bimbando no dcpv

número 280
04/01/11

Bimbando no dcpv.

De tecnologia alemã, a Bimby reune num único aparelho todos os pequenos eletrodomésticos de cozinha: ela (?) pica, rala, bate, amassa, mói, tritura, emulsiona, pulveriza, pesa e cozinha de forma saudável sem saturação de gorduras, pois possui temperaturas controladas entre os 37 e 100ºC. Foi assim que se tornou conhecida como a “cozinha mais pequena do mundo“.

Foi com esse português (mais luso que brasileiro) que eu fui apresentado a minha Bimby.
Na verdade, eu nem imaginava que a tal Bimby seria o Thermomix, o aparelho mais indicado/desejado por uma grande parte de tudo o que é  grande chef (e não estou falando de índios).

E claro que quem patrocinou este arroubo, esta aparente maravilha foi a minha mecenas, a Dé (e justamente no meu aniversário).

Por que aparente? Porque eu ainda não sei usar da melhor maneira (falando sério, quase de maneira nenhuma), mas já estou agendando o curso que é um complemento do equipamento é numerado (como uma MontBlanc) e que te identifica como proprietário até o final dos teus dias! rsrs

Como o livro de receitas que faz parte do pacote também é muito bom, aproveitei pra fazer um menu simples com algumas delas e verificar uma das características da (o) tal Bimby: a de que foi feita também pra quem não sabe cozinhar (viu, Beth, Drix e sócio?).

Ou melhor, a de que se alguém não sabe utilizá-la, mesmo assim consegue bons resultados.
Veremos!

Bebidinhas –  Simples Portônicas. Com vinho do Porto branco e tawny.

Petiscos – Patês de Fumados e de Abacate.

Estes patês são simplesmente os ingredientes colocados no copo do Thermomix e misturados.
O de Fumados (não precisa nem dizer que as receitas também estão em português luso) é uma mistura de 225 g de arenque defumado, 150 g de cream cheese, 1 dente de alho, 1 colher de sopa de margarina, suco de 1/2 limão e pimenta.

Neste caso, são triturados na velocidade 6-8 até ficar homogêneo.
Já o de abacate leva 2 deles maduros, 50 g de cebola, 1 dente de alho, 1 tomate maduro, sal e tabasco triturados por 15 seg na velocidade 6.

Após limpar as paredes do copo, coloque a “borboleta” e programe 30 segundos na velocidade 4.

Pausa pra explicação:

Bimby-balança – é isto mesmo. O copo já é uma balança em que você zera no momento que quiser. Portanto, a máquina te permite  colocar os ingredientes um a um e com o peso correto.

Bimby-processador – o bicho (a bicha?) tem várias velocidades e as pás da hélice que cortam mais do que as facas Ginsu (lembram?)

Entradas – Souflé de Brocolis e Queijo e Creme de Abobrinhas.

O souflé é feito da seguinte maneira (e nuns 10 minutos): coloque 100 g de queijo gruyére no copo e rale por 20 seg na velocidade 9. Reserve.

Prepare um molho bechamel com 500 g de leite, 50 g de farinha e 50 g de margarina, programando a (o) Bimby por 6 minutos, temp 90ºC  e na velocidade 5.
Quando parar, adicione o queijo, 4 gemas, 100 g de brocolis cozido e 50 g de milho cozido. Tempere e triture durante 5 seg na velocidade 5.

A seguir incorpore 100 de brocolis e 50 g de milho cozido, misture e reserve.

Bata 4 claras com algumas gotas de limão e sal programando por 4 minutos, velocidade 3.

Quando terminar, misture delicadamente as claras com o bechamel e coloque a massa nas formas untadas.

Leve ao forno pré-aquecido a 180ºC por 20 minutos e aumente a temperatura pra 200ºC por mais vinte minutos. Sirva de imediato.

Para o creme, coloque 3 unidades de alho poró (só a a parte branca), 2 dentes de alho no copo e pique por 6 segundos na velocidade 5.

Adicione 50 g de azeite e retorne por 3 minutos, na velocidade 2 e temperatura 100ºC.
Junte 700 ml de caldo de legumes, 700 g de abobrinhas descascadas, sal, pimenta e cebolinha e programe por 20 minutos, temperatura 90ºC, velocidade 1.

Termine, batendo a sopa na velocidade 7 pra deixá-la aveludada.

Tudo absolutamente perfeito com o souflé bem macio (se bem que ele deu uma arriada federal! rs)

Tomamos um vinho que não nos fez bimbar: um tinto espanhol Pagos del Galir Mencia 2005 que foi “bonafonte, recebidos, mensurável, fu e mal …”.

Explicações bimbísticas –

Bimby-panela elétrica – toda vez que é indicada uma temperatura significa que o Thermomix vai cozinhar o que estiver lá dentro nas mesmas condições. O copo se transforma numa panela em que a temperatura interna é absolutamente uniforme.

Principal – Bacalhau à Bras e Arroz Malandrinho de Tomate e Pimentão.

Esta bacalhau é uma verdadeira moleza de se fazer (ainda mais numa (num) Bimby).
Coloque no copo 400 g de cebola, 2 dentes de alho e pique por 6 seg na velocidade 5. Retire e reserve.

Coloque 100 gr de azeite (repare que todos os ingredientes são pesados) e programe 3 min, temp Varoma e vel 1.
Incorpore a cebola e programe 12 min, temp Varoma e vel colher inversa.

Adicione 300 g de bacalhau desfiado e programe mais 3 min nas mesmas características.

Junte 200 de batata-palha e programe mais 3 min.

Coloque tudo numa frigideira aquecida. Bata 5 ovos e misture .

Adicione azeitonas e salsinha picadas.

Pronto! Um legítimo Bacalhau à Bras.

Quanto ao arroz é praticamente um risottão bem úmido e com uma tremenda cara de sopão.

Vou salvá-los deste tédio de velocidades, programações, etc e dizer que a receita inclui ainda pimentão vermelho (sem casca e sementes) e tomates além de água.

O conjunto da obra é um espetáculo já que a junção do seco do bacalhau com o úmido do arroz impressiona muito.

Já o vinho (parece que esta noite não foi tão perfeita enologicamente), nem tanto. Arriscamos num francês meia-boca (antes já tínhamos jogado fora um Blosson Hill do tempo do Zorro), o tinto Cotes du Rhone 2001 Guinchay que foi “retrô, cotes du rosé, curuca du Rhone, chinfrois” segundo os bimbadores, nós mesmos.

Explicação –
Bimby-vaporizador – uma das coisas mais legais do Thermomix é justamente um acessório que te permite cozinhar os ingredientes no vapor. E é neste momento que usamos a temperatura Varoma.

Bimby-batedeira – quando se usa o acessório borboleta, o Thermomix se tranforma numa batedeira perfeita (as claras firmes do souflé foram um belo exemplo).

Sobremesa – Leite creme tropical.

Eis aqui o melhor custo x benefício da noite.
Veja se não é? Coloque 800 g de leite de coco, 200 g de leite, 200 g de açúcar, 6 gemas de ovo e 60 g de farinha no copo da Bimby e programe 9 min, temp 90ºC e vel 3.

Dá tempo de tomar uma taça de vinho, falar mal do Timão (também, com estas contratações), ver um pouco de tv, voltar a tempo de retirar o leite creme e colocá-lo em forminhas bonitinhas (a Dé escolheu bem?).

Deixe esfriar, polvilhe açúcar e maçarique!

Ficou realmente uma delícia!

Este é pra fazer, tendo ou não uma (um?) Bimby.

Eis a opinião dos vel 10, temp 100ºC e 2 horas:

Foi uma bimbada enrolada. E gostosa. Não foi? (Edu)
Thermoplus! Adorei. (Mingão)
Apesar do Bacco ruim, excelente comida. (Déo)

Bom, é isso.

O meu Thermomix, a minha Bimby já está na cozinha (ao lado da Ferrari!). Agora só me resta fazer o curso (prometo marcar em breve) e  logo depois, cozinhar com a utilização correta desta maravilha da culinária.

Se bem que eu fiquei preocupado, pois não percebi entre os predicados dela (dele?) refrigerar, microondar, mpdezar e ao menos, ter uma tvzinha de led  com blueray acoplados. 🙂

Paciência!

.

22 Responses to “bimbando no dcpv”


  1. 1 eymard fevereiro 25, 2011 às 7:51 am

    Descobri que existe um mundo “Bimby”! (rs). Bimby ate para crianças…
    Li isso:

    “Convide um grupo de amigos para o espetáculo: “Bimby ao vivo cá em casa” e, juntos, assistam à atuação da “cozinha mais pequena do mundo”! Com a ajuda de um dos nossos Agentes ficará a saber tudo sobre a Bimby:”

    Xii, to achando que voce é um agente bimby!! (rs)

    Agora, que tudo me pareceu um espetaculo, facim-facim, isso pareceu. Sera que ate eu, Drix e Beth vamos parar na cozinha?

  2. 2 scalabis fevereiro 25, 2011 às 8:28 am

    Adorei estas “bimbices”. O bacalhau com o arroz pareceu-me muito bem! Abraço!

  3. 3 Maria fevereiro 25, 2011 às 12:11 pm

    Achei tudo super, porem e’ muita tecnologia para mim, nao suporto ler manuais. Depois de anos, criei vergonha e comprei uma super faca de chef, segundo sua indicacao, porem e’ bem mais facil de usar, nao requer instrucoes, a nao ser atencao aos dedos, rsrs.
    Ben tornati!!!

  4. 4 Carol Dallape fevereiro 25, 2011 às 2:06 pm

    Eduuuu
    que demais!!!
    Presentão hein?!?!!
    Chegou na sua casa o envelope do correio?!!?!?!

    Ahhh vou para o Chile em Junho, queria dicas de alguns lugares ótimos para comer e visitar, vc tem?!?!?!?

    Beijos para vc e para a Dé
    carol

  5. 5 Ameixinha fevereiro 26, 2011 às 5:53 pm

    Não acredito que você virou um bimbólico he he
    Na internet podes ir ao fórum bimby, lá vais encontrar quem te ajude sem fazeres um curso. Também existem diversos blogs com receitas adaptadas à bimby, inclusive o No Soup For You, Sabores de Canela, Figo Lampo e muitos outros 🙂 Eu não tenho uma mas gostava!

  6. 6 Adriana fevereiro 26, 2011 às 11:19 pm

    Edu, ganhei um novo celular da minha operadora. Toda ligação que recebo tenho que retornar, pois não sei atender e acabo desligando. Só sei discar para números armazenados em meus contatos. Não posso ligar para o banco, porque quando pedem “disque o número de sua agencia e conta” não tenho a mínima idéia de como fazer o teclado funcionar. Não sei diminuir o volume; está com o volume que chegou, ou seja, alto. Assim, posso usar alto ou desligado. Todo dia, a meia-noite, toca um alarme para me lembrar de algo que não pedi e não sei desprogramar. E nem tentei usar GPS, Facebook, e-mail, etc…

    Tem certeza de que é “bimbando” que vou aprender a cozinhar? Não seria melhor começar na cozinha com um Motorola Ultratac 770? :- )

    Bom domingo para todos!

  7. 7 Maria fevereiro 27, 2011 às 8:25 am

    Adriana, estou tendo o mesmo problema, pensei logo ao meu celular quando li o post, rsrs. Porem fui mais feliz porque consegui fazer aparecer o teclado quando me pediram para digitar um numero. Continuo resistindo a abrir o manual, rsrs.
    Edu, tambem como nova tecnologia na minha cozinha introduzi um descascador de tomates!!!!!!!! Ainda esta’ guardado na caixinha e nao sei se funciona, o dia dele vai chegar, rsrs.

  8. 8 Eymard fevereiro 27, 2011 às 11:20 am

    Adriana e Maria: nada como começar um domingo rolando de rir com voces. Fui assistir um workshop com a Roberta Sudbrak. Ela conta que nao gosta de “tecnologia” na cozinha. Sua tecnologia é uma penala e um fogareiro. Mas foram tantas e tantas etapas para fazer o tal “caviar” de quiabo que prefiro aprender o numero e o tempo de cozimento!

    • 9 Adriana fevereiro 27, 2011 às 3:52 pm

      Eymard é o que eu digo: a panela e o fogareiro dos celulares era o Motorola Ultratac 770! Para telefonar a gente só precisava saber… telefonar! rs rs Agora temos aparelhos que me lembram aqueles doces 3 em 1, que vinham em latas redondas. Aqui em casa sempre acabavam a goiabada e a marmelada (perfeitas com o queijo de Minas no famoso “Romeu e Julieta”, conhecido de todos, e no “Tristão e Isolda”, como chamávamos o “sanduíche” de queijo com marmelada) e sobrava a bananada. Celular agora é assim: “sobra” um tanto de coisa e, às vezes, nos falta, justamente, o telefone! Beijos!

    • 10 Adriana fevereiro 27, 2011 às 3:56 pm

      Eymard, eu de novo… workshop com a Roberta Sudbrak? Já sai na frente por entender de vinhos. Aprendeu a fazer arroz. Agora esse workshop. Está querendo me deixar sozinha a observar nos nossos ISB? :- )

  9. 11 Madá fevereiro 27, 2011 às 12:49 pm

    Edu, parabéns pelo aniversário. O presente da Dé fez sucesso e a gente vai aproveitando as receitas. Achei bem complicado, mas o resultado foi ótimo. Deu pra sentir o veludo do creme de abobrinhas, que delícia.
    Da para mandar a receita do que dá pra fazer sem bimbar, as “Bebidinhas – Simples Portônicas” estão lindas e parecem bem refrescantes.

  10. 12 Carla Soar fevereiro 28, 2011 às 9:47 am

    Por favor, isto foi quase uma ofensa nacional!
    Arroz malandro nunca, jamais, deve ser comparado com risoto… 🙂

    Sou brasileira e vivo cá há quase 10 anos, tentando, experimentando, provando e amando a cozinha portuguesa…

    http://carlasoar.blogspot.com/2010/12/arroz-malandro-de-tamboril.html

  11. 13 renata março 1, 2011 às 6:05 am

    oi
    eu sou aquela q foi no atelier em setembro e ainda nao escreveu sobre ele..
    ja tem curso da bimbi no brasil?
    estou adorando estes novos rumos eua adoro os momentos magicos deles e tenho certeza de que vc vai dar dicas incriveis
    boa viagem

  12. 14 eduluz março 2, 2011 às 6:27 pm

    Sócio, este mundo é um (a) Bimby. Ou será um Thermomix!

    Scalabis, o arroz foi o acontecimento. E o nosso Liedson Levinho está cada vez melhor.

    Maria, me admira você que é uma pessoa moderna! Até faca você já está usando! 🙂

    Carol, Chile? Pode deixar conosco, pois somos fãs deste maravilhoso país.

    Ameixa, bimbólico e thermomixtico! O curso é grátis. Só preciso criar coragem e marcar!

    Drix, você não vale! Mas este (a) Bimby resolveria o teu problema.

    Maria, descascador de tomates? Grande evolução! (ainda mais se está na caixa)

    Sócio, acredito que esta penala seja uma panela, né não? Estes especialistas!

    Madá, obrigado. E não é complicado, não. Eu é que fiz parecer com este post cheio de números.
    Quanto aos Portônicas, são somente uma mistura (na proporção que lhe convier) de água tônica, vinho do Porto e gelo. Se quiser enfeitar um pouco, coloque uma rodela de limão. É viciante.

    Drix, tome cuidado. O sócio está se transformando num grande chef!

    Carla, eu acho que não entendi. Você não gostou que eu chamei o arroz malandrinho de um quase risotto? Eu ainda acho que eles tem bastante coisa em comum com a diferença da “liquidez” do resultado final.
    Inclusive, fiz o meu malandrinho com arroz arbório.
    Você não quer participar dos Inter Blogs?

    Renata, acho que eu não estou muito bem. Também não entendi o teu comentário. rs

    Abs malandrinhos pra todos

    • 15 Carla Soar março 3, 2011 às 11:05 am

      Olá Edu!

      De comum eles tem a caracteristica de ser arroz com molho sim… mas o arroz utilizado não deve ser o arbório justamente por causa da quantidade de goma que liberta engrossando o molho… aqui em casa, utilizo arroz agulha extra longo porque gostamos dele ao dente e soltinho, separado do molho
      Eu, que já provei dos 2 pratos inúmeras vezes, e que, tb já cometi o erro de comparar Arroz malandro com Risoto, hoje sou defensora de “cada macaco no seu galho”… há muita diferença de textura e paladar entre um e outro, e te garanto por experiência própria, que é mesmo arriscado chamar arroz malandro de risoto em terras lusas 🙂

      A idéia do Inter Blog é sedutora… vou pensar em família, com meu marido que é minha colher-de-pau inspiradora, e tentar definir um menú portugues que seja factível no Brasil.

  13. 16 eduluz março 6, 2011 às 11:39 am

    Carla, eu entendi a questão e prometo fazer um legítimo malandrinho com arroz agulhinha e jamais chamá-lo de pseudo risotto! 🙂
    Quanto ao IB, posso considerar o convite aceito?

    Abs bimbados pra vocês.

  14. 18 Kika Mello março 9, 2011 às 12:49 pm

    Parabéns Edu! Atrasado mesmo mas de coração.
    Quantas criações bimbólicas e gostosas saíram dessa sua pilotagem en avant première de seu Thermomix!
    Que mecenas fantástica é a Dé.
    Gostei! Taí um brinquedinho para ter na cozinha ! Aliás ando invejosa da sua Ferrari. Poderia me informar mais detalhes: marca, onde compra , etc? Quero fazer sorvetes maravilhosos. Você tem receitas de coco e de milho verde?
    Em tempo: vc viu as novas cores fantásticas das novas batedeiras Kitchen Aid que lançaram agora no Carnaval? A super mecenas poderia te agraciar com uma. Se vc não a possui, deveria pois há funções que essa bimbólica dos diabos não tem: abrir massas, fazer rigatoni, acessório para fazer os próprios embutidos ou seja encher linguiças…
    Um grande abraço , Kika.

  15. 19 Kika Mello março 9, 2011 às 12:58 pm

    Edu, no sit da Kitchenaid não vi anunciado os Stand Mixers novos mas veja nesse link as novas cores maravilhosas :
    http://blogdalelesaddi.glamurama.uol.com.br/2011/02/28/wish-list-ja/

  16. 20 eduluz março 10, 2011 às 7:46 pm

    Carla, então tá feito,. Teremos um IB bimbado em dezembro 2011. Um Natalino.
    Você acha que o tempo é suficiente? rs

    Kika, grato. A Dé é uma mecenas e tanto. Foi ela que me deu a Ferari ( marca verdadeira: Ariete).
    Quanto a Kitchen Aid, estive com uma vermelha (sou tradicional! rs) na mão quando da nossa última viagem pra Miami. E custava U$ 229 num Target.
    Só não trouxe porque realmente não cabia mais nada nem nas malas e muito menos nas mãos! rs

    Abs thermomísticos e malandrísticos pra vocês.

  17. 22 eduluz março 15, 2011 às 12:27 pm

    Carla, então está definido.
    Vamos desbimbonar o teu IB de dezembro.
    Às facas!

    Abs desthermomiquezados.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.




É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se a 656 outros seguidores

Posts recentes

Comentários

Blog Stats

  • 1.431.126 hits
fevereiro 2011
S T Q Q S S D
« jan   mar »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28  

Arquivos

Atualizações Twitter


%d blogueiros gostam disto: