma igreja antiga.

DSC07613

Mais típico e diferente, impossível.

DSC07616

Retornamos ao hotel e durante a happy hour, …

DSC07626

… feita com um bianchetto Roeiro Arneis e resolvemos jantar num restaurante na cidade vizinha.

DSC07623

O concierge nos indicou o Stazione.

DSC07633

Ele fica em Santo Stefano Belbo. E apesar da dificuldade de encontrá-lo a noite, tudo acabou sendo divertido e agradável.

DSC07628

Começa que os preços são muito mais baratos que os restaurantes estrelados que frequentamos até agora.

DSC07635

É incrível como a qualidade dos ingredientes continua a mesma.

DSC07630

Como não estávamos com muita fome, optamos por dividir alguns pratos.

DSC07638

Por exemplo, o vitelo tonato da entrada serviu pra mim e pro Eymard.

DSC07647

A Dé escolheu pimentóes vermelhos assados e recheados com atum e anchova.

DSC07646

A Lourdes foi de souflé de cardi com Fondutta.

DSC07645

Como principais, a Dé e a Lourdes dividiram um talharim com trufas brancas.

DSC07657

E as trufas foram servidas no formato mais honesto que vimos até hoje: pesadas e cobradas conforme o peso.

DSC07649

Eu e o Eymard escolhemos gnocchi. O dele com molho ao sugo …

DSC07653

… e o meu com molho branco de parmesão, papoula e Fondutta.

DSC07651

Tudo absolutamente perfeito mesmo.

DSC07650

Acompanhamos tudo com dois ótimos vinhos: um Barolo Gaja e um Barbaresco Pio Cesare.

DSC07665

Pulamos a sobremesa e recebemos (pra variar) uns piccolos muito bons.

DSC07668

O restante foi fazer o caminho sinuoso de volta pro hotel e dormir o sonho dos justos.

DSC07673

Caramba, foi realmente um dia estrepitoso, como diria a ótima vendedora italiana da loja de vinhos de La Morra, a Érika.

DSC07597

Taí, estrepitoso é uma boa palavra pra definir este maravilhoso dia da nossa viagem.

DSC07617

Arrivederci.

Veja os outros dias desta viagem:
dia uno – Chegando e reconhecendo o Piemonte
Dia due – Barolo, a cidade.

 

.

 

dcpv – dia uno e único – chile – vinícola vik, um espetáculo!

agosto 2015

Dia uno e único – Chile – Vinícola VIK, um  espetáculo!

O que você diria de um visionário que pensou em fazer o melhor vinho do Chile, talvez do mundo, partindo do nada?

DSC01308

Pois foi exatamente esta ideia a de Alexandre Vik.

DSC01305

Bom, deixa eu começar do começo.

DSC00962

A Marcia Lube teve (também) a brilhante ideia de fazermos a nossa reunião anual do grupo de vinho (formado por ela e o Vianney, a Madá e o Álvaro, a Lourdes e o Eymard, a Dé e eu) no Chile, mais exatamente na vinícola VIK, que fica na vale de Millahue.

DSC01067

E o negócio todo foi muito bom.

DSC01016

Primeiramente nos encontramos em Santiago onde aproveitamos pra matar as saudades dos vuelos do excelente Bocanariz

DSC00972DSC00973

… e conhecermos o muito bom restaurante …

DSC00999

… do famoso chef Gaston Acurio, …

DSC01001

… o Astrid y Gaston.

DSC01018

No outro dia , após pernoitarmos no ótimo hotel Noi Vitacura, …

DSC00993

… partimos pra conhecer esta ideia que aparentemente parece ser maluca, mas é espetacular.

DSC01033

São quase duas horas de Santiago, …

DSC01036

… mas quando se chega lá, …

DSC01039

…  a visão desta maravilha que fica no cume do monte mais alto…

DSC01038

… e com vista de 360° pra toda a vinícola deixa qualquer um de boca aberta …

DSC01045

… e pensando, My Good, como é que pode existir visionários como o Alexandre no mundo?

DSC01047

Programamos pra fazer o tour guiado pela vinícola logo na tarde do nosso primeiro dia aqui, uma sexta-feira.

DSC01105

E o tour é exatamente o que se poderia imaginar.

DSC01114

Nada mais do que extraordinário.

DSC01164

Antes disso, deixe-me explicar alguma coisa sobre o hotel.

DSC01044

É quase que um devaneio.

DSC01073

Chegamos e tivemos esta visão.

DSC01069

Fomos recebidos com chás e uma recepção maiúscula.

DSC01048

Demos uma olhada nos quartos, sendo cada um deles decorados por arquitetos famosos e de forma individual.

DSC01076

Estes valem o mini fotoblog.

DSC01081

DSC01052

DSC01055

DSC01059

DSC01061

DSC01238

DSC01246

DSC01249

Logo depois, fomos almoçar.

DSC01049

E frugalmente.

DSC01095

As escolhas seriam Côngrio …

DSC01088

… e Ossobuco para quem quisesse.

DSC01090

E o melhor, com um indefectível vinho VIK 2010 (excelente e excelente) sendo servido com nenhuma parcimônia.

DSC01084

A seguir faríamos o tour pela propriedade.

DSC01120

É incrível imaginar que tudo isto …

DSC01102

… foi iniciado em 2004, …

DSC01175

…com a plantação das primeiras videiras em 2006.

DSC01111

Ou seja, imagine que tudo era pura mata e que agora está transformado numa área produtora de vinhos.

DSC01075

E, segundo a ideia do proprietário, o provável melhor vinho do mundo (será megalomania?).

DSC01125

O tour é excelente.

DSC01121

Você passeia pelos terroirs específicos de cada tipo de uva …

DSC01128

… e, finalmente, chega à bodega …

DSC01131

… com este ambiente futurista …

DSC01165

… e impressionante, …

DSC01153

… onde o que vale, é saber que o capricho de todo o projeto…

DSC01166

… e sua execução, te fazem acreditar que tudo, desde que bem planejado, é possível (é claro, que com uma boa quantidade de dinheiro acompanhando).

DSC01143

E aí, chega a hora da degustação.

DSC01177

Você entra primeiramente na magnífica sala de Produção …

DSC01173

… passa por um visual incrível …

DSC01180

… e de repente, chega a uma sala de degustaçào …

DSC01179

… feita com um tremendo bom gosto …

DSC01174

… com obras assinadas por grandes artistas e é onde tudo começa a fazer sentido.

DSC01178

O nosso guia explica que o assemblage do vinho VIK é feito com a combinação de diversas uvas (com a predominância de Cabernet Sauvignon e Carmenere) e aí você experimenta os varietais 2013 que formarão o vinho deste mesmo ano.

DSC01182

Aí, do nada, surge a brincadeira de você fazer o seu assemblage. O meu, por exemplo, continha 50% de Cabernet Sauvignon, 40% de Carmenere e 10% de Syrah. Ficou um espetáculo!

DSC01191

Só nos restou agradecer ao nosso guia pelo ótimo passeio e terminarmos tudo experimentando novamente o VIK 2010.

DSC01200

Voltamos ao hotel, …

DSC01215

… e resolvemos dar uma descansada, antes de partirmos para o jantar propriamente dito.

DSC01213

Começamos tudo jogando uma partida de sinuca, comendo uma entradinha de cordeiro …

DSC01314

… e vibramos com o experimento  do VIK  2011 …

DSC01219

… e com a chegada dum peixe muito bom.

DSC01226

Finalizamos com uma sobremesa  ….

DSC01321

… e pensamos como a vida é boa.

DSC01269

Ainda tivemos tempo de olhar as luzes da piscina de borda infinita ….

DSC01233

… e dormir o verdadeiro sono dos justos.

DSC01050

É, realmente a vida é muito boa ….

DSC01293

… e a vinícola VIK…

DSC01338

… com seu magnífico hotel são lugares que tem que ser visitados (ficamos mais um dia por lá só aproveitando o bom papo).

DSC01339

E tenho dito.

DSC01347

Adiós …

DSC01356

… e hasta la vista.

.

 

 

 

 

dcpv – veggie e tariano

número 404
09/12/14

Veggie e tariano.

“Que tal ser vegetariano, pelo menos de vez em quando?”
É com esta pergunta que inicia o prefácio do livro “Comidinhas francesas vegetarianas” da Valérie Lhomme (editora Alaúde) que os sócios deram pra Dé.

DSC08514

Afinal de contas, eles, a Lourdes e o Eymard sabem muito bem que a Dé é uma adoradora de coisas vegetarianas.

DSC08475

Veja bem, ela não é caxias, mas quando pode, coloca uns legumes na alimentação daqui de casa (e também não gosta muito de carne vermelha).

DSC08482

Daí pra escolher receitas que formariam um menu foi muito rápido.

DSC08485

Vamos lá, então, saborear estes pratos veggies tão maravilhosos (xiiiiiiii!).

Entrada – Creme de abóbora com leite de coco.

Taí uma daquelas receitas pra entrar nas habituées daqui de casa.
Numa panela grande, frite com azeite duas cebolas pequenas picadas.

DSC08466

Adicione 1,5kg de abóbora menina cortada em cubos e refogue por 5 minutos.

DSC08467

Despeje 1 xícara de chá de caldo de legumes.
Junte uma pitada de canela em pó, outra de pimenta da jamaica e tempere com sal e pimenta do reino.

DSC08468

Tampe a panela e deixe cozinhar por 15 minutos ou até a abóbora ficar macia.
Coloque 1 1/4 de xícara de chá de leite de coco. reaqueça o creme sem deixar ferver.

DSC08469

Sirva em cumbucas, despejando um pouco de leite de coco.

DSC08487

Aproveitei e dei uma decorada com lâminas de amêndoas tostadas. Ficou bom mesmo!

DSC08489

É claro que aproveitamos a oportunidade pra tomar uma cava Freixenet que foi “flexco, freixa ligeira, brutal, invocable”, segundo os macrobióticos, nós mesmos.

DSC08492

Principal – Risoto de legumes verdes.

E lá vou eu fazer risoto novamente. E este é totalmente veggie.

DSC08501

Pra variar, é feito no mesmo formato de sempre. Inicia fritando cebola, …

DSC08498

… juntando o arroz, …

DSC08499

… adicionando vinho branco e logo após a evaporação, caldo de legumes (feito em casa).

DSC08500

Após 10 minutos, coloque legumes verdes junto com  o arroz (ervilhas frescas, ervilhas tortas, edamame e pontas de aspargos).

DSC08502

Aí é só esperar o arroz ficar al dente (mais 8 minutos) e finalizar com manteiga e queijo parmegiano ralado.

DSC08503

Ficou bem verde e vegetariano, ou seja, bom.

DSC08505

Tomamos um vinho tinto italiano, o Negroamaro Roccamora2011 que foi “falso, cruzada, escolástico, inominável”, segundo os adoradores de legumes, nós mesmos.

DSC08507

Sobremesa – Pudim de paçoca.

Desta vez, a D Vera não mostrou sinergia com o menu (e o Deo e o Mingão adoraram).

DSC08513

Este pudim de paçoca tinha calorias saltando pelo ar, mas serviu pra dar energia (e muito açucar) pra todos.

DSC08512

Pra variar, estava uma delícia.

DSC08511

Eis a opinião dos senhores verdes:
Veggie é bom?Ate que é, mas … (Edu)
Eu sou veggie. (Mingão)
I’m Vegas!!! (Deo)

DSC08496DSC08508

“Seja um vegetariano convicto (o que não é o nosso caso) ou apenas um apreciador da riqueza de sabores e texturas das frutas (aí, sim), este livro é para você”.

DSC08462

É isto mesmo. Dar uma desopilada de vez em quando, faz muito bem.

DSC08494

Afinal de contas, o tal detox está mais do que na moda!

DSC08477

Bye.

.

 

 

 

 

dcpv – piemonte – dia due – barolo, a cidade.

23/11/14

PiemonteDia dueBarolo, a cidade.

Acordamos cedo (levando em consideração que estávamos com 3 horas de diferença de fuso).

DSC07208

A vista do quarto era animadora.

DSC07210

Na verdade, todo o entorno do Relais San Maurizio é encantador.

DSC07211

Fomos tomar o nosso lauto café da manhã, …

DSC07219

… verificando as belezas que o local proporciona …

DSC07223

… bem como, as obras de arte que fazem parte de todo o acervo…

DSC07221

… e que se encontram expostas por lá.

DSC07234

Logo após o café, iniciamos as nossas investigações sobre as cidades vizinhas.

DSC07248

Todo o intuito deste tour seria complementar o que fizemos da outra vez, já que a base tinha sido gastronômica.

DSC07243

Para tanto, escolhemos inicialmente dar uma passada pelo centro de Serralunga D’Alba.

DSC07257

É um lugar bastante pequeno e com um castelo que é impressionante.

DSC07244

Além da visão de todo o vale do Langhe que impressiona mais ainda.

DSC07254

Não conseguimos fazer a visita (somente guiada) mas mesmo assim, curtimos muito o lugar.

DSC07250

Depois de lá e como estávamos perto da hora do almoço, resolvemos nos dirigir pra Alba (a terra das trufas brancas) pois tínhamos uma reserva pra almoçar no restaurante Dulcis Vitis, do buona praça Bruno Cingolani (amigão do Juscelino Piselli Pereira).

DSC07267

Não precisa nem dizer que ao chegarmos, o chef estava na casa pra receber todos os seus clientes.

DSC07281DSC07280

Que fique bem claro, esta é uma característica de toda a Itália.

DSC07268

Nem precisamos pensar muito pra todos escolhermos a mesma opção: o piccolo menu degustazione al tartufo bianco com 4 pratos.

DSC07274

Iniciamos chamando um Barbaresco, o Piero Busso 2007, que era uma maravilha.

DSC07292

E o primeiro prato chegou.

DSC07282

Uma piccola entrada com uma ricotta aerada e muita trufa branca.

DSC07288

Pra quem nunca viu, uma trufa é deste jeito …

DSC07290

… e por dentro tem esta formatação, …

DSC07309

… além de ter um gosto bem parecido com um muito bem upgradeado gás de cozinha.

DSC07294

Logo após comemos uns ravióli de ricota com burro di montagne, bagna calda …

DSC07299

… e muuuuuuuuuita trufa branca.

DSC07303

Pra continuar a esbórnia, tomamos um Barolo melhor que o Barbaresco, o Renato Corino 2003.

DSC07312

E o prato “della resistence”, o ovo frito foi servido com …

DSC07317

… muuuuuuuuuuuuuuita trufa branca.

DSC07323

Terminamos tudo com um ótimo vinho de sobremesa, o Deltetto Bric du Liun,…

DSC07334

…  que acompanhou o queijo de cabra com azeite e muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuita trufa.

DSC07330

Resultado? Foi um almoço muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito bom e trufado.

DSC07331

Logo após este arroubo gastronômico, só nos restou rumar pra verdadeira Meca do vinho piemontês, Barolo e conhecer o porquê de tamanha magia.

DSC07340

A cidade é pequena, mas muito bonita.

DSC07372

E além de todo o visual, ela tem um museu do vinho, o WiMu que vale a visita.

DSC07359

Ele é todo modernoso e bastante interativo.

DSC07356

Segue o fotoblog do lugar:

DSC07361

DSC07379

DSC07381

DSC07386

DSC07391

DSC07396

DSC07398

Ao final da visita, você ainda tem à disposição uma lojinha com máquinas enomatics que te permitem, com o pagamento de um valor determinado, experimentar um monte de amostras dos vinhos mais representativos da região.

DSC07409

Aproveitamos e bastante.

DSC07413

Ainda passamos numas vinotecas…

DSC07415

… e testamos (e compramos) vários vinhos e trapizombas enófilas.

DSC07414

Retornamos pro hotel (o frio deu uma amainada) e …

DSC07461

… resolvemos fazer um jantar bem mais leve, no próprio bistrô do hotel.

DSC07426

Foi quase que uma descompressão, mesmo porque era uma noite de domingo e a dificuldade de encontrar algum lugar aberto era imensa.

DSC07424

Iniciamos tudo pensando em começar e terminar no bar. Comemos algumas coisinhas …

DSC07428

… e tomamos um espumante rosé feito aqui mesmo (por sinal, bem meia-boca),

DSC07430

Achamos que ainda dava pra comer alguma coisa leve no restaurante Guido a La Costigliole.

DSC07432

Escolhemos um excelente barbaresco pra beber e as coisas começaram a sair um pouco do controle. :)

DSC07436

Eu e o Eymard, escolhemos um excelente vitelo tonato como entrada.

DSC07453

A Lourdes foi no prato mais tradicional do restaurante, o Agnolotti al Plin.

DSC07457

A Dé não perdeu o foco e optou por um cardo (uma verdura particular daqui e com gosto de alcachofra) regada a trufas brancas.

DSC07450

Eu e o Eymard, não satisfeitos (por incrível que pareça) ainda pedimos os principais.

DSC07435

Ele foi de gnocchi com creme de abóbora …

DSC07456

…  e eu, de risotto ao frutos do mar (no ponto e excelente).

DSC07454

Pedimos os cafés (passamos convenientemente as sobremesas) e é claro que os piccolos os acompanharam.

DSC07460

Pronto! Estava terminada a noite de um dia que podemos considerar perfeito.

DSC07397

Espero, sinceramente, que amanhã também seja!

DSC07441

Arrivederci.

Veja o primeiro dia desta viagem:
dia uno – Chegando e reconhecendo o Piemonte.

 

.

 

 

dcpv – cicília, sicília.

Número 402
18/11/2014

Cicília, Sicília.

Lá vamos nós apelar novamente para um lugar cercado de água por todos os lados.

DSC07083

E desta vez (na verdade, mais uma vez) o local é a badalada Sícilia.

DSC07062

“Na maior ilha do Mediterrâneo, as influências dos invasores históricos aparecem nos costumes, na notável arquitetura e também em sabores locais, como do atum com crostra de pistache, da cassata italiana e dos deliciosos canolis de ricota. Conheça essas e outras incríveis receitas sicilianas apresentadas no Coleção Folha Cozinhas da Itália”.

DSC07013

É, nos conhecemos outras. Mas não menos fantásticas.

DSC07055

Vamos a elas!

Entradas – Camarões gratinados e Fritada de queijo de cabra e ricota.

Este Gamberetti marinatti tem o mesmo principio de um ceviche. Compre camarões frescos, limpos e pequenos.

DSC07005

Numa vasilha, coloque os camarões e cubra-os com suco de 1 e ½ laranja e 3 limões sicilianos.

DSC07010

Junte 2 dentes de alho amassados e deixe marinar por 25 minutos.

DSC07008

Como achei o resultado um pouco estranho, coloquei esta mistura numa panela e cozinhei por alguns minutos (até o camarão mudar de cor).

DSC07045

Salpiquei sal e salsinha.

DSC07044

Apesar do desvio, o resultado foi bastante interessante.

DSC07016

Já a Frittata di caprino e ricotta, parece mais um grande omelete.

DSC07042

Com um garfo, bata 4 ovos e acrescente 1 colher de sopa de pecorino, sal, pimenta calabresa moída e colheres de sopa de leite.

DSC07025

Numa frigideira, aqueça duas colheres de azeite, coloque 100g de queijo de cabra e 100g de ricota, todos cortados em cubinhos.

DSC07032

Deixe dourar por, ao menos, 10 minutos.

DSC07036

Assim que os queijos começarem a dissolver, acrescente o ovo batido. De vez em quando, com uma espátula, desprenda a borda para que não queime (acabou dando uma ligeira queimadinha! Rs)

DSC07038

Quando a omelete estiver bem cozida, macia somente no centro, vire-a para dourar do outro lado. Transfira e sirva.

DSC07049

O conjunto das duas entradas ficou muito bom.

DSC07052

Tomamos um rose para acompanhar, o rosé D’Azur, que foi “sweet rosé, como a cote, fleur de lune, lbv”.

DSC07056

Principal – Espaguete com ricota e pecorino.

Este spaghetti com ricotta e pecorino é uma daquelas receitas italianas simples e que facilmente se transformam num clássico na sua casa.

DSC07073

Cozinhe 500g de espaguete grano duro em água fervente até que fique al dente. Junte200g de ricota fresca amassada com garfo, 50g de parmesão ralado, 50g de manteiga em temperatura ambiente e pimenta calabresa moída a gosto, num bowl.

DSC07060

Para amolecer a mistura, acrescente uma concha da água de cozimento do macarrão.

DSC07059

Espalhe este molho numa travessa e coloque sobre ele a massa escorrida e bem quente.

DSC07070

Mexa, salpique com queijo pecorino ralado e sirva imediatamente.

DSC07011

Como todo prato clássico, o resultado foi fantástico.

DSC07078

Pra melhorar, tomamos um vinho branco, o Sauvignon Blanc Antares 2012, que foi “quase quase, chardonnay blanc, incidente, pretender”.

DSC07069

Sobremesa – Torta de framboesa e ricota.

Eis mais uma obra prima da nossa pastisseur, a D Vera.

DSC07006

E por incrível que pareça, o tema ricota continuou em vigor.

DSC07081

Esta torta, que mais parece um cheesecake, utiliza massa phyllo. E ficou excelente.

DSC07085

Eis a opinião dos verdadeiros italianos:
Tudo muito bom, mas a pasta … (Edu)
Que macarrone, que comida, que sobremesa. (Mingão)
Delicia !!! (Deo)

DSC07057DSC07080

Pronto!
Parece brincadeira, mas apelar pra receitas italianas é certeza de sucesso e grande prazer.

DSC07067

Esta Bota é realmente inesgotável.

DSC07065

Arrivederci.

.

 

dcpv – dia uno – chegando e reconhecendo o piemonte.

22/11/14

Dia uno – Chegando e reconhecendo o Piemonte.

Primeiro dia de viagem é dia perdido. Certo?

DSC07103

Neste caso, até que errado.

DSC05474

Nos encontramos (a Lourdes e o Eymard viajaram conosco) no novo terminal 3 do aeroporto de Guarulhos.

DSC05467

Tudo certo e até a nova sala VIP da TAM funciona. :)

DSC05465

Quando fomos fazer o embarque, tivemos a primeira grande e boa surpresa.

DSC05471

Tivemos todos os quatro (apesar de termos comprado passagens independentemente) um upgrade de primeira.

DSC07088

Ou seja, foi um voo tranquilo e bastante reconfortante.

DSC07086

Chegamos em Milão no horário (13:00hs) e só não contávamos com a uma hora de espera na fila da imigração.

DSC07114

Pegamos os carros previamente alugados na Hertz e zarpamos pro coração do Piemonte, mais precisamente em San Stefano Belbo.

DSC07101

Ficaríamos hospedados no Relais San Maurizio.

DSC07133

São quase duas horas de direção em auto-estradas perfeitas, …

DSC07098

… com uma vegetação muito bonita …

DSC07115

… mais uma parada para abastecimento (dos estômagos) num AutoGrill …

DSC07104

… e tivemos a oportunidade de ver um dos mais bonitos pores do sol de nossas vidas.

DSC07105

De repente e do nada, apareceu uma faixa no céu …

DSC07131

… e nela se encaixou um sol vermelho.

DSC07126

Absolutamente perfeito!

DSC07129

Ah! Não podemos nos esquecer que escurece muito cedo nesta época do ano, perto das 17:30 hs. E foi justamente nesta hora que chegamos ao hotel.

DSC07135

Apesar de estar tudo escuro, deu pra perceber a qualidade das dependências. Afinal de contas, ele é um antigo monastério e acima de tudo, charmosíssimo.

DSC07158

Os quartos são, no nosso caso, bastante espaçosos e com uma decoração muito típica.

DSC07137

Antes de mais nada, uma happy hour foi devidamente feita por nós e melhor, com um Champagne Ruinart de boas vindas.

DSC07147

Como já é praxe nas nossas últimas viagens, reservamos o restaurante do hotel, o Guido da Costigliole (uma estrela no Michelin) pra iniciarmos as nossas aventuras gastronômicas piemontesas.

DSC07155

E não nos arrependemos.

DSC07141

A cenografia é espetacular, já que ele fica no porão do mosteiro que foi fundado por monges franciscanos em 1619.

DSC07202

É claro que a primeira impressão é a que fica. E neste caso, o cheiro inebriante das trufas é inevitável.

DSC07148

Optamos por comer pratos com elas.

DSC07151

Os piccolos de praxe nos foram enviados.

DSC07160

Enquanto isso, escolhemos todos comer tagliatelle com muitas raladas de trufas brancas …

DSC07175

… e os homens, ainda experimentaram ovos preparados em dois estilos (ambos com as gemas caudalosas) e com muitas mais raladas de trufas.

DSC07180

Em comum, os pratos completamente limpos ao final.

DSC07190

Tomamos um Barbera D’Asti muito bom …

DSC07167

…  e experimentamos um tiramisu, não tiramisu que foi apenas competente como sobremesa.

DSC07193

Mais piccolos, desta vez doces, nos foram servidos junto com o café …

DSC07199

… e a nossa primeira noite no Piemonte terminaria como esperamos que seja todo o nosso tour: comida muito boa e com pedigree.

DSC07200

Arrivederci que amanhã tem mais trufas.

DSC07294

.

 

 


É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se a 581 outros seguidores

Blog Stats

  • 1,242,658 hits
fevereiro 2016
S T Q Q S S D
« Jan    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
29  

Atualizações Twitter


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 581 outros seguidores