dcpv – dia sechs – berlim – passeio prazeroso a pé.

21/03/2016

Dia sechs – Berlim – Passeio prazeroso a pé.

Hoje seria o real primeiro dia em Berlim.

dsc03337

E ele amanheceu bem broncolhão, com cara de chuvoso.

dsc03339

Tomamos o nosso café da manhã no próprio hotel …

dsc03332

… e encontramos com a Isabel, do excelente site Simplesmente Berlim.

dsc03340

Ela daria um giro conosco o dia inteiro e, além de nos posicionar sobre a cidade, nos contaria o máximo possível sobre a história alemã e também sobre os hábitos dos berlinenses, coisa que ela e o marido são há 13 anos.

dsc03369

Iniciamos o tour indo conhecer o que restou de realidade do muro de Berlim.

dsc03346

Antes de mais nada, ficamos sabendo que na verdade a Berlim que ficava dentro do muro era a Ocidental. Você sabia disso?

dsc03338

Vimos o formato de tudo visitando o Memorial do Muro de Berlim.

dsc03347

Também descobrimos que o muro era um conjunto deles, …

dsc03352

… contendo um mais baixo, …

dsc03341

… outro de concreto com a ponta arredondada …

dsc03343

… e uma área entre eles que permitia aos vigias observarem tudo o que de estranho acontecia por lá.

dsc03336

Vimos também como as cidades se desenvolveram (ou recrudesceram) com a sua presença …

dsc03327

… além de visitarmos o memorial propriamente dito que tem imagens surpreendentes de todos os detalhes.

dsc03351

De lá, fomos de tram para uma região bacana da antiga Berlim Oriental, a Oderberger Strase.

dsc03354

É um lugar muito bonito e fervilhante da atual Berlim.

dsc03357

Os prédios todos estão sendo revitalizados e os novos restaurantes borbulham.

dsc03360

Mais um trechinho de trem e estávamos num complexo de pátios interligados, o Hackesche Höfe que formam como que um bairro tranquilo dentro das ruas agitadas da cidade.

dsc03363

Eis um minifotoblog do lugar:

dsc03362

dsc03365

dsc03366

dsc03368

dsc03371

dsc03374

dsc03377

dsc03379

Depois de andar tudo isso, era hora de almoçar.

dsc03380

E escolhemos, com a devida ajuda da Isabel, um restô tipicamente alemão, o Hackescher Hof.

dsc03398

Ele tem uma comida muito boa e um ambiente tranquilo.

dsc03397

A Dé e a Isabel pediram um fusilli com molho de tomates e carne de porco,…

dsc03389

… a Re uma sopa de batata doce como entrada e um Club Sanduíche …

dsc03392

… e eu, uma pasta com frutos do mar (prato mais típico, impossível! Rs).

dsc03390

Acompanhamos tudo com um bom Riesling …

dsc03383

… e estávamos recarregados pra continuar o passeio.

dsc03415

Passamos pela belíssima Catedral, …

dsc03407

… pela ilha dos museus (prometemos ir pelo menos ao Pergamon amanhã), …

dsc03408

… pela singela Berlim antiga, o Nikolaiviertel, …

dsc03417

… com direito a forte imagem de São Jorge (salve o Corinthians!), …

dsc03418

… e terminamos na praça Gendarmenmarkt.

dsc03422

Nos despedimos da Isabel com a última dica dela, a loja de chocolates Fassbender&Rausch, …

dsc03429

… onde aproveitamos pra tomar legítimos chocolates quentes alemães, que ajudaram a aplacar o frio que reinou o dia inteiro.

dsc03432

Fica a dica: o passeio com a Isabel é imperdível e você certamente terminará sabendo muita coisa sobre a cultura alemã, especialmente a berlinense.

dsc03426

Voltamos de metrô (compramos o passe do dia inteiro) e nos preparamos pra ir pra balada (brincadeirinha!).

dsc03438

Como estávamos bem cansados (andamos uns 12km), a solução foi comer alguma coisinha num restaurante vietnamita que fica ao lado do hotel.

dsc03446

Cô Chu é bastante moderninho e tem um ambiente tanto quanto.

dsc03456

O serviço foi bastante engraçado, já que o garçom não falava nada de inglês e muito menos alemão. Tivemos que nos entender através de gestos e indicações.

dsc03444

Como as porções eram grandes, pedimos duas. Uma de Com Cà Ri, um curry vermelho com leite de coco, feijão verde, páprica, abobrinha e brócoli acompanhado de frango grelhado.

dsc03455

Outra de Bún Nem Hà Nöi, crispys spring rolls com noodles de arroz, alface e um molho de pimenta.

dsc03452

Tudo bem apimentado e do jeito que pratos vietnamitas (imagino) tinham que ser. Tomamos Coca (de garrafa), um suco de limão diferentão e cerveja Berliner.

dsc03451

Enfim, um lugar super recomendado e com um tremendo custoxbeneficio.

dsc03441

Quer coisa melhor ainda? Estávamos a 20 m do hotel e consequentemente das nossas caminhas.

dsc03457

Auf wiedersen!

Veja os outros dias desta viagem:

.

dcpv – jamie’s italian (e ferrazense).

14/04/2015
número 414

Jamie’s Italian (e ferrazense).

E não é que o porquinho do Jamie Oliver abriu um restaurante lá na praia (mais conhecida como capital paulistana)?

DSC09193

Juro que tentamos conhecer, mas por motivos técnicos, não conseguimos (em tempo, já fomos lá várias vezes e gostamos muito).

DSC09190

Acontece que tenho um livro dele, o Jamie Viaja, que é muito legal e tem receitas bacanas.

DSC09188

Pra homenagear a abertura do Jamie’s Italian em SP, resolvi fazer um menu só com receitas deste jovem (hoje, nem tanto) e famoso chef inglês.

DSC09211

Vamos lá, então!

Entrada – A melhor salada de tomates do mundo.

O nome da receita é bem modesto, né? E será que esta simples salada é mesmo a melhor do mundo?

DSC09220

Para fazê-la basta colocar numa saladeira grande, 3 tomates italianos cortados em pedaços irregulares, …

DSC09172

… um punhado de tomates-cereja cortados ao meio, …

DSC09176

… cebolinha verde cortada, salsinha a vontade e temperar com vinagre de sherez e azeite.

DSC09177

Enquanto isso, frite um chouriço (espanhol, por favor) num pouco de azeite.

DSC09173

Quando ele tiver frito, junto uns dentes de alho fatiados e doure-os.

DSC09186

Misture o chouriço ainda quente com a salada e sirva.

DSC09184

Ele indicava como opcionais, um pouco de presunto ibérico e queijo de cabra.

DSC09204

É claro que eu servi (comprei tudo no sex shop) …

DSC09207

… e junto, fatias de pão italiano, pra aproveitar bem o molho que se formou no fundo da certamente, a melhor salada de tomates do mundo!

DSC09218

Acompanhamos esta maravilha com um vinho branco francês, o Vendanges Nocturnes Classic Laurent Miquel 2013 que foi “estiloso, pret-a-porter, vice-versa, bugiardo“.

DSC09209

Principal – Risoto de tomate cereja.

Esta é mais uma invenção do Jamie. Ele diz que pra incrementar um risotto, basta você fazer uma receita básica e acrescentar os ingredientes que você gostar no final de tudo.
E, mais uma vez, foi o que eu fiz.

DSC09175

Pela ordem, você faz um risoto básico, usando um caldo de legumes (feito em casa) no procedimento usual.

DSC09226

Enquanto isso, pegue tomates-cereja, corte-os ao meio e frite-os no azeite, juntamente com 3 dentes de alho fatiados e um punhado de folhas de manjericão.

DSC09183

Quando o risoto estiver pronto (com o arroz al dente e finalizado com manteiga e queijo parmesão) adicione os tomates fritos, misture bem e sirva.

DSC09227

Ficou muito bom mesmo e dá pra imaginar na quantidade de misturas que são possíveis de usar.

DSC09233

Tomamos um bom tinto, o francês Fleur de Thénac 2009 que achamos “sem filtro, mistura fina, Solange, pretender“.

DSC09231

Sobremesa – Sorbet de tinto de verano.

Somos fãs de tinto de verano aqui em casa. Quando vi esta receita, vibrei. Afinal de contas, tomar um sorbet deste nectar deve ser muito bom.

DSC09237

Para fazê-lo, faça uma mistura com 300ml de água e 300g de açúcar. Coloque no fogo até formar uma calda rala e deixe esfriar.

DSC09168

Misture esta calda com 300ml dum vinho espanhol e 300ml de H2O limão, além de suco de um limão.

DSC09169

Leve à sorveteira e assim que tiver batido, deixe no freezer.

DSC09171

E o sorvete realmente ficou muito bom.

DSC09240

Eis a opinião dos Jamie’s Ferrazenses:
Jamie. Bem-vindo a SP. E a Ferraz. (Edu)
Grande Jamie, Viva Orlando Alvarado! (Mingão)
Oliver, you’re so good! (Deo)

DSC09222DSC09235

Olha, espero que a comida do Jamie’s Italian tenha alguns dos fundamentos desta que apareceu por aqui.

DSC09187

Porque esta estava muito bem condimentada, saborosa, bonita e gostosa.

DSC09196

E olha que eu lavei as mãos pra fazê-la!!🙂

DSC09214

Arrivederci.

.

 

dcpv – dia funf – berlim – o por do sol no portão de Brademburgo.

20/03/2016

Dia fünf – Berlim – O por do sol no portão de Brademburgo.

Dia de viagem é dia perdido, certo? Errado. Após tomar o café da manhã no apê, pegamos o nosso transfer e rumamos pro Charles de Gaulle pra voarmos pra Berlim.

DSC03300

Estava bastante frio e o tempo, nublado.

DSC03291

Mas quando chegamos, o sol já estava a postos.

DSC03299

O hotel i31, um boutique bacana indicado pela Re, é bem moderno e muito confortável.

DSC03294

Fica numa região bacana de Berlim, o Mite e por ser bem localizado, a pouca distância dos pontos turísticos.

DSC03297

Resolvemos dar uma caminhada pra desenferrujar as pernas.

DSC03298

E ela foi bem extensa.

DSC03303

Andamos pela Invalidestrase …

DSC03301

… e acabamos chegando ao Tiergarten, o Ibirapuera (é bem maior) deles.

DSC03305

Foi o nosso primeiro contato com monumentos como a Siegessäule, uma coluna da vitória da Prussia sobre a Dinamarca, Áustria e França.

DSC03306

A deusa da vitória fica no topo desta coluna e …

DSC03311

… tem um charme especial.

DSC03308

De lá, se faz uma caminhada de 1,5 km…

DSC03313

… até o Portão de Brademburgo, …

DSC03323

… que dispensa apresentações, …

DSC03318

… ainda mais pra quem acompanhou a queda do muro de Berlim.

DSC03321

Louve-se que assistimos privilegiadamente a um belíssimo por do sol.

DSC03317

Tanto na coluna …

DSC03312

… como no portão.

DSC03328

Com direito a ver, novamente, noivinhos curtindo o seu casamento.

DSC03319

Tivemos também a experiência de utilizar o metrô berlinense. E, por incrível que pareça, tudo deu certo.

DSC03329

Voltamos pro hotel, pois tínhamos uma reserva num restaurante que era uma incógnita pra mim. O veggie CookiesCream prometia (cismei com ele) ainda mais que, certamente, a Re e a Dé iriam adorar.

IMG_9848

Começa que eles não permitem fotos (mas é claro que a Dé deu um jeitinho). A chegada já é estranha, pois o restaurante fica no corredor de serviço dum hotel e praticamente não tem indicação nenhuma.
E tem mais uma coisa, utilize a reserva através do Open Table alemão pois o lugar é muito concorrido.

IMG_9865

E não é pra menos. Tudo é tão gostoso que você nem percebe que eles não servem nenhum tipo de carne.

IMG_9847

Pedimos (a Re e a Dé) aipo com guioza de maçã e eu, queijo (que mais parecia um fondue) com pão torrado. Tudo tão gostoso que não sobrou absolutamente nada.

IMG_9851

Continuamos com um caldo de parmesão e trufas pra elas e espinafre com batata e ovo frito, pra mim.

IMG_9859

Acompanhamos esta maravilha com um Riesling formidável e orgânico.

IMG_9856

Como sobremesas (todos pedimos um menu degustação com 3 pratos e preço fixo), bolha de chocolate branco com Mascarpone e pistaches pra Re, …

IMG_9850

… sorvete de manteiga de amendoim e sal pra Dé …

IMG_9855

… e pera com sorbet de pera e um praliné muito interessante, pra mim.

IMG_9845

Finalizamos com flutes de Ruinart, pois a ocasião e a comida, mereceram.

IMG_9857

É realmente um restaurante pra ser visitado quando estiver em Berlim.

IMG_9852

Só nos restou tomar um táxi pro hotel e dormir o sono dos cansados e satisfeitos. É, pessoal, Berlim promete!

DSC03325

Tschüss.

Veja os outros dias desta viagem:

 

dcpv – ana maria braga e o jogo de panelas ferrazense

número 413
07/04/15

Ana Maria Braga e o Jogo de Panelas ferrazense.

Por contingências do destino, tomamos café da manhã aqui em casa justamente no horário do programa da Ana Maria Braga. E, não se espantem, gostamos muito, eu e a Dé, do pseudo reallity Jogo de Panelas.

DSC09164

Ele é uma disputa entre 5 pessoas que tem que cozinhar em sua casa um menu completo para as outras 4 e ganha o prêmio (R$10000,00) quem obtiver o maior número de pontos obtidos através de notas que são dadas pelos próprios participantes.

DSC09112

É claro que tudo é bastante engraçado e as vezes, alguns menus parecem ser interessantes.

DSC09122

Na última edição do Jogo, um participante fez um menu tendo como tema o filme Mágico de Oz.

DSC09131

Apesar das comidas não terem muito a ver com nada, resolvi fazer estas receitas por aqui.

DSC09166

Acompanhem, então, o resultado desta brincadeira!

Entrada – Figos recheados com salada de verdes.

Esta entrada ficou muito boa e é simples de fazer.

DSC09147

Faça um recheio com 1/2 xícara de nozes, 1 colher de sopa de mel, 6 colheres de sopa de queijo  cremoso, 6 fatias de presunto em tiras, 1 colher de sopa de alecrim fresco.

DSC09100

O alecrim e as nozes são picados bem miudinhos.

DSC09104

Tempere com um fio de azeite, sal e pimenta a gosto.

DSC09105

Corte os figos em cruz e recheie com a mistura.

DSC09107

Preaqueça o forno a 220°C, regue os figos com um fio de azeite, vinagre balsâmico e asse por 15 minutos.

DSC09109

Sirva com uma salada de folhas (alfaces crespa, roxa, frisée e rúcula) temperada com um molho simples de azeite, vinagre balsâmico e limão (este eu coloquei por minha conta).

DSC09135

Ficou muito bom e extremamente saboroso.

DSC09145

Tomamos um excelente vinho branco, o Pania Sauvignon Blanc 2014 que foi “siciliano, limoncello, floral, japonês”.

DSC09144

Principal – Frango com manteiga de ervas e risotto de parmesão.

A manteiga de ervas é feita da seguinte maneira: amasse 3 dentes de alho com sal a gosto. Adicione tomilho fresco, salsa picada e após obter uma pasta, leve à geladeira.

DSC09106

Tempere os filés de peito de frango com sal e pimenta.

DSC09118

Coloque a manteiga no meio dos filés e feche bem (com auxílio de palitos). Polvilhe o frango recheado em farinha de trigo, passe na mistura de ovo com leite, empane em farinha de rosca e frite.

DSC09128

Leve ao forno pra terminar o cozimento.

DSC09139

Já o risotto foi feito da maneira tradicional.

DSC09150

E com um detalhe, tirei o queijo brie e coloquei um queijo parmeggiano reggiano original no lugar, já que não sou muito chegado na cremosidade a mais que o brie dá ao risotto.

DSC09152

De qualquer forma, o prato ficou muito bom.

DSC09155

Tão bom que a Dé incorporou este frango no nosso cardápio daqui de casa.

DSC09156

Como upgrade, tomamos um vinho tinto muito bom, o  Cappupino Ccinotage 2013 South África que foi “new cappuccino, trocadalho, nespresso, totó”.

DSC09162

Sobremesa – Quadrados de abacaxi com chantilly de baunilha.

Pelo que eu lembro, segundo o participante, estes quadrados de abacaxi remeteriam aos tijolos amarelos de Oz. Realmente é muita imaginação!🙂
Esta sobremesa também é bastante simples.

DSC09167

Para fazê-la, basta picar um abacaxi médio em cubos e levar ao fogo baixo com 1 xícara de açúcar. Após levantar fervura, deixe o abacaxi ferver até ficar um pouco branco e soltar líquido. Desligue o fogo e adicione 1 pacote de flan de baunilha.

DSC09096

Coloque numa vasilha grande e leve à geladeira. Quando for servir, faça o chantilly batendo 500ml de creme de leite fresco e adicionando 5 colheres de sopa de açúcar e 1 colher de sopa de essência de baunilha. Sirva o abacaxi gelado coberto com o chantilly.

DSC09163

Eis a opinião dos jogadores de panelas:
O mundo de Oz foi bem representado. Comida saborosa e mágica! (Edu)
Beautifull yellow brick road. (Mingão)
Eu gostei! Foi delicioso, apesar da “fartura”! Fartou mais quantidade! rsrsrs (Deo)

DSC09149DSC09160

Ainda bem que não tivemos por aqui a necessidade de dar notas (diga-se de passagem, bem políticas) sobre o menu.

DSC09113

Melhor ainda, não precisamos nos fantasiar como todos os participantes do Jogo de Panelas tem que fazer.

DSC09158

Agora, certamente, o politiqueiro Louro José gostaria muito de tudo, assim como nós gostamos. Mesmo não vendo relação nenhuma com o Mágico de Oz.🙂

DSC09153

Bye!

.

dcpv – dia catre – paris – tour de chocolate (e otras cositas más) por saint german de prés.

18/03/2016

Dia catre – Paris – Tour de chocolate (e otras cositas más) por Saint German de Prés.

Mais um dia frio e maravilhoso na cidade iluminada.

DSC03184

Escolhemos fazer pela manhã o que melhor representa a capital francesa: flanar.

DSC03194

E melhor ainda que seria pelo nosso bairro, o Marais.

DSC03201

Tomamos um bom café da manhã e fomos passear.

DSC03183

Descemos a rua des Rosiers, cruzamos a Vielle du Temple …

DSC03185

… e chegamos num pet shop elegantérrimo.

DSC03189

Compramos algumas coisinhas pro Barclay (o nosso cãozinho) …

DSC03187

… algumas coisas pra nós (em outra loja, claro?🙂 ). Que outro lugar você encontra roupas de frio exclusivas e camisas antigas de rugby …

DSC03193

… além das fantásticas quinquilharias específicas da Muji?.

DSC03192

Pra finalizar, nada como almoçar um legítimo falafel do L’As du Falafel!

DSC03199

Um espetáculo.

DSC03198

E estávamos prontos pra enfrentar um tour de chocolates e patisserries que encontrei no tio Google.

DSC03186

Paguei antecipadamente para a Get your guide e as 14:00 estávamos na frente da La Maison du Chocolat, junto com duas americanas.

DSC03202

O guia Davi estava a postos e fomos, logo de cara, experimentando eclairs espetaculares.

DSC03204

Como o tour também era cultural, ele nos explicou rapidamente como Paris se transformou numa metrópole.

DSC03207

Próxima parada?

DSC03208

Numa padoca de luxo, a Poilâne, …

DSC03209

… onde tudo é feito no formato old school.

DSC03211

Escolhemos tipos diferentes de pães …

DSC03210

… e rumamos para Saint Sulpice.

DSC03217

O Davi nos deu uma aula completa sobre história francesa …

DSC03220

… e aproveitamos pra conhecer o escultor de chocolates, o Patrick Roger.

DSC03222

A sua loja é fenomenal e o primeiro andar é um pequeno museu de esculturas chocolatais.

DSC03226

Continuamos a caminhada e chegamos ao óbvio.

DSC03225

Macarons? Pierre Hermé.

DSC03231

O rei dos reis.

DSC03234

Next stop? Pierre Marcolini.

DSC03236

O cara é belga, mas manja pra caramba!

DSC03238

Os chocolates dele são de deixar qualquer um estupefato (e olha que não sou tão fã assim deles).

DSC03239

Caminhamos mais um pouco e chegamos a uma praça altamente aprazível.

DSC03253

Nela fica a La Maison du Chou, …

DSC03245

… que nada mais é do que uma pequena eclair arredondada, recheada na hora.

DSC03247

Simplesmente fantástica.

DSC03248

O museu de Delacroix, grande pintor francês fica exatamente ao lado dela.

DSC03254

Continuamos o nosso périplo (????) experimentando os caramelos do Henri Le Roux.

DSC03255

Cara, caramba, cara, caramelo.

DSC03256

Nos deliciamos com tudo o que experimentamos e tudo era muito bom.

DSC03257

Próximo dali, o bar Procope nos foi indicado como um lugar onde a revolução francesa realmente foi inspirada.

DSC03260

Última parada: Maison Georges Larnicol, ao lado da inspiradora imagem de Danton.

DSC03266

Hoje fizemos a revolução dos chocolates.

DSC03223

Ainda deu tempo de passar na Grand Epicierie e comprar mantimentos pro nosso jantar.

DSC03268

Rapidamente pegamos um táxi e zarpamos pro extremo do Marais onde tínhamos um encontro marcado com a melhor millefeuille que comemos até hoje.

DSC03277

E ela é servida no Jacques Genin.

DSC03271

Por pouco perdemos a hora, mas a gerente se apiedou de nós e conseguimos experimentar esta maravilha que é montada na hora …

DSC03275

… e é extremamente crocante.

DSC03274

O restante foi caminharmos até o apê …

DSC03283

… e encerrarmos este tour parisiense com um risoto de trufas …

DSC03286

… regado a Chablis e a champagne Bollinger.

DSC03289

Resumo do dia: uma lição de como a história e a gastronomia podem andar juntas.

DSC03264

Isto é Paris.

DSC03214

Au revoir.

Veja os outros dias desta viagem:

dcpv – croácia – cozinha e memória dálmata

número 412
17/02/15

Croácia – Cozinha e memória dálmata.

Quando me deparei com um livro sobre a culinária croata, só tive o trabalho de comprá-lo. Afinal de contas, este lindo país está na nossa lista de viagens há um tempão.

DSC09057

O livro, o Croácia – Cozinha e Memória Dálmata foi escrito por uma neta de dálmatas (ops, assim são chamadas as pessoas nascidas na Dalmácia), a Katia Gavranich Camargo (editora Escrituras) e além de nos mostrar a curiosa culinária do país, ainda nos dá um panorama bacana sobre a história, a geografia (com aquela linda costa marítima) e a história pessoal da família.

DSC09067

Enfim, se não é um guia sobre a Croácia, é um belo preâmbulo sobre o país que certamente visitaremos.

DSC09095

Dobar Tek!

Entrada – Salad od krastavca s jogurtom.

“Essa é, na verdade, uma sopa fria consumida em todos os Bálcãs com pequenas variações, como por exemplo, o acréscimo de alho picado”.

Fazê-la é bastante fácil. Corte as duas pontas dum pepino japonês parcialmente descascado, corte-os em rodelas e coloque numa tigela.

DSC09050

Misture um copo de iogurte natural com 4 colheres de sopa de azeite, suco de meio limão, 1/2 xícara de hortelã picada e tempere tudo com noz moscada, pimenta do reino e sal.

DSC09048

Regue os pepinos fatiados com o molho de iogurte e misture bem.

DSC09064

Taí uma salopa (salada+sopa) que cairia muito bem quando estivermos numa daquelas praias de Hvar.

DSC09065

Tomamos um belo vinho branco, o Chardonnay Nieto Senetiner 2013, que foi “herbáceo, croata, né?, Franklin, alegrito“.

DSC09071

Principal – Rijoto od piletine.

“Minha Baba preparava este risoto com arroz agulhinha, também muito saboroso. Na minha infância, os arrozes próprios para risoto eram raridade”.

Graças a globalização (e ao sex shop) encontrar arroz arbóreo ficou muitio fácil. O grande segredo desta receita é fazer o caldo do risoto quando estiver cozinhando o peito do frango. Tudo ficará muito saboroso.

DSC09059

Lave bem 300g de peito de frango em água corrente e coloque num prato fundo. Tempere o frango com páprica doce, uma pitada de sal e suco de meio limão. Cubra com um filme plástico e reserve.

DSC09062

Numa panela coloque cerca de 2 litros de água, uma cebola pequena em rodelas, um pouco de alho-poró picado, uma cenoura cortada em rodelas, 2 folhas de louro e uma pitada de sal. Quando a água começar a ferver, adicione o peito de frango. Desligue quando o frango estiver cozido, desfie-o e reserve o caldo.

DSC09074

Já pro risotto, o procedimento é o rotineiro. As únicas diferenças são refogar 1 tomate sem pele e sem semente junto com a cebola e o alho, …

DSC09075

… acrescentar o frango desfiado, 2 colheres de extrato de tomate, juntar o arroz arbóreo (duas xícaras) e um pouco de vinho branco …

DSC09076

… e 3 colheres de sopa de azeitona verde picada.

DSC09054

Daí pra frente é incorporar o caldo do frango e mexer á vontade. Finalize com orégano, salsinha e queijo parmesão.

DSC09078

Ficou muito bom mesmo e com gosto de comida croata.

DSC09084

Tomamos um belo vinho tinto, o Gg Rioja Alta 2013, que achamos “joinha joinha, joinha joinha II, XL, XXL“.

DSC09088

Sobremesa – Slatka pitulica.

“Você pode mudar o recheio usando, por exemplo, ingredientes salgados. No lugar das frutas secas, que tal presunto, peito de peru, escarola, etc?”.

Esta trouxinha doce tem um jeitão de ser bastante típica.

DSC09061

Primeiramente, faça um recheio com 1/2 kg de ricota fresca, 5 colheres de sopa de uvas passas sem semente ou de damascos picados (usei os dois), 1 colher de sopa de manteiga, 6 colheres de sopa de açúcar e 1 colher de sopa de baunilha.

DSC09049

Recorte massa folhada (pode comprar pronta, assim como eu fiz) em quadrados de 12 cm e coloque o recheio com a ajuda duma colher.

DSC09051

Una as 4 pontas em cima e aperte bem para não desmanchar.

DSC09052

Coloque para assar até dourar em uma forma untada com manteiga.

DSC09053

Mais uma bola dentro (não esqueça que os croatas são considerados como muito bons de futebol).

DSC09093

Eis o que os cachorrões, os dálmatas, acharam de tudo:
Eu queria ir pra Croácia. (Edu)
A Dalmácia é aqui. (Mingão)
Adoro a Alécia !!! (Deo)

DSC09069DSC09090

“A Croácia é o ponto de encontro entre o Mediterrâneo e a Europa Central e entre os Alpes e a Planície da Panônia. Apesar de pequeno é um território repleto de paisagens ricas e variadas, que vão desde altas montanhas, que tomam quase 40% do seu território, até praias e ilhas paradisíacas no profundo azul do mar Adriático”.

DSC09066

Me diz se este é ou não um lugar pra se conhecer? Ainda mais depois de experimentar todos estes pratos do excelente livro Croácia – Cozinha e Memória Dálmata.

DSC09080

Do videnja!

.

 

 

 

dcpv – estivemos na osteria francescana, o melhor restaurante do mundo

Nota da redação – Este post foi publicado no final de 2008.
E é o relato de um almoço inesquecível que fizemos na Osteria Francescana, o restaurante que acabou de ser eleito como o nº 1 do mundo.
Tudo bem que já faz um tempinho, mas já dá pra perceber que o Massimo Bottura chegaria lá.
Deliciem-se!

stupendo
31/10/08

Massimo Bottura, Osteria Francescana, Modena, Itália

Já faz um tempinho (05/01/08 ) que eu e a Dé fomos a um jantar especial no espaço DOM.
O Alex Atala convidou o Massimo Bottura pra mostrar o porque dele ser um dos expoentes da nova cozinha italiana.  Muito simpático, ele veio à nossa mesa e eu aproveitei pra dizer que iríamos conhecer a casa dele, a Osteria Francescana em Modena, no final de 2008 (isto tudo no meu parco italiano, prego!).

dsc02095-21

Pois bem , o tempo passou e chegou a hora de irmos pra Emilia Romagna. Mandei um e-mail pra fazer a reserva e o próprio Massimo me respondeu, dizendo que estaria nos esperando.
Como sempre (eita, Primeiro Mundo!) deu tudo muito certo. No dia 31/10, precisamente as 13:30 hs, eu e a Dé desembarcamos do nosso carro alugado pra almoçar com o Massimo (sem trocadilho!).

dsc02094-2 dsc02042-2

O restaurante é discreto, elegante e bastante pequeno. Estávamos pensando no que pedir quando o Massimo apareceu, se apresentou, conversou sobre o Alex e nos perguntou se não queríamos experimentar o tasting menu? E ainda salientou se gostaríamos à avant-garde ou seja, com todas as inovações !

dsc02087-2

Resposta instantânea e simultânea: sim ! E lá fomos nós, nos aventurarmos (inclusive nos vinhos!) na cozinha estrelada da Osteria Francescana.

dsc02040-2

Folheando o menu, a Dé descobriu um prato que se chamava 5 versões do Parmegiano Reggiano. O chef não só achou interessante a escolha como nos disse que ele seria o último da nossa degustação!
Começamos com um tempurá de peixe (anchovinhas) com sorvete de roti! Um escândalo de bom !

dsc02045-21

Logo após, um peixe levemente defumado, mas o mais interessante foi que, quando os garçons retiraram a tampa do prato, um fumaça altamente defumada invadiu as nossas narinas e deixou uma sensação muito estranha e interessante. Até o vinho pareceu ser defumado !

dsc02047-2

Pra limpar o palato defumado, uns belos grissinis.

dsc02049-2

A seguir, um creme de bacalhau com pele de peixe frita (parece um torresmo), espinafre com óleo essencial (?) e pomodorini temperado. Bem bonito, né ?

dsc02053-2

O próximo prato é interessantíssimo. Um brodo suave de peixe com cubos concentrados de moluscos, crustáceos e peixe. Quando você os morde, eles explodem na boca liberando uma intensa concentração de sabores. O de moluscos é especial. Ainda acompanhava um salgadinho que a Dé chamou de Ibis de camarão. Pra quem não lembra (ou nunca viu!), Ibis era a marca daqueles salgadinhos baratinhos que mais pareciam isopor!
E a harmonização com o vinho foi espetacular, pois quando tomado junto com a comida, o vinho absorveu o sabor dos cubos. Se ao contrário, um pedaço de pão fosse comido, o vinho voltava ao seu buquê natural. Tudo sensacional !

dsc02060-2

Um risottino foi servido, pois não somos de ferro. Este foi feito com água de ostras, nero de sépia e caviar. Risottaço !

dsc02062-2

Logo depois (ufa!), um robalo envolvido em pancetta com espuma de salsinha e purê de tupinambor (não tenho a mínima idéia do que é !).

dsc02069-2

Pra limpar o palato, um colherzinha dum creme de alho poró com trufas.

dsc02074-2

E, finalmente, a piece de la resistence. Parmegiano Reggiano apresentado em 5 formatos: um creme feito com um de 20 meses, uma pasta com um de 24 meses, um chantilly feito com um de 36 meses, uma espuma com um de 48 meses e a crosta, utilizando um parmegiano de 50 meses de maturação!!

dsc02078-2

Olha! É maravilhoso e você come como se estivesse degustando aquela comida que a mamma fez especialmente pra você! Ave, Massimo!
Ressalte-se que todos os pratos eram acompanhados por vinhos que harmonizavam perfeitamente. E surpresa, a minha teoria sobre comida boa teve uma evolução: normalmente, eu digo que comida boa não engorda. Agora, aproveitei pra complementar dizendo que comida boa neutraliza o vinho já que bebemos bastante e saímos completamente sãos de lá, a ponto de dirigir tranquilamente de Modena a Bologna !

dsc02044-2 dsc02056-2 dsc02057-2

dsc02066-2 dsc02072-2 dsc02076-2

Como sobremesa (e acompanhando o café), pequenos docinhos: gelatina de maracujá, pistache e wasabi; cheesecake; carolina explosiva; brownie de chocolate e ganache de chocolate.

dsc02081-2 dsc02084-2

Neste solene momento, gostaríamos que todos que estivessem nos lendo, levantassem e batessem palmas. Por que este almoço foi digno deste gesto!
Vou até fazer o trocadilho de que o Massimo foi ele mesmo e pra finalizar, nos despedimos e tiramos a tradicional foto pra eternizarmos este delicioso momento.

dsc02093-2

E quando achamos que tudo tinha acabado, o Massimo gentilmente nos ofertou um dos seus livros (Aceto Balsamico ) com a devida dedicatória.

dsc02092-2

Foi ou não foi o máximo!

Ciao !

.


É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se a 620 outros seguidores

Comentários

Blog Stats

  • 1,295,258 hits
setembro 2016
S T Q Q S S D
« ago    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Atualizações Twitter