Arquivo para maio \30\-03:00 2008

dcpv – da cachaça pro vinho – massa com 1 molho é bom! imagine com 3?

número 103
22/02/06

 dcpv – Massa com 1 Molho é Bom ! Imagine com 3?

Introdução – Criar “oásis” de felicidade, prazer, bem-estar, é por vezes necessário pra se resguardar e preservar o estímulo, a gana de ser feliz, estar bem!
Quartas “oásicas” pra todos; que se entenda a ideia (rsrs) !

Bebidas

Absolut Vanilia Julep
Vanilia Pineaple Fusion

Vinhos

Tinto Valontano

Branco Santa Julia

Menu

Entrada – Gaspacho com camarões e legumes

Principal – Macarrão com 3 molhos (Pesto, Parmesão e ervas, Matriciana) (Molhos com azeite – pags 28, 53 e 125)

Sobremesa – Maçãs condimentadas com anis (Boticário)

Observações finais

O gaspacho estava espanhol. E as massas, italianas. Só faltava o Timão ser sul-americano. (Edu)

Fresh in summer; up gelado com um mix de massa soberbo. (Déo)

Dio, como ti amo! (Mingão)

Fotos de ruínas da cidade de Jerash na Jordânia, uma das decapolis do Império Romano. Recomendo muito pra quem gosta do tema pois estão muito bem conservadas com a possibilidade de entender como era o dia-a-dia naquela época.
E de por-do-sol (mais um !) do Mar Morto onde novamente o dia estava nublado mas … na hora H, veio uma ajudinha do além e aproveitamos o máximo possível a happy hour (literalmente) no hotel Kiempinski.

Explicação – Massa ou melhor, molhos em profusão. E todos retirados do livro Molhos com Azeite que é muito bom. Não sei se existe isso ainda, mas eu ganhei este livro numa promoção no site da Casa do Azeite Espanhol (na verdade, ganhei outros também). E quando você precisa de uma receita quebra-galho, lá está ele “olhando” pra você! Espetáculo!

A HORA DA ERVA GASTRONÔMICA

Manjerona – Quando fresca tem sabor mais suave e deve ser usada no final do cozimento, podendo, em alguns casos, substituir o tomilho e o orégano. Símbolo de felicidade para os antigos gregos ( por isto que eu plantei aqui em casa !), ela estimula o apetite e deve ser usada em carnes em geral, bovinas e suínas, além de aves, peixes , feijões e embutidos. Experimente também em omeletes, pizzas, molhos de tomate, recheios de pastéis, com batatas cozidas e para condimentar manteiga, sopas e sorvetes.

.

dcpv – da cachaça pro vinho – decápodes

número 177
23/04/08

 dcpv – Decápodes  

Já faz um tempão que eu estava a fim de fazer um menu só com decápodes. Afinal de contas, somos adoradores de frutos do mar e os decápodes se encontram entre as melhores opções da categoria.

Fazendo uma análise morfológica (não se esqueça, dcpv também é cultura!) chegamos a seguinte conclusão: deca = 10 ; podes=pés; decápodes = 10 pés = crustáceo = caranguejo = siri. Portanto, vamos a noite dos crustáceos onde comeremos as galinhas do mangue, os uçais, os aratus, os guaiamuns, as sapateiras, os siris. Acompanhe!

Atlântico – Entradas

Patinhas de caranguejo à milanesa com molhos golf, aioli e vinagrete de salmão.
Patas de caranguejo ao natural (cozidas em água e sal)
Salada Waldorf com siri

Boas novas! O Mingão fez um exame no vestiário e foi liberado pelos médicos pra beber um pouquinho de vinho!
Pra comemorar, o Déo fez uma caipiroska de amoras com Absolut 100 que ficou um primor. (É claro que o Mingão não pode beber. Ele estava se guardando pros vinhos)

As entradas estavam  simples e gostosas. Patinhas de caranguejo empanadas em farinhas de trigo e de rosca com o belo acompanhamento de 3 molhos: golf ( ketchup, creme de leite, conhaque, tabasco, molho ingles e sal), aioli (manjadaça maionese de alho) e um vinagrete de salsão (um talo do mesmo em cubinhos e temperado com azeite, limão, sal e pimenta do reino). Decapodiano!

E uma saladinha Waldorf (maçã verde, salsão, nozes, siri) com um molho de limão, mostarda e creme de leite. Muito bom e crocante!

Ah! Esqueci de citar a “pataça” de caranguejo (o decápode) que foi cozinhada com água e sal no melhor estilo caiçara!
E com o êxtase do Mingão, tomamos um vinho Branco Chardonnay Yering Station 2004 Austrália que segundo os siris-patolas, nós mesmos, foi “vegetal, herbáceo, come back, competente“.

Pacífico – Principal

Moqueca de Siri e Arroz Basmati com Ervas.

Moqueca básica (foi tudo básico hoje!). Siri, azeite, cebola, alho picado, tomate sem pele e sementes, leite de coco, azeite de dendê e coentro( do Pará. A muda que a Neide (Come-se) me mandou já está produzindo!). E juntei um Basmati basiquinho com ervas gastronômicas (quase todas).
Um espetáculo!

Que foi coadjuvado por um vinho tinto Cabernet Sauvignon Aresti 2006 Chile que disse, em linguagem decapodial, que era “amora+thinner, patchouli, domingos travolta, arnoldiano“.
E viva o mangue!

Índico – Sobremesa

Taça de Peras com Farofa Crocante
Autoria de nossa “velha” conhecida, a Carole Cremam e uma delícia pois são peras cortadas em cubos grandes e colocadas numa frigideira com manteiga até começarem a dourar e aí, adicionamos o açúcar.
E tem a farofa . Sabe aquela farofinha do América? Pois bem, esta é mais gostosa e é por isso que eu vou dar a receita completa:
Leve 1 xícara de chá de açúcar ao fogo numa panelinha e cozinhe-o até que vire um caramelo escuro. Adicione 1/2 colher de café de bicarbonato de sódio e 1/2 xícara de castanhas-do-Pará picadas. Mexa um pouco, desligue o fogo e derrame este caramelo numa superfície fria untada com um pouco de manteiga, espalhando com cuidado. Espere esfriar.
Remova a placa açucarada, quebrando-a em pedaços. Coloque no processador e bata até virar esta maravilha de farofa. Transfira pra um recipiente e coloque 1/2 colher de sopa de sal
. Sim , senhores! Sal pois a ideia é deixar a farofa com um sabor salgado/doce. Dá vontade de ser um decápode só pra chegar mais rápido à farofa e degustá-la!

Pra montar, coloque a pera no fundo de uma taça, bolas de sorvete de creme sobre ela e no top (que é o lugar que ela merece estar!) a farofa.
Não é um decápode mas pode considerá-la o caranguejo das sobremesas.
Devido ao gradual retorno alcoólico do Mingão, continuamos tomando o que sobrou do vinho tinto.

E vejam o que sobrou das nossas queridas galinhas do mangue :

Bom, é isso aí! Até a próxima!

.

dcpv – da cachaça pro vinho – 5º interblogs: márcia, fouet et dcpv.

número 179
14/05/08

 dcpv – 5º interlogs: Márcia, Fouet et dcpv.

Ser pernambucano é: considerar Reginaldo Rossi um rei.

Guardadas as devidas proporções, realizar um inter-blogs é semelhante a planejar (e ter) um filho!
E não é que a Márcia , a blogueira famosa e super-bem-humorada (é dela a maior densidade de KKKKKKs da comunidade gastronômica) conseguiu o feito de fazer as duas coisas simultaneamente?
Ela está grávida e ao mesmo tempo se viu com a missão de sugerir um menu completo pros bebês-chorões, nós mesmos!

Tudo começou com a possível indicação de um jantar tipicamente pernambucano (ela mora no “Ricifi”!): buchada de bode, sarapatel, sangue de porco, etc. Tava na cara que não ia dar muito certo e que nós aumentaríamos a “imensa” lista (dobradinha e arraia) de ingredientes não aceitáveis na nossa mesa.
Liberei a Márcia da obrigação totalmente pernambucana e daí surgiu o que eu chamei de um menu pernambuco/fusion com frutos do mar, tapiocas, arroz basmati, molho cítrico e cartola. Ou seja, com a cara da Márcia, a nova mamãe do “pedaço”!
Como ela mesmo escreveu : “o menu é : Meio Nordestino, meio litorâneo, absolutamente Márcia Mariano“.

E assim chegamos ao resultado final após vários e-mails trocados com muitas frases engraçadas e muitos KKKKKKKKs e rsrsrsrsr.
Enfim, o menu nasceu! Bastaria fazê-lo e degustá-lo! Vamos lá!

Ser Pernambucano é gostar de comer caranguejo.

K – Entradas

Uma caipiroskinha de graviola com Absolut 100 pra começar os trabalhos (estava frio !!!)

KK – Tapioca com creme de Abóbora e Carne de Sol

Fazer tapiocas redondas em panela antiaderente. Passar um creme de jerimum nelas. Este creme é formado pela abóbora, creme de leite, requeijão e manteiga de garrafa. Já a carne de charque, dessalgada e desfiada, é colocada numa base de cebola frita na manteiga de garrafa. Já no apagar das luzes, jogue o cheiro verde bem picadinho!” A descrição é da Márcia.

Pra montar é só passar o creme na tapioca, colocar a carne e aí é a gosto do freguês. Arretado !

  

KKK – Casquinho de siri

Equação da felicidade: siri + limão + cebola + pimentões verde e vermelho + alho + coentro + azeite + extrato de tomate + azeite de dendê + farofinha de manteiga de garrafa polvilhada por cima = huuuummm! Belo casquinho! Supra sumo!

Tomamos um belo Rosé Rio Sol 2007 que disse ó xente pra nós e, nós respondemos que ele era “ácido, abre-alas, solar, cobreado“.

Apesar de (ainda) não sermos patrocinados, a ideia foi ter vinhos que fossem produzidos o mais próximo possível da casa da Márcia: os Rio Sol que são feitos no Vale do São Francisco!

Ser Pernambucano é: tomar água de coco na praia .

KKKK – Principal

KKKKK – Camarão empanado com Pistache ao Molho de Graviola e Arroz Basmati com Pimenta Rosa

Modus Operandi (é isto mesmo! A Dra Márcia colocou em cada receita o “modus operandi” dela. Data venia!): empanar os camarões rosa VG marinados em limão, sal e lemmon pepper numa sequencia de farinha, ovos batidos e crosta formada por pistache, nozes e biscoito cream cracker. Frite! E aproveite a crocância do camarão que é muuuito bom!
Ela indicou dois molhos e eu fiz os dois. O primeiro com shoyu, mel e suco de laranja. Salgado e bom! O segundo com polpa de graviola, mel, sal e creme de leite. Adocicado e bom! E um belíssimo arroz Basmati com pimenta rosa pra acompanhar. Aromático e bom!

E com o vinho branco Rio Sol 2007, um vinho “delicado, Richarlyson, sunflower, só faltou as buinhas“, segundo os leoninos, nós mesmos, tudo ficou perfeito! É o cão chupando manga!

Ser Pernambucano é: preferir boteco a fast food !

KKKKKK – Sobremesas

KKKKKKKK – Cartola e Bolo de Rolo com Sorvete

Pra fazer a Cartola é só fritar a banana cortada longitudinalmente em manteiga de garrafa abundante. (A Márcia escreveu: não vá me usar óleo, heim! E continuando o parêntesis, as receitas dela são muito engraçadas, pois quando você está fazendo parece que ela está do seu lado dizendo :”olha a manteiga”, “não use isso “, “faça assim“. Parodiando a Márcia, KKKKKKKK !).
Bom, voltando a receita, frite uma fatia de queijo de coalho. Aí é: banana por baixo, queijo de coalho por cima e acabamento com açúcar ( eu usei o meu com fava de baunilha). Ficou demais!

Ainda comemos sorvete com uma fatia de bolo de Rolo (não é rocambole e muito menos, “recambole”!) que a Márcia gentilmente nos mandou .

Acompanhamos cor um espumante Rio Sol Demi-Sec 2007 que fez todo mundo se sentir “os tampas de Crush“!

Ainda terminamos o banquete comendo bolinhos de goma (deliciosos e entendemos o porque do vício da Márcia) e Nego Bom, ambos …

… enviados por ela no que chamamos de kit KKKKKKK.

Quanto ao famoso presente virtual, fica a foto de uma bela ….

… praia, onde normalmente, todos nós sentimos  bastante o alto astral que a Márcia comumente demonstra ter.
Bom, a farra está acabando!
Mais uma vez o nosso muito obrigado à Márcia pela simpatia, pela comunicabilidade, pelo acerto na indicação deste maravilhoso regabofes ou seja, por tudo!

Ser Pernambucano é: ser rubro-negro até morrer !

E com a frase acima que é do marido da Márcia, o Marco Aurélio que é fanático pelo Sport Recife, encerramos o ciclo do que é ser Pernambucano. Pensando bem, nós seríamos facilmente Pernambucanos e só trocaríamos o rubro pelo alvi (Timão, ê, ô!). No restante, concordamos com tudo !

Ah! Agradecemos (especialmente a Dé) a Mainha Rita por ter nos mandado os porta-guardanapos tão lindos e que serão guardados (e usados) com bastante carinho. Estamos até pensando em lançá-lo como o primeiro produto da grife dcpv de artigos finos para a sua cozinha!

Até o próximo Inter-Blogs que será em junho com a Luna do Quiche de Macaxeira.

E que tudo dê certo para todos nós!

PS – Você quer saber o que significa afolosado, alcatifa, arengar, biliro, gabiru, gréia, malamanhado, marretar, munganga, pantim, peitica, tabelier, xêxo, arretado, supra sumo, tampa de crush, cão chupando manga, etc? Peça pra Márcia te enviar (ou melhor, postar no Fuet) o dicionário Pernambuquês pra Turista Entender. É muito engraçado!

.

dcpv – da cachaça pro vinho – interblogs: o que é? como funciona? pra que serve?

sem  número
12/05/08

dcpv – InterBlogs: o que é? Como funciona? Pra que serve?

Vou facilitar a minha vida e explicar como funcionava o interblogs.
Portanto, este post será atualizado a cada realização e assim não precisarei dar detalhes (e nem perder espaço!) em cada uma das edições. Cada vez que este encontro for citado, encaminharei pra este post. Vamos lá!

O Inter Blogs nada mais é do que o encontro entre a sugestão de menus completos (de blogueiros interessados em gastronomia que são contactados por mim ou que se entusiasmam pela ideia) com a devida execução e degustação da nossa parte.
Que fique bem claro: só participam deste evento os blogs que tenham afinidade com este que vos escreve (“euzinho”) pois pra fazer uma coisa tão íntima (rsrsrs), tem que rolar uma química (e física e biologia e gastronomia …)
A ideia principal é criar uma interação maior entre a blogosfera culinária e principalmente, transformar este meio tão etéreo numa coisa mais palpável e pessoal. Tanto que, se o blogueiro quiser dar um pulinho aqui pra degustar o seu menu, é só avisar. (Até serviço de motorista nós temos, né Alecsander,  Diogão , MichelDébora e Fernando?)

Já fizemos os seguintes encontros :
experimental – No último dia de outubro de 2007 com a exuberante culinária Turca da portuguesa Lídia que mora na Turquia e do blog Cozinha Turca.

1º – Em dezembro de 2007 com a comida Angolana (quase baiana) da Migas, uma portuguesa (engenheira civil, ó o corporativismo!) que trabalha em Angola e que é a residente do blog Migas com Gindungo.

2º – Em fevereiro de 2008 com a comida portuguesa da Portuguesa Marizé, uma gourmetahoolic (existe esta palavra?) e maestrina do Tachos de Ensaio. (quer ver?)

3º – Em março de 2008 com a comida Portuguesa tradicional do LPontes, um terapeuta português preocupado em resgatar as comidas tradicionais no blog Comidas Caseiras .

4º – Em abril de 2008 com a comida natural, simples e chic da brasileira que mora na Califórnia, a Fer do excelente blog Chucrute com Salsicha.

5º – Em 14/05 com a arretada Márcia do Le Fouet, Roux et Demi Glace indicando um menu pernambucano/fusion/aquático/eclético.

6º – Em 04/06 com a Brasileira Luna do fotogênico Quiche de Macaxeira indicando um menu quase veggie e saborosíssimo.

7º – No dia 09/07 com hindu/brasileira Agdá que mora nos Estados Unidos do maravilhoso blog Agdah com a mais maravilhosa comida indiana. Foi uma festa de Onam com direito a comer com as mãos e tudo o mais.

DSC09217-2

8º – Em  13 de agosto com a Portuguesa Elvira do gastronômico Elviras Bistrot indicando um genuíno menu francês. E de frutos do mar, o que nos deixou mais felizes ainda!Uh, la, la!

9° – Em 10/09 com a Tunísio/Brasileira/Canadense Fabrícia e seu maridoco, o Mohamed, que moram no Canadá, do lírico Sopa Vermelha que nos trouxe a cultura, o mistério e a maravilhosa comida tunisiana, além dos incensos, do narguillé, dos temperos e das tâmaras …

10º – Em  07/10, a Brasileira/Capixaba Aline do descontraído Moqueca com Pimenta com moquecas de fazer parar qualquer trânsito parar além da torta capixaba, do sururu, das ostras…  Uma beleza!

11º – Em  20/12, o primeiro bis com a Portuguesa, quase diretora do DCPV, a  Marizé do laboratório de cheiros e sabores, o  Tachos de Ensaio com um  menu Natalino, onde só faltou o próprio Papai Noel sentar-se à nossa mesa. O polvo estava um espetáculo!

12º – Em 19/01/09, com a Portuguesa Pipoka do simpaticíssimo Three Fat Ladies que indicou um legítimo menu tailandês. Foi uma festa regada a nam pla.

13º – Em fevereiro de 2009 com a Portuguesa Mariana do classudo Caos na Cozinha com um menu fusion e “marianesco” .

dsc07095-2

14º – No final de março de 2009 com a Brasileira Márcia do Ideias a la Carte com um legítimo menu mineiro, sô! E daqueles de dar saudade de BH e da própria Márcia, uai!

15º – Em 16/04/09 com a paulistana Patrícia Scarpin do coloridíssimo Technicolor Kitchen que nos apresentou uma cozinha ítalo/mediterrânea através das cenas de um filme de excelente qualidade.

16º – Em  14/maio de 2009 com o professor Michel do Khodair que mostrou ao vivo e em cores, como fazer verdadeiros milagres com uma Wok.

DSC09248-2

17º – Em 17/ junho /09 , a Portuguesa  Ameixa do popular blog Canela Moida mostrou pra nós os requebros e a malemolência da famosa comida Minhota. Além de todo o bom humor que lhe é peculiar!

18° – Em julho/09, com a Brasileira Odete (e a consultoria exclusiva do esposo húngaro dela, o George) do Magyar blog Páprika na Feijoada nos mostrando a legítima cozinha húngara da gema e da páprika.

DSC00100-2

19º – Em agosto/09, novamente com a Tunísio/Canadense/Brasileira Fabrícia (outro bis)  do Sopa Vermelha que nos apresentou a legítima cozinha Québécoise com suas infinitas e deliciosas possibilidades de juntar carne/batata/queijo além do maple, off course!!

DSC09228-2

20° – Em setembro/09 com a Brasileira Lud,  ex-residente do Canadá e atual Salvador da Bahia, do blog The Inner Life of Food que por gostar e entender muito, nos mostrou uma  culinária chinesa rica e interessantíssima.

21º – Em outubro/09, na verdade, comecinho de novembro com a brasileira que estava na Espanha (já voltou ao Brasil), a  Dadivosa do lírico blog Dadivosa que não só nos disse como é a comida espanhola com  tapas, pintxos e tudo o mais e ainda nos mandou um tremendo apagão !rsrs

22º – Em novembro/09 com os Brasileiros Nina e Marcel do dinâmico blog Gourmandise Brasil que nos apresentaram um fantástico menu ovo-lácteo-vegetariano com todas as receitas contendo algum tipo de chá ou infusão.

23º – Em dezembro/09 com a Brasileira Cris do From Our Home To Yours com um legítimo e delicioso Thanksgiving (tá bom,  foi Thanksgiving light, mas mesmo assim um verdadeiro espetáculo!)  .

DSC09043-2

24º – Em janeiro/10 com o brasileiro Leo do Trivial ou nem Tanto  e amigo dos velhos tempos que fez um menu fusion e todo invocado. Até espumas teremos. (na verdade, este foi adiado, mas o “executaremos” no dia 22/06/10).

25º – Em fevereiro/10 ou melhor, no começo de março com a Brasileira Ana do La Cucinetta que nos mostrou o que que a Itália tem de autêntico com receitas saborosíssimas!!

DSC09036-2

26º – Em 06/04/10 com a Brasileira Luciana do Cafezinho das Cinco que nos mandou um outro autêntico menu italiano da “chema”. Foi um espetáculo!

DSC08962-2

27 º – Em abril/10 com a brasileira Nana do trendy Manga com Pimenta que  nos mostrou a cozinha charmosa das vovós. É, aquela que nos traz muitas e gratas recordações. Foi divertidíssimo.

28º – Em maio/10 com os brasileiros Débora e Fernando do excelente blog Brincando de Chef  que além de amantes de restaurantes, também são bons foodies! Eles vieram até aqui e ficamos conversando até altas horas.

29º – Em julho/10 com a Verena do excelente Mangia che te fa benne. Comemos e  muito uma comida emocional e espetacular. Além do esperado belo sorvete, claro!

30º – Em agosto/10 com o brasileiro Alessander do famoso blog Cuecas na Cozinha  (este foi executado na praia no dia 28/08). Fizemos receitas do livro dele e escolhidas pelo autor. Foi praticamente uma noite de autógrafos com a presença do Michel Khodair e esposa, a Débora e o Fernando do Brincando de Chef  além do Mingão e da Regina!

DSC08948-2

31º –  Em setembro/10 com a espanhola/catalã Margot do  Margot – Cosas de la Vida que nos mostrou tapas e pintxos de fazer qualquer pessoa se apaixonar. Tudo pareceu uma exposição num museu de Arte Moderna! E em Barcelona!

32º – Em setembro/10 com a Luciana Bettenson do estiloso Rosmarino e Prezzemolo (hoje, Rosmarino e Outros Temperos ) que nos propôs um menu praiano mundial. E ela veio aqui no dcpv com o esposo Mike! A Marcie e o Ciro também vieram, além do Mingão e da Regina. Foi um verdadeiro happening.

DSC09283-2

33º- No meio de novembro/10 com Isabela do belo Isabela Tibo que indicou um menu contemporâneo e  saborosíssimo!  Foi um verdadeiro espetáculo.

34º – Em novembro/10 com a Dani do excelente blog Café da Sereia que nos indicou um legístimo british menu. Quem disse que a comida britânica não é boa?

35º – Em dezembro/10 com a Carol do divertido blog Bouquet Garni que simplesmente disse que o menu seria de comidas caseiras familiares e natalinas. Foi perfeito.

36º – Em janeiro/11, com a Re e a Fran Gallo do majestoso Frango com Banana com a indicação dum legítimo menu tatuiense com direito a petit gateau de milho verde e outros bichos. Uma beleza!

37º – Em fevereiro/11 (na verdade, dia 01/03) com o cientista/foodie Vitor Hugo do instigante blog Prato Fundo. Ele só não fez chover aqui no dcpv!

39º – Em abril/11 com a Carla do blog Entre Panelas que nos mostrou a interessante cultural culinária holandesa.

40º – Em maio/11 com a Patrícia e a Letícia do blog Memórias Gastronômicas que nos indicaram um menu contemporâneo e excelente. 🙂

41º – Em junho/11, com a chef Debora Cordeiro do blog Mirepoix nos mostrando um menu intitulado “Recebendo quem a gente gosta”. Recebemos e gostamos.

42º – Em julho/11, com a Sabrina do blog Menu à trois que nos indicou um menu personalíssimo e super italiano.

43º – Em agosto/11 com a Clau Alaminos do blog  Tributos Culinários, que nos mostrou uma culinária de primeiríssima linha.

44º – Em novembro/outubro/11 com o Rogério do Amuse Bouche que indicou um fantástico e genuíno menu chinês. Melhor, diretamente da China!

45º – Em dezembro/11 com a Carla Soar do blog Arroz de Minhoca que nos mostrou receitas lusas da gema e sem qualquer artifício mecânico!

46º –  Em 28/maio/12 com a Bruna do Gourmandisme que nos enviou um menu de comida francesa com toques brasileiros. Foi espetacular.

47º – Em julho/12 com a Soraya do Tomate Confit que na verdade indicou um Tomate com Filho, já que o pequeno Lucas foi decisivo pra formatação deste ótimo menu.

DSC09951

48º – Em agosto/12 com a Marina do Marina Mott que nos mandou um menu familiar, simpático e delicioso.

49º – Em novembro/12 com a Paula Labaki do blog Cozinha da Lena, com um menu espetacular cheios de coisas crus, ceviches e quetais, além do destaque da melancia grelhada como sobremesa.

DSC09982

50º – Em dezembro/12 com o Gabriel Rogerio do blog homônimo que indicou um menu brasileiríssimo, quase que do Cerrado.

O próximo passo será editar um livro (ou um cyber) com todas estas 50 experiências. Aguardem a festa de lançamento.

Até !

.

dcpv – da cachaça pro vinho – mais do que extra – a casa dos cariris.

mais do que extra
10/05/2008

 dcpv – A Casa dos Cariris.

Corre por aí, de boca-em-boca, que existe um lugar em Pinheiros (bairro de SP) onde se come a melhor (e mais tradicional… e mais acolhedora … e mais espetacular …) comida mexicana de toda a Paulicéia!

E é verdade ! O negócio funciona da seguinte maneira:
Passo nº 1 – Você tem que conhecer alguém que já foi lá.
Passo nº 2 – Esse alguém tem que passar o e-mail da Lourdes (a maestra da cozinha mexicana).
Passo n° 3 – Você tem que mandar um e-mail pra ela dizendo que está interessado em ir a casa dela (e foi o que a Dé fez!).
Passo nº 4 – A Lourdes manda um e-mail pra você dizendo quando e sobre o que será a festa (porque todos os eventos na casa dela são verdadeiramente uma festa!).
Passo nº 5 – Você confirma (com muita alegria!) que vai.
Passo nº 6 – É só ir pro abraço ! (fraterno, mexicano e delicioso!).

Pronto ! Você (assim como nós) estará no seleto grupo que esperará e-mails te convidando pra ir comer lá na Casa dos Cariris.
(Obs – Eu não estou autorizado a dar o e-mail dela pra ninguém portanto, não adianta me pedir rsrsrsrs!)

Nós fomos lá no sábado passado (10/05). O tema era uma Noite de Tostadas.
O e-mail que ela mandou continha um belíssimo texto sobre a morte; a morte dos amigos. Segundo a Lourdes, um amigo dizia que “um morto a quem ninguém oferece nada, está  condenado a fome perpétua “. Lindo, né? E a partir daí, ela resolveu fazer esta noite em homenagem a este amigo com uma trilha musical incrível que continha músicas que o amigo dela gostava tais como boleros e muita música latina! Enfim, um bom ambiente pra “festejar” a morte!

Portanto, vamos as tostadas que são “tortillas torradas no forno. Redondas, crocantes, só de milho” e deliciosas!

Começamos bebendo uma batidinha Villa (frutas con limon y chile) e uma margarita, é claro!
E comendo quesadillas de masa de maíz azul, con queso Oaxaca, acompaña guacamole (son poquitas) e a primeira Tostada de mole con relleno de carnes, nueces e frutas. Espetáculo!

E aí chegou La sopa de nada … uma delicia calentita (que segundo a nossa especialista em sopas, a Dé, deveria se chamar “Tudo em Sopas” de tão boa que era!)

Mais uma Tostada de Longaniza de pollo con papas y chile guajillo

… e mais uma de tinga (não sei o que é mas foi muito bom).

Pra arrematar, uma água de jamaica (muito diferente, interessante e com um tanino bem definido) e uma margarita de tamarindo, pois ninguém é de ferro! (rsrsrs).

E como surpresa, uma sobremesa surpresa que foi uma gelatina de vinho tinto com um caldinho de coco que estava muito mas, muito boa !

Como estava frio, ainda tomamos um belo chocolate quente feito com água e saborizado com canela e um refresco de mezcal.

E aqui está a Lourdes, a mulher que é capaz de fazer você sonhar que realmente está no México pois a comida, o ambiente e a ambientação da casa deles (dela e do Felipe) são capazes de fazer o teletransporte imediato!
Viva  México!

Bom, esperamos a próxima oportunidade de degustar estas delícias mexicanas e aguardamos também o desfecho da história da galinha que o Felipe tinha e que chocou ovos de pintinho, perus, patos, etc já que a da sopa de pedra ele nos contou até o final.
Espero que você consiga entrar nesta lista e tenha o prazer de compartilhar sabores e companhias tão agradáveis!

Até !

PS – Desta vez eu não tomei o Mezcal com o verme (tinha acabado!) mas prometemos tomar na próxima oportunidade!
Agora, a frase do menu sobre o Mezcal é um espetáculo à parte : Para todo mal, Mezcal, para todo bien, también! 

.

dcpv – da cachaça pro vinho – a (o) tailândia é aqui!

número 102
15/02/06

dcpv – A (o) Tailândia é aqui!

Introdução Pensemos: as verdadeiras riquezas não são visíveis, tocáveis, percebidas! Como a ponta de um iceberg, o que pouco parece ser, é em verdade o que conta, o que permanece, o que garante a continuidade da viagem (sabe-se lá pra onde), quando abandonamos os “ditos veículos percebíveis” por aqui!
Boas, inesquecíveis, formidáveis, essas quartas-feiras!

Bebida

Cuba a la Mingão – refrescante !

Vinhos

Prossecco NF Nino Franco

Viogner Altas Cumebres 2005

Menu

Entrada – Sopa de bolinhas de frango em aspargos frescos

Principal – Mee krop crisp de macarrão em molho picante

Sobremesa – Pudim de banana (Larousse da Cozinha – pag 119)

Observações finais

Entrada maravilhosa. O zest ajudou o prato principal. Sobremesa simples e boa! (Edu)

Entrada perfeita! Graças ao zest tudo correu bem no prato principal! A sobremesa, a Flora não comeu! (Mingão)

Bão demais! (não escrevo mais. Tô molinho!!)  (Déo)

 

Fotos de um prato simplíssimo de fatias de laranjas (na verdade lima, lima da Pérsia e Grapefruit), mas que no contexto se tranformou numa belíssimo trio cítrico (rsrsrs) pois foi degustado em pleno Mar Morto num restaurante que parecia que o nosso amigo Starck tinha decorado!
E de salada total de nacionalidades:  jordanianos – os tocadores da escocesa gaita de fole (sim, eles tocam gaita de fole com ritmo árabe e o resultado é muito bom); italiana – o local, um anfiteatro da época do Império Romano com uma acústica perfeita em Jerash na Jordânia,  japoneses (na verdade um monte deles) – invisíveis  na platéia dançando e dando risadas e nós, os brasileiros, tirando as fotos, dançando e também dando risadas. Ah! Faltou uma; israelense – nosso guia, o Omar.

Explicação – Comida thai (uma das nossas preferidas, fora todas as outras, rsrsrs) de primeira. O tal zest dos comentários é porque a receita pedia (praticamente obrigava!) que fosse dada uma espremida na casca do limão pra que o resultado fosse saboroso! Foi tão valorizado que sem o zest, o prato não existiria!

A HORA DA ERVA GASTRONÔMICA

Manjericão Roxo – Suas folhas têm as mesmas propriedades do manjericão comum. Mas a cor roxa lhe garante destaque na finalização dos pratos. São também os mais difíceis de manter na horta. Este aqui abaixo, costuma “bater com as dez” quando menos se espera!  

.

dcpv – da cachaça pro vinho – dcpv… estemperados!

número 178
07/05/08

dcpv – dcpv… estemperados!

Sabe aqueles filmes em que o personagem sai da tela e vem conversar com você? (Vide “Rosa Púrpura do Cairo”).
Pois bem, aconteceu por aqui! Como?

É o seguinte: todo mundo que acompanha o dcpa sabe que o Diogo dos Destemperados é um ativo (nada a ver com o Ronaldinho Dentuço ,rsrsrs) participante com os seus comentários hilários e interessantes. Pois bem, sempre trocamos mensagens com aquelas frases que todo mundo diz: ” qualquer dia, eu passo aí !”; ” é só avisar“; “olha que eu vou mesmo“; “opa, tá tudo acertado !” e assim por diante.
Há duas semanas o Diogo deixou o seguinte comentário: “Eduzão, te prepara que estamos indo pra Sampa …”

Foi isso o que aconteceu: o Destemperado Diogo (o Diego veio a SP, mas tinha um compromisso por lá !) se materializou e chegou aqui em casa pra realizarmos o que eu considero o 1º interblogs ao vivo e em cores (com transmissão digital!).
E com direito a seção de autógrafos dos Guias Destemperados de Punta del’Este e da Serra Gaúcha. Podemos considerar este evento como o lançamento oficial dos Guias Destemperados em SP ou melhor, em Ferraz de Vasconcelos, cidade paradisíaca da Zona Leste paulistana .

O resultado foi o seguinte: muitos guias autografados, muita conversa jogada fora (as famosas abobrinhas agora em versão gaúcha!) e uma noite pra lá de gostosa.

Unindo o útil ao agradável (já que, como nós, ele disse que come tudo também e que repete !) aproveitei que tinha planejado uma noite sobre a comida brasileira da chef Morena Leite do rest Capim Santo (SP e Trancoso-BA), pois tinha acabado  de comprar o belíssimo livro dela, o Brasil Ritmos e Receitas que além de ter um projeto gráfico espetacular ainda traz um CD especialmente gravado pela Mariana Aydar.
Ah! Também fizemos ( eu e Dé) um work-shop (chique, não ?) com ela, na Spicy, chamado Sarau Gastronômico onde ela executava um menu ao som de musicas brasileiras que tinham comida como tema. Muito bonito (e gostoso!).

Portanto, receitas na mão + jogo de futebol na TV + conversa rolando + degustação + visita ilustre= Sarau Gastronômico DCPV…estemperados. Vamos lá:

Pro aquecimento ( se bem que  parecia que todos já nos  conhecíamos há muito tempo, tamanha a descontração), uma boa dose da nossa queridinha Absolut Vanilia com um zest de capim santo. O Diogo disse que era bom mas que “essa vodka é pra mulher“!  Perdoai-o , Senhor! Ele não sabe o que fala! (rsrsrs).

Bah ! Entradas

Tortilla desconstruida (Ferran Adriá)
Vatapá de siri com caranguejo embrulhado.

O Diogo me desafiou no post sobre o jantar Atala/Bottura: Qual será o próximo feito? Pois bem, resolvi fazer a minha primeira experiência com cozinha molecular, uma Tortilla que é basicamente echalote frita e deglaçada, um zabaione e uma espuma de purê de batata. Pra montar é só colocar uma colher da echalote, cubrir com o zabaione, terminar com a espuma quente de batata e um fio de azeite. Levíssima, molecularíssima e temperada !

Entrando no tema da noite, fiz um vatapá de siri (não vou explicar a receita porque vai uma montanha de ingredientes) com umas patinhas de caranguejo no cartoccio que é o seguinte: faça um pesto com xerem de castanhas de caju, azeite, suco de limão, folhas de capim santo e pimenta do reino. Deixe as patinhas marinando neste pesto por 30 min. Faça envelopes de papel alumínio e coloque o caranguejo junto com o pesto. Leve ao forno por 10 minutos e …. é só comer! Muito refrescante e saboroso.

Tudo isto acompanhado de duas garrafas (!!) do vinho Branco Torrontes Finca Los Lirios 2007 Mendoza que foi “erva, albino, vestido de noiva, diogosco, tenro” segundo os azeitados, nós e o Destemperado, o Diogo.

Tchê ! Principal

Carre de Cordeiro com Molho de Café e Rosti de Aipim.

Um belo carre temperado com sal, pimenta, alecrim, frito nos dois lados (seriam quatro?) e levado ao forno pra descansar . Acompanhado de um molho de café (caldo de carne, café fraco, mel, sal e pimenta) com alguma personalidade já que o café estava bem fraquinho mesmo!
E um rosti de aipim que se diferenciava por ter queijo meia cura entre os seus ingredientes e por ter sido assado no forno.

O vinho? Um belo tinto Trincadeira Adega dos Pegões 2005 que disse que era “apimentado, jurubeba, sintético, trincou-me, charutesco” segundo os, a esta hora, destemperados, nós e o também a esta hora, temperado Diogo!


Foto tirada pela Dé na quinta, pois esquecemos de fotografá-lo.

Bah! Tchê! Sobremesa

Creme Brulée de Capim Santo

Como o próprio nome do restaurante diz, vamos usar o capim santo! Resumindo: uma sobremesa temperada e que tem um frescor e uma frescura tão grande que fiquei gratificado por sermos todos gaúchos (da gema!) neste momento! (rsrsrs)

Ainda abrimos um Late Harvest Riesling Eiswein 2002 Alemanha que era intensamente colorido e com um sabor de tirar o fôlego. Opinião dos 5 integrantes do DCPV (Diogo incluso, é claro ): demais!!

E vamos aos comentários dos convivas:
Comida, companhia e papo de primeira. Temperada e destemperada! (Edu)
Grande recepção!!! Bah!!! (Mingão)
Bah! Tri-legal! Capaz que não fosse bom! (Deo)
Agora fudeu… quarta que vem eu tô de volta! (Diogo)

Bom só nos resta agradecer a presença do Diogo por aqui já que, pela primeira vez tivemos um interblogs ao vivo e a iniciativa foi espetacular porque a noite foi agradabilíssima além do Diogo ser um “moleque” super simpático, bem humorado, bem educado( até presente ele trouxe) e extremamente divertido .

As portas do dcpv estarão sempre abertas pra ele e cheguei até a pensar em trocar o nome pra ddcpv (rsrsrs).
Pena não ter dado tempo de negociar com a revista Caras a cobertura de tão espetacular encontro se bem que o pessoal do CQC estava aqui na porta de casa mas, proibimos a participação deles por considerar uma invasão da nossa privacidade! Fica pra próxima!

Até  !

PS – Imagine o quanto não vão valer estes guias Destemperados autografados quando os meninos alcançarem o estrelato?

.

dcpv – da cachaça pro vinho – a velhinha, a coroa portuguesa, chegou ao Brasil há 200 anos!

número 173
19/03/08

dcpv – A velhinha, a Coroa Portuguesa, chegou ao Brasil há 200 anos!

É, há 200 anos a Coroa Portuguesa se instalou por aqui de mala e cuia. Hoje até parece corriqueiro pensar neste fato histórico.
Dom João VI fugiu de Napoleão?
Era um estratégia pra transformar o Brasil num ponto de referência mundial?
Era uma válvula de escape?

O certo é que Napoleão disse que Dom João VI foi “o único adversário que me enganou” !

dsc06184.jpg

E o mais certo ainda é que o Brasil (especialmente o Rio de Janeiro) jamais seria o mesmo após a chegada da família Real. Imagine o impacto pruma cidade de 60000 habitantes, a chegada de 15000 estrangeiros, a maioria nobres (alguns “nobres”) com hábitos diferentes e costumes dos mais variados.
Toda a operação da coroa passou pra cá com ganhos evidentes mas, com todo o ônus que isto acarretava. Burocracia, charme, status; diz-se que até o fornecimento de frangos (Dom João VI os comia como bananas, às pencas!) teve um colapso tal a procura pela ave por ser considerada a da moda!
Como este fato está na boca de todo mundo aqui no Brasil (amigos portugueses, aí também?) vamos levá-lo ao lugar que ele merece: à boca mesmo!
Eis a quarta-feira em homenagem aos 200 anos da chegada da Coroa Portuguesa ao Brasil. Vamos lá!

i – Caipiroskas de Melancia e Manga com gengibre

Caipiroskas? Na Coroa Portuguesa? Calma, não estou maluco! A minha teoria é a seguinte: D Carlota Joaquina gostava muito de cachaça e não gostava nadinha do clima (ou melhor, do calor) do Rio. Resultado, ela tinha um truque pra consumí-la: colocava suco de frutas na cachaça e degustava. Ora, cachaça com suco de frutas é caipirrinha! (c.q.d.)

dsc06141.jpg
Melancia apiloada, um pouco de açucar e vodka Absolut Vanilia a gosto (ôba!)

dsc06143.jpg
Manga e gengibre apiloados, um pouco de açúcar e Absolut 100.

ii – Entradas – Sopa de cebola e Vagem à Provençal

Outras das introduções culinárias da Corte Portuguesa por aqui foram os legumes refogados, as carnes de vaca, carneiro, cabrito, a cebola, o alho e muitas outras coisas a mais.
Pra representar tudo isto, escolhi uma receita de Vagens à Provençal. Vagem cortada, cozida e temperada com uma massa formada por alho, azeite e anchovas. É só montar sobre fatias de pão. Muito bom!

dsc06150.jpg

E uma sopa de cebola que apresenta pequenas (e marcantes) variações da nossa habitual, pois contém cebolas (é claro!), água, sementes de coentro quebradas, sal, pães franceses em pedaços, gemas cozidas duras, manteiga e cebolinha picada. Saborosíssima e muito cremosa !

dsc06161.jpg

Acompanhamos com um vinho Branco GrandJó 2005 Portugal que segundo os súditos, nós mesmos, se mostrou “ácidoce, da coroa, elixir pra um do…ente, brando“.

dsc06156.jpg

iii – Arroz de Chouriço

Uma das comidas preferidas de dom João VI (além dos famosos frangos!). Um belo arroz preparado com alhos, chouriço, pimentão, caldo de costela de boi, água, cebolinha e salsinha. É quase um risoto (sem a cremosidade), mas com uma umidade que lhe dá um sabor espetacular.

dsc06172.jpg

Dizem que dom João VI encerrava as suas refeições com o sinal da cruz. Depois deste arroz, tivemos que praticar o mesmo ato!

dsc06173.jpg

Ainda por cima, tomamos um belo Tinto Chateau Totigeac Bordeaux 2006 que foi “terroso, dengoso, descongestionante, romanesco” segundo os seguidores da Coroa. E frise-se que o vinho francês foi uma homenagem à influência que a gastronomia deste país teve na formatação da culinária daquela época.

iiii – Sobremesa – Aletria com Ovos

A Marizé tinha me mandado umas receitas, mas eu esqueci de imprimir. Pra quebrar o galho, peguei esta no livrinho sobre Portugal da Folha pag 51.
E como o doce tem um formato meio conventual, o pesquisador (eu mesmo !) indicou esta Aletria com Ovos como sendo um dos doces preferidos de dom João VI (deixa ele saber disso!). É um doce formado por açúcar, aletria, manteiga, leite, gemas, casca de limão , canela pra polvilhar e desempenhou bem o seu papel pois estava muito gostoso!

dsc06176.jpg

Ainda acompanhamos com as últimas doses (sniff!) do Gran Reserva Fondillon Salvador Povedra, um grande imperador tal como dom João VI.

dsc06183.jpg

Eis as impressões dos plebeus ( nós mesmos) sobre o banquete:
São 200 anos de satisfação … meu amor! (Edu)
Como diria Carlota Joaquina: é um esssspetáaaculo! (Mingão)
Pois, pois! sic Bocage: fo…rmidável (Déo)

dsc06160.jpg

E pra terminar a aula de história (além da gastronômica), vejam o que aconteceu com os grandes personagens citados aqui:
Carlota Joaquina – conspirou até o fim; foi confinada no palácio que lhe valeu a denominação de megera de Queluz.
Napoleão Bonaparte (o enganado!) – caiu em 1814, derrotado por uma coalisão monarquista; recuperou brevemente o poder, perdeu em Waterloo e morreu exilado em 1821.
João, o príncipe regente – tornou-se o rei Dom João VI com a morte da mãe em 1816. Retornou a Portugal e deixou o filho Pedro, que proclamou a Independência e foi o primeiro imperador do Brasil.

Até a próxima !

.

dcpv – da cachaça pro vinho – troisgros: tu és um gênio!

 

número 101
08/02/06

dcpv – Troisgros: Tu és um Gênio!

Introdução – Após “merecidas férias” voltamos às “obrigações” e “deveres” adquiridos por força das circunstâncias tão “desagradáveis” (pra rir !). Fica gravado por estas linhas, que protestado está o fato de “uma certa irresponsabilidade” “por abandono sumário” ter causado perda de peso visível e provável em balança! Este escriba, 5 kg e o “novo atleta”, uns 2 kg ( pra rir de novo !!). Vamos à recuperação de peso!

Bebida

Uma pequena dose de Absolut Vanilia (que ninguém é de ferro!)

Vinhos

Branco Altas Cumbres

Tinto Sanz Rueda Verdejo 2004

MENU

Entrada – Gaspacho com espetinho de camarão (Menus Light Azeite – pag 9)

Principal – Polvo com penne (Claude Troisgros )

Sobremesa – Gelatina de Grappa (Vejinha)

Observações finais

Comida excelente. Sobremesa muitíssimo boa! (Edu)

Entrada perfeita, prato principal maravilhoso, sobremesa admirável!!! (Mingão)

Volta promissora! Surpresa da grappa!! (Déo)

Fotos de pratos do restaurante The Codes, um thai do hotel Kiempinski do Mar Morto na Jordânia. A lá de cima é de uma sopa que a Dé comeu de lima kaffir com gengibre, leite de coco e franguinho básico além de um monte de temperos e gindungos de primeira linha. Tudo servido naquela moringuinha de barra que era térmica e muito bonita.
A acima, é de filés de camarão empanado, legumes (muito gengibre) com molho de nam pla e tudo o que é prazer que a comida thai pode proporcionar. É óbvio que tomamos muita água e vinho branco pra aplacar o “incêndio”. Foi bom demais e com uma qualidade inigualável: o quarto era só uma andar acima!

Explicação – Mais uma do carrríssimo Claude Troisgros. Esse Penne ao polvo (ou será Polvo ao Penne ?) é de chorar de tão bom. E a gelatina de grappa é diferentona e é dois em um pois, é sobremesa e aperitivo. Pra quem não sabe, grappa é um destilado feito de uvas ou seja, “a pinga do vinho” ou seja, um legítimo dcpv.

A HORA DA ESPECIARIA

Kaffir Lime – As folhas de lima Kaffir são usadas na gastronomia do Sudeste Asiático. Para os tailandeses, as folhas são essenciais como o nam pla, o caldo de peixe que dá um gosto típico aos pratos daquele país. Aparece em sopas, massas, curries e saladas.
Eu tenho em pó também e uso pra temperar até sanduíches. É muito bom!

.

dcpv – da cachaça pro vinho – extra, extra (de novo!) – Alex Atala e Massimo Bottura

extra, extra ( de novo)
28/04/08

dcpv – Alex Atala e Massimo Bottura

Eu juro que não virei reporter gastronômico, mas tive duas oportunidades na mesma semana! Portanto, vamos ao relato:

Sabe o que acontece quando um chefe italiano com 2 estrelas no Michelin  encontra com um chefe brasileiro reconhecido mundialmente e dono do 40º melhor restaurante do mundo?
Nós (eu e a Dé) sabemos, pois fomos a um evento onde os dois cozinharam no espaço D.O.M.

Massimo Bottura , chefe e dono do restaurante Osteria Francescana em Modena, (é, aquela cidade das Ferraris, a dos carros e dos acetos) veio ao Brasil pra cozinhar prum público seleto e o resultado foi uma cozinha criativa, inovadora, saborosa, plástica e bastante italiana (ao modo do Massimo). E tudo isso com o Alex Atala como partner, auxiliando pra que o resultado fosse imperdível e inesquecível . E foi tudo isso!

E como você vai ver (e imaginar) nas fotos abaixo, dá pra pensar até aonde chegam os limites da alta gastronomia! Vamos lá!

MENU

unoCrocante de Fava de Chocolate, Café e Parmeggiano Reggiano Doce e Salgado.

Uma musse salgada e doce que foi comida num só bocado! Deixou saudades, acompanhada de um belíssimo Prossecco Saccheto Brut.

due Ice Cream Bar: Foie Gras em Terrine com Balsâmico Tradicional de Modena ao Centro e Crocante de Amêndoa e Avelã.

Um sorvetinho de foie gras simplesmente espetacular. Ainda mais com contraste da crosta (isto parece letra de música do Zeca Baleiro) doce de amêndoa e avelã. Um espetáculo!

Muito bem escoltado por um Catena Semillon Doux 2006 Argentina, um vinho levemente doce como convém pra harmonizar tamanha delícia!

tre Pequena Torta de Alho Poró e Trufas Pretas.

Uma tortinha leve de alho poró que simplesmente desmanchava na boca. E as trufas, bem, as trufas eram de cheirar … comer … cheirar … comer.

Foi servido um belo Chardonnay Catena 2006 Argentina, competentíssimo.

quattroPrensado de Pasta e Feijão em Pequeno Copo.

O copo é pequeno, mas o sabor deste prensado é grandíssimo. Putz, é muito bom! E continuamos tomando o Chardonnay.

cinqueOs Tortellis de Abóbora Típicos de Mantova se transformam em Risoto de Abóbora e Mostarda de Maçã Selvagem com Mix de Vinho Doce e Arroz Tradicional.

Título mais do que auto-explicativo. Com esse nome poderíamos chamá-lo de risotão! Mais um prato doce/salgado de primeira.
E completado por um belíssimo Late Harvest Moscatel Carmem 2007.

sei Carne Grelhada … Não Grelhada.

O melhor é que é isto mesmo. A carne parece que está crua mas ela tem todas as características sensoriais de uma carne assada. Genial, again!

Ainda mais acompanhado de um vinho tinto Campofiorin Ripasso Masi 2005. Harmônico demais!

sette Um Gole de Abacaxi, Maracujá e Sálvia .

Deixo vocês somente com a foto. O título também explica toda a ideia pois a espuma é de sálvia! E a ideia é a de um sorbet pra dar uma limpada no “gogó”!

otto Estratificação de Chocolate e Café Nespresso Grand Cru Ristretto com Gel de Lapsang, Souchang e Gengibre.

Minha nossa! Já era o oitavo prato e eu estava esperando que o nível caísse um pouco. Aonde?
A sobremesa é uma maravilha e o mais interessante é este crocante de café. Chega a ser assombroso! Fora os Lapsang e Souchang. Ainda bem que eu sabia o que era o gengibre!

E pra rebater, um pouquinho de um vinho Niepoort Ruby pra assentar o espírito.

Muito bom, e com direito a

… um brinde de um dos patrocinadores  (por sinal, muito legal) …

… e ciao pros superstars da noite com direito a foto posada e tudo na saída.

Na verdade é arrivederci já que esperamos comemorar os nossos 25 anos de casados degustando mais uma vez o talento do querido Massimo em plena Modena!

Até lá!

PS – Parabéns pro Alex por conseguir fazer estes eventos tão memoráveis. Também estive no outro que ele promoveu onde o convidado foi o querrrrridíssimo Claude Troisgros e é claro que o nível foi altíssimo também

.


É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se aos outros seguidores de 654

Comentários

Blog Stats

  • 1.449.552 hits
maio 2008
S T Q Q S S D
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Arquivos

Atualizações Twitter