piemonte – terzo giorno – você sabe o que é uma cornucópia?

31/10/10

Piemonte  Terzo Giorno –  Você sabe o que é uma cornucópia?

Dia de entrar de cabeça no mundo piemontês. Faríamos o caminho Turim/Serralunga d`Alba.

Antes de qualquer coisa, tomamos um lauto café da manhã no próprio hotel  e que estava incluído na diária, uma grande pechincha internética.

Afinal de contas ele é todo modernoso com quartos espaçosos e vários ambientes com largas dimensões. Todo o complexo Lingotto, inclusive o shopping, foi montado onde antigamente era uma fábrica de automóveis.

Antes de seguirmos viagem, demos uma passada no Museu Nacional do Cinema de Turim.

Ele fica numa outra atração turística da cidade, a Mole Antonelliana que é uma pretensa e imensa mesquita que tem uma torre de 85 metros.

Com este formato arquitetônico, dá pra imaginar qual é a sensação quando você entra no elevador e …

… vai subindo até o topo e pelo centro da cúpula.

                                     

Uma pena que o tempo não colaborou muito, mas mesmo assim foi muito interessante.

E melhor ainda a visita propriamente dita a todo acervo do  museu.

Ele é super interativo e instrutivo.  Conseguimos ver como o cinema se desenvolveu desde os tempos antigos e ao mesmo tempo tivemos lições de física.

São 5 andares com cartazes, cenários e o ápice, o happy end acontece quando você, depois de estafado por ter andado muito, deita numa cadeira anatômica e fica vendo cenas marcantes dos grandes filmes.

Ah! As projeções  de fotos gigantes dos proporcionais astros na cúpula também são de arrepiar.

Enfim, é uma visita imperdível.

Passamos no hotel, fizemos o checkout e rumamos pra Serralunga d’Alba.
É claro que antes disto teríamos uma escala pra almoço. A missão seria conhecer o restaurante Antica Corona Reale que fica em Cervere (uma dica de Mr Jacques Trefois).

E já que falamos em heroínas, vou aproveitar pra citar mais uma: a Maria do GPS.  Esta portuguesinha merece pois  cumpriu com o seu dever a vigam toda e não nos deixou na mão em momento algum da viagem. Tudo bem que a nossa parecia ter um melhor senso de direção do que a da Lourdes e do Eymard, mas …

Chegamos a Cervere , que é a terra do alho porró, no horário da reserva e percebemos que o restaurante é bom só pela constatada grande quantidade de carros no estacionamento.

Sentamos numa mesa lindíssima, num salão clássico e começou o que seria (desde já) uma refeição histórica.
A recepção foi calorosa e os grissini, espetaculares (cotação do MicheLuz: *****).

Afinal de contas, praticamos o slow food na seu local de origem: quatro horas (sim, senhores) degustando o que de melhor existe em ingredientes e no país da excelência deles.
Pra começar (e não sair da onda mundial), uns “piccolos” amuses (a Dé a Lourdes adoraram estes pequenos). Chegaram uma salada russa, um refogado de cogumelos ….

…. e umas bolinhas de salsiccia (lingüiça pros íntimos) que eram simplesmente a carne delas pra serem degustadas. Pareciam bolas de carne untadas e desapareciam na boca ao contato com a língua. Perfeitas!

Daí pra frente foi um desfilar de pratos onde a surpresa era cada vez maior já que um era melhor do que o outro.

Entradas (como bacalhau,…

… foie gras e carne de vitela crua (adivinhem quem pediu?) foram se sucedendo.

                    

Principais como um tortelli ao funghi, …

… tortellini com alho porro DOP (chic, não?), …

      

… capello da prette com molho de Nebbiolo e …

            

… capretto de Roccaverano, o famosíssimo cabrito-especialidade pedido pelo Eymard.

                 

Tomamos dois tremendos vinhos, um Barbera d`Alba Conterno 2008 …

…e um  Barbaresco Cascina Luisin 2004 que também era uma beleza (o que não é nenhuma novidade!).

Os doces? Antes, um sorbetezinho pra limpar o paladar (não riam, por favor).

Aí chegaram as clássicas sorvete de creme e uma torta de ciocollato com sorvete do mesmo.

Tudo absolutamente saboroso e muito piemontês. Além do que nos divertimos a valer com a criação de alguns bordões que ficaram famosos no decorrer da viagem.
Continuamos  o trajeto até a próxima parada. Mais meia hora de carro e chegamos a Serralunga d`Alba e ao hotel  Il Boscareto Resort & Spa.

Que por sinal é moderno, muito bonito e fica exatamente entre videiras da Batasiolo. Ou seja, além de quartos espaçosos e …

… um lobby estiloso, você abre a sua janela e tem esta visão. É ou não é “piu bello” ?

Aproveitamos pra dar uma corrida até a Comune di Alba (uns 20 km) e dar uma espiada na Feira do tartufo bianco.
Chegamos bem no finalzinho, mas a tempo de verificar todo o clima tartufístico que envolve a cidade.

Cada pecinha desta custa, em média,  a bagatela de 100 Euros.

É claro que quanto maior o nariz, melhor será o cheiro de tartufo.

Retornamos rapidamente pro hotel (nesta viagem, slow só a food!) pois teríamos o nosso jantar de apresentação do grupo.

Que por sinal era  formado por nós quatro e o nosso guia e guru, o Juscelino Pereira do restaurante Piselli, um expert quando o assunto é Piemonte.

Nos apresentamos (o Juscelino trouxe mais dois amigos brasileiros, a Mônica e o Duto e que se tornariam nossos amigos também. Vocês vão ouvir falar muito deles nesta viagem) e fomos degustar um pouco das especialidades piemontesas.

Por volta da meia-noite estávamos encerrando o primeiro dia no Piemonte e com a certeza de que a qualidade e a quantidade de comida ingerida nesta expedição não seria pouca ( e aí entra a minha máxima de que comida boa não engorda).

Ah! Uma outra certeza também: experimentamos a pior sobremesa de todo o tour (sabe aqueles bolos Sol e ainda por cima duros…)

Outra e a mais certa das certezas: a quantidade de risos e grandes papos que teríamos com os nossos novos grandes amigos.
Arrivederci.      

PS – Cornucópia – s.f. Corno da abundância, símbolo da produtividade da natureza. Acho que nós vamos conhecer a cornucópia piemontesa! 🙂

.

Anúncios

23 Responses to “piemonte – terzo giorno – você sabe o que é uma cornucópia?”


  1. 1 eymard novembro 25, 2010 às 9:53 am

    Edu, que beleza de post. E, melhor, saber que participei com voces de tudo isso!!! Lendo e vendo as fotos eu ainda não acredito!!! E voce fez um “resumo” do dia. Caso contrário, não caberia no post.
    1- museu do cinema: uma grande idéia, executada com simplicidade (no sentido de que não há grandes parafernálias) mas com grande criatividade. Me lembra o nosso museu da lingua portuguesa em SP. Não podíamos deixar de ir mesmo (ainda que tivéssemos que cortar, como cortamos, visitas a lugarejos da região);
    2- se o jantar do Combal entrou para a história (para a nossa história), esse almoço idem! Eu não tinha percebido, até então, que escolheramos o Conterno (e foi o vinho mais apreciado). O mesmo Conterno que o nosso “personal” somelier JP recomendaria em Alba. Uns visionários, não acha?? (risos)
    Ali começamos a nossa saga da “carne cruda”. Das risadas; da boa convivência…não queríamos sair daquela mesa (e pra que sair? Tava tão bom??) Na minha memória olfativa/afetiva penso que ali tivemos a primeira experiência com o “perfume” tartufado do Piemonte. Contamos 28 raladas para cada prato (e a mesa vizinha estava especialmente bonita, não acharam?)
    Esse restaurante é recomendação certa. Viva Jacques Trefois e Eduluz.
    3 – Il Boscaretto: excelente localização. Falta “anima” Piemontesa ao Hotel. Uma crítica construtiva. O lugar é maravilhoso. As instalações um espetáculo. O quarto amplo (o seu banheiro era mesmo diferente do meu – vi pela “capsula” do chuveiro – risos). Mas falta alma piemontesa! Batasiolo, encham aquele lugar de vinhos; de história do vinho, etc…
    4 – Edu e Dé, a cada novo post eu e Lourdes nos perguntamos: nós fizemos tudo isso? E ainda está só começando? Como nós chegamos até o final desse dia? Só conseguimos chegar, de fato, graças a companhia agradabilíssima. Nem sentimos esse tempo passar e fizemos coisas, hein!!!
    Bem, seu post está fantástico! Parabéns Edu e Parabéns Dé pelas fotos e obrigado pela companhia e por organizar o nosso book de viagem.

  2. 2 Cris novembro 25, 2010 às 10:21 am

    Olá queridos… Hoje eu não poderia deixar de passar por aqui e desejar a vocês um Happy Thanksgiving! Faz um ano que fizemos nosso jantar e olha o título da postagem! Parabéns para vocês, que viagem linda, que lugar maravilhoso! Um grande abraço.

  3. 3 Sueli OVB novembro 25, 2010 às 12:08 pm

    EDU,

    Impossível não viajar com vocês nessas paisagens, nesses aromas e sabores, nessa alegria!
    Delícia ler o seu “diário” e em seguida a complementação do Eymard.
    Como não se envolver com todo esse entusiasmo que, tenho certeza, permanecerá vivo para sempre?
    Parabéns, queridos, pelo dia fantástico, por toda a viagem, pelas descobertas e por essa simbiose afetiva maravilhosa que vocês conseguiram!
    Forte abraço e meu carinho.

  4. 4 Ameixinha novembro 25, 2010 às 12:12 pm

    Vitela viva no prato… não, obrigada 🙂 Mas gostei do cabrito! Que paisagem magnífica. Uma refeição digna de Pantagruéis!

  5. 5 Cláudia novembro 25, 2010 às 1:13 pm

    Edu,Eymard(respeitando a hierarquia,rs),Dé e Lourdes,a viagem está mesmo especial e vai servir de referência para essa região.Espero um dia aproveitar algumas dessas dicas.
    Deve ser ótimo visitar esse museu do cinema.
    Já deu para perceber o entrosamento de todos, isso dá um up em qualquer viagem.
    Cornucópia = abundância??
    Agora sei porque tanta gente coleciona aquelas cornucópias de murano. Eu prefiro a piemontesa, sem dúvidas,rs.
    Abs.

  6. 6 Ana novembro 25, 2010 às 1:33 pm

    Edu, Dé, Eymard e Lourdes, que maravilha de viagem.
    Estou seguindo o roteiro e já me sinto no Piemonte fazendo parte desta viagem (desculpem-me a pretensão e intromissão), mas acho que talvez esta também seja a idéia de vcs ao dividirem experiência tão enriquecedora com seus seguidores.
    Inspiração, curiosidade, ansiedade para os próximos dias.
    Parabéns pelos posts.
    Abs.

  7. 7 Márcio novembro 25, 2010 às 6:14 pm

    Caros,

    Estou preocupado! Será que conseguirei ler todos os posts dessa bela viagem à tempo? Quantas dicas valiosas eu perderei?
    Viajarei para a Itália em 04 de dezembro e ficarei 18 dias, sendo 3 dias na região do Piemonte, hospedado em Alba.
    Assim, faço um humilde pedido, corram o máximo possível com as próximas postagens da viagem, por favor? Brincadeira:)
    Poderiam dar uma idéia de preço do Antica Reale Corona? Li no Tryp Advisor que o custo do menu gira em torno de 100 euros. É isso mesmo? Isso com vinhos?
    Parabéns pelo Blog.
    Abraços

  8. 8 eduluz novembro 25, 2010 às 6:39 pm

    Sócio, nada a declarar sobre o seu post-comentário. 🙂
    Só que foi o maior prazer pra nós também!

    Cris, happy thanksgiving pra vocês todos também. Você nos fez viajar bastante e bem com aquele IB.

    Sueli, foi como o Eymard disse. Estes posts não são diários, apenas flashs de algumas coisas que fizemos.
    Se eu fosse escrever tudo … rs

    Ameixa, porque esta discriminação? O sindicato das vitelas vai protestar já, já. 🙂

    Soldado Claúdia, a viagem foi espetacular mesmo. E o entrosamneto do batalhão foi perfeito.
    Cornucópia é igual a abundância. Agora, dá pra imaginar uma piemontesa, né? rs

    Ana, esta é a idéia. Todo mundo no Piemonte. Vamos ver se até o último post eu consigo fazer com que o computador de todo mundo cheire a trufa branca! rs

    Márcio, dia 04? Não vai dar tempo. Mas qualquer coisa, estou a disposição.
    Quanto ao Antica Corona Reale, vale a visita. Eu não me lembro muito, mas acredito que gastamos mais ou menos 100 Euros por pessoa com vinhos. Foi isto, sócio?

    Abraci tartufados pra todos.

  9. 9 eymard novembro 25, 2010 às 7:24 pm

    Edu/Marcio: ficou em torno de 100 euros por pessoa, mas nao mais do que isso. Me lembro que a conta total nao ultrapassou 400 euros. Isso com os vinhos. Marcio, vale cada centavo!!! Nao sei se até a sua viagem o edu ja postou, mas outro restaurante excelente é o La Ciau del Tornavento. Falei sobre ele no comensais (www.comensais.com.br).
    Sueli: o unico ponto do edu que nao corresponde a minha realidade é dizer que comida boa nao engorda!!! (rs).
    Claudia: achei que vc tinha nos abandonado! Que bom que voltou.
    Ana, prepare-se, ainda vem muita coisa pela frente.
    Quanto ao cabrito, nunca vou me esquecer que sobrou somente o ossinho. Limpo. Sem nada. Perfeito. Talvez o mais perfeito que eu ja tenha comido até hoje.

  10. 10 Madá novembro 25, 2010 às 8:46 pm

    Os quatro atores estão perfeitos no telão. Muito divertido. Impossível não lembrar de Cinema Paradiso.
    Que iguarias… Que vista do quarto…
    Agora Edu, Feira do tartufo bianco já é tortura…
    “un profumo che emoziona”
    Será que eu vou aguentar até o final ?
    Claro que sim, manda mais que a imaginação funciona!

  11. 11 Beth novembro 25, 2010 às 8:53 pm

    Edu, Eymard e belas companheiras.
    Quanto mais eu leio sobre essa maravilhosa aventura, mais encantada fico!
    Que refeições dos Deuses, embaladas por vinhos fantásticos…
    Estou curtindo cada dia como se lá estivesse!
    Tenho apenas uma crítica a fazer: adoro dias brumosos e cinzas, tem tudo a ver com a região! O que seria de um belo morrinho piemontês sem uma bruminha por cima?
    Bjs.
    Beth

  12. 12 eymard novembro 25, 2010 às 9:08 pm

    Beth: voce pegou bem o espirito da “bruminha”. Também nós falamos exatamente isso, ainda mais para quem mora em Brasilia e é sol e ceu aberto o ano todo. Gosto de visitar lugares em dias frios; com uma “bruminha”; aquele tempinho aconchegante. No entanto, S. Pedro pouco descortinou a área para que pudéssemos enxergar os alpes ao fundo.
    Madá: A foto do teto ficou perfeita. Agora voce imagina subindo lentamente no elevador todo de vidro, bem no centro? Um idéia simples, mas cheia de charme.

  13. 13 Cláudia novembro 25, 2010 às 10:56 pm

    Eymard,
    abandono apenas temporário por força maior.E eu vou deixar de acompanhar essa saga? E os outros posts também, sempre criativos e bem-humorados.
    Abs.

  14. 14 Cláudia novembro 25, 2010 às 11:12 pm

    Madá,
    também me lembrei do filme.Adoro!

  15. 15 Fábio Pimentel novembro 26, 2010 às 7:57 am

    Fiquei impressionado com as imagens, pratos e história.
    Momentos inesquecíveis…

  16. 16 paulocs novembro 26, 2010 às 9:06 am

    Eduardo,

    Parabéns pela alta qualidade de seu trabalho.

    Tenho certeza que esta alta qualidade dos textos (precisos, inteligentes e bem humorados), fotos e viagens fantásticas tem incentivado muita gente a “entrar na cozinha”, e também a buscar roteiros especialíssimos de viagens/experiências.

    Desde que conheci o blog, há cerca de 6 meses, durante busca de dicas de Paris, passei a ler todas as matérias, desde o começo. Já estou em Junho/2009!

    Parabéns!

  17. 17 Kika Mello novembro 27, 2010 às 12:32 am

    Edu Luz – homem dos mil tentáculos

    Como se não bastasse comandar um exército, cozinhar, viajar e registrar tudinho divinamente ( é claro que a Dé dá uma baita de uma ajuda, não?), escrever com tanto humor e promover encontros virtuais neste maravilhoso e saborosíssimo espaço virtual, você também tem agora um guia estreladíssimo??
    Parabéns! Além de seguir e disseminar aos quatro ventos o seu Micheluz, soube que vc. também vai lançar o Gault Milluz… Verdade?
    Abraço

  18. 18 Kika Mello novembro 27, 2010 às 12:38 am

    Eymard

    belos comentários os seus que nos instigam ainda mais a acompanhar esta bela saga piemontesa sob brumas!

    Um abraço

  19. 19 Kika Mello novembro 27, 2010 às 12:42 am

    Edu

    cadê as fotos do título do teu blog? São deliciosas e imperdíveis.
    Reivindico: fotos no título!

  20. 20 eduluz novembro 28, 2010 às 6:36 pm

    Sócio, tá fazendo jabá até do outro emprego? rs
    E quanto ao cabrito, certamente foi mais do que perfeito.

    Madá,lembra do bordão: güenta, ela güenta! 🙂

    Beth, a Dé agradece pelo “belas”.
    Quanto aos dias brumosos, também adoramos. E muito.
    O que não gostamos muito são as tempestades e os dilúvios. rsrs

    Claudia, não nos abandone.

    Fabio, foram muitos e pra lá de inesquecíveis.
    Sabe que até agora ainda sinto o cheirinho de trufas no ar? rs

    Paulo, gratíssimo.
    Puxa, junho de 2009? Desde o começo?
    Rapaz, precisamos conversar! 🙂

    Kika, tentáculo lembra polvo. Taí: gostei!
    Gault Milluz; vou aproveitar na próxima análise grissinal. Talvez a versão brazuca do guia também: a Quatro Lâmpadas!
    E calma-te que vocês ainda não viram as belíssimas brumas.
    Título do blog? Ah! A de lá de cima? É que foi pra anunciar o post de ontem, o do jantar peruano.

    Abs trufados pra todos.

  21. 21 kika mello novembro 28, 2010 às 8:26 pm

    Edu
    Divino O Guia Quatro Lâmpadas !!! Você pode usar Leds , Watts em vez de estrelas para selecionar ótimo, bom , regular, ruim e ‘fuja disso’!
    Ainda bem que voltaram as fotos!
    Estou calminha, esperando os novos posts…mas vê se não demora.
    Abraço.

  22. 22 eduluz dezembro 3, 2010 às 9:40 am

    Kika, já no ar e com uma nova cotação do Gault Milluz.

    Abs tartufados.


  1. 1 piemonte – quarto giorno – o mundo é um pisello. « Da cachaça pro vinho Trackback em dezembro 1, 2010 às 6:08 am

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se a 640 outros seguidores

Comentários

Blog Stats

  • 1,340,606 hits
novembro 2010
S T Q Q S S D
« out   dez »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

Arquivos

Atualizações Twitter


%d blogueiros gostam disto: