Arquivo para março \27\-03:00 2021

dcpv – dia dodicesimo – itália – milão – seguindo os passos do leozinho, o da vinci.

27/03/2021 (vivido em 21/11/2019)

Dia dodicesimo – Itália – MilãoSeguindo os passos do Leozinho, o da Vinci.

Hoje é um dos dias mais importantes do mundo.

E em sendo, optamos por curtir uma das nossas cidades preferidas do melhor jeito: …

… culturalmente.

Já disse isso, mas não custa repetir.

Na contramão da maioria dos turistas, especialmente brazucas, adoramos Milão.

Ela sempre será, para nós, uma São Paulo que deu certo.

Ela tem um jeitão sisudo? Tem

Ela gosta muito de moda e aparências? Sim

Ela é bonita? Muito.

Tem museus bacanas? Demais. Cqd.

Então, tomamos o nosso lautíssimo café da manhã no hotel e …

… fomos conhecer o Orto Botanico di Brera

… que fica bem ao lado do hotel.

E me permitam dizer que é espetacular.

Claro que tudo depende do jeito de olhar.

Aparentemente ele parece com uma coisa meio avacalhada (que novidade).

Mas não é nada disso.

Pelo contrário, …

… ele é muito didático e …

… interessante …

… já que ele existe pra preservar a flora da região.

Vimos um montão de espécies bacanas, …

… árvores seculares e …

… uma caquizeiro simplesmente sensacional.

Ainda preciso descobrir o significado, …

… já que vimos muitas destas árvores frutíferas carregadas num monte de lugar e …

… não tocadas, …

… mas nos pareceu um costume muito interessante esta tradição.

Saímos de lá, …

… pra passar na Pinacoteca di Brera.

Que lugar maravilhoso e …

… com uma aura incrível.

O objetivo deste museu é …

… preservar arte italiana de alto nível.

E eles conseguem este ato facilmente.

O prédio é incrível.

Curtimos bastante, …

… apesar de não gostarmos muito …

… de ambientes muito antigos e …

… com cara de antigos! Hahaha

Pra dar uma espairecida, tomamos um capuccino …

… na sua bela lanchonete.

De lá partimos pro centro propriamente dito.

Ou seja, a sensacional Galeria Vitorio Emanuelle …

… que já estava com a sua árvore de Natal by Swarovsky sendo montada e …

… o magnífico Duomo, …

… o chamariz central de tudo.

Bem na sua frente, …

… fica o Museo del Novecento.

Ele é um daqueles museus modernosos …

… que ou você ama ou odeia …

… (nem amamos, nem odiamos) …

… com muitas obras que você não entende nada e …

… acho que o autor também não. 🙂

De qualquer forma, …

… nos divertimos muito, …

… mas quando chegamos ao último andar, …

… percebemos realmente qual seria a grande atração do museu.

A vista de lá de cima do Duomo e da Galeria …

… é simplesmente imperdível e incrível.

Visto tudo isto e …

… como estávamos na hora do almoço, …

… atravessamos a piazza e …

… fomos tomar umas boas flutes na Rinascente como aperitivos.

A intenção seria pizzar e fomos na Piz, …

… uma pizzaria modernosa e ao mesmo tempo tradicional …

… que tem uma cara muito simpática.

Resultado? Almoçamos lá, …

… tomando cerveja e vinho branco acompanhados de duas margheritas inesquecíveis.

Olha, é um belo lugar pra ser visitado.

Saímos, pra variar, correndo …

… porque tínhamos uma visita marcada pra ver aquela maravilha, …

… a Última Ceia do grande Leozinho, no Cenacolo Vinciano.

E não é que a coisa toda não deu certo?

Seguimos o bendito Google Maps e quando fomos perceber estávamos muito longe do Cenacolo Vinciano.

Não precisa nem dizer que perdemos o horário.
Paciência, nem sempre as coisas acontecem do jeito que planejamos. 🙂

Agora, vocês estão pensando que as aventuras acabaram? Na na ni na ná!

Tínhamos mais um tour reservado e tudo a ver com o da Vinci.

You are Leo é um passeio muito curioso.

A ideia toda é você percorrer várias obras do Leonardo e através dum óculos de realidade virtual …

… visualizar como seria aquela paisagem quando da época em que ele vivia.

Assim, …

… começamos pelo Duomo, …

… passamos pelo palácio Real, …

… continuamos pelo Biblioteca Ambrosiana e …

… terminamos adivinhem onde?

No Cenacolo Vinciano.

É ou não é uma verdadeira parábola davinciana?

Uma pena não poder mostrar como é o funcionamento, porque é muito interessante.

Mas posso afirmar que tudo é muito real, …

… com informações históricas incríveis e …

… vistas de se perder o fôlego.

Aproveitamos que ficava no caminho de volta e …

… fomos jantar no nosso ícone particular.

Il Coriandolo é um daqueles restaurantes bem milaneses, …

… mas que tem o poder de nos seduzir com o melhor spaghetti ao vongole verace do mundo.

Sabe o que é um prato perfeito? É ele.

E fica mais perfeito ainda, quando acompanhado dum bianchetto do Gaja, o Rossj Bass que torna tudo perfeitíssimo.

Terminamos esta bela comemoração com um Tiramisu mais que perfeito.

Pra fechar a noite, o melhor garçom do mundo, o Danilo, nos serviu Limoncello às pencas.

Resultado, retornamos rolando pro hotel …

… com a perspectiva de dormir a nossa ultima noite por aqui …

… como anjinhos!

Ah, este dia era muito importante …

… porque foi o meu niver!

Arrivederci!

Veja os outros desta viagem espetacular:
Dia primo – Itália – Milao/Piemonte – Em busca da trufa branca,o fungo perfeita!
Dia secondo – Itália – Piemonte – O verdadeiro giro com Giuseppe.
Dia terzo – Itália – Piemonte – Barolo, a terra dos Barolos.
Dia quarto – Itália – Piemonte – Em busca da trufa perdida. Ou melhor, do tartufo achado.
Dia quinto – Itália – Piemonte – Visitando uma vinícola e uma grapperia piemontesas. Ah, já viu como se abre uma forma de parmigiano?
Dia sexto – Itália – Piemonte – Dá pra comer caracol, ops, escargots?
Dia settimo – Itália – Piemonte – Cerveja piemontesa. Tudo a ver.
Dia ottavo – Itália/Suíca – Piemonte/Lugano – Do primeiro pro primeiríssimo mundo.
Dia nono – Suíça – Lugano – Orta San Giulio, Stresa, Bellinzona: cidades ítalo-suíças ou seriam suíço-italianas?
Dia decimo – Suíça/Itália – Lugano – Onde, quando, como? Sim, o lago.
Dia undicesimo – Suíça/Itália – Lugano/Milão – Cidades maravilhosas com ugares tanto quanto (LAC, Parco Ciani, La Rinascente, Starbucks Reserv 

.

 

dcpv – dia undicesimo – suíça/itália – lugano/milão – cidades maravilhosas com lugares tanto quanto (lac, parco ciani, la rinascente, starbucks reserve).

20/03/2021 (vivido em 20/11/2019)

Dia undicesimo – Suíça/ Italia – Lugano/MilãoCidades maravilhosas com lugares tanto quanto(LAC, Parco Ciani, La Rinascente, Starbucks Reserve).

Vou fazer uma pergunta que nunca formulei.

Dia de troca de hotel é dia perdido? Hahaha

Pois acredito que não.

Iniciamos tudo com um lauto café da manhã com view nublada, …

… mas view no The View.

Depois pegamos o nosso Smart elétrico, ô carrinho bacana e …

… fomos conhecer Lugano pessoalmente.

Sem contar que hoje seria o dia, segundo a previsão, …

… que teríamos sol.

Optamos por parar no estacionamento do LAC por absoluta falta de opções.

Mas a decisão foi correta.

O prédio é bonitérrimo e …

… o entorno dele não fica atrás.

É a junção perfeita do lago Lugano, …

… com árvores em plena autumn fall e …

… muita arte.

Uau!

Deixamos o carro por lá e fomos bater pernas.

Passeamos pelo centro, …

… que é pequeno, …

… mas que tem um urbanismo bonito, …

… muitas lojas bacanas, …

… comércios de alimentos de primeiríssima linha …

… (vejam só: …

… chocolates incríveis, …

… (a Läderach é hours councours) e …

… chegamos à piazza Riforma.

Mais um lugar marcante da cidade.

Neste momento o sol estava a pleno vapor e …

… podíamos ver o resplandecer da natureza e do lago.

Como a expectativa era grande, …

… fomos andando pela borda do lago …

… até chegar ao Parco Ciani.

Ele é um tipo de Ibirapuera upgradeado, …

… quase um Stanley Park.

E toda a natureza de lá estava no auge da sua beleza.

Nada melhor do que deixar as fotos falarem (porque estas falam):

Depois deste banho de adoração, …

… retornamos pro LAC …

… pela borda do lago e …

… em vez de ir pro hotel, …

… pegamos o nosso piccolo Smart e …

… fomos até Morcote.

A cidade, não a mexerica.

Ela fica a uns 20 minutos de Lugano e …

… pra se chegar lá é necessário …

… margear o lago.

Ou seja, é maravilhoso.

E a cidadezinha não fica trás.

É muito graciosa e …

… infelizmente, não tivemos tempo de ficar muito por lá.

Retornamos pro hotel, fizemos o checkout, …

… (certamente retornaremos) e …

… tocamos pra Milão …

… pra curtirmos a última perna da viagem.

20191120_125822

Antes de irmos pro hotel que reservamos, …

20191120_132953

… resolvemos conhecer a Casa Milan, do time de futebol homônimo.

20191120_134641

E foi uma decisão acertada.

20191120_134907

Tudo é muito bacana e bastante rubro-negro pro meu gosto. 🙂

20191120_144521

Como estávamos com fome, optamos por comer uns lanches, …

20191120_135059

… por sinal, ótimos, …

20191120_140529

… no bistrô de lá.

20191120_134857

Depois, fomos conhecer propriamente o museu.

20191120_142328

Que é espetacular.

20191120_142409

Utiliza bastante holografia …

20191120_143028

… pra nos mostrar tudo o o que o Milan foi.

20191120_143604

Porque hoje em dia, o time italiano não mete mais medo em ninguém, …

20191120_142450

… mas no tempo do Berlusconi, o mandão, …

20191120_142514

… os caras ganhavam quase tudo.

20191120_142801

O museu é muito moderno e …

20191120_142858

… a sala de troféus é um dos pontos altos.

Ver a “oreiuda” ao vivo é demais!

Não esqueçamos a importância do Kaká na história mais recente dos milaneses.

Acho que ele não precisará pagar mais nenhuma pizza quando estiver por aqui. 🙂

Finalizamos na excelente lojinha …

… onde acabei comprando alguma coisinha!

E sempre fica a pergunta: …

… porque os times brasileiros (Timão incluso) não conseguem fazer alguma coisa parecida?

Chegamos no Hotel Armani e …

… confirmamos o óbvio: …

… ele também é o máximo.

Quartos imensos, …

… muita mordomia e …

… amenidades de fazer qualquer um chorar.

Demos um gás pra devolver o carro alugado em tempo …

… na Estação Central.

Aliás, a belíssima Estação Central.

Foi só o tempo de curtir um pouco o hotel e …

… irmos até a charmosa região da dupla de ouro, …

… Galleria Vittorio Emanuele/ …

… Duomo, …

… pra dar uma passada na La Rinascente.

Enquanto eu fiquei tomando um Aperol Spritz e …

… a Dé passeava pela loja toda em busca de algum presente pra mim (amanhã seria o meu niver).

Foi bem divertido, …

… fora a possibilidade de estar no mesmo nível do telhado do Duomo.

Lindo!

Dali, andamos mais um pouquinho e …

… fomos, finalmente, …

… conhecer a nossa queridinha de sempre.

Starbucks Reserve Roastery daqui é monumental.

O prédio é histórico (era o antigo Correio) e …

… a parte interna é deslumbrante.

O princípio das outras que conhecemos (Seattle e NY) é o mesmo.

A intenção é ter um lugar amplo, muito moderno, …

… com uma trilha sonora incrível e …

… uma torrefadora de cafés especiais …

… bem na sua frente.

Além disso, tomar uns bons drinks à base de café …

… num bar de cinema e …

… comer algumas coisinhas muito italianas, tais como focaccias e pão com mortadela.

É realmente viciante e certamente retornaremos.

Ufa, agora posso responder à pergunta lá de cima.

Se for um dia como hoje, certamente não é perdido.

E tenho dito!

Veja os outros desta viagem espetacular:
Dia primo – Itália – Milao/Piemonte – Em busca da trufa branca,o fungo perfeita!
Dia secondo – Itália – Piemonte – O verdadeiro giro com Giuseppe.
Dia terzo – Itália – Piemonte – Barolo, a terra dos Barolos.
Dia quarto – Itália – Piemonte – Em busca da trufa perdida. Ou melhor, do tartufo achado.
Dia quinto – Itália – Piemonte – Visitando uma vinícola e uma grapperia piemontesas. Ah, já viu como se abre uma forma de parmigiano?
Dia sexto – Itália – Piemonte – Dá pra comer caracol, ops, escargots?
Dia settimo – Itália – Piemonte – Cerveja piemontesa. Tudo a ver.
Dia ottavo – Itália/Suíca – Piemonte/Lugano – Do primeiro pro primeiríssimo mundo.
Dia nono – Suíça – Lugano – Orta San Giulio, Stresa, Bellinzona: cidades ítalo-suíças ou seriam suíço-italianas?
Dia decimo – Suíça/Itália – Lugano – Onde, quando, como? Sim, o lago.

.

dcpv – dia decimo – suíça/itália – lugano – onde? quando? como? sim, o lago.

13/03/2021 (vivido em 19/11/2019)

Dia decimo – Suíça/Itália – LuganoOnde? Quando? Como? Sim, o lago.

Hoje iríamos fazer o que seria quase que um city tour maluco.

Por que maluco?

Porque a intenção seria ver quais cidadezinhas que gostaríamos mais …

… porque certamente retornaremos com mais tempo e …

… com melhores condições climáticas.

Além do fato de que a maioria dos restôs/hotéis/lojas está fechada pras férias.

Sim, praticamente um reconhecimento de luxo.

Bom, acordamos cedo, …

… demos aquela secada na vista estonteante e úmida do The View, …

… tomamos o resplandecente café da manhã e …

… sebo nas canelas.

A chuva estava inclemente, mas business is business.

A primeira parada seria em Cernobbio.

Seria, porque passamos por ela sem parar. 😄

O famoso hotel Villa d’Este estava fechado.

De lá fomos para Argegno.

Ela tem um cais bacana, …

… uma bela igreja e …

… estava caindo um toró (e não era de ideias).

Já em Lenno, …

… a atração maior é a Villa del Balbianello.

A belíssima vila era uma das poucas abertas, …

… mas se tem que caminhar pelo menos uns 20 minutos até chegar nela.

Deixamos pra quando voltarmos. Hahaha

Em Tremezzo tem a Villa Carlotta.

Lindíssima e aberta também.

E ela é um Jardim Botânico.

Demos uma boa olhada, mas sem chances de passear num local aberto com o tempo reinante.

Perto dali, ficava o ferry.

E ele é necessário pra se passar pro encontro do Y invertido.

O lago de Como é mesmo como que um Y invertido.

Tremezzo fica no meio de uma das laterais e …

… a icônica Bellaggio, bem no ponto de encontro do Y.

Éramos só nós no traghetto …

… ou seja, com uma paisagem maravilhosa quase que exclusiva …

… que mesmo com a presença da chuva …

… se mostrou mágica.

Foram 10 minutos de puro prazer.

Tudo incrivelmente belo.

Chegamos em Bellaggio e …

… fomos direto pros Jardins da Villa Melzi.

Esta eu sabia que estaria fechada …

… mas mesmo assim, foi possível dar uma “filada” …

… através do portão e …

… perceber como o lugar todo é tão bonito.

Retornamos pro centro e …

… tivemos uma experiência praticamente transcendental.

Acreditam que a ZTL, …

… a famigerada zona de tráfego limitado italiana, …

… estava desativada?

Ou seja, demos uma tremenda volta de carro por todo o centro e em lugares normalmente proibidos.

Foi sensacional e zero de multas. 🙂

Mesmo com a chuva não parando, …

… optamos por dar uma volta pelo centro e …

… percebemos o óbvio.

Bellaggio é espetacular.

Toda cheia de cantinhos cinematográficos, …

… com vistas das escadas, …

… do lago e …

… pra onde se olha, …

… se vê coisa bonita.

Foi deste jeito que descobrimos o bar a vin bstyle …

… que fica bem no meio dum lance de escadas. Oh!

O lugar é o que podemos chamar de trendíssimo, …

… com aquele charme italiano e …

… totalmente diferente.

Toda a decoração é feita com roupas transadas e …

… o cuidado com todos os detalhes é incrível.

Pedimos algo reconfortante que era exatamente o que a situação solicitava.

Uma boa tábua de frios, …

… duas taças de bons tintos italianos e …

… muita conversa das boas.

Ficamos um bom tempo curtindo tudo e …

… resolvemos ir pra Varenna.

Que fica exatamente na parte oposta de Bellaggio.

Mais um ferry, …

… mais um passeio solitário na chuva, …

… mais vistas sensacionais e …

… mais uma rápida volta pelo centro.

Varenna não é Bellagio, …

… mas dá as suas cacetadas. Hahaha

Tentamos passar em Lecce, …

… mas a chovia a cântaros.

Seguimos pra Como, a cidade e …

… conseguimos ver alguma coisa.

Pelo menos o suficiente pra deixá-la na lista da nossa próxima incursão pela região.

Retornamos até que cedo pro hotel.

E foi muita sorte, …

… pois o tempo não melhorou muito, …

… mas nos proporcionou visões incríveis …

… da tal view, …

… do merecidamente denominado The View.

E pra dar uma acabada legal no dia, …

… pegamos um dos Smarts elétricos do hotel (viciamos) e …

… fomos passear por Lugano.

Deu pra perceber que a cidade é muito bonita …

… com lojas muito legais, …

… museus bacanas e …

… melhor, com uma filial da Läderach que faz o melhor chocolate branco crocante do mundo!

Ah, também tem alguns congestionamentos, mas quem se importa? 😀😀

Ufa, era hora de jantar.

E resolvemos comer no restaurante estrelado do The View.

Chegamos no horário e fomos recebidos por um tartar de peixe incrível.

Escolhemos dividir um polvo crocante que estava maravilhoso como entrada.

O bianchetto era do Marche e do grande Antinori.

Casou muito bem com os plins de abóbora da Dé e …

… um al dente (obrigado!) risoto com camarão pra mim.

Tudo muito bom, especialmente a sobremesa de cacau, chocolate branco, pistache e crocante de nozes.

Só nos restou pensar em como será ótimo retornar pra esta região, …

… pra este hotel, …

… visitar com muito mais calma Orta San Giulio, …

… Bellagio e quetais.

É, la vita é mesmo molto bella!

Arrivederci.

Veja os outros desta viagem glutona:
Dia primo – Itália – Milao/Piemonte – Em busca da trufa branca,o fungo perfeita!
Dia secondo – Itália – Piemonte – O verdadeiro giro com Giuseppe.
Dia terzo – Itália – Piemonte – Barolo, a terra dos Barolos.
Dia quarto – Itália – Piemonte – Em busca da trufa perdida. Ou melhor, do tartufo achado.
Dia quinto – Itália – Piemonte – Visitando uma vinícola e uma grapperia piemontesas. Ah, já viu como se abre uma forma de parmigiano?
Dia sexto – Itália – Piemonte – Dá pra comer caracol, ops, escargots?
Dia settimo – Itália – Piemonte – Cerveja piemontesa. Tudo a ver.
Dia ottavo – Itália/Suíca – Piemonte/Lugano – Do primeiro pro primeiríssimo mundo.
Dia nono – Suíça – Lugano – Orta San Giulio, Stresa, Bellinzona: cidades ítalo-suíças ou seriam suíço-italianas?

.

 

 

dcpv – dia nono – suíça – lugano – orta san giulio, stresa, bellinzona: cidades ítalo-suíças. ou seriam suíço-italianas?

06/03/2021 (vivido em 18/11/2019)

Dia nono – Suíça – LuganoOrta San Giulio, Stresa, Bellinzona: cidades ítalo-suíças. Ou seriam suíço-italianas?

Hoje seria praticamente o primeiro dia de viagem solo.

Apesar do tour ao Piemonte ter sido ótimo, …

… agora era só eu e a Dé escolhendo o que e quando fazer.

O único problema é que de antemão sabíamos que o tempo estaria bem instável.

O nosso roteiro indicava conhecer muitas cidadezinhas bonitas, …

… seja na Itália, …

… seja na Suíça.

Claro que os nossos cérebros estariam todos embaralhados, …

… pois enquanto as cidades italianas mais pareciam suíças por conta da paisagem, …

… as suíças pareciam italianas pela língua e hábitos de seus habitantes.

O negócio foi começar logo.

O nosso café da manhã no The View

… foi suntuoso.

Suficiente pra nos alimentarmos bem e …

… sairmos pra aventura.

Dirigi bastante …

… por estradas e …

… paisagens fantásticas …

… atravessando a fronteira com a Itália e …

… chegamos em Arona

… que fica no Lago Maggiore.

É uma daquelas cidades beira lago muito bacanas e …

… bem campestres.

De lá, continuei dirigindo e …

… nos divertindo muito …

Passamos pelo famoso hotel Villa Crespi

… até chegarmos em Orta San Giulio.

E o baque foi forte!

Que lugar charmoso e …

… muito impactante.

Chegaria a dizer, surreal.

A cidade toda é misteriosa …

… com cantinhos tão bonitos, …

… mas tão bonitos …

,.. que você fica quase que …

… hipnotizado.

E quando se chega á Piazza Motta, …

… aquele verdadeiro espetáculo, …

… aí tudo melhora mais ainda.

A visão da ilha Lacustre de San Giulio …

… é uma daquelas coisas …

… que você jamais esquecerá …

… em toda a sua vida.

Nem o fato de os barcos que fazem o transporte até ela …

… não estarem funcionando …

… diminuiu a nossa estupefação.

Vai ser bonita assim em outro lugar! Hahaha

Ficamos tão hipnotizados …

… que demos um jeito de ficar um pouco mais por lá.

Resolvemos fazer uma merendinha …

… no único lugar aberto …

… uma daquelas vinotecas típicas e …

… antigas, super antigas.

E tudo foi mágico.

Duas tremendas taças de vinho tinto, …

… uma pizzetta de mozzarella …

… foram suficientes pra alimentar o nosso corpo, …

… porque as nossas almas estavam …

… muito bem alimentadas.

Retornamos para o carro, …

… por um caminho alternativo …

… que nos proporcionou …

… mais algumas visões espetaculares …

… de todo o conjunto …

… cidade + …

… lago + …

… ilha.

A contragosto, saímos de lá, …

… do lago d’Orta, …

… pra retornarmos pro Maggiore.

Stresa era o nosso destino.

E continuamos o nosso devaneio.

O cenário era impressionante …

… ainda mais com o incremento das suas 3 ilhas famosas, as Borromeo: …

… Pescatori, …

… Madre e …

… Bella.

Embasbacados …

… rumamos pra Baveno …

… só pra dar uma bisbilhotada …

… no seu cais bacana.

Indo em direção ao norte …

… surgiu Mergozzo …

… também bonita.

Mais um pouquinho e Pallanza apareceu.

Villa Taranto é uma grande atração de lá …

… pois é o seu Jardim Botânico.

Ele, como a maioria das atrações da região, …

… estava fechado, …

… mas deu pra ter uma bela noção de como tudo funciona.

Cannero também é linda, …

… com as suas casas com tons pastéis e …

… o Castelo Cannero, encravado no meio do mar …

… é simplesmente surpreendente.

Bom o dia estava terminando (nesta  época, por volta das 16:30) e …

… tivemos que fazer uma opção.

Escolhemos dar só uma passada pela dupla de ouro, …

… Ascona-Locarno e …

… zarpamos pra Bellinzona, que fica na Suíça.

Ela é conhecida como a cidade dos castelos.

E eles são lindos.

Subimos bastante até chegar ao Sasso Corbasso.

Ele fica bem no alto da cidade e …

… é muito imponente.

A parte interna aberta à visita estava fechada nesta época …

… mas quase tudo estava aberto externamente.

As vistas da cidade lá de cima …

… são impressionantes.

Descemos um pouco e …

… passeamos pelo Castello Montebello.

Taí mais um exemplar do que é …

… um monumento muito bem preservado e …

… que consegue transpirar história.

É incrível como detalhes da construção estão a tua inteira disposição.

Não demoramos muito porque estava bastante frio e …

… partimos pro terceiro, o Grande.

Tentamos muito, mas não conseguimos chegar perto dele de carro, …

… então o jeito foi descer num supermercado Milos, …

… tomar um café, comer uma pizza a taglio e …

…. aí sim, ter uma visão fantástica dele.

Pronto, já estava muito escuro e …

… o jeito foi retornar pro hotel.

Fomos jantar no restaurante Grotto Figini.

Ele é um lídimo representante da cozinha ticinesa.

Demos uma inovada, pegando emprestado um dos Smarts elétricos do hotel.

E a experiência de dirigí-lo foi fantástica.

Chegamos no restaurante, …

… gostamos do ambiente e …

… fizemos o nosso pedido.

Uma boa salada fresca com atum foi devidamente dividida.

Aí começou o desastre.

A Dé, polentóloga que é, pediu uma com dois tipos de queijos.

E ela veio bem selvática, mais parecendo uma comida de cachorro, sem sabor algum e em quantidade absurda. 🙂

Eu, risotólogo que sou, também dancei numa atravessa imensa com um arroz passado e um pouco de linguiça frita por cima.

Ou seja, como diria o grande GG, uma boooooomba! 🙂

Sobrou o prazer de dirigir o Smart de volta pro hotel e …

… chegar à óbvia conclusão que precisamos retornar brevemente pra esta área da Itália, …

… especialmente Orta San Giulio.

Arrivederci.

Veja os outros desta viagem glutona:
Dia primo – Itália – Milao/Piemonte – Em busca da trufa branca,o fungo perfeita!
Dia secondo – Itália – Piemonte – O verdadeiro giro com Giuseppe.
Dia terzo – Itália – Piemonte – Barolo, a terra dos Barolos.
Dia quarto – Itália – Piemonte – Em busca da trufa perdida. Ou melhor, do tartufo achado.
Dia quinto – Itália – Piemonte – Visitando uma vinícola e uma grapperia piemontesas. Ah, já viu como se abre uma forma de parmigiano?
Dia sexto – Itália – Piemonte – Dá pra comer caracol, ops, escargots?
Dia settimo – Itália – Piemonte – Cerveja piemontesa. Tudo a ver.
Dia ottavo – Itália/Suíca – Piemonte/Lugano – Do primeiro pro primeiríssimo mundo.

.

 

 


É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se aos outros seguidores de 655

Posts recentes

Comentários

Blog Stats

  • 1.467.143 hits
março 2021
S T Q Q S S D
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Arquivos

Atualizações Twitter