Arquivo para 5 de maio de 2012

dcpv – vou-me embora pra pasárgada. lá sou amigo do pote do rei

Vou-me embora pra Pasárgada. Lá sou amigo do Pote do Rei.

“Idealizado pela fotógrafa Mônica Freitas e pelo jovem chef William Ribeiro (eleito chef revelação 2011 pela Vejinha-SP), o Pote do Rei é ponto de encontro dum público exigente e de bom gosto, cujo denominador comum é o prazer da boa mesa e dos bons vinhos, num ambiente onde a sofisticação se mede pela arte de bem receber” . É assim que o restaurante O Pote do Rei é inicialmente apresentado no seu próprio site.

Já tínhamos ido lá numa outra oportunidade, mas o esquecimento da máquina fotográfica impediu a publicação dum post. Desta feita, saímos de casa dispostos a conhecer a nova casa do Paulo Barros, o Girarrosto, um lugar onde a tv de cachorros tem destaque.

Mas quê? Uma hora de fila de espera, no mínimo. A segunda opção seria a Adega Santiago que também tinha mais uma hora e meia de “canseira”.

Resolvemos rumar pra região do Mani e aí lembramos do O Pote do Rei. Não tinha nenhuma espera e no nosso caso, este era o requisito necessário e suficiente pra ser habilitado como o eleito.

O lugar é bem bacana, com uma área externa colorida e arborizada, …

… além duma interna, com decoração moderna e um imprescindível ar condicionado.

Demos uma boa olhada no menu e escolhemos algumas coisinhas.

Antes da decisão, nos serviram o agradável couvert, composto de variados pães, manteiga, beringela defumada e um pesto.

Pra entrar no clima, escolhemos um ótimo vinho branco Sauvignon Blanc Lapostolle 2010 (viu, pessoal?).

Como nos empanturramos de pães, optamos por ir direto pros principais.

A Re escolheu um Medalhão de filé com purê de mandioquinha, molho de cogumelos, farofa de pistache e azeite de trufas. Como ela não gosta de cogumelos e eles ofereciam em outro prato um molho de poivre vert, pedimos pra fazer a troca e fomos prontamente atendidos (se bem que o prato acabou vindo com o molho de cogumelos e tivemos que pedir pra trocarem).

A Dé foi de Tortelli de Burrata, uma massa fresca recheada ao molho de tomate pelado e manjericão fresco. Uma ótima pedida levando em consideração o calor do domingão.

Eu, o oceanomaníaco, fui de Spaghetinni Lorente, com anéis de lula à provençal, julienne de presunto Ibérico e agrião, uma harmoniosa mistura de mar e terra, quase uma comida espanhola.

Tudo esteve num grande nível e dando a certeza que temos que voltar frequentemente a este lugar tão bacana e harmonioso. O slogan “gastronomia sem fronteiras, com raízes no Mediterrâneo” foi mais do que justificado.

E ainda bem que não fica em Pasárgada.

Adiós.

.


É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se a 656 outros seguidores

Posts recentes

Comentários

Blog Stats

  • 1.431.116 hits
maio 2012
S T Q Q S S D
« abr   jun »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Arquivos

Atualizações Twitter