Arquivo para 3 de julho de 2012

dcpv – huitième jour – paris – frança – dois concertos na cidade: o da filarmônica de berlim e o do robuchon

03/05/2012

Huitième Jour – Paris – França –  Dois concertos na cidade: o da Filarmônica de Berlim e o do Robuchon.

Hoje era dia de passear pela região da l’Etoile.

Começamos experimentando o bom e caro café da manhã do hotel.
Logo após, tínhamos o stress (é sempre um stress) de devolver o carro alugado.

Por incrível que pareça, o “treinado” staff se enrolou todo e afirmou que devolveria o carro pra nós na Europcar no dia anterior, mas descobrimos que eles estavam na garagem do próprio hotel!

Este W não tem mesmo nada a ver com os outros que conhecemos (Chile e Miami).
Mas de qualquer forma, foi muito interessante dirigir por Paris e passar por pontos turísticos com uma visão diferente da de pedestre.

Tudo bem que foi difícil encontrar o escritório da Europcar nos Invalides e mais ainda perceber que bastaria levar o veículo ao estacionamento e jogar a chave num buraco dum cofre! rs

De lá, saímos a pé pra região do Grand Palais.

No caminho, vimos uma filmagem do que parecia ser um comercial de tv.

Aproveitamos pra visitar as fantásticas exposições de fotos do Helmut Newton e a Beauté Animale.

Ambas são sensacionais e te permitem fazer uma verdadeira viagem na viagem (mas por mais paradoxal que seja, não são permitidas as fotos!)

Continuamos dando uma boa passeada pela região da Champs Elysées.

Passamos pela Ladurée, …

… pela Peugeot, …

… pela Citroën, …

… pela casa do Santos Dumont (ou melhor, pela placa), …

… e pelo templo sagrado, o L’Atelier de Joël Robuchon.

Se tem algum restaurante que eu indico em Paris, é este.

Ele é perfeito para tudo.
Você chega lá e é encantado pela visão.

Toda a cenografia é perfeita e feita pra te maravilhar.

Logo após sentar nos bancos (não se esqueça: opte por comer no balcão), você fica delirando com a possibilidade de experimentar o máximo de coisas, já que existe uma parte do menu dedicada somente a estas experiências, as pequenas porções.

E o clima é muito propício.

Olhamos o cardápio e nos entusiasmamos ainda mais.
É claro que pedimos flutes de champagne pra começar tudo.

Cada um de nós escolheu dois pratos e todos experimentaram tudo.
A Lourdes foi de burrata com salada de abacate

… e côtteletes de l’agneau de latte.

O Eymard pediu foie gras (que não era bem isso) com gengibre confit 

… e saint peter a la planche com azeite de abacate.

A Dé repetiu a burrata

… e replicou com um gazpacho.

Eu pedi jambom Ibérico de Belotta

… e black code com uma mousseline de daikon ao yuzu.

Tudo tão perfeito que quase não conversamos. Só fazíamos “ais” e “uis”.

Como fizemos também ao tomar o magnífico vinho branco, o esplêndido 1er Cru Chassagne Montrachet 2008.

É claro que não deixaríamos passar as sobremesas e pedimos duas pra dividirmos.

Uma, merengue de framboesas e sorvete de queijo branco pros Loguercio …

… e outra, um soberbo suflê de pistache com sorbet de coração de guanaja pra nós.

Mais uns chocolatinhos …

… e o primeiro concerto do dia terminou.

Porque na verdade, aqui tudo se passa como se você estivesse assistindo a um espetáculo, num excelente teatro com uma magnífica orquestra.

Apesar do aparente ensaio, sobra espaço para improvisos e criatividade.

Enfim, ir ao L’Atelier de Joël Robuchon é imperdível.

Aproveitamos pra voltar a pé, tentando encontrar uma Lenôtre, já que estávamos sofrendo de crise de abstinência de millefeuilles.

Infelizmente, a que encontramos era somente um restaurante e tivemos que transferir os nossos sonhos pra amanhã.

Como estávamos a fim de descansar um pouco, resolvemos voltar de taxi.

Foi quando o Eymard viu os riquixás e apontou.
Todos olharam uns pros outros e disseram: porque não?

Rapidamente estávamos cruzando Paris num ótimo dia ensolarado…

… e vendo os monumentos duma outra perspectiva, …

… melhor, num meio de transporte muito interessante.

Esta também é uma grande experiência.

Chegamos o hotel a fim de dar um reparo no corpo.

Ma che? Nós tínhamos esquecido a placa “don’t disturb” na porta do quarto e aí começou mais uma epopeia.
Entre comunicar a falta de arrumação e ela efetivamente acontecer, se passou um pouco mais de uma hora. Foi bom, porque tivemos tempo pra dar uma passada na excelente lojinha do Le Palais Garnier e comprar algumas coisinhas.

E como tínhamos um espetáculo da Filarmônica de Berlim na Salle Pleyel, ás 20:00 hs, dá pra imaginar a correria que nós tivemos que fazer?

Acabamos chegando em cima da hora e por pouco não perdemos um dos maiores espetáculos das nossas vidas.
Como é bacana ouvir pessoas talentosas, tocando com o máximo de emoção e técnica possíveis.

E é impossível não se emocionar também. Devemos essa a Lourdes e ao Eymard.

Sem contar o carisma e o enorme talento do nosso vizinho regente, o venezuelano Gustavo Dudamel.

Após 1,5 horas de puro deleite, saímos caminhando até a Brasserie La Lorraine, onde colocaríamos em ação o plano de agrupar imagens a um texto do talentoso Dodô (algo um tanto quanto impensável).

Mas esta é outra história.

Au revoir.

Leia sobre os outros dias desta viagem:
Premier journée – Borgonha – França – Visitamos o hospício de Beaune.
Borgonha – França – Deuxième jour – Pisando no solo do Romanée-Conti.
Troisième jour – Beaune – França – Cozinhando na Borgonha
Quatrième jour – Borgonha – França – Duvido que você conheça (ou tenha ouvido falar) de Quarré-les-Tombes?
Cinquième jour – Borgonha – França – Com minha besta, abati a Abadia de Fontenay
Sixième jour- Borgonha – França – Chablis, conexão pra Paris.
Paris – França – Septième Jour – Flanando pela cidade luz (especialmente por Saint Germain)

.


É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se aos outros seguidores de 656

Posts recentes

Comentários

Blog Stats

  • 1.453.408 hits
julho 2012
S T Q Q S S D
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Arquivos

Atualizações Twitter