Arquivo para dezembro \19\UTC 2015

dcpv – dia uno e único – chile – vinícola vik, um espetáculo!

agosto 2015

Dia uno e único – Chile – Vinícola VIK, um  espetáculo!

O que você diria de um visionário que pensou em fazer o melhor vinho do Chile, talvez do mundo, partindo do nada?

DSC01308

Pois foi exatamente esta ideia a de Alexandre Vik.

DSC01305

Bom, deixa eu começar do começo.

DSC00962

A Marcia Lube teve (também) a brilhante ideia de fazermos a nossa reunião anual do grupo de vinho (formado por ela e o Vianney, a Madá e o Álvaro, a Lourdes e o Eymard, a Dé e eu) no Chile, mais exatamente na vinícola VIK, que fica na vale de Millahue.

DSC01067

E o negócio todo foi muito bom.

DSC01016

Primeiramente nos encontramos em Santiago onde aproveitamos pra matar as saudades dos vuelos do excelente Bocanariz

DSC00972DSC00973

… e conhecermos o muito bom restaurante …

DSC00999

… do famoso chef Gaston Acurio, …

DSC01001

… o Astrid y Gaston.

DSC01018

No outro dia , após pernoitarmos no ótimo hotel Noi Vitacura, …

DSC00993

… partimos pra conhecer esta ideia que aparentemente parece ser maluca, mas é espetacular.

DSC01033

São quase duas horas de Santiago, …

DSC01036

… mas quando se chega lá, …

DSC01039

…  a visão desta maravilha que fica no cume do monte mais alto…

DSC01038

… e com vista de 360° pra toda a vinícola deixa qualquer um de boca aberta …

DSC01045

… e pensando, My Good, como é que pode existir visionários como o Alexandre no mundo?

DSC01047

Programamos pra fazer o tour guiado pela vinícola logo na tarde do nosso primeiro dia aqui, uma sexta-feira.

DSC01105

E o tour é exatamente o que se poderia imaginar.

DSC01114

Nada mais do que extraordinário.

DSC01164

Antes disso, deixe-me explicar alguma coisa sobre o hotel.

DSC01044

É quase que um devaneio.

DSC01073

Chegamos e tivemos esta visão.

DSC01069

Fomos recebidos com chás e uma recepção maiúscula.

DSC01048

Demos uma olhada nos quartos, sendo cada um deles decorados por arquitetos famosos e de forma individual.

DSC01076

Estes valem o mini fotoblog.

DSC01081

DSC01052

DSC01055

DSC01059

DSC01061

DSC01238

DSC01246

DSC01249

Logo depois, fomos almoçar.

DSC01049

E frugalmente.

DSC01095

As escolhas seriam Côngrio …

DSC01088

… e Ossobuco para quem quisesse.

DSC01090

E o melhor, com um indefectível vinho VIK 2010 (excelente e excelente) sendo servido com nenhuma parcimônia.

DSC01084

A seguir faríamos o tour pela propriedade.

DSC01120

É incrível imaginar que tudo isto …

DSC01102

… foi iniciado em 2004, …

DSC01175

…com a plantação das primeiras videiras em 2006.

DSC01111

Ou seja, imagine que tudo era pura mata e que agora está transformado numa área produtora de vinhos.

DSC01075

E, segundo a ideia do proprietário, o provável melhor vinho do mundo (será megalomania?).

DSC01125

O tour é excelente.

DSC01121

Você passeia pelos terroirs específicos de cada tipo de uva …

DSC01128

… e, finalmente, chega à bodega …

DSC01131

… com este ambiente futurista …

DSC01165

… e impressionante, …

DSC01153

… onde o que vale, é saber que o capricho de todo o projeto…

DSC01166

… e sua execução, te fazem acreditar que tudo, desde que bem planejado, é possível (é claro, que com uma boa quantidade de dinheiro acompanhando).

DSC01143

E aí, chega a hora da degustação.

DSC01177

Você entra primeiramente na magnífica sala de Produção …

DSC01173

… passa por um visual incrível …

DSC01180

… e de repente, chega a uma sala de degustaçào …

DSC01179

… feita com um tremendo bom gosto …

DSC01174

… com obras assinadas por grandes artistas e é onde tudo começa a fazer sentido.

DSC01178

O nosso guia explica que o assemblage do vinho VIK é feito com a combinação de diversas uvas (com a predominância de Cabernet Sauvignon e Carmenere) e aí você experimenta os varietais 2013 que formarão o vinho deste mesmo ano.

DSC01182

Aí, do nada, surge a brincadeira de você fazer o seu assemblage. O meu, por exemplo, continha 50% de Cabernet Sauvignon, 40% de Carmenere e 10% de Syrah. Ficou um espetáculo!

DSC01191

Só nos restou agradecer ao nosso guia pelo ótimo passeio e terminarmos tudo experimentando novamente o VIK 2010.

DSC01200

Voltamos ao hotel, …

DSC01215

… e resolvemos dar uma descansada, antes de partirmos para o jantar propriamente dito.

DSC01213

Começamos tudo jogando uma partida de sinuca, comendo uma entradinha de cordeiro …

DSC01314

… e vibramos com o experimento  do VIK  2011 …

DSC01219

… e com a chegada dum peixe muito bom.

DSC01226

Finalizamos com uma sobremesa  ….

DSC01321

… e pensamos como a vida é boa.

DSC01269

Ainda tivemos tempo de olhar as luzes da piscina de borda infinita ….

DSC01233

… e dormir o verdadeiro sono dos justos.

DSC01050

É, realmente a vida é muito boa ….

DSC01293

… e a vinícola VIK…

DSC01338

… com seu magnífico hotel são lugares que tem que ser visitados (ficamos mais um dia por lá só aproveitando o bom papo).

DSC01339

E tenho dito.

DSC01347

Adiós …

DSC01356

… e hasta la vista.

.

 

 

 

 

dcpv – veggie e tariano

número 404
09/12/14

Veggie e tariano.

“Que tal ser vegetariano, pelo menos de vez em quando?”
É com esta pergunta que inicia o prefácio do livro “Comidinhas francesas vegetarianas” da Valérie Lhomme (editora Alaúde) que os sócios deram pra Dé.

DSC08514

Afinal de contas, eles, a Lourdes e o Eymard sabem muito bem que a Dé é uma adoradora de coisas vegetarianas.

DSC08475

Veja bem, ela não é caxias, mas quando pode, coloca uns legumes na alimentação daqui de casa (e também não gosta muito de carne vermelha).

DSC08482

Daí pra escolher receitas que formariam um menu foi muito rápido.

DSC08485

Vamos lá, então, saborear estes pratos veggies tão maravilhosos (xiiiiiiii!).

Entrada – Creme de abóbora com leite de coco.

Taí uma daquelas receitas pra entrar nas habituées daqui de casa.
Numa panela grande, frite com azeite duas cebolas pequenas picadas.

DSC08466

Adicione 1,5kg de abóbora menina cortada em cubos e refogue por 5 minutos.

DSC08467

Despeje 1 xícara de chá de caldo de legumes.
Junte uma pitada de canela em pó, outra de pimenta da jamaica e tempere com sal e pimenta do reino.

DSC08468

Tampe a panela e deixe cozinhar por 15 minutos ou até a abóbora ficar macia.
Coloque 1 1/4 de xícara de chá de leite de coco. reaqueça o creme sem deixar ferver.

DSC08469

Sirva em cumbucas, despejando um pouco de leite de coco.

DSC08487

Aproveitei e dei uma decorada com lâminas de amêndoas tostadas. Ficou bom mesmo!

DSC08489

É claro que aproveitamos a oportunidade pra tomar uma cava Freixenet que foi “flexco, freixa ligeira, brutal, invocable”, segundo os macrobióticos, nós mesmos.

DSC08492

Principal – Risoto de legumes verdes.

E lá vou eu fazer risoto novamente. E este é totalmente veggie.

DSC08501

Pra variar, é feito no mesmo formato de sempre. Inicia fritando cebola, …

DSC08498

… juntando o arroz, …

DSC08499

… adicionando vinho branco e logo após a evaporação, caldo de legumes (feito em casa).

DSC08500

Após 10 minutos, coloque legumes verdes junto com  o arroz (ervilhas frescas, ervilhas tortas, edamame e pontas de aspargos).

DSC08502

Aí é só esperar o arroz ficar al dente (mais 8 minutos) e finalizar com manteiga e queijo parmegiano ralado.

DSC08503

Ficou bem verde e vegetariano, ou seja, bom.

DSC08505

Tomamos um vinho tinto italiano, o Negroamaro Roccamora2011 que foi “falso, cruzada, escolástico, inominável”, segundo os adoradores de legumes, nós mesmos.

DSC08507

Sobremesa – Pudim de paçoca.

Desta vez, a D Vera não mostrou sinergia com o menu (e o Deo e o Mingão adoraram).

DSC08513

Este pudim de paçoca tinha calorias saltando pelo ar, mas serviu pra dar energia (e muito açucar) pra todos.

DSC08512

Pra variar, estava uma delícia.

DSC08511

Eis a opinião dos senhores verdes:
Veggie é bom?Ate que é, mas … (Edu)
Eu sou veggie. (Mingão)
I’m Vegas!!! (Deo)

DSC08496DSC08508

“Seja um vegetariano convicto (o que não é o nosso caso) ou apenas um apreciador da riqueza de sabores e texturas das frutas (aí, sim), este livro é para você”.

DSC08462

É isto mesmo. Dar uma desopilada de vez em quando, faz muito bem.

DSC08494

Afinal de contas, o tal detox está mais do que na moda!

DSC08477

Bye.

.

 

 

 

 

dcpv – piemonte – dia due – barolo, a cidade.

23/11/14

PiemonteDia dueBarolo, a cidade.

Acordamos cedo (levando em consideração que estávamos com 3 horas de diferença de fuso).

DSC07208

A vista do quarto era animadora.

DSC07210

Na verdade, todo o entorno do Relais San Maurizio é encantador.

DSC07211

Fomos tomar o nosso lauto café da manhã, …

DSC07219

… verificando as belezas que o local proporciona …

DSC07223

… bem como, as obras de arte que fazem parte de todo o acervo…

DSC07221

… e que se encontram expostas por lá.

DSC07234

Logo após o café, iniciamos as nossas investigações sobre as cidades vizinhas.

DSC07248

Todo o intuito deste tour seria complementar o que fizemos da outra vez, já que a base tinha sido gastronômica.

DSC07243

Para tanto, escolhemos inicialmente dar uma passada pelo centro de Serralunga D’Alba.

DSC07257

É um lugar bastante pequeno e com um castelo que é impressionante.

DSC07244

Além da visão de todo o vale do Langhe que impressiona mais ainda.

DSC07254

Não conseguimos fazer a visita (somente guiada) mas mesmo assim, curtimos muito o lugar.

DSC07250

Depois de lá e como estávamos perto da hora do almoço, resolvemos nos dirigir pra Alba (a terra das trufas brancas) pois tínhamos uma reserva pra almoçar no restaurante Dulcis Vitis, do buona praça Bruno Cingolani (amigão do Juscelino Piselli Pereira).

DSC07267

Não precisa nem dizer que ao chegarmos, o chef estava na casa pra receber todos os seus clientes.

DSC07281DSC07280

Que fique bem claro, esta é uma característica de toda a Itália.

DSC07268

Nem precisamos pensar muito pra todos escolhermos a mesma opção: o piccolo menu degustazione al tartufo bianco com 4 pratos.

DSC07274

Iniciamos chamando um Barbaresco, o Piero Busso 2007, que era uma maravilha.

DSC07292

E o primeiro prato chegou.

DSC07282

Uma piccola entrada com uma ricotta aerada e muita trufa branca.

DSC07288

Pra quem nunca viu, uma trufa é deste jeito …

DSC07290

… e por dentro tem esta formatação, …

DSC07309

… além de ter um gosto bem parecido com um muito bem upgradeado gás de cozinha.

DSC07294

Logo após comemos uns ravióli de ricota com burro di montagne, bagna calda …

DSC07299

… e muuuuuuuuuita trufa branca.

DSC07303

Pra continuar a esbórnia, tomamos um Barolo melhor que o Barbaresco, o Renato Corino 2003.

DSC07312

E o prato “della resistence”, o ovo frito foi servido com …

DSC07317

… muuuuuuuuuuuuuuita trufa branca.

DSC07323

Terminamos tudo com um ótimo vinho de sobremesa, o Deltetto Bric du Liun,…

DSC07334

…  que acompanhou o queijo de cabra com azeite e muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuita trufa.

DSC07330

Resultado? Foi um almoço muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito bom e trufado.

DSC07331

Logo após este arroubo gastronômico, só nos restou rumar pra verdadeira Meca do vinho piemontês, Barolo e conhecer o porquê de tamanha magia.

DSC07340

A cidade é pequena, mas muito bonita.

DSC07372

E além de todo o visual, ela tem um museu do vinho, o WiMu que vale a visita.

DSC07359

Ele é todo modernoso e bastante interativo.

DSC07356

Segue o fotoblog do lugar:

DSC07361

DSC07379

DSC07381

DSC07386

DSC07391

DSC07396

DSC07398

Ao final da visita, você ainda tem à disposição uma lojinha com máquinas enomatics que te permitem, com o pagamento de um valor determinado, experimentar um monte de amostras dos vinhos mais representativos da região.

DSC07409

Aproveitamos e bastante.

DSC07413

Ainda passamos numas vinotecas…

DSC07415

… e testamos (e compramos) vários vinhos e trapizombas enófilas.

DSC07414

Retornamos pro hotel (o frio deu uma amainada) e …

DSC07461

… resolvemos fazer um jantar bem mais leve, no próprio bistrô do hotel.

DSC07426

Foi quase que uma descompressão, mesmo porque era uma noite de domingo e a dificuldade de encontrar algum lugar aberto era imensa.

DSC07424

Iniciamos tudo pensando em começar e terminar no bar. Comemos algumas coisinhas …

DSC07428

… e tomamos um espumante rosé feito aqui mesmo (por sinal, bem meia-boca),

DSC07430

Achamos que ainda dava pra comer alguma coisa leve no restaurante Guido a La Costigliole.

DSC07432

Escolhemos um excelente barbaresco pra beber e as coisas começaram a sair um pouco do controle. 🙂

DSC07436

Eu e o Eymard, escolhemos um excelente vitelo tonato como entrada.

DSC07453

A Lourdes foi no prato mais tradicional do restaurante, o Agnolotti al Plin.

DSC07457

A Dé não perdeu o foco e optou por um cardo (uma verdura particular daqui e com gosto de alcachofra) regada a trufas brancas.

DSC07450

Eu e o Eymard, não satisfeitos (por incrível que pareça) ainda pedimos os principais.

DSC07435

Ele foi de gnocchi com creme de abóbora …

DSC07456

…  e eu, de risotto ao frutos do mar (no ponto e excelente).

DSC07454

Pedimos os cafés (passamos convenientemente as sobremesas) e é claro que os piccolos os acompanharam.

DSC07460

Pronto! Estava terminada a noite de um dia que podemos considerar perfeito.

DSC07397

Espero, sinceramente, que amanhã também seja!

DSC07441

Arrivederci.

Veja o primeiro dia desta viagem:
dia uno – Chegando e reconhecendo o Piemonte.

 

.

 

 


É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se a 639 outros seguidores

Comentários

Blog Stats

  • 1,343,610 hits
dezembro 2015
S T Q Q S S D
« nov   jan »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Arquivos

Atualizações Twitter