dcpv – festival união de todos os sentidos no aya cuisine

01/09/2012

Festival união de todos sentidos no Aya Cuisine.

Todo mundo sabe que eu adoro “fuçar” os eventos bacanas que pululam pela nossa capital paulistana, a famosa praia. E desde que eu li por aí sobre a existência deste acontecimento que a Lia Coldibelli e a Flávia Spielkamp fazem na casa delas, fiquei curioso pra conhecer.
O conceito todo é experimentar um menu mais do que completo (no nosso caso, 5 pratos com vinhos inclusos) que elas criam (a Flávia é a chef e a Lia, a sommeliere) e sempre com um norte a ser seguido.

Como o conceito normalmente indica pratos sem carne (a Dé mais do que aprovou), acertei tudo por email e no dia 01/09, um sábado, precisamente as 20:30, estávamos lá.
O lugar é um pouco difícil de encontrar (nada que um bom GPS não resolva), de estacionar (também demos um jeito) e você chega lá com um pouco de tensão. Esqueci de dizer que um elemento muito interessante no processo todo é que se você não for acompanhado de conhecidos, terá que forçosamente se sentar numa mesa única com pessoas que  nunca viu na vida!
Éramos em 8 convidados (não anotei o nome de todos, mas os simpáticos pais da Lia, a Regina e o Célio compareceram).

Logo de cara deu pra perceber que a química ia rolar, pois na nossa chegada, sentimos a aura do espaço e das pessoas presentes (xiiii, estava bastante sensitivo). Sentamos na sala e tomamos um drink muito interessante (uma mistura de Prosecco e chá de maracujá), acompanhado de torradas com chutney de manga.
Ficamos todos conversando, bebericando e aguardando a próxima fase.
Que seria no quintal da casa (atravessamos a cozinha). Lá estava a mesa comunitária, iluminada por luz de velas (daí as fotos um tanto quanto escuras) e com o acompanhamento duma trilha sonora perfeita pra ocasião (o DJ Igor Starika prometeu nos enviar a seleção de todas as excelentes músicas da noite). A audição foi perfeita!

Nos acomodamos, já a espera do primeiro prato da noite.
Pra aguçar os nossos sentidos, foi servida uma sopa de abóbora com alho negro (o ingrediente da moda). E muito bem harmonizada com um excelente Sauvignon Blanc Chileno da Cousiño Macul, Don Luis 2011.

A sopa era diferentona (a Flávia é especializada nelas e as vende sob encomenda) e acabei não perguntando, mas imaginamos um toque de açafrão espanhol no cheiro (olfato?) marcante dela. Quanto ao alho negro, ainda o achamos muito mais bonito e interessante do que saboroso (continuamos acreditando que ele tem um gosto de quase que de alcaçuz).

Conversa vai, conversa vem e o prato de massa surgiu. E era uma desconstrução muito interessante. Pense (ê, Cheyenne!) numa massa de lasanha (obviamente feita em casa), só que bastante comprida, o suficiente pra que você coloque recheio (neste caso de cogumelos) entre todos os seus vaivens?

Deu pra entender? Segundo a própria Flávia (e é verdade, pode acreditar), a intenção é desconstruir um caneloni, porque quando se experimenta, a sensação é que está se comendo um deles. Muito bom mesmo. Ainda mais acompanhado dum ótimo Pinot Noir argentino Alfredo Roca.

Todos cravaram: perfeito!
A idéia é tão bacana que acabei fazendo um prato parecido no domingo aqui em casa. Um pseudocaneloni recheado com ragu de linguiça moída e milho doce. Siga o passa-a-passo:

Continuando a experiência e seguindo o princípio dos sentidos, a visão estava por vir. Uma salada formada de beterraba cozida e recheada com cuscuz marroquino e queijo de cabra. Foi o must pra Dé, uma beterrabóloga de carteirinha!

Continuamos com o Pinot Noir e com a antevisão da sobremesa na doçura da leguminosa. Já que falamos nela, o canto dos cisnes da noite seria uma panacotta (de leite e iogurte) com calda de frutas vermelhas. O paladar se aguçou ainda mais porque a Flávia teve a idéia de servir uma flor de coentro junto! Foi uma verdadeira explosão de sabores.

É, a noite estava terminando. A Lia ainda nos serviu um Limoncello “importado” diretamente do interior paulista e nos despedimos com a certeza de que este projeto, o Aya Cuisine no espaço Zentas veio pra ficar.

Inscreva-se através deste email e aguarde o comunicado delas. Quem sabe não nos vemos por lá, aproveitamos pra nos cumprimentarmos e usarmos o último sentido que faltou neste relato, o tato!

Até.

PS – Pra complementar um pouco mais e com as devidas imagens, segue o fotoblog com as belas fotos que a Jennifer Glass tirou:

.

2 Responses to “dcpv – festival união de todos os sentidos no aya cuisine”


  1. 1 EYMARD setembro 25, 2012 às 7:49 am

    Muito legal mesmo. E esse caneloni desconstruído pareceu muito bom. O que voce inventou em casa achei com cara daqueles pastelões…e com a maquina “no tocata” que eu ganhei acho ate que da para fazer no final de semana com varios recheios para agradar a todos os gostos….

  2. 2 eduluz setembro 28, 2012 às 6:41 pm

    Sócio, pastelão!!! Poxa, isto dá processo. Conhece algum bom advogado pra me indicar?? rs

    Ayabraços envolventes pra vocês


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se a 640 outros seguidores

Comentários

Blog Stats

  • 1,336,629 hits
setembro 2012
S T Q Q S S D
« ago   out »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Atualizações Twitter


%d blogueiros gostam disto: