Arquivo de maio \28\UTC 2013

quimet & quimet e os enlatados no dcpv.

número 345
12/03/2013

Quimet & Quimet e os enlatados no dcpv.

Faz um bom tempo que estou querendo fazer uma noite “quimetiana” aqui no dcpv.

DSC02883

E o que seria exatamente isso?

DSC02918

Pra quem não sabe, o Quimet & Quimet é um bar localizado em Barcelona (que estava no nosso roteiro, mas que infelizmente, não conhecemos) que tem por princípio, utilizar ingredientes enlatados pra fazer os seus tapas, seus petiscos.

DSC02886

E dizem que todos são absolutamente imperdíveis.

DSC02940

Pois como tenho a mania de comprar enlatados nos mais diferentes lugares e das mais variadas procedências, só me restou escolhê-los aqui na minha despensa.

DSC02892

Machas, sardinhas, salmão defumado, pulpo, torrone, foie gras; enfim, foi uma verdadeira limpa e o resultado foi formidável.

DSC02895

Acompanhe a nossa noite enlatada/envasada.

DSC02958

Vamos lá.

Entrada – Tapitas variados.

Percebam que não teremos muitas receitas. A maioria dos petiscos foram criados a partir de bons ingredientes.

DSC02907

Iniciamos com um simples pão italiano torrado, …

DSC02909

… patê de foie gras e ciboulette picada.

DSC02889

Continuamos com uma fritada de sardinhas.

DSC02902

Simples ovos misturados, temperados e fritos junto com sardinhas em lata.

DSC02903

Mais um? Pedaços cortados dum salmão defumado chileno, com cream cheese e dill.

DSC02890

Finalmente, machas (moluscos chilenos) à parmegiana.

DSC02893

Comprei um pacote que além dos frutos do mar, continha o molho de parmesão e as conchas.

DSC02898

Aí foi só gratinar no forno e comer.

DSC02905

A entrada ficou muito simétrica …

DSC02924

…  convidativa…

DSC02934

… e saborosa.

DSC02939

É claro que pra acompanhar e permanecer no clima espanhol, tomamos um tinto de verano (H2O, gotas de conhaque, limão, muito gelo e vinho tinto de procedência, ou seja, o português e alentejano Mariana Herdade Rocim 2010 ).

DSC02913

O achamos “saco, quasímodo, merravilhoso, fresquíssimo”.

DSC02922

Principal – Risoto de polvo.

Risotólogos que somos, não pensamos duas vezes (eu e a Dé) em fazer um arroz arbóreo cremoso acompanhado do nosso polvo carnudo.

DSC02911

O processo foi o mesmo de todos os risotos.

DSC02945

A única diferença foi colocar o polvo já ao final e um pouco das folhas de erva doce.

DSC02947

Desde já, podemos chamar este prato de antológico.

DSC02960

Cremoso, saboroso, marítimo, al dente; é o mínimo que podemos dizer pra descrever esta verdadeira maravilha culinária.

DSC02965

Pra dar um toque de brasilidade, tomamos um vinho branco Chardonnay Da’divas Lídio Carraro 2011 que foi “divino, pulpolesco, marinheiro, cicoso“, segundo os homens de lata, nós mesmos.

DSC02966

Sobremesa – Sorvete de Torrone.

Este é mais um daqueles da série misture um sorvete de creme com alguma coisa gostosa e obterá uma coisa mais gostosa ainda.

DSC02894

Neste caso, simplesmente bati o sorvete de creme com um torrone espanhol com muitas amêndoas tostadas.

DSC02896

É chover no molhado, mas ficou muito bom.

DSC02975

Eis a opinião dos robôs:
Rondando a cidade, …, de bar em bar! (Edu)
Petiscos fabulosos! (Deo)
É da lata! (Mingão)

DSC02917DSC02967

Resumo da ópera: só por esta amostra, ficou a certeza de que o Quimet & Quimet deve ser realmente imperdível.

DSC02928

Afinal de contas, se algum produto foi enlatado, certamente deve significar que ele tem uma qualidade superior, certo?

DSC02931

Xiii, teremos que voltar pra Barcelona!
Hasta.

.

dcpv – dia seve – cidade do cabo – fazendo ótimas e completas degustações nas vinícolas.

17/03/2013

Dia seve – Cidade do Cabo – Fazendo ótimas e completas degustações nas vinícolas.

Você conhece ou já ouviu falar de FranschhoekPaarl e Stellenbosch?

DSC02245

Deixa eu reformular a pergunta: você já tomou algum vinho Sul-africano?

DSC02235

Porque a se a sua resposta for sim, você, ao menos indiretamente, conhece as cidades citadas no primeiro parágrafo.

DSC02277

E era justamente pra lá que iríamos hoje, num passeio de dia inteiro.

DSC02315

Fizemos todo a rotina (acordar, café e quetais) e as 9:00 hs a nossa guia, a Lúcia, estava no saguão do hotel nos aguardando.

DSC02177

Antes de ir pra região vinícola, fizemos mais uma tentativa de subir na Table Mountain.

DSC01948

Tentativa que se mostrou infrutífera, já que a fila de espera as 9:30hs de la matina, era de 3 horas! Rumamos pra Paarl.

DSC02184

A cidade é pequena e fica a quase uma hora de Cape Town.

DSC02187

Chegamos lá e fomos pra conhecida e premiada vinícola Fairview.

SONY DSC

O tasting por lá consistia em experimentar 8 tipos de queijo (uma das especialidades da vinícola) com os respectivos 8 vinhos.

SONY DSC

E foi sensacional.

SONY DSC

A correspondência entre todas as duplas era perfeita (só pra exemplificar, experimentamos Sauvignon Blanc com feta, …

SONY DSC

… Chardonnay com chevin tradicional, …

SONY DSCSONY DSC

… Barbera com cream cheese with onion, …

SONY DSCSONY DSC

… Shyraz com chevin with black pepper with paprika …

SONY DSC

… e por aí vai).

SONY DSC

Aproveitamos pra visitar a área de produção dos vinhos …

SONY DSC

… e provar as uvas varietais no próprio pé.

SONY DSC

Rodamos mais um pouco e chegamos a Franschhoek.

SONY DSC

É também uma cidadezinha bonita e tido como um dos melhores centros gastronômicos sul-africanos.

DSC02220

Demos uma entrada na vinícola La Motte, …

SONY DSC

… só pra verificar a beleza de tudo, …

SONY DSC

… e fazer umas compras na excelente lojinha, …

DSC02234

… já que eles não abrem pra degustação aos domingos.

SONY DSC

Ah! Conhecemos também o museu que conta a história do seu fundador, Dr Anton Rupert.

DSC02242

Estava na hora do almoço e partimos pra La Petite Ferme.

DSC02249

Ela é outra vinícola boutique e o seu restaurante tem uma vista  incrível de todo o vale.

DSC02250

Aproveitamos a pouca fome pra pedir somente os pratos principais.

DSC02253

A D. Vera e o Sr Antonio cansaram do mar, ou seja, dos camarões e foram pra terra, pro prosaico e muito bom filé com fritas.

DSC02260

A Dé experimentou (mais uma vez) um risoto de tomates secos, azeitonas e queijo e, pra variar um pouco, se decepcionou com o ponto do arroz. Modéstia a parte, faço melhor.

DSC02258

Já eu, pedi lulas cozidas no molho de tomate, cuscus marroquino e salada de pepino com molho de iogurte. Delicioso.

DSC02263

A nossa guia almoçou conosco e escolheu frango com abacaxi, um bom prato.

DSC02266

Acompanhamos tudo com mais um bom vinho branco da casa, o Sauvignon Blanc 2012, muito frutado e pasmem, custando R$ 20,00. Uma beleza!

DSC02256

Nem precisamos pagar a conta (o almoço estava incluído no pacote) e rumamos pra Stellenbosch.

DSC02274

Iríamos saborear a nossa sobremesa num formato diferente.

DSC02283

Seria através duma degustação de 5 chocolates com os respectivos vinhos, na vinícola Lanzerac.

DSC02284

E como detalhe, ela é a mais antiga da África do Sul.

DSC02312

Chegamos lá e a nossa mesa já estava montada. A primeira dupla experimentada era composta de um Chardonnay com um chocolate branco saborizado com erva cidreira.

DSC02289

Deixa eu explicar um pouco melhor como funciona, porque sabemos que é muito difícil harmonizar vinho com qualquer chocolate.

DSC02288

Na verdade, a ideia principal deste tour é fazer com que vinho e chocolate mostrem que os seus sabores são praticamente os mesmos.

DSC02302

Por exemplo, a erva cidreira do chocolate era sentida no vinho. Continuamos com um outro chocolate saborizado com água de rosas, outro com gosto de framboesas e assim por diante.

DSC02294DSC02296

Três outras duplas depois e conseguimos um PHD em degustações malucas e interessantes.

DSC02300

Fomos embora (a temperatura estava por volta de 40°C) …

DSC02309

… e no caminho, verificamos onde estão escondidas as imensas favelas sul-africanas.

DSC02326

Aproveitei também pra trocar a reserva do restaurante e jantamos no outro restaurante do hotel, o Reubens.

DSC02349

O chefe dele é o Reubens Riffel’s, um tipo de Jamie Oliver daqui.

DSC02346

E a comida não fica longe do original (seja isso uma qualidade ou um defeito).

DSC02345

Os meus sogros encontraram o que procuravam há um tempinho, ou seja, pizza! A D. Vera pediu uma havaiana (aquela com abacaxi e presunto), …

DSC02353

… enquanto o Sr Antônio foi duma tradicional Margherita.
Eles adoraram!

DSC02355

Como o coisa estava tradicional, a Dé pediu uma Caprese e eu, um “buoníssimo” hambúrguer com os seus devidos acompanhamentos.

DSC02351

Todos estavam excelentes.

DSC02356

Harmonizamos tudo com mais um vinho branco de ótima qualidade (precisamos comprar muitos no free shop), o Sauvignon Blanc Constantia Uitsig 2012.

DSC02347

Ainda bem que estávamos no hotel, portanto, foi só pegar o elevador e dormir aos cuidados da Table Mountain.

DSC02336

Acordamos na manhã seguinte, plena segunda-feira, pensando em fazer a última tentativa de subir.

DSC02338

E quando abrimos a janela do quarto, tivemos uma big surpresa: nuvens e mais nuvens. É, o tempo muda muito rapidamente por aqui.

DSC02364

Portanto,o conselho pra quem vem passear na Cidade do Cabo e quer subir de bondinho é: quando estiver aberto, vá (e aguente as filas)! rs

DSC02373

Daí pra frente foi pegarmos o vôo pra Johannesburgo, …

DSC02394

… agradecer a South African Airways pelo upgrade pra executiva (nada como ser Gold na Star Aliance), …

DSC02391

… curtir mais um pouco do ótimo Hotel Saxon, …

DSC02458

… e jantar pela última vez em solo sul-africano num restaurante transado e tipicíssimo, o Moyo que fica num shopping idem, o Melrose Arch

DSC02410

Começa que o shopping é uma maravilha com muitas lojas ao ar livre. E o restaurante é uma verdadeira experiência africana.

DSC02447

Sentamos na nossa mesa reservada e aguardamos.
Primeiramente, lavamos as mãos com água de malva e logo após, uma colaboradora veio nos pintar o rosto pra entrarmos no clima.

DSC02428DSC02425DSC02417DSC02423

E quando a garçonete nos trouxe o pesado cardápio (ele é feito de aço), realmente iniciamos a nossa aventura.

DSC02412

Optamos por pedir um super entrada composta de samosas de queijo, lagostas, camarões empanados, lulas apimentadas, salada de molho de jalapeño e bolinhos de peixe, …

DSC02432

… que eram de bacalhau e estavam tão bons, que pedimos mais uma porção.

DSC02441

Como a entrada era muito grande, optamos por comer tudo e pular pras sobremesas. Antes demos uma passada na lojinha e compramos algumas traquitanas africanas.

DSC02442

Deu pra perceber que a experiência é completa no Moyo.

DSC02443

Voltando as sobremesas, os meus sogros pediram um sorvete de amêndoas tostadas …

DSC02446

… e nós dividimos um bolo de laranja muito louco.

DSC02445

Tudo perfeito e se transformou num grand finale pra esta nossa aventura africana.

DSC02450

É claro que continuamos fãs deste país e acreditamos que uma pessoa que goste de viajar, tem a “obrigação” de fazer um safari fotográfico pelo menos uma vez na vida.

DSC02461

Famba kahle.

DSC01656

Leia sobre os outros dias desta viagem:
Dia een – África do Sul – Johannesburgo, a terra do ouro. E da saída pela direita …
Dia twee – África do Sul – Dando uma de Noé no Kruger Park
Dia drie – África do Sul – Kruger park – Acho que vimos uns gatinhos… e outros bichos.
Dia vier – Kruger/Cape Town – África do Sul – Parecia ser mais um dia Seinfeld. Mas não foi.
Dia vyf – Cidade do Cabo – Fazendo o próprio city tour.
Dia ses – Cidade do Cabo – Dobrando o Cabo da Boa Esperança.

.

panelinha na estadão e no dcpv.

número 344
05/03/2013

Panelinha na Estadão e no dcpv

Programa de culinária você já viu aos montes. Mas este caso é diferente.
A conhecida chef Rita Lobo (alguém ainda lembra do restaurante Oriental?) teve uma idéia que parece estranha, mas é brilhante.

DSC02645

Pra quem não sabe ela pilota as Organizações Panelinha composta do site/blog homônimo, é escritora de livros bem bacanas (já fiz alguns menus com receitas deles) e a partir do último domingo (03/03/13) é também a apresentadora dum programa culinário no … rádio.

DSC02664

Isto mesmo. A rádio Estadão transmitiu (e transmitirá) o programa Panelinha.
Tudo funciona da seguinte maneira: a Rita posta durante a semana e no blog dela, as receitas que formarão um menu completo (aperitivo, entrada, principal e sobremesa) do programa.

DSC02643

Você compra tudo o que for necessário e no domingo as 12:00 hs, ouve como as receitas são feitas, além de se divertir muito com as dicas, o alto astral e os comentários dos participantes (note que a Daniela Bravin é a sommelier encarregada das prováveis harmonizações).

DSC02640

Eu ouvi todo o programa, virei fã e aproveitei a oportunidade pra reproduzir o menu todinho.

DSC02612

Vamos lá então as receitas do primeiro programa Panelinha, na rádio Estadão.

Bebidinha – Negroni.

O especialista, o Antonio Farinaci, uma “graça” segundo a Rita, indicou este drinque refrescante e caracterizado como um abridor de apetite.

DSC02661

Para fazer, basta colocar uma rodela de laranja no fundo dum copo americano. Complete com gelo.
Despeje 1 dose de gim, uma de vermute tinto e uma de Campari.

DSC02654

Agite ligeiramente com uma colher bailarina e pronto!

DSC02659

A Rita indicou servir amêndoas torradas. Abri e lata e pronto! rs

DSC02642

Entrada – Figo caramelizado com presunto cru.

“Elegante, esta preparação combina a doçura do figo à potência do presunto cru e ganha o toque do frescor das folhas de manjericão”

Esta receita é muito simples. E como todas, muito gostosa.

DSC02614

Pra preparar, basta cortar os figos ao meio no sentido do comprimento (deixe-os bem secos).

DSC02615

Aqueça uma frigideira antiaderente em fogo médio. Regue com azeite e coloque os figos, com o lado das sementes para baixo.

DSC02647

Assim que começar a dourar, vire. Deixe dourar por mais alguns minutos (2 ou 3).

DSC02648

Num prato, disponha as fatias de presunto cru, as metades dos figos caramelizados com as sementes para cima, as folhas de manjericão ao redor (usei um thai) e regue tudo com uma colher (sopa) de mel.

DSC02683

Ficou uma delícia.

DSC02684

Ainda mais acompanhado dum vinho rosé, o Les Valentines Cotes de Provence 2011 que foi “tenros, ó querida, Rodolfo, Legasô”.

DSC02670

Principal – Risoto de ervilha e hortelã tradicional.

“Levíssimo, este refrescante risoto é ideal pros dias quentes. A graça dele é o casamento da ervilha com o hortelã. Mas não deixe de preparar o caldo de legumes em casa. Faz a maior diferença”

Caldo preparado (cenouras, salsão, cebola, água, louro, cravos-da-índia, grãos de pimenta), o resto foi preparar o risoto na forma tradicional.

DSC02695

Refogue ½ cebola cortada fininha em 2 colheres de azeite até ficar transparente.

DSC02687

Junte 2 xícaras de arroz arbóreo e espere refogar.

DSC02688

Regue com ½ xícara de chá de vinho branco, espere evaporar e adicione uma concha de caldo de legumes (quente).

DSC02689

Vá juntando xícaras de caldo a medida que o risoto for secando, não esquecendo de mexer constantemente (em forma de 8).

DSC02692

Após 12 minutos, junte 1 xícara de chá de ervilhas congeladas e misture bem.

DSC02690

Quando o arroz estiver al dente (cozido, mas com o grão durinho no meio), desligue o fogo e adicione folhas de hortelã (a gosto), ½ xícara de chá de parmesão (legítimo) ralado na hora e misture bem.

DSC02702

Junte 2 colheres de sopa de manteiga e mexa até incorporar.

DSC02697

Verifique o sabor e corrija os temperos. Pra servir, decore com mais folhas de hortelã e regue com um fio de azeite.

DSC02707

Refrescante é apelido.

DSC02715

É claro que seguimos a indicação da Daniela Bravin e servimos um Chardonnay Jacobs Creek 2011 que disse “velho amigo, R.C., clássico, domingoso”.

DSC02727

Sobremesa – Brownie

“O brownie foi inventado nos Estados Unidos, mas é sensação no mundo inteiro. Caia em tentação e prepare rapidinho esta receita unânime”

Caímos em tentação e a nossa patissier, a Dé, caprichou.

DSC02634

E pra fazer, basta aquecer o forno a 180ºC. Unte uma assadeira retangular média com manteiga e polvilhe farinha de trigo.

DSC02633

Passe 2 xícaras de chá de farinha de trigo e 3 colheres de chá de fermento em pó numa peneira e coloque numa tigela. Pique grosso 170 g de chocolate branco e junte a mistura. Reserve.

DSC02629

Derreta 170g de chocolate meio-amargo e 200 g de manteiga no microondas (a Dé utilizou esta dica da Rita, em vez de usar o banho-maria).

DSC02625

Numa batedeira, junte 1 e ½ xícara de chá de açúcar e 3 ovos. Bata em velocidade por cerca de 3 minutos ou até que a mistura fique esbranquiçada. Desligue a batedeira e aos poucos, misture com uma espátula o chocolate derretido.

DSC02626

Adicione aos poucos a mistura de farinha com chocolate branco, mexendo delicadamente. Transfira esta massa pra assadeira untada.

DSC02632

Leve ao forno pré-aquecido para assar por cerca de 20 minutos. A massa ainda deve estar úmida quando sair do forno (com a aparência dum bolo ligeiramente cru). Deixe esfriar e sirva com sorvete de creme.

DSC02635

Tome cuidado com o tempo no forno. Se assar demais, vira bolo e não brownie.
Ficou tão bom que não tivemos como não tomar uma dosesinha (tá bom, duas) do anisete da D Anina.

DSC02722

Eis a opinião dos paneladinhos:
Panelão e Estadinho: grande dupla! (Edu)
Delícia, assim você me mata! (Mingão)
Espetáquila e a mi no cabe la culpa! (Deo)

DSC02686DSC02718

Olha, na minha opinião, este programa veio pra ficar. Os colaboradores são bem bacanas, as dicas de utensílios são muito legais, a Rita também indica livros muito bons, além de entrevistar gente interessante (o deste domingo foi o Fabio Porchat).

DSC02599

E como eles finalizam mandando beijos prum montão de gente, nós também faremos a mesma coisa.

DSC02662

Beijos de todo o dcpv pra produção deste programa tão inteligente e interessante, o Panelinha na rádio Estadão.

DSC02646

Até.

.

dcpv – as delicias da cozinha alagoana, a vingança!

número 342
29/01/21013

As delícias da cozinha alagoana, a vingança!

Vou falar a verdade! Depois que fizemos, nas priscas eras, a primeira noite das delícias alagoanas, mantive contato com a Sofia, uma das netas de uma das irmãs Rocha, a vovó Maria, fui cara de pau e pedi pra ela escolher um novo menu completo entre as receitas deste fantástico livro que a Cláudia Oiticica e o Alexandre nos brindaram.

076

Eis um dos emails dela:
Olá, Edu. Sou muito suspeita pra falar sobre as comidas da vovó, mas vou dar as minhas sugestões, até porque , segundo a vovó Maria, eu era a única neta que tinha o dote culinário das Rocha.

0551

Sugestões: Sururu de Capote (Entrada. Esse prato foi muito apreciado pelo Ronaldo Fenômeno quando esteve em Maceió); Caldeirada de frutos de mar das “Alagoas” (esse prato foi parar até na França, em Annecy, dentro da mala delas); Mingalpitinga (acompanhamento mais que perfeito pra caldeirada); Laco-Paco (bebida para aperitivo, muito tradicional nas festas da nossa família); Cocada da Mema (sobremesa imperdível e o toque mais especial é a castanha de caju); Empadinha de queijo (essa é muito tradicional, mas elas não chegaram a colocar no livro).
Ficarei muito feliz se algumas destas sugestões estiverem no seu Menu by Irmãs Rocha. Vou aguardar.

DSC01017

Bom, Sofia, é claro que fizemos todas as receitas, inclusive a da inédita empadinha.

DSC01060

Vamos lá, então, ao remake do menu com as receitas do livro, Delícias da Cozinha Alagoana, as melhores receitas das irmãs Rocha.

DSC01009

Entradas – Sururu de Capote e Empadinhas de Queijo.

“Eis aqui o mais alagoano dos pratos”.

Depois desta descrição sucinta e mais do que especulativa, só me restou agradecer a Sofia pela escolha. Na receita original, são utilizados sururus em casca. Optei pela praticidade de já tê-los sem as tais.

DSC00962

Iniciei tudo temperando 500 ml de leite de coco com 1 cebola cortadinha, cheiro verde a gosto, 1 colher de sobremesa de extrato de tomate, um fio de azeite e sal.

DSC01013

Em seguida juntei 500 g de sururu e coloquei a panela no fogo, até ferver e tomar gosto.

DSC01020

Servi com um bom molho de pimenta.

DSC01037

Já pra empadinha, faça (por aqui, foi a Dé que fez) uma massa com 250g de farinha de trigo, 125 g de manteiga sem sal e uma pitada de sal. Misture tudo até soltar das mãos (igual a uma massa podre).

DSC00969

Faça uma camada fininha em forminhas (de + ou – 5 cm).

DSC00976

Para o recheio, bata num liqüidificador, 1 copo de leite, 4 ovos e 100g de queijo parmesão ralado. Coloque este recheio num recipiente e acrescente 1 colher de chá de fermento em pó Royal.

DSC00964

Encha as forminhas até a metade com o recheio e leva ao forno até dourar.

DSC00987

Indicação da Sofia: coloque na boca de uma vez. Ela derrete na boca!

DSC01032

É a mais absoluta verdade. Uma delícia esta entrada formada por estes dois manjares.

DSC01034

Pra dar uma esquentada, tomamos o prosecco italiano Sperone que foi “catado, promarinho, sands, soberbo”.

DSC01036

Principal – Caldeirada de Frutos do Mar das “Alagoas.

“Costumamos levar a caldeirada pro Rio de Janeiro, num tradicional almoço alagoano, muito esperado por parentes e amigos, que consideram este prato “antológico”. Os mariscos são ensopados separadamente, com pouco caldo, e depois, congelados para levar. Basta apenas descongelar e misturá-los em frigideiras, acrescentando mais leite de côco, cheiro verde, tomate, cebola em pétalas, pimentão, ervilha e azeitonas”.

Este descrição diz bem o que este prato é.

DSC01026

E não é que eu tive que fazer quase igual as irmãs Rocha, já que os nossos frutos do mar também estavam todos congelados? Ainda bem que não tivemos que ir pro RJ!! 🙂

DSC01047

Pra Caldeirada, refogue 500 g de camarão no azeite, com pouco alho e cebola. Tempere com sal e reserve.

DSC00961

Coloque 150 ml de leite de coco numa panela (de preferência, de barro) e leve ao fogo pra cozinhar com tomate, cebola e pimentão picadinhos e a gosto, além de alho socado.

DSC00968

Em seguida, passe no liquidificador, peneire e volte ao fogo.

DSC00981

Acrescente mais 150 ml de leite de coco, 1 colher de extrato de tomate, caldo de meio limão, um pouco de azeite e meio maço de cheiro verde amarrado.

DSC00992

Deixe ferver e coloque 200g de vôngoles e 100g de mariscos, cozinhando pouco. Junte então 100 g de siri, 1 posta de peixe frito e cortada em pedaços, 200g de lagosta e o camarão refogado.

DSC01005

Por cima de tudo, arrume 2 cebolas em pétalas (cortadas em quatro) e 1,5 tomates sem pele e também cortados em quatro, além de ½ lata de ervilhas e 5 azeitonas.

DSC01007

Deixe levantar mais uma ligeira fervura e não mexa mais na panela, pra que este últimos ingredientes fiquem por cima da caldeirada. Na hora de servir, polvilhe coentro.

DSC01052

O negócio ficou tão espetaculoso, que optei por utilizar um simples arroz branco com coentro como acompanhamento.

DSC01022

Pra toda esta maravilha de frutos do mar, só um vinho branco dos bons, o Sauvignon Blanc Carmen 2011, que achamos “mamadinho, maceioso, bizetiano, azeitônico”.

DSC01050

Sobremesa – Cocada da Mema e Laco-Paco

Mema sempre foi a especialista em cocada. Era vaidosa do sucesso que fazia. Hoje a grande substituta é Yeda”

Perceba que é uma receita que passou pelo tempo e pela família.
Para fazer, leve ao fogo 250 g de açúcar, sem água. Não mexa. Deixe derreter até formar um caramelo claro.

DSC00956

Vá virando a panela com cuidado, pra não deixar a calda escurecer. Quando estiver bem derretido, coloque 250g de açúcar e 1 xícara de café de água. Deixe apurar até o ponto de bala e junte 1 coco grande ralado bem fino. Passe a colher com cuidado, só pra misturar.

DSC00952

Apure um pouco mais o ponto, junte 200 g de castanhas de caju inteiras, caldo de meio limão e 1 colher de sopa de manteiga. Mantenha no fogo. Quando começar a soltar da panela e a espumar, estará pronta. Retire do fogo e despeje numa forma de vidro refratário e untada.

DSC00960

Para acompanhar, tomamos o Laco-Paco que é propriamente um licor de maracujá. Faça uma calda com 130 g de açúcar e 1 copo de água.
Junte na panela a polpa de 10 maracujás. Retire do fogo e acrescente 1/3 duma garrafa duma boa aguardente.

DSC00954

Deixe a infusão numa vasilha tampada até esfriar. Coe por diversas vezes. Engarrafe e guarde na geladeira.
Esta dupla Cocada/Laco-Paco deu o que falar.

DSC01056

Eis a opinião dos sobrinhos postiços das Rocha:
Viva a família Rocha! (sem corporativismo). (Edu)
Maravilha de Alagoas. (Mingão)
Sensacional e surpreendente! Delicioso de cabo a rabo! (Deo).

DSC01042DSC01053

Olá, sou Sofia e uma das netas das irmãos Rocha. Só de olhar para o seu post, tive a certeza que as comidinhas de vovó não se acabarão jamais.

DSC01027

Olha, no que depender de nós, não mesmo!

DSC01059

Até a próxima.

.

dcpv – dia ses – cidade do cabo – dobrando o cabo da boa esperança

16/03/2013

Dia Ses – Cidade do Cabo  – Dobrando o Cabo da Boa Esperança.

Hoje faríamos mais uma tentativa de subir de bondinho até a Table Mountain.

DSC02133

E a coisa prometia já que o tempo estava excelente e praticamente não tinha vento.

DSC02010

Tomamos um café básico e rápido, aguardamos a nossa guia, a Lúcia, chegar e rumamos pro nosso objetivo inicial.

DSC01948

Estranhamos quando vimos a quantidade de carros se dirigindo pra lá e constatamos que a fila existente era enorme. Coisa de umas três horas. Abortamos novamente a subida e fomos fazer o tour do dia.

DSC01950

A idéia seria visitarmos dois oceanos num dia só.

DSC02050

Começamos pelo Atlântico. E com a praia de Camps Bay, …

DSC01955

… que nos traz uma boa recordação desde as nossas outras viagens pra cá.

DSC01953

Continuamos o caminho, com a intenção de ver a ilha das focas em Hout Bay.

DSC01991

Nos contentamos com estas que estavam no Porto, ….

DSC01970

… dada a quantidade absurda de turistas querendo fazer a mesma coisa (é, a Cidade do Cabo está bombando!).

DSC01971

De qualquer forma, no caminho pro Cabo da Boa Esperança, andamos pela Chapman’s Peak Drive, …

SONY DSC

… com razão considerada uma das estradas mais bonitas do mundo.

DSC01984

São muitos penhascos, …

SONY DSC

… vistas impressionantes, …

SONY DSC

… e a sensação de que a natureza, com a ajuda significativa do homem, é pródiga e bela.

SONY DSC

Continuamos um pouco mais pelo Atlântico e finalmente chegamos ao Cabo da Boa Esperança.

DSC01996

O parque por si só é muito bonito e organizado (incrível como aparentemente sobraram muitas melhorias com o advento da Copa do Mundo).

DSC02024

E a vista que se tem daquelas praias bravias e maravilhosas são estonteantes.

SONY DSC

Chegamos primeiro ao famoso marco do encontro dos dois oceanos …

DSC02036

… e é claro que fizemos aquela foto clássica.

DSC02032

O lugar tem realmente um magnetismo diferente …

SONY DSC

… e saber de tudo o que aconteceu por lá na época dos descobrimentos, cria um certo fascínio.

DSC02038

Tudo bem que há uma discussão sobre em que ponto os oceanos realmente se encontram (dizem que a cerca de 70 km dali), …

DSC02011

… mas a mística do local permanece.

DSC02051

Demos a volta, ainda pelo Atlântico, pra pegar o funicular e subir até o Cape Point.

SONY DSC

A fila estava imensa, mas agüentamos bravamente.

SONY DSC

E após um curto passeio, chegamos a mais um local mítico.

DSC02063

Ventava muito (daí se percebe como era duro os descobridores atravessarem este ponto no caminho pras Índias).

SONY DSCDSC02053

E a aura de tudo  permanecia.

SONY DSC

Continuamos o nosso trajeto, agora pelo oceano Índico.

DSC02082

Iríamos conhecer a curiosa colônia dos pingüins em Boulders Beach.

SONY DSC

E aproveitamos pra almoçar lá mesmo, no restaurante Seaforth.

DSC02103

Como esta refeição estava incluída no pacote, desconfiamos.

DSC02100

E com razão, já que tudo foi muito razoável, …

DSC02089

… com exceção do vinho branco Chardonnay (sem Carvalho) De Wetshof 2012 que não decepcionou.

DSC02087

A D Vera e o Sr Antonio pediram razoáveis camarões empanados, …

DSC02093

… enquanto a Dé continuou o seu périplo marinho através dos peixes

DSC02090

… e eu, chafurdei num imenso prato de frutos do mar, onde a melhor coisa foram as lulas e as batatas fritas (como se percebe, todos foram variações do mesmo tema).

DSC02097

Enfim, já comemos melhor.

DSC02096

Continuamos o passeio, indo, finalmente, visitar os pingüins.

DSC02118

Ninguém conseguiu explicar o porque deste bichinhos estabelecerem uma colônia bem neste lugar?

SONY DSC

Teoricamente, a temperatura da água não ajuda, o local é mais quente do que eles necessitam, mas mesmo assim eles continuam lá …

DSC02120

…e aos montes.

DSC02116

E é muito engraçado ficar observando os hábitos destes pequenos garçons.

DSC02127

Retornamos ao hotel, já que estava próximo da hora de jantar.

DSC01740

E desta vez acabei acatando uma sugestâo do pessoal do próprio hotel. Acontece que o restaurante que queríamos experimentar, o The Test Kitchen não tinha reserva pros próximos 3 meses. Então nos sugeriram o Pigalle.

DSC02170DSC02169

Chegamos lá e assustamos. O lugar é certamente um dos mais cafonas que vimos até hoje. E com música ao vivo (pode colocar I Will Survive como trilha sonora do relato).

DSC02173

Nos sentimos como participantes do programa Almoço com as Estrelas (remember Lolita e Ayrton Rodrigues).
Fomos levados à nossa mesa que era bem longe da pista de dança (é isto mesmo). E escolhemos o que nos cabia: a Dé foi numa salada Grega; eu, num Salmão Teryaki e os meus sogros inovaram pedindo camarão King com fritas.

DSC02167

Todos corretos e imensos. No final, até que gostamos bastante de tudo, mesmo porque (e pra variar) o serviço foi fantástico. Mas o lugar … 🙂

DSC02178

SeeU.

Leia sobre os outros dias desta viagem:
Dia een – África do Sul – Johannesburgo, a terra do ouro. E da saída pela direita …
Dia twee – África do Sul – Dando uma de Noé no Kruger Park
Dia drie – África do Sul – Kruger park – Acho que vimos uns gatinhos… e outros bichos.
Dia vier – Kruger/Cape Town – África do Sul – Parecia ser mais um dia Seinfeld. Mas não foi.
Dia vyf – Cidade do Cabo – Fazendo o próprio city tour.

.

Fogão de lenha no dcpv.

26/02/2013
número 343

Fogão de lenha no dcpv

“Edu, o fogão de lenha, para nós, mineiros, representa um estado de espírito.
É a certeza de que, enquanto se cozinha o feijão, se ferve o leite e se assa o pão-de-queijo, o tempo pode parar e esperar a conversa dos amigos .
É assim que me sinto, desde que conheci a cozinha do dcpv que, generosamente, se abre para os amigos do mundo”.

DSC02573

Não precisa nem dizer que esta dedicatória foi feita pela Drix.

DSC02559

E num livro, o Fogão de Lenha, Quitandas e Quitutes de Minas Gerais, da Maria Stella Libanio Christo (editora Garamond) que ela, gentilmente, nos deu de presente.

DSC02536

Pois não é que ele tinha ficado no apê da praia e justamente neste final de semana, resolvi folheá-lo novamente.

DSC02594

Começa que ele é muito bem escrito, contendo fatos inusitados e até menus de refeições feitas nos idos de 1800. Mas o objetivo principal da autora foi catalogar o máximo possível de receitas daqueles cadernos que passam de mãe para filha.

DSC02595

E o resultado é uma leitura pra lá de agradável, como o próprio livro indica ser uma refeição típica mineira.
Vamos lá, então, experimentar estes quitutes e estas quitandas, sô.

DSC02517

Como diria a Maria Stella, cheguem-se, a casa é sua!

Bebidinha – Caipirinha.

Como pensar numa comida tipicamente mineira, sem a legítima caipirinha, aquela de limão.

DSC02545

Principal – Um almoço mineiro.

Não estranhe. Desta vez vou seguir os preceitos do livro e servir uma refeição mineiraça.

DSC02535

Arroz, feijão, carne, angu, legumes e verdura. Estes são os componentes deste jantar. Todos servidos ao mesmo tempo e no mesmo prato.

DSC02583

Arroz branquinho e o feijão bem temperado foram feitos pela Flora.

DSC02501

Já a carne tem que ser de porco. Então escolhi um Lombo à Mineira.

DSC02493

Pra fazer, basta deixar um lombo magro temperado (uns 2 kg) numa vinha d’alhos (alho, cominho, gotas de pimenta, pimenta do reino, louro, sal e vinagre) durante umas 3 horas.

DSC02496

Coloque o lombo numa assadeira untada e leve ao forno brando.

DSC02503

De vez em quando, borrife com água pra que asse bem. Quando estiver macio, deixe corar.

DSC02504

Pra acompanhar este lombo, uma simples farofa de manteiga .

DSC02568

Já pro angu, dei uma leve sofisticada (também sou filho de Deus, sô) e fiz uma polentinha básica.

DSC02542

O legume escolhido foi a abóbora.

DSC02505

Corte-a em pedaços, misture 1 colher de chá de tempero mineiro (alho, cebola, cebolinha, pimentão verde, sal e salsa) e esquente o óleo numa frigideira.

DSC02506

Quando tiver bem quente, refogue e deixe cozinhar lentamente, pingando água.

DSC02508

Finalizando, optei pela couve a mineira, …

DSC02552

… cortada fininha e refogada numa frigideira junto com bacon derretido.

DSC02557

É claro que o prato todo montado ficou uma belezura, uai e …

DSC02577

… tivemos que nos contentar em experimentar mais um pouco quando ele terminou.

DSC02590

Foi difícil acompanhar/harmonizar tudo com um vinho, mas o rosé Inurrieta Mediodia não decepcionou. O achamos “mineirim, sôzim, boazim, gostosim”.

DSC02580

Sobremesa – Bolo Moça Chique.

Tá na cara que este bolo foi feito pra e pela Dé. Como sempre a receita é simples e uma delícia.

DSC02528

Bata 1 xícara de chá de manteiga com 4 gemas e 2 xícaras de chá de açúcar.

DSC02510

Em seguida junte 3 xícaras de chá de farinha, 1 colher de sobremesa de fermento em pó e 1 pires de coco ralado.
Adicione 4 claras batidas em neve.

DSC02513

Coloque numa forma untada de manteiga e asse em “forno esperto”!

DSC02522

Nós ficamos espertos e achamos o bolo muito bom mesmo.

DSC02529

Valeu até tomar um anisetinho da D Anina pra comemorar.

DSC02592

Eis o que os mineirins acharam de tudo:
Tremendo jantar, sô! Comidim mineirim das boa, uai! (Edu)
Ó Minas Gerais, ó Minas Gerais! Quanta comida maravilhosa você me traz! (Mingão)
Coisim boim dimais, sô! Nem trem é; expressim !! (Deo)

DSC02551DSC02585

E antes que você pergunte, os quitutes são as comidas de sal: o dourado lombo de porco com a  farofa , a lingüiça fumegante, o leitão pururuca, o tutu de feijão com rodelas de ovo, o torresmo torradinho, o frango caipira com quiabo e angu e outras delícias que só em Minas se encontram.

DSC02581

As quitandas substituem o pão no café da manhã e no lanche da tarde. São elas o célebre  pão de queijo, as gorduchas roscas da rainha, o bolo de fubá, os sequilhos, os crocantes biscoitos de polvilho, entre ourtas especialidades das sinhás mineiras.

DSC02562

Portanto, se tiver a oportunidade, compre o livro Fogão de Lenha. Você certamente terá tempo pra conversar com os seus amigos enquanto faz uma lauta refeição, né Drix?

DSC02578

Inté.

dcpv – nada como estar em ferracci após um giro italiano

número 337
04/12/2012

Nada como estar em Ferracci após um giro italiano.

Esta é mais uma daquelas noites em que a única vontade que temos é de continuar viajando.

DSC09582

Pense bem; não é fácil ficar quase duas semanas em território italiano, comendo e bebendo coisas nacionais e de repente, se ver em pleno centro de Ferraz de Vasconcelos, né?

DSC07603

Então, o usual numa situação dessas, é fazer uma encenação e transformar a cozinha numa daquelas cantinetas da mama.

DSC09532

Como, mais uma vez, fizemos uma aula de culinária em plena Florença, a idéia central foi reproduzir aquilo que aprendemos por lá.

SONY DSC

Vamos então a fase “recordar é viver” da nossa viagem.

DSC09556

Prego!

Bebidinhas – Caipiroska de Lichia

Só pra matar as saudades! (rs)

DSC09510

Entrada – Polenta com azeite extravirgem.

Este prato foi totalmente importado.

DSC09543

Uma farinha branca de polenta, cozida num caldo de galinha feito em casa …

DSC09547

… e servida com um azeite de oliva extravirgem de primeira prensa, que vale cada substantivo que é dado a ele …

DSC09570

… com Parmeggiano Reggiano ralado.

DSC09574

Simplici e gostosinho!

DSC09577

Ainda mais com o acompanhamento do vinho tinto espanhol Casilda Gran reserva 2009 que foi “vino, vinóbilo, marcelino, wine”.

DSC09580

Principal – Papardelli a Bolonhesa.

Este prato, especialmente o molho, é muito bacana e típico.

DSC09551

O chef e professor Giovanni nos ensinou o passo-a-passo deste molho. E ele é incrível.

DSC09586

Inicie cortando uma cebola, uma cenoura e um talo de salsão em pedaços médios e iguais.

DSC09493

Refogue numa panela grande em azeite quente e espere até que os legumes estejam macios.

DSC09502

Junte 500 g de carne bovina moída e 500 g de linguiça fresca sem a tripa.

DSC09515

Deixe refogar por uns 10 minutos em fogo alto.

DSC09524

Adicione um copo de vinho tinto italiano (dos bons), deixe evaporar e …

DSC09526

… coloque uma lata de tomate concentrado. Abaixe o fogo e deixe cozinhar por horas, cuidando pra colocar um pouco de caldo quando estiver muito seco.

DSC09585

Já pra massa, tem alguns pulos do gato em relação a outras que fizemos.

DSC09484

O primeiro é colocar uma colher de azeite e uma pitada de sal, na já manjada proporção 100 g de farinha para cada 1 ovo.

DSC09520

Sove bem e deixe descansar embrulhado num filme plástico. Este é outro pulo do gato.

DSC09541

Aí é só passar na máquina e cortar no formato de Papardelli.

DSC09559

Coloque a pasta pra cozinhar em abundante água fervendo com sal e …

DSC09587

… junte a pasta ao molho (e não o molho à pasta. Este é mais um pulo).

DSC09589

Resultou nesta beleza aí.

DSC09593

Delicioso e al dente.

DSC09597

Tomamos mai um vinho tinto, o francês Ortas Cothes de Rhone 2009 que foi “merci, real, mariajoanesco, bunitinho“.

DSC09600

Sobremesa – Tiramisu

Não precisa nem dizer que uma sobremesa numa aula destas teria que ser um Tiramisu.

DSC09483

Mais típico, impossível.

DSC09495

E nesta caso, nada melhor do que um fotolog (se quiser a receita, eu envio):

DSC09503

DSC09507

DSC09513

DSC09517

Ficou uma maravilha!

DSC09607

Eis a opinião dos gondoleiros:
Ressaca passa rápido. Ainda mais italiana. (Edu)
Que comida!! Que sobremesa!! Spetacula. (Mingão)
Top five pro dessert. Pasta é pasta! (Deo)

DSC09583DSC09601

Pronto! Mais um menu foi executado (literalmente, né Mingão?) levando em consideração o princípio da nossa última experiência viajandística.

DSC09489

Sabemos que é impossível prolongar a viagem, mas continuar comendo algo próximo do que se experimentou por lá é um bom caminho.

DSC09596

Eu tenho uma outra dica: gosto de utilizar os produtos de toucador (esta é nova!) que mais gostei e assim prolongo o prazer da viagem em todos os banhos.
E você? Tem alguma dica pra prolongar a viagem quando já está em casa?

DSC09558

Arrivederci.

.


É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se a 640 outros seguidores

Blog Stats

  • 1,332,496 hits
maio 2013
S T Q Q S S D
« abr   jun »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Atualizações Twitter