Arquivo para 6 de dezembro de 2011

dcpv – dia doce e médio – espanha – madrid – botin, o restaurante mais velho do mundo. e ao lado, o mercado de san miguel.

02 e 03/07/11

Dia doce e médio – Espanha – Madrid – Botin, o restaurante mais velho do mundo. E ao lado, o mercado de San Miguel.

Até que enfim o calor deu uma trégua.
Na intensidade, claro. Tivemos uma queda de 10ºC. O que seria muito, se não estivesse 38ºC.

Aproveitamos o domingão (como era o primeiro do mês, a maioria do comércio abriu) e fomos às compras.

Visitamos a loja oficial do Real Madrid, nos esbaldamos de comprar sapatos na Casa Camper (imaginem, em plena rebajas. Prometi nunca mais comprar um par de sapatos no Brasil), …

… passamos pelo excelente Mercado de San Miguel. …


… que é muito mais um espaço gastronômico de alto nível …

… do que propriamente um mercado.

Prometemos voltar amanhã pra ao menos, almoçar.
Voltamos pro hotel pra levar as muambas e percebemos agentes ianques infiltrados.

Antecipei a reserva que tinha pra noite e fomos almoçar no restaurante mais velho do mundo, o Botin.

Segundo eles e atestado pelo Guiness, o estabelecimento existe desde 1725.

E parece mesmo que não só alguns clientes, como vários garçons estão por lá desde o início da empreitada.

O lugar é muito bonito e tem um ambiente espetacular. Me diz aonde você conseguiria ver esta cenografia?

E este verdadeiro museu de leitões assados no forno à lenha?

Pedimos dois copos de vinho “blanco”  …

… e a Dé, o seu enésimo Gaspacho

… que foi servido no formato old fashion, ou seja com legumes e pão cortados em cubos.

Eu inovei e pedi uma Tortilla de Gambas. Macia e com os camarões fresquíssimos.

Como principais, dividimos uma Minestra de verduras salteadas com jamon ibérico …

… e um linguado a la plancha.

Foi aí que chegou um casal carioca supersimpático e iniciamos a nossa conversa brazuca. Foi um tal de dicas pra lá, indicações pra cá e quando percebemos, já estávamos de volta ao hotel.

Ah! Conhecemos o verdadeiro sex shop madrilenho no caminho.

Tomamos um bom banho, pegamos um taxi e fomos conhecer os Jardins daqui, a região da Calle Serrano com a Juan Maria y Gasset.

O entorno todo não decepciona, apesar do motorista de ter nos desanimado o tempo todo, dizendo que deveríamos ter ido a Fuencarral, que, segundo ele, é muito mais barato …).
Grandes marcas, …

…. muitas lojas fechadas (era domingo e ainda bem. 🙂 ) …

…  e acabamos indo ao El Corte Inglés, que pra quem se lembra, é um espécie de Mappin upgradeado de  lá.
Por sinal, a loja é excelente, pois além de apresentar muitas alternativas de compras, tem um espaço gourmet de deixar qualquer um de queixo caído.

É claro que compramos algumas coisinhas e aproveitamos pra sentar no balcão do bar pra dar uma “picada” (que é o mesmo que fazer um “nhãnhã”).
Pedimos duas copaças dum champaghe Laurent Perrier rosé (espetacularmente gelado) …

… uma tapita de burratta com tomate e aceto ...

…  e uma de aliche e creme de queijo.

Tudo per-fec-to! Voltamos ao hotel (era tarde, por volta de 21:00 hs) e por incrível que pareça, conseguimos assistir ao jogo (horrível) de estréia do Brasil na Copa América (é, precisávamos descansar um pouquinho).
Recarregamos as pilhas e saímos (sim, era quase meia-noite) pra conhecer uma vinoteca bem próxima ao hotel, a Barbechera, um lugar que simpatizamos quando passamos na frente há dias atrás.

A idéia era continuar tapeando, pedindo “duas copas” dum vinho branco Chardonnay Absum 2008 e mais …

… uma tostada de alho porró e queijo

…  e croquetas de bacalhau (guia 4quetas: 8. Estava pouco temperada ou nós estávamos no limite? rs).

O lugar é muito charmoso …

… e o detalhe bacana são os barris como mesa …

…  que tem moedas entre a sua base e o tampo de vidro (copiamos a idéia na nossa adega).
É claro que deixamos os nossos “reales” por lá.

Fomos dormir e acordamos pro último dia com uma idéia um tanto estranha, mas legal.

Descobrimos que não tínhamos ido em alguns lugares e que eles eram bem longe um do outro (prepare-se pra andar muito por aqui. Tudo parece ser muito perto, mas os quarteirões são imensos).

Resolvemos fazer o tour drop on/drop off do Go Madrid.

E paramos no Santiago Bernabéu, o estádio do  Real Madrid, que ao que parece só será pior que o do Timão em Itaquera, na grande FV.

O tour é bom demais (se eu fosse dirigente do Corinthians, organizaria um destes pelas obras do Itaquerão, com direito a assentar tijolo e tudo o mais. Dava pra contratar um montão de craques só com esta grana).

Você inicia subindo todas as escadas (rolantes,por sinal) e quando está lá em cima tem esta visão do campo:

Pra mim, esta é a verdadeira bombonera.

Depois você desce tudo o que subiu e entra no mundo madrilesco. Mais uns passinhos e está no meio do estádio.

E mais alguns, em pleno campo. É isto mesmo, no gramado, …

… com direito a dar instruções (como se fôssemos o Mourinho), a sentar no banco de reservas …

… e a, inclusive, dar uma entrevista coletiva (ainda bem que era a Dé que estava fazendo as perguntas).

Sem contar a visita aos vestiários …

… a aula de história do futebol …

… e a enorme sala de troféus.

O Real foi considerado o melhor time do século passado, mas nós não vimos lá nenhuma das taças que o Timão tá cansado de ganhar: a do campeonato paulista! 🙂

Tivemos, inclusive, uma premonição: vejam só, eu e a Dé carregando a Taça dos Campeões ganha pelo Corinthians (e olha que nem adivinhávamos o resultado do último Brasileirão!)

É claro que o tour terminou numa lojona.

Depois disso tudo (separe pelo menos umas duas horas pra este passeio), voltamos ao Ônibus turístico e a idéia era irmos ao Museu Reina Sofia pra vermos o Guernica.

Só que ficamos tanto tempo na cobertura descoberta do ônibus e tomamos tanto sol na cabeça que, quando passamos pela Plaza Mayor, não tivemos como não descer e dar uma “picada” prometida no Mercado de San Miguel.

Ô lugar bacana, por Diós! Chegamos tomando sangrias, …

… e comendo pintchos de azeitona com queijo e de pepinos com pimentão. Sabe aqueles espetinhos das festas de antigamente?

Absolutamente deliciosos. Demos mais uma volta e mais uma vez, tapeamos.

Com um rolinho de massa recheado de carne moída, outro lomo com abacaxi e um  de tomate, mussarela de búfala e pesto.

Resolvemos fazer umas comprinhas bacanas (salames, queijos, pães, frutas, etc) pra continuar no clima quando estivermos em Ferratxi di Vascontxelo, amanhã a noite.

Ah! Encerramos a viagem com chave ouro, quando eu decidimos experimentar duas big-ostras número 1 e as acompanhamos com duas copazzas de espumante.

Pra quem gosta das bivalves, foram as melhores que eu comi na minha vida (a Dé  passou a dela).

Bom, foi isso. Achamos a Espanha muito interessante.

Desde a Rioja, onde o mundo de Bacco está mais do que presente, mas ao mesmo tempo com a arquitetura das bodegas transformando simples campos de videiras em verdadeiras obras de arte, …

… passando pelo País Basco com suas características ímpares; sua culinária; seu nacionalismo; seus valores tão enraizados …

…  e finalizando com Madrid, a aparentemente moderna Madrid que convive com globalizações, mas ao mesmo tempo é provinciana o suficiente pra que todos tirem a sagrada siesta, almocem tarde e simplesmente, comam muito mais como um meio de socialização do que uma necessidade.

Enfim, como diria o governo espanhol e a família Luz (a Re mesmo não indo, aprovou esta indicação) vá a Espanha.

Hasta lá próxima (que deverá ser em Barcelona).

Acompanhe os outros dias da nossa viagem:

Dia Uno – Espanha – La Rioja – Marques de Riscal, o hotel.
Dia Dos – Espanha – La Rioja – Museu do Vinho e cidadezinhas bacanas
Dia Tres – Espanha – La Rioja – Bodegas maravilhosas e arquitetura não menos
Dia Cuatro – Espanha e França – La Rioja e Bordeaux – Final de semana em Martillac
Jour Cinc – France – Bordeaux – Passeando e entrando no mundo dos Premieres Grands Crus
Dia Sei – França e Espanha – País Basco – Você sabe o que é euskera? Pintxo você sabe, né?
Dia Siete – Espanha – País Basco – Guggem..heim?
Adendo do dia siete – Espanha – País Basco – Restaurante Mugaritz
Dia Ocho – Espanha – País Basco – San Sebastian do Rio de Janeiro?
Almoço do dia ocho – Espanha – País Basco – Mais um top 50. Martín Berasategui
Dia nueve – Espanha – Nós fomos as touradas de Madrid
Dia diez – Espanha – Madrid – Tour de tapas. Comestíveis, claro!
Almoço do dia diez – Espanha – Madrid – DiverXo. EXcelente e não é da XuXa.
Dia once – Espanha – Madrid – Segway e a parada gay. Simples rima?

.

Anúncios

É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se a 659 outros seguidores

Posts recentes

Comentários

Blog Stats

  • 1.420.045 hits
dezembro 2011
S T Q Q S S D
« nov   jan »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Arquivos

Atualizações Twitter

Anúncios