Arquivo para julho \29\-03:00 2020

dcpv – tag fünf – suíça – zurich – lucerna e pink: duas superstars.

29/07/2020 (dançado em 30/07/2019)

Tag Fünf – Suíça – ZuriqueLucerna e Pink: duas superstars.

A programação continuava intensa.

Iríamos logo cedo pra Lucerna, uma das cidades mais charmosas e …

… queridinhas da Suíça.

A tarde, passaríamos no bairro trendy de Zurich, o Zurich West.

E a noitinha, era a vez de vermos o esperado show da Pink.

Vamos por partes:

1 – Lucerna.

Acordamos cedo, …

… tomamos o nosso lauto café da manhã no hotel, …

…  zarpamos pra Lucerna …

… que fica há uma hora de Zurich …

… e é tida por muitos como a cidade queridinha da Suíça.

O dia estava perfeito.

Sol em abundância …

… verde total em todos os lugares e…

… finalmente, chegamos.

Como não tínhamos muito tempo, …

… optamos por conhecer os famosos “lerês”.

Estacionamos a máquina perto do KKL

… o museu cuja construção é maravilhosa e …

… aproveitamos pra iniciar o nosso giro personalizado por lá (passamos no café da filial).

Passeamos pela beira do lago e…

… descobrimos, ali perto, uma tremenda feira livre.

Vimos produtos de origem …

… com muita, mas muita qualidade.

Esta vale o saboroso fotoblog.

Seguimos pela estrela, a Kapellbrücke.

E ela é mesma.

A ponte clássica …

… incrivelmente feita de madeira, …

… com várias pinturas históricas nos vãos da tesoura do telhado …

… e zilhões de asiáticos tirando fotos …

… dos mais incríveis ângulos.

Ah, os brazucas também. 🙂

Ela é mesmo a übermodel de Lucerna.

Sem contar com a parceria …

… da Torre ao seu lado …

… que lhe dá um charme maior ainda.

Continuamos caminhando pela margem do rio …

… passando pela igreja jesuíta …

… e chegamos …

… a outra ponte famosa, a Spreuerbrücke.

Ela não é tão bonita quanto a Kapellbrücke, …

… mas esbanja personalidade.

Também tem pinturas nos vãos das suas tesouras …

… sendo bem mais rústica.

O charme total é dado pela pequena represa …

… que está a seu lado.

A água do rio muda a sua vazão, …

… cria uma velocidade maior …

… que dá mais dramaticidade …

… e cor a todo o conjunto.

Não vamos esquecer que pra cada lado que se olha …

… num dia esplendoroso como esse se consegue imagens espetaculares …

… especialmente, grandes memórias pro resto da sua vida.

Já do outro lado do rio (ê, Drexler) …

… passeamos pelo centro histórico …

… com suas casas, …

… comércios charmosos, …

… muitos com pinturas bonitas …

… em suas paredes externas.

Como o nosso tempo por aqui estava terminando, …

… optamos por passar novamente na feira …

… pra comprar uma das cerejas mais gostosas que já comemos.

E grandes, de Primeiro Mundo!

Ainda deu tempo de passar na Laderach, abastecer o farnelzinho de chocolates e …

… retornar pra Zurich.

Passaríamos no bairro cool da cidade, …

2 – Zurich West.

Chegamos, …

… estacionamos e …

… fomos direto conhecer o Im Viadukt.

Que é uma tremenda ideia.

Um viaduto sob a linha de ferro que estava quase abandonado …

… e a sua estrutura tinha vários arcos.

Alguém pensou em usá-los para lojas, …

… restaurantes e …

… voilá!

Surgiu um lugar muito bacana, …

… onde as pessoas vão comprar coisas em lojas com personalidade …

… e comem muito bem.

Inclusive, lá existe o Markethalle, …

… um supermercado com vários boxes …

… especializados em coisas como vinhos, …

.. queijos, …

… pães, …

.. hortifruti …

… e tudo o que é bom.

Aproveitamos pra comer no restô deles.

E foi ótimo.

A Dé pediu um peixe.

Eu um shnitzel com as fritas muito crocantes e saborosas.

Tomamos duas taças de vinho e …

… enfrentando um clima canicular.

Rumamos pra conhecer outro ícone do bairro, …

… a cult e quase bizarra loja da Freitag.

Ela é toda feita de containers, sim, esses que vemos por aí, …

… só que empilhados uns sobre os outros …

… até chegar ao oitavo andar, onde existe uma torre de observação.

Mas os quatro primeiros andares pertencem à loja …

… que vende bolsas, carteiras e afins, …

… feitas com lonas recicladas de caminhões.

O conceito é muito bacana, …

… mas confesso que ficamos decepcionados com o preço …

… e especialmente, com a qualidade dos produtos.

Fomos embora sem comprar nada …

… e como ficava no caminho, …

… subimos na Prime Tower …

… pra ter uma vista bacana de toda a cidade …

… e tomar flutes de champanhe …

… que não somos de ferro!

Retornamos pro hotel …

… pois tínhamos a terceira coisa importante  pra fazer.

3 – Show da Pink.

Somos fãs da Pink (por influência direta da Re) e …

… foi através deste show que resolvemos vir pra Suíça (já tínhamos visto um outro em Nice).

Compramos ingressos próximos ao palco.

Chegamos ao Letzigrund Stadium …

… bem perto da hora do show de abertura …

… que foi do Vance Joy …

… por sinal, muito bom.

Oh, Saturday Sun.

Os lugares eram mesmo ótimos, …

… apesar de ficarmos de pé o tempo todo, …

… mas conhecer tudo …

… especialmente, ver um  espetáculo tão bacana …

… e tão bem produzido, …

… não tem preço.

Este merece um fotoblog autoexplicativo (e feito com transmissão ao vivo pra Re).

Não esquecendo que ontem vimos a Pink jantando no mesmo restô que estávamos, …

… justamente o mais descontraído do The Dolder.

E ela é mesmo uma grande entertainment.

Voltamos totalmente cansados pro hotel, …

… mas felizes e com a certeza que foi um dia muito, …

… mas muito divertido mesmo.

.

 

 

 

 

dcpv – tag vier – suíça – zurich – furka passs and my name is luz, eduluz e com licença pra jantarmos com a pink!

24/07/2020 (curtido em 29/07/2019)

Tag vier – Suíça – ZurichFurka Pass and my nome is Luz, EduLuz e com licença pra jantarmos com a Pink!

Encontrei a Ultimate Driving quase que por acaso.

Queria fazer um tour diferente na Suíça e não encontrava nada além dos corriqueiros cities tours.

Foi quando cheguei na página da internet deles.

Eles alugam carros esportivos, …

… mas normalmente para pacotes de viagens.

Só que têm um passeio self de um dia só bastante original.

Você aluga o carro, eles te indicam um roteiro …

… com horários e pontos de parada definidos …

… você pega a sua máquina e dirige pelos tapetes suíços.

E este trajeto é muito bem bolado …

… porque você passa por vários lagos, …

… geleiras e encara diversos Pass …

… que são aquelas famosas estradinhas com um monte de curvas fechadas que ficam nos Alpes Suíços.

Enfim, previsão de “good times”.

Iniciamos o dia saboreando …

… o ótimo café da manhã do Dolder.

Fomos de carro até o escritório da Ultimate Driving.

A Aleksandra nos esperava por lá.

É claro que nos perdemos e não chegamos no horário previsto.

Mas deu tudo certo, pegamos a nossa máquina, …

… um belíssimo Jaguar F Type e iniciamos o tour dando uma volta por Zurich.

Tudo bem que no papel, o passeio é descrito na forma ideal.

Só que precisa combinar com os russos, …

… que neste caso são o trânsito e o GPS.

Bom, trânsito não tem jeito porque todas as grandes cidades do mundo tem congestionamentos.

E quando se está num Jaguar FT conversível, tudo é maravilhoso.

Já o GPS oferecido por eles, em tempos de Waze, …

… passa a ser igual a usar mimeógrafo pra fazer cópias. Do you know?

Entramos na auto estrada com a capota abaixada e …

… aí percebemos que é romântico, …

… mas pouco prático, já que não se escuta nada além do barulhão do ar deslocado (e o cabelo ficar todo rebelde e esvoaçante).

Com a capota fechada, fizemos a primeira parada …

… no majestoso Park Hotel Vitznau.

Foi só pra tomar um bom expresso, …

… mas foi o suficiente pra perceber a categoria do lugar.

E aproveitamos pra dar uma boa xeretada em tudo.

As adegas são impressionantes.

Note a sala especial do Chateau d’Yquem (dica da Marcia e do Vianney)…

… que contém maravilhosas e inúmeras garrafas deste néctar.

Sem contar as “botiglias” especiais de ícones reconhecidos.

Curtimos bastante a paisagem e …

… seguimos pro que seria a nossa experiência com os Pass descritos lá em cima.

O primeiro seria o Susten Pass.

Rodamos bastante, …

… curtimos muito o carro (Luz, EduLuz), …

… que é sensacional e …

… quando percebemos, chegamos.

Tudo ótimo, mas o tempo estava tão nublado e …

…  as montanhas com tantas nuvens …

… que acabamos não conseguindo ver nada.

Foi muito engraçado. 🙂

Quando estávamos desanimando, …

… o sol apareceu …

… e o próximo, o Grimsel Pass …

… se descortinou pra nós.

Foi tão espetacular…

… que uma nuvem emoldurou tudo …

… parecendo mais com a toalha …

… da Table Mountain, na Cidade do Cabo.

Como estávamos muito atrasados, …

… resolvemos continuar apreciando a paisagem e …

… aproveitar a potência do bólido (Luz, EduLuz).

Aos trancos e barrancos, …

… conseguimos chegar ao famoso Pass do 007, …

… o Furka e foi uma experiência incrível.

As curvas são bem definidas e …

… as paisagens são estonteantes.

Taí um passeio legal pra fazer com a família.

Continuamos mais um pouco e …

…  chegamos a Andermatt, …

… a cidade onde ficaremos brevemente por uma noite.

Enquanto isso, recalculamos tudo …

… percebendo que chegaríamos em cima da hora pra devolver o carro. Resultado?

Fomos direto e passamos por cima do Lago Zug e do Seerose, um bar bem bacana, já perto de Zurich.

Chegamos no horário, …

… entregamos o carro intacto (ufa) e …

… confirmamos que o povo suíço gosta muito de flores.

Passamos brevemente na sede da FIFA …

… sem correr muitos riscos (sabe como é, né?).

Retornamos pro hotel, porque tínhamos uma reserva no restô de lá e …

… não tínhamos comido nada decente o dia todo.

Chegamos, …

… demos uma olhada no ambiente e …

… quando olhei pra frente, …

… senti que uma brincadeira minha tinha se tornado realidade.

Desde que compramos ingressos especiais pro show da Pink, que acontecerá amanhã, ,…

… que eu venho dizendo pra Dé que ela iria jantar conosco no Dolder.

Sentamos na nossa mesa e quando olhei pro fundo do restô, percebi uma mulher totalmente isolada.

Pensei: caramba, como ela parece com a Pink? E não é que era ela mesmo?

Demos uma abordada de longe e ela gentilmente nos disse boa noite.

Gostamos tanto que aproveitamos pra transformar a noite em estrelada pedindo um Rossj Bass pra beber.

Como principais, a Dé foi de sopa de alcachofras …

… e eu, um tremendo Moules e Frittes.

Tudo muito fresco e saboroso.

Estávamos satisfeitos, …

… corpo e alma, …

… e só nos restava curtir a noite …

…. já que o nosso quarto estava no mesmo nível do lobby.

Night, good night!

Veja o primeiro dia desta estupenda viagem:
Tag ein – Suíça/Liechtenstein – Zurich/Vaduz – Museu de árvore? Adega do Príncipe?
Tag zwei – Liechtenstein/Alemanha/Suíça – Visitando 3 países num dia só e de carro.
Tag drei – Suíça – Zurich/Basel – City tour guiado e museu Vitra Design combinam? Sim e muito.

.

 

 

dcpv – tag drei – suiça – zurich/basel – city tour guiado e museu vitra design combinam? sim e muito.

19/07/2020 (muito bem vivido em 28/07/2019)

Tag drei – Suiça – Zurich/Basel – City tour guiado e museu Vitra design combinam? Sim é muito.

A meteorologia previu que choveria muito.

E que até faria um friozinho.

Não ligamos muito, tanto que faríamos atividades externas (afinal de contas, eles erram pacas).

Pra não esquentar muito a cabeça, fomos tomar o nosso café da manhã …

… no hotel e …

… tranquilamente.

Por sinal, um excelente café da manhã.

Encontramos com a Ana, do blog Pelo Mundo no saguão do hotel.

Ela é uma brasileira que mora em Zurich e faríamos um passeio guiado juntos …

… pelas principais atrações da cidade.

A previsão do tempo, infelizmente, estava correta.

Chovia muito, mas muito mesmo.

Mas como todos só tínhamos esta manhã para fazer o passeio, …

… lá fomos nós.

Iniciamos de forma inusitada pegando um bondinho pra descer pra cidade.

Complementamos com um tram pra chegarmos até a Estação Central.

Que por sinal é muito bonita.

Além de ter uma obra da Niki de Saint Phalle, …

… o anjo, que combina muito bem …

… com este espaço tão bonito.

Continuamos pela Banhofstrasse que é …

… a principal rua comercial da cidade.

E é muito interessante pois inicia com um comércio quase que popular, …

… pros padrões suíços …

… e termina no lago de Zurich …

… com lojas da mais alta grife.

Mais suíço, impossível.

A chuva continuava, mas adicionado o fato de ser domingo e …

… todos os comércios estarem fechados, …

… adoramos o fato de ter a cidade só pra nós.

E a Ana acrescentou muito ao tour, …

… já que por morar há muito tempo por aqui, …

… nos contou varias particularidades do cotidiano zuriquiano.

Visitamos todos os pontos turísticos famosos, …

… tais como Augustinegarsse, …

… Grossmunster, …

… Ópera, …

… Niederofstrasse e …

… outros menos votados.

Segue o necessário fotoblog:

Ainda tomamos um chocolate quente …

… porque a situação merecia (brrrrrrrrr).

Note que a chuva adicionou muito mais dramaticidade a tudo.

Finalizamos próximo das 12:00 hs e …

… aconselhamos fortemente fazer este passeio, …

… pois além de te posicionar sobre as atrações da cidade, …

… as informações que a Ana passou foram muito pertinentes e …

… deram um belo “up” na nossa viagem.

Nos despedimos, …

… pegamos o trenzinho de volta pro hotel e …

… zarpamos rapidamente pra Basel.

Ela fica perto de Zurich e …

… aproveitamos pra conhecer o Vitra , …

… um extraordinário museu de design.

Se bem que, na verdade, ele fica em  Weil am Rheim, na Alemanha.

Atravessamos tranquilamente a fronteira e …

… chegamos ao espaço por volta das 14:30.

Tínhamos uma hora antes do tour guiado e …

… tentamos almoçar no restô do museu.

Só tentamos, porque estava muito cheio e …

… como o serviço é lento (somos só nós que achamos os alemães meio estranhos?), …

… só deu tempo de tomar uma água …

… trocarmos os nossos vouchers por tickets (é melhor reservar pela internet) e …

… já sair correndo pro prédio principal do museu …

… que foi projetado por, …

… nada mais, nada menos, …

… que o grande queridinho Frank Gehry

A sua assinatura está marcada no formato arredondado …

… da construção.

Antes de mais nada, a Vitra …

… é uma marca suíça famosa de móveis e …

… após um incêndio que destruiu quase tudo em 1981, …

… decidiu contatar grandes arquitetos pra projetar …

… desde edifícios usados para a fabricação dos seus produtos, …

… como ícones da arquitetura para suas mostras.

Enfim, uma sacada genial.

Assim como geniais são as obras, …

… literalmente de arte, …

… que vimos lá.

Zaha Hadid projetou a curva …

… e famosa …

… Estação do Corpo de Bombeiros.

Temos obras do Renzo Piano, …

… do Tadao Ando, …

… por sinal, um prédio muito nipônico e …

… com a óbvia cultura oriental …

… impregnadas nele.

O tour foi guiado por um tiozinho alemão muito comunicativo.

Depois de tudo isso, faltava a cereja do bolo.

VitraHaus, que é como um tipo de CasaCor upgradeada, …

… só que com a exposição de vários ambientes decorados com móveis da Vitra e é uma construção embasbacadora.

Imagine você ver 12 casinhas teoricamente simples, daquelas que desenhamos quando crianças, …

… 4 paredes e um telhadinho com duas águas interpostas uma à outra, …

… só que em várias direções e formando um conjunto tão harmônico …

… que geram em você uma sensação de felicidade e estupefação?

Pois foi o que a dupla Herzog & de Meuron bolou.

E certamente passou pra posteridade, porque se a parte externa já te surpreende ao máximo, …

… a interna consegue fazê-lo ainda mais.

Verifique tudo isso no fotoblog que poderíamos chamar de encantador.

Ficamos babando na VitraHaus até as 18:00, horário de fechamento do Vitra Museum e …

… aproveitamos a proximidade para conhecer um pouco de Basel.

A chuva tinha dado uma amainada e …

… fomos direto pra downtown.

Como tudo estava maios uma vez bem vazio, foi tranquilo demais.

Estacionamos perto do Markethalle, …

… passamos pelo colorido e …

…  meio obscuro Parlamento, …

… coisa que se repete em todo lugar do mundo,…

… passeamos bastante pela cidade …

… que é muito bonita, …

… até chegar na catedral, a Basel Munster, …

… que está sendo recuperada …

… e vendo vistas do Rio Reno …

… com muita dramaticidade.

Ufa, estávamos cansados, andamos mais de 20000 passos e …

… decidimos retornar pro estacionamento.

Ainda tentamos ver a fonte Jean Tinguelay, …

… mas fizeram uma arena temporária de vôlei de praia em cima dela e …

… acabamos deixando pra ver esta atração para uma próxima vez.

Chegamos no hotel e como a chuva continuava, …

… optamos por comer no restô mais moderninho do Dolder.

O Saltz é bem diferente e tem uma decoração bem modernosa mesmo.

Pedimos uma burrata de entrada pra dividir, …

… tomamos meia garrafa dum Chassellas.

A Dé escolheu um exótico ceviche vegetariano, ou seja, sem peixe e muito bem temperado.

Eu, fui de vieras acompanhadas dum risoto acquarello e aspargos. Ambos perfeitos.

Como o dia todo foi bastante chuvoso, coisa que esperávamos na Suíça, …

… só nos restou dormir ouvindo aquele barulhinho gostoso dos pingos.

Bis Morgan!

Veja o primeiro dia desta estupenda viagem:
Tag ein – Suíça/Liechtenstein – Zurich/Vaduz – Museu de árvore? Adega do Príncipe?
Tag zwei – Liechtenstein/Alemanha/Suíça – Visitando 3 países num dia só e de carro.

.

 

dcpv – tag zwei – liechtenstein/alemanha/suíça – visitando 3 países num dia só e de carro.

14/07/2020 (vivido em 27/07/2019)

Tag Zwei – Liechtenstein/Alemanha/SuíçaVisitando 3 países num dia só e de carro.

O dia seria totalmente inusitado.

Pois não é sempre que se consegue passar por 3 países num dia só, …

… ainda mais de carro.

Então, comecemos pelo início.

Dormimos num dos menores países do mundo, …

… o glorioso Liechtenstein e …

… junto ao palácio do príncipe, o famoso Hans-Adam II (a majestade que nos multou e que fica nos olhando lá de cima!).

Tomamos um lauto café da manhã …

… por lá e …

… picamos a mula.

Foi-se o país número 1.

Rumamos com destino a Appenzell.

A cidade fica na parte tida …

… como a mais rural da Suíça.

Sabe aquelas imagens de montanhas que parecem campos de golfe (sem os buracos) …

… com vaquinhas bonitinhas pastando e …

… que dão a impressão que vão sair dançando e cantando? 🙂

Pois era isso mesmo (estas estavam no intervalo)!

No caminho todo.

Chegamos na cidade e …

… nos deparamos …

… com um ambiente agradável …

… com lojinhas bacanas, …

… construções antigas e …

… charmosas, …

… além da limpeza e arrumação que não vemos facilmente por aí.

Demos uma boa volta e partimos para São Galo.

Na verdade é St Gallen, …

… nome muito mais charmoso.

Estacionamos perto da Roletplatz, …

… uma praça que foi toda revstida em plástico emborrachado e em vermelho.

Piso, …

… bancos, …

… adornos …

… e até carros …

… são vermelhos.

Até as ruas no entorno.

Fomos passear no centro e …

… percebemos a beleza do lugar.

Casas antigas e muito bem conservadas …

… com suas janelas (bay windows) envidraçadas e muito curiosas.

As placas que existem na maioria delas também são muito interessantes.

Andamos bastante, …

… curtimos muito e …

… até uma camisa do time de futebol de lá eu comprei, já que ele é o mais antigo da Europa.

E fomos nós em busca do país número 3, …

… já que o 2 foi, óbvio, a Suíça.

Cruzamos a fronteira com a Alemanha muito preocupados, já que não havia nenhum guarda por lá. Hahaha

O nosso destino seria Konstanz, conhecida como Constança no nosso querido idioma.

E o caos se instalou já que cidade é bem grande e estava lotada (era um domingo).

Só tivemos tempo de dar uma olhada por cima e …

… retornar pra curtir a bucólica Suíça.

E numa forma bem sublime …

… chamada Stein am Rhein.

Que cidadezinha bacana.

Fica à beira do Rio Reno e do lago Constança e …

… é charmosa ao extremo.

Desde o seu portão de entrada …

… até o centrinho …

… pequenino e matador …

… com casas que são pintadas como obras de arte.

Modernizando a coisa, …

… elas parecem tatuagens que foram feitas nas suas paredes e …

… que devido ao cuidado com que são tratadas, …

… mostram a sua história através dos tempos.

Como bônus, sentamos na beira do rio (sim, Drexler) e …

… decidimos almoçar no centro mesmo …

… comendo coisas bem simples e saborosas.

A Dé escolheu salsicha com queijo e salada (estamos próximos da Alemanha).

Eu, um croque Monsieur perfeito (dá-lhe França).

E tomamos Aperol Spritz pra acrescentar a Itália no papo.

Pode colocar aí: encontramos a definição de felicidade.

É claro que atrasamos o que tínhamos programado, …

… mas considerei tudo isso muito mais um ganho!

E aí, só sobrou um tempinho pra tentarmos ver a Rhein Fall

… uma cachoeira bacanérrima e …

… que foi vista num relance (certamente retornaremos).

Zarpamos pra Zurich, pois iríamos fazer o checkin no The Dolder.

E foi em grande estilo.

hotel fica fora da cidade e tem uma vista matadora dos seus quartos.

O nosso poderíamos chamar de The Killers.

Que espetáculo!

hotel todo é um charme só.

Quarto mais do que espaçoso onde você dorme tendo a vista do lago Lucerna e …

… a banheira é de superstar (Brandon Flowers? Pink?).

Aproveitamos que estávamos pregados e transferimos o passeio de hoje …

… que seria pra Zurich West pra tarde de terça.

E ficamos no hotel só aproveitando da vista …

… além de curtir o brinquedinho novo.

E o jantar?

O negócio estava tão descontraído que preferimos beber e comer no bar do hotel.

Tudo bem que a chuva nos ajudou a tomar esta decisão,…

… mas afinal de contas, …

… chuva e mau tempo fazem parte do pacote Suíça, né?

Fomos bem convencionais.

Tomamos duas belas taças dum Pinot Noir Gevrey Chambertin, …

… um wrap vegano de falafel pra Dé …

… e um belíssimo burguer daquela carne daquelas belas vaquinhas dançantes com queijo veramente suíço e bacon de porquinho suíço sapateador.

Espetacular!

A grande particularidade é que não tínhamos nem que pegar o elevador pra dormir o soninho dos justos, …

… contando as próprias vaquinhas, agora sapateadoras.

Bis bald.

Veja o primeiro dia desta estupenda viagem:
Tag ein – Suíça/Liechtenstein – Zurich/Vaduz – Museu de árvore? Adega do Príncipe?

.

 

dcpv – tag ein – suíça/liechtenstein – zurich/vaduz – museu de árvore? adega do príncipe?

08/07/2020 (vivido em 26/07/19)

Tag ein – Suíça/Liechtenstein – Zurich/VaduzMuseu de árvore? Adega do Príncipe?

Esta viagem começou de uma maneira muito inusitada.

A Suíça estava na nossa wish list, mas num lugarzinho um tanto quanto distante do topo.

Como queríamos viajar entre julho e setembro/19 de qualquer maneira (tínhamos que cumprir a meta! Hahaha) o negócio foi antecipar.

Aí o nosso guru, o Marcello Britto, apareceu com uma promoção da Swiss e passamos a considerar conhecer a Suíça no verão.

Grandes paisagens, …

… lagos lindíssimos …

… com especialmente, um monte de coisas inusitadas e …

… de primeiríssimo mundo.

Ah e contrariando a maioria das opiniões, de carro.

O horário do voo é muito bom.

Sai de tardezinha e chega pela manhã em Zurich.

Foi um voo tranquilo, a comida era muito boa e …

… foi só pegar o carro alugado e partir pra Liechtenstein (???).

Liech o que?

É, inventei esta porque dei uma pesquisada, vi que era muito próximo e …

… ele é um dos menores países do mundo (o som ambiente do trem do aeroporto são mugidos de vaca. Cool!).

Antes de chegar no hotel, …

… passamos em Rapperswil-Jona, a denominada cidade das rosas.

E descobri que lá tem um jardim sensorial, feito especialmente para deficientes visuais.

Ele é mesmo surpreendente e encantador, …

… todo florido e com placas indicativas em braille.

A ideia toda é concentrar cheiros e …

… assim passar uma sensação diferente pra os que não enxergam.

É claro que aproveitamos deste fator, …

… porque além do visual, a integração com os odores é muito agradável.

Aproveitamos também pra dar uma volta pela belíssima …

… área central …

… com ruas charmosas …

… uma catedral maravilhosa e …

… especialmente, vistas apoteóticas do lago.

Continuamos rumo a Liechs?, …

… mas ainda paramos mais uma vez.

E num museu de árvores, o Enea Tree.

O arquiteto Enzo Enea, um paisagista suíço famoso e …

… adorador de árvores …

… juntou a sua paixão por elas, …

… por obras de arte, …

… tudo num terreno maravilhoso.

É quase um mini Inhotim …

… bem chique e ajardinado!

Começa que a loja …

… é imensa e …

… contém móveis …

… projetados por ele …

… formando um ambiente super agradável.

Aí é só curtir tudo, …

… comprar a entrada pro museu e …

… fazer um passeio espetacular, …

… apesar do sol canicular.

Segue o óbvio fotoblog do lugar.

Como estávamos perto do hotel em Liechten??? …

… fomos pra lá …

… curtindo o visual que a Suíça e …

… região te permitem ter.

Quando percebemos, estávamos em Liechtenst???

E, pra variar, o mini país é um espetáculo.

Muito verde, …

… muitos uvas, …

… muito charme.

Park Hotel Sonnenhof, que pertence a rede R&C, …

… também é uma belezura.

Quartos espaçosos e …

… uma vista matadora, …

… inclusive pro castelo do Príncipe.

Sim, Liechtenstein tem um Príncipe que governa o país com mão de ferro e …

…  faz dele um dos mais ricos do mundo (negócios “escusos” a parte).

Acho até que ele estava olhando a gente de binóculos. Hahaha

Zunimos, de carro mesmo, pro centro da cidade …

… pois queríamos carimbar os nossos passaportes.

Por 3€ cada, você faz isso e é um ótimo souvenir.

Tudo bem que tomei uma multa de trânsito de 200€ (pagos em cash), mas pelo menos temos uma boa história pra contar (e o preço do carimbo subiu um pouquinho).

De lá fomos conhecer a vinícola do Príncipe, a Hofkellerei.

Também fica próxima do centro de Vaduz, a capital, e …

… o lugar é super simpático …

… com uma vista muito legal do Castelo (olha lá ele de binóculos de novo!).

Optamos por fazer uma degustação …

… de 4 vinhos produzidos por sua majestade.

Todos muito bons, com exceção do branco feito de Pinot Noir (é, acho que ele é inventor também), porque era bem sem graça.

Compramos os outros e voltamos pro centro, …

… agora com tranquilidade e sem stress (e sem multa).