dcpv – as delicias da cozinha alagoana, a vingança!

número 342
29/01/21013

As delícias da cozinha alagoana, a vingança!

Vou falar a verdade! Depois que fizemos, nas priscas eras, a primeira noite das delícias alagoanas, mantive contato com a Sofia, uma das netas de uma das irmãs Rocha, a vovó Maria, fui cara de pau e pedi pra ela escolher um novo menu completo entre as receitas deste fantástico livro que a Cláudia Oiticica e o Alexandre nos brindaram.

076

Eis um dos emails dela:
Olá, Edu. Sou muito suspeita pra falar sobre as comidas da vovó, mas vou dar as minhas sugestões, até porque , segundo a vovó Maria, eu era a única neta que tinha o dote culinário das Rocha.

0551

Sugestões: Sururu de Capote (Entrada. Esse prato foi muito apreciado pelo Ronaldo Fenômeno quando esteve em Maceió); Caldeirada de frutos de mar das “Alagoas” (esse prato foi parar até na França, em Annecy, dentro da mala delas); Mingalpitinga (acompanhamento mais que perfeito pra caldeirada); Laco-Paco (bebida para aperitivo, muito tradicional nas festas da nossa família); Cocada da Mema (sobremesa imperdível e o toque mais especial é a castanha de caju); Empadinha de queijo (essa é muito tradicional, mas elas não chegaram a colocar no livro).
Ficarei muito feliz se algumas destas sugestões estiverem no seu Menu by Irmãs Rocha. Vou aguardar.

DSC01017

Bom, Sofia, é claro que fizemos todas as receitas, inclusive a da inédita empadinha.

DSC01060

Vamos lá, então, ao remake do menu com as receitas do livro, Delícias da Cozinha Alagoana, as melhores receitas das irmãs Rocha.

DSC01009

Entradas – Sururu de Capote e Empadinhas de Queijo.

“Eis aqui o mais alagoano dos pratos”.

Depois desta descrição sucinta e mais do que especulativa, só me restou agradecer a Sofia pela escolha. Na receita original, são utilizados sururus em casca. Optei pela praticidade de já tê-los sem as tais.

DSC00962

Iniciei tudo temperando 500 ml de leite de coco com 1 cebola cortadinha, cheiro verde a gosto, 1 colher de sobremesa de extrato de tomate, um fio de azeite e sal.

DSC01013

Em seguida juntei 500 g de sururu e coloquei a panela no fogo, até ferver e tomar gosto.

DSC01020

Servi com um bom molho de pimenta.

DSC01037

Já pra empadinha, faça (por aqui, foi a Dé que fez) uma massa com 250g de farinha de trigo, 125 g de manteiga sem sal e uma pitada de sal. Misture tudo até soltar das mãos (igual a uma massa podre).

DSC00969

Faça uma camada fininha em forminhas (de + ou – 5 cm).

DSC00976

Para o recheio, bata num liqüidificador, 1 copo de leite, 4 ovos e 100g de queijo parmesão ralado. Coloque este recheio num recipiente e acrescente 1 colher de chá de fermento em pó Royal.

DSC00964

Encha as forminhas até a metade com o recheio e leva ao forno até dourar.

DSC00987

Indicação da Sofia: coloque na boca de uma vez. Ela derrete na boca!

DSC01032

É a mais absoluta verdade. Uma delícia esta entrada formada por estes dois manjares.

DSC01034

Pra dar uma esquentada, tomamos o prosecco italiano Sperone que foi “catado, promarinho, sands, soberbo”.

DSC01036

Principal – Caldeirada de Frutos do Mar das “Alagoas.

“Costumamos levar a caldeirada pro Rio de Janeiro, num tradicional almoço alagoano, muito esperado por parentes e amigos, que consideram este prato “antológico”. Os mariscos são ensopados separadamente, com pouco caldo, e depois, congelados para levar. Basta apenas descongelar e misturá-los em frigideiras, acrescentando mais leite de côco, cheiro verde, tomate, cebola em pétalas, pimentão, ervilha e azeitonas”.

Este descrição diz bem o que este prato é.

DSC01026

E não é que eu tive que fazer quase igual as irmãs Rocha, já que os nossos frutos do mar também estavam todos congelados? Ainda bem que não tivemos que ir pro RJ!! 🙂

DSC01047

Pra Caldeirada, refogue 500 g de camarão no azeite, com pouco alho e cebola. Tempere com sal e reserve.

DSC00961

Coloque 150 ml de leite de coco numa panela (de preferência, de barro) e leve ao fogo pra cozinhar com tomate, cebola e pimentão picadinhos e a gosto, além de alho socado.

DSC00968

Em seguida, passe no liquidificador, peneire e volte ao fogo.

DSC00981

Acrescente mais 150 ml de leite de coco, 1 colher de extrato de tomate, caldo de meio limão, um pouco de azeite e meio maço de cheiro verde amarrado.

DSC00992

Deixe ferver e coloque 200g de vôngoles e 100g de mariscos, cozinhando pouco. Junte então 100 g de siri, 1 posta de peixe frito e cortada em pedaços, 200g de lagosta e o camarão refogado.

DSC01005

Por cima de tudo, arrume 2 cebolas em pétalas (cortadas em quatro) e 1,5 tomates sem pele e também cortados em quatro, além de ½ lata de ervilhas e 5 azeitonas.

DSC01007

Deixe levantar mais uma ligeira fervura e não mexa mais na panela, pra que este últimos ingredientes fiquem por cima da caldeirada. Na hora de servir, polvilhe coentro.

DSC01052

O negócio ficou tão espetaculoso, que optei por utilizar um simples arroz branco com coentro como acompanhamento.

DSC01022

Pra toda esta maravilha de frutos do mar, só um vinho branco dos bons, o Sauvignon Blanc Carmen 2011, que achamos “mamadinho, maceioso, bizetiano, azeitônico”.

DSC01050

Sobremesa – Cocada da Mema e Laco-Paco

Mema sempre foi a especialista em cocada. Era vaidosa do sucesso que fazia. Hoje a grande substituta é Yeda”

Perceba que é uma receita que passou pelo tempo e pela família.
Para fazer, leve ao fogo 250 g de açúcar, sem água. Não mexa. Deixe derreter até formar um caramelo claro.

DSC00956

Vá virando a panela com cuidado, pra não deixar a calda escurecer. Quando estiver bem derretido, coloque 250g de açúcar e 1 xícara de café de água. Deixe apurar até o ponto de bala e junte 1 coco grande ralado bem fino. Passe a colher com cuidado, só pra misturar.

DSC00952

Apure um pouco mais o ponto, junte 200 g de castanhas de caju inteiras, caldo de meio limão e 1 colher de sopa de manteiga. Mantenha no fogo. Quando começar a soltar da panela e a espumar, estará pronta. Retire do fogo e despeje numa forma de vidro refratário e untada.

DSC00960

Para acompanhar, tomamos o Laco-Paco que é propriamente um licor de maracujá. Faça uma calda com 130 g de açúcar e 1 copo de água.
Junte na panela a polpa de 10 maracujás. Retire do fogo e acrescente 1/3 duma garrafa duma boa aguardente.

DSC00954

Deixe a infusão numa vasilha tampada até esfriar. Coe por diversas vezes. Engarrafe e guarde na geladeira.
Esta dupla Cocada/Laco-Paco deu o que falar.

DSC01056

Eis a opinião dos sobrinhos postiços das Rocha:
Viva a família Rocha! (sem corporativismo). (Edu)
Maravilha de Alagoas. (Mingão)
Sensacional e surpreendente! Delicioso de cabo a rabo! (Deo).

DSC01042DSC01053

Olá, sou Sofia e uma das netas das irmãos Rocha. Só de olhar para o seu post, tive a certeza que as comidinhas de vovó não se acabarão jamais.

DSC01027

Olha, no que depender de nós, não mesmo!

DSC01059

Até a próxima.

.

7 Responses to “dcpv – as delicias da cozinha alagoana, a vingança!”


  1. 1 Clau e Gil maio 16, 2013 às 7:16 am

    Nossa Dé e Edu, ficamos com água na boca logo cedo. Parabéns!
    abraços

  2. 3 Eymard maio 16, 2013 às 7:32 am

    Nossa, esse ficou mesmo especial. As irmãs Rocha! A Claudia Oiticica precisa ver isso. Ate o sururu de capote voce conseguiu. Fico só imaginando o perfume da cozinha com esse menu. Faltou o mar de Maceió!

  3. 4 eduluz maio 28, 2013 às 12:43 pm

    Clau e Gil, este menu é realmente delicioso e brasileiro.

    Sócio, faltou o mar de Maceió, mas sobrou a maresia da grande FV. Tentei informar a Claudia, mas não consegui.

    rjs, ganhar dinheiro sem sair da cadeira? Eu quero! 🙂

    Abraços arretados pra vocês.

  4. 5 Cláudia Oiticica maio 30, 2013 às 10:39 pm

    Que maravilha, Edu!! Amei as escolhas dos pratos. E acertou na minha receita preferida delas, a caldeirada com mingau pitinga. Com certeza ficou tudo delicioso.
    E o sururu? Não seria o maçunim? O sururu é bem amarelinho, e achei esse mais parecido com o maçunim mesmo. Eu amo os dois, aliás, amo tudo do mar.
    Bom saber que o livro continua sendo aproveitado.
    Um grande abraço para você e a Dé.

    • 6 eduluz junho 18, 2013 às 6:38 pm

      Claudia, graças a vocês, conseguimos reproduzir estas maravilhas por aqui.
      Quanto a dúvida (sururu ou maçunim?), escolhi o que tinha que era vôngole! 🙂

      Abs nordestinos pra vocês.


  1. 1 Cocada com Castanha de Caju | Projet BR-101 Trackback em abril 28, 2014 às 6:41 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se a 633 outros seguidores

Blog Stats

  • 1,322,669 hits
maio 2013
S T Q Q S S D
« abr   jun »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Atualizações Twitter


%d blogueiros gostam disto: