Arquivo para julho \31\-03:00 2021

dcpv – eighth day – usa – nyc – misturando história com filmes e cores. já o seu jorge…

31/07/2021 (vivido em 16/01/2020)

Eighth Day – USA – NYCMisturando história com filmes e cores. Já o Seu Jorge…

A intenção hoje seria curtir a Big Apple como uma cidade essencialmente turística.

Ou seja, faríamos passeios culturais e coloridos.

O educativo seria matutino e …

… o multicolorido, vespertino.

Vamos por partes.

Estava sol, mas um frio danado, …

… com aquele vento cortante tão característico de NY.

Por isto mesmo, optamos por tomar o ótimo café da manhã do hotel, …

… pegar um Uber e zarpar pro Battery Park.

Lá encontraríamos o Jayme, …

… um brasileiro que faz tours que relaciona história com cinema e …

… claro, tudo em português.

O tour se chama, obviamente, A Grande Maçã.

Aproveitamos pra mais uma vez, prestigiar brasileiros que trabalham no exterior; …

… fazemos isso sempre que podemos.

Às 9:00 em ponto estávamos no ponto de encontro.

Mais precisamente na frente da saída do Ferry para Statten Island.

O grupo era formado de 8 pessoas ao todo e …

… a primeira atividade era justamente passear de barco, …

… pra ver o belíssimo skyline da cidade de um outro ângulo, …

… bem como chegar o mais próximo possível da Estátua da Liberdade.

Ficamos sabendo de um monte de detalhes históricos e …

… de filmes que foram feitos usando este tour como cenário.

Mais do que vale um minifotoblog.

Retornamos e o frio continuava intenso.

Mas bravamente, resistimos.

Passamos por vários outros lugares históricos, …

… com as mais variadas citações de filmes e …

… fomos subindo em direção ao SoHo.

A primeira parada foi no distrito financeiro.

Claro que todos tiramos a foto clássica segurando nas “bolsas escrotais” do touro …

… após passar por um montão de points lindíssimos.

Note que apesar do frio, …

… o sol continuava brilhando e …

… chegamos ao World Trade Center.

É claro que o Jayme contou toda a história …

… deste trágico acidente …

… com muitas detalhes de bastidores que ignorávamos.

Até vimos a árvore solitária, …

… que tem o simbolismo de ter sido a única a ser salva …

… daquela verdadeira tragédia.

Mais uma vez nos encantamos …

… com o Oculus, …

… maravilhosa estação do metrô …

… projetada pelo gênio Santiago Calatrava …

… com direito a tirar fotos do grande astro da Broadway (brasileira), …

… Daniel Boaventura.

Pegamos o metrô e …

… fomos direto pro SoHo.

O tour continuou , …

… especialmente com locações de Ghost e …

… dos Homem Aranha.

Como bônus , visitamos algumas galerias transadas e …

… super hyppadas.

Também ficamos sabendo sobre …

… como foi a transformação dum lugar degradado …

… prum bairro Trendy e …

… onde temos um montão de lojas de grife, …

… além de ótimos restaurantes.

Quase a mesma coisa que ainda está acontecendo com o Brooklyn.

O tour estava quase terminando e em vez de irmos almoçar …

… em Little Italy como programado, …

… aproveitamos pra retornar um pouco porque tínhamos reservado …

… um passeio colorido e muito interessante.

O descobri quase que sem querer.

Color Factory é o que o nome indica: …

… uma fábrica de cores.

Lá você encontra muitas experiências …

… lúdicas, …

… físicas e que tem como objetivo, …

… usar as cores como meio para executá-las.

Olha foi muito divertido mesmo e …

… o fotoblog é mais do explicativo.

Saímos de lá e ainda aproveitamos …

… pra passar no Brookfield Place só pra tirar uma dúvida.

Achamos, ontem, este shopping lindo visualmente, mas meia boca e …

… continuamos achando. Hahaha

Não tem quase nada comercialmente, …

… a comida também é meia boca e …

… o Le District, …

… o pretenso Eataly francês, …

… também é quase meia boca. 🙂

Valeu pelo por do sol …

… que foi maravilhoso.

Retornamos pro hotel numa friaca danada, …

… mas ainda tínhamos uma compromisso noturno.

No afã de prestigiar brazucas, comprei ingressos pra ver o balanço do Seu Jorge no Town Hall.

A ideia até que era muito boa.

Após vibramos com o star David Byrne ontem, fecharíamos com chave de ouro ouvindo um bom samba rock.

Chegamos no horário e o teatro, velhacão como ele só, agradou.

Sentamos quase que ao lado do Joakin Noah, aquele jogador da NBA e que é bem notável por ser filho do Yannick Noah.

Ficamos surpresos quando foi anunciado um show de jazzchoro (????) antes do principal.

Foi legalzinho, mas um pouco cansativo com todos aqueles firiris firiris, fororós fororós.

Mais um tempinho e começou a exibição do Seu Jorge e foi um … desastre.

Começa que ele colocou um parça dele, o Rogê pra cantar junto e sinceramente, o cara é bem meia boca, com o auxílio da péssima qualidade do som.

Termina que ele estava lançando um disco com o tal Rogê e o show foi um desfilar de músicas melancólicas, paupérrimas e totalmente sem graça.

O samba rock raiz do Seu Jorge foi tocado uma vezinha e só faltou dormirmos nas cadeiras (quer dizer, eu cochilei bastante). 🙂
Acho que em vez de músicas pra churrasco, agora será a vez das pra velório. Hahaha

Ainda deu tempo de voltarmos pro hotel, comer alguma coisa no bar e …

… ver como NY é maluca.

Tinha uma festa de niver à fantasia quase que na rua e todo mundo dançando com um frio danado!

Só em NY, NY!

Goodbye.

Veja os outros dias desta interessante viagem:
First day – USA – Boston – Sem piadinhas, por favor!
Second day – USA – Boston/NYC – Um contraste incrível e uma constatação mais ainda. Incrível mesmo é o The Vessel.
Third day – USA – NYC – A cidade que nunca dorme. E nós também.
Fourth day – USA – Nova York – Varejando, passeando e comendo bem na Big Apple.
Fifth day – USA – NYC – Conhecendo o The Vessel, o vaso chic por dentro.
Sixth day – USA – NYC- Tem NBA, estamos lá!
Seventh day – USA – NY – Mistura bombástica: compras e Psycho Killer.

.

 

dcpv – seventh day – usa – ny – mistura bombástica: compras e psycho killer.

17/07/2021 (vivido em 15/01/2020)

Seventh Day – USA – NYMistura bombástica: compras e Psycho Killer.

Como sempre, o tempo da Big Apple nos surpreendeu.

Após dois dias muito broncolhões …

… (ainda bem que estávamos na NRF), …

… o sol nasceu com galhardia.

Um céu absolutamente azul …

… nos convidou a sair da cama e …

… curtir o que NYC tem de melhor.

Shopping? Sim, mas shopping com experiência.

Foi praticamente este o tema da NRF.

Você precisa oferecer ao seu cliente um enredo tão bacana …

… que mesmo após fazer a sua compra, ele continue encantado.

Então aproveitamos as dicas e fomos atrás de lojas que praticam (ou tentam) isto.

Tomamos um belo café da manhã, …

… no nosso novo queridinho, …

… o Pastis, …

… pegamos um Uber (como eles funcionam bem por aqui) e …

… fomos “SoHar”.

A primeira parada foi na Champion, uma loja de artigos esportivos, …

… que achamos bonitinha, mas normalíssima.

Em seguida, passamos na Em Pty.

O trocadilho do nome é bem bacana e a loja é trendy demais.

Passear pelo SoHo é um grande deleite e …

… ainda conseguimos ver uma filmagem …

… do que parecia ser uma série ou até mesmo um filme.

O aparato era imenso. Coisas de NY.

Andamos mais um pouquinho até chegarmos à Levi’s.

Esta loja é muito legal, …

… tem inclusive uma área para customização.

A próxima foi a Stance, uma das nossas queridinhas e …

… que vende …

… meias.

Sim, meias e as melhores do mundo. 🙂

E já que o assunto eram meias, aproveitamos pra ir na loja dos melhores sapatos do mundo.

São, no mínimo, os mais trends.

Allbirds é especialista em fazê-los muuuuuito confortáveis e de um modo totalmente sustentável.

Logo ao lado, a loja do MoMa extrapola …

… no quesito “que coisa bonitinha” e …

… “como é que eu nunca tive uma destas“?

E aí você as compra!

Visitamos mais uma, a Converse, aquela do All Star e …

… não achamos grande coisa também.

Em seguida, a Showfields, autointitulada a loja mais interessante do mundo …

… mostrou que realmente parece ser.

O espaço todo é bem malucão …

… com um café modernoso e …

… ela é totalmente formada por stands transados e …

… ocupados por empresas novas …

… que  produzem coisas totalmente diferentes dos usuais (isto acima é um teclado).

Ou seja, a loja é mesmo incrível e …

… vale uma visita.

Compramos algumas coisas bem legais na lojinha deles.

Continuamos andando e …

… respirando o ar maravilhoso do SoHo …

… quando resolvemos comer alguma coisa.

Escolhemos o Le Pain Quotidien.

Fomos de quiche de vegetais e …

… uma tartine de muçarela e pesto.

Apelamos pro Uber novamente e …

… fomos praquela maravilha que é o Oculus

… mais conhecida como a estação de metrô …

… do World Trade Center.

Que beleza!

Aquela construção bonita …

… do gênio Santiago Calatrava …

… nos faz pensar …

… no que o homem é capaz de fazer quando está …

… realmente inspirado.

E olha que nem sabia que ela foi idealizada com o principio de representar um olho mesmo e …

… que uma vez por ano, eles abrem o pequeno teto retrátil …

… pra que seja vista a torre da Liberdade e …

… pra que a humanidade nunca se esqueça de 11/09.

Sublime, né?

Ainda demos uma passadinha na região, …

… entramos no Target, …

… só pra comprar algumas coisinhas e …

… dar uma “secada” na programação visual deles …

… que é linda.

Ainda deu tempo …

… de curtir aquele por do sol …

… maravilhoso, …

… fazer um leve happy hour …

… na não menos Starbucks Reserve Roastery …

… com direito a coquetéis especiais à base de café, …

… uma passada no Chelsea Market e …

… nos prepararmos pro acontecimento de hoje a noite.

Iríamos assistir a um show do incrível David Byrne.

Pra quem não sabe, ele foi o criador do Talking Heads e …

… atualmente, está fazendo um show na Broadway, o American Utopia

… só que sendo ele mesmo.

É claro que ele canta algumas músicas antigas, …

… mas o show todo é de uma singeleza e …

… ele tem tanto carisma …

… que fica impossível não gostar do espetáculo.

E os 100 minutos de duração passam muito rapidamente …

… seja pelo showman que o David é, …

… seja pela habilidade dos músicos que compõe a banda (tem um brazuca lá), …

… seja pela atmosfera reinante.

Em suma, quando percebemos, …

… estávamos todos dançando e …

… cantando Burning down the house.

Mais alto astral, impossível.

Só nos restou voltar pro hotel, …

… dar uma derradeira passada na Starbucks Reserve e …

… ir descansar.

Ufa, NY não é fácil, não.

Psycho killer, qu’est-ce que c’est … 

Veja os outros dias desta interessante viagem:
First day – USA – Boston – Sem piadinhas, por favor!
Second day – USA – Boston/NYC – Um contraste incrível e uma constatação mais ainda. Incrível mesmo é o The Vessel.
Third day – USA – NYC – A cidade que nunca dorme. E nós também.
Fourth day – USA – Nova York – Varejando, passeando e comendo bem na Big Apple.
Fifth day – USA – NYC – Conhecendo o The Vessel, o vaso chic por dentro.
Sixth day – USA – NYC- Tem NBA, estamos lá!

 

 

dcpv – sixth day – usa – nyc – tem nba? estamos lá.

14/01/2020

Sixth Day – USA – NYCTem NBA? Estamos lá.

Hoje seria o último dia da NRF (National Retail Federation).

Ou seja, o “trabalho” estaria terminando e …

… começaria verdadeiramente o lazer! Hahaha

Quer dizer, quase …

… pois ainda tínhamos planos de conhecer …

… um montão de lojas bacanas.

Acordamos cedo e …

… fomos tomar um ótimo café da manhã …

… no Pastis.

Sim, o o restaurante de ontem a noite.

De lá, pegamos um Uber e fomos pro Javits Center.

A programação era intensa e …

… a única janela, …

… seria pra almoçar num velho conhecido nosso, …

… o grego e queridinho Estiatorio Milos.

O divertimento é sempre garantido e foi.

Incrível, mas ele estava totalmente lotado.

Pedimos o trivial, …

… pra não atrasarmos pra tarde de encerramento da NRF.

Ceviche de peixe (o nosso mais do queridinho), …

… torre de berinjela e abobrinha fritas (as nossas queridinhas) e …

… uma ótima lula recheada (lula não é o nosso queridinho).

É claro que com o acompanhamento de duas taças dum excelente Chardonnay de Sta Bárbara, além duma Baklava daquelas.

Absolutamente perfeito!

Totalmente reabastecidos, retornamos pro Javits.

Assistimos a umas palestras meia bocas e …

… só ficamos até a última, …

… porque a atração seria uma estrela de Hollywood; Gwyneth Paltrow é o nome da criança.

Ela mostraria como funciona o seu site de relacionamento/comportamento/moda, o Goop.

Foi legal, mas nada de excepcional.

Tentamos pegar um Uber pro hotel, mas a coisa estava dura, …

… porque o frio batia forte (era janeiro) e começou a chover.

Resolvemos ir até o Hudson Yards …

… o que facilitou bastante.

Retornamos pro hotel, …

… demos uma breve descansada e …

… estávamos prontos prum programa que adoramos.

Fomos até o Barclays Center, no Brooklyn, …

… ver um jogo dos Brooklyn Nets.

NBA é sempre certeza de divertimento e prazer.

E foi o que aconteceu.

Brooklyn Nets e Utah Jazz se enfrentaram e …

… a expectativa seria se o grande Kyre Irving jogaria?

Jogou, fez os 30 pontos dele, …

… mas não adiantou nada, porque os Nets tomaram uma bela sova do Jazz.

Tudo bem que ver Kyrie Irving, …

… DeAndre Jordan, …

… Ingles e o gigante francês, o Gobert, …

… bem na sua cara …

… foi mais do que empolgante.

Mas, nesta hora prevaleceu a categoria do time de Utah.

Só nos restou curtir o espetáculo todo e …

… imaginar como seria bom ter tudo isto …

… no nosso querido Brasil.

Imagine ter a disponibilidade de ver espetáculos …

… desta magnitude praticamente a hora em que você quiser?

Bom, por enquanto, vamos curtindo a cada vez que viajamos …

… porque é mesmo imperdível.

Resultado?

O Jazz, que é um time muito mais estruturado, ganhou a partida tranquilamente, …

… mas o Kyre Irving mostrou porque é um cracaço.

Dá pra imaginar quando o Kevin Durant estiver apto …

… como será o desempenho deste time?

Certamente estaremos aqui no Barclay (sem corporativismo) …

… vendo tudo isso.

E o jantar?

Tivemos que apelar e comer o que provavelmente foi uma das piores pizzas ever.

São os ossos do ofício. Hahaha

Bom, amanhã iniciamos o nosso tour particular pelas incríveis lojas do SoHo.

Como diria o grande SS, aguaaardeeeem.

See U.

Veja os outros dias desta interessante viagem:
First day – USA – Boston – Sem piadinhas, por favor!
Second day – USA – Boston/NYC – Um contraste incrível e uma constatação mais ainda. Incrível mesmo é o The Vessel.
Third day – USA – NYC – A cidade que nunca dorme. E nós também.
Fourth day – USA – Nova York – Varejando, passeando e comendo bem na Big Apple.
Fifth day – USA – NYC – Conhecendo o The Vessel, o vaso chic por dentro.

.


É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se a 656 outros seguidores

Comentários

Blog Stats

  • 1.469.239 hits
julho 2021
S T Q Q S S D
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Arquivos

Atualizações Twitter