Archive for the 'confraria' Category

dcpv – decimo giorno – itália – puglia – matera, uma cidade incomparável.

24/06/20250 (viajado em 23/05/2019)

Decimo Giorno – Itália – PugliaMatera, uma cidade incomparável.

Hoje seria dia de realizar mais um sonho.

Faz um tempão que penso em conhecer Matera.

Afinal de contas, é uma cidade única e …

… que certamente habita o imaginário de quase todo mundo.

Pelo menos os que tiveram a oportunidade de ver as suas fotos.

Mas, antes disso, resolvemos dar uma última passada pelo centro de Lecce e …

… ver, a luz do dia, …

… as incríveis ruínas do seu teatro romano.

Saímos do hotel e …

… fomos pra Porto Badisco.

A sua praia é muito bonita, …

… com águas muito cristalinas.

Passamos rapidamente por lá; …

… seguindo pra Manduria.

A intenção seria conhecer a terra do Primitivo.

Seria, porque a semgracice do lugar …

… unida a falta de estacionamento …

… nos fizeram rumar pra Taranto.

Mas antes, …

… conhecemos a vinícola San Marzano …

… onde fizemos um excelente tasting.

Também compramos alguns exemplares de vinhos (até um pro meu niver nós levamos).

Pronto, mais um pouquinho e …

… chegamos à terra da tarantela, a dança.

A cidade é muito curiosa, …

… porque diferente das suas pares puglieses, …

… é um tanto mal cuidada.

Mesmo assim, curtimos muito passear por ela.

Resolvemos almoçar por lá, apesar de estarmos atrasados pro tour em Matera.

E não nos arrependemos.

La Paranza é um restô muito bonito …

… que trata a comida com bastante respeito.

Pedimos um vinho branco da casa pra começar e como estávamos em cima da hora, todos fomos de principais, …

… apesar de um agrado especial do chef que nos foi oferecido, mariscos recheados.

A Dé e a Lourdes pediram peixe com aspargos, …

… o Eymard uma lula incrivelmente bem apresentada e cozida e …

… eu, o esperado macarrone com marisco.

Tudo perfeito, assim como o Tiramisu que comemos numa fração de segundos.

Corremos pro estacionamento e pernas pra que te quero.

É claro que chegamos muuuuuuito atrasados.

Quase uma hora a mais.

Fizemos o checkin e … surpresa.

O nosso quarto era verdadeiramente uma …

… caverna.

Escuro, quente e sem chuveiro! Hahaha

O jeito foi pedir pra trocar, mas como só o veríamos após o tour, …

… ficamos na expectativa.

Enquanto isso, nos unimos ao Nicola (o mesmo de Alberobello) e iniciamos o passeio propriamente dito.

E que passeio!

Confesso que a primeira visão de Matera é inesquecível.

Ver todas aquelas cavernas juntas e que formavam uma cidade habitada é emocionante.

No nosso caso, passamos a tarde toda com tempo ruim e …

… imaginávamos que veríamos esta maravilha tão diferente e toda molhada.

Mas não foi o que aconteceu.

O sol saiu e tivemos todas as condições de admirá-la sobre o por do sol …

… e o anoitecer.

Antes disso, o Nicola nos levou pra conhecer uma casa na caverna.

E foi curioso demais.

Não dá pra imaginar como pessoas podiam viver nestas condições …

… tão precárias e …

… há tão pouco tempo.

Também conhecemos um montão de igrejas, …

… lugares que vendem bons ingredientes, …

… obras de arte de gênios …

… além de vários cantinhos legais.

Mas as estrelas do dia foram …

… o magnífico …

… por do sol materiano …

… e o não menos …

… magnífico …

… crepúsculo.

Incrível, como a incrível e única Matera

… conseguiu ficar mais bonita ainda.

E aí, conhecemos a parte comercial da cidade …

… que também é bastante atraente, …

… interessante e …

… italianíssima da gema.

Olha nóis aí de novo!

Daí pra frente, foi nos despedirmos do Nicola, …

… (ah, ele nos conseguiu farinhas de trigo do tipo Senatori Capelli, the best) e …

…  retornarmos pro nosso, …

… literalmente, novo cafofo.

Mais uma vez, Matera nos surpreendeu.

Desta vez, iluminada (olha o corporativismo).

Pensávamos que seria um pouco tétrico, …

… mas foi teatral e muito mágico.

Retornamos pro hotel, já pensando em como solucionar o dilema do quarto.

Sant’Angelo é o que podemos chamar de um estabelecimento eclético, porque tem quartos/cavernas de vários formatos.

No nosso caso e como o hotel estava lotado, …

… nos foi oferecido um outro buraco (quarto? caverna?) bem parecido, mas com chuveiro no lugar da banheira única.

Até gostamos do que vimos e fomos jantar no próprio hotel.

E foi uma grande refeição.

Tomamos dois vinhos da Basilicata (Matera fica fisicamente nesta região italiana), um biancheto e …

… um rosso.

Pedimos duas entradas, uma de frios e queijos e …

… um polvo, feito com precisão.

Certamente, o melhor de toda a viagem.

Como principais, a Lourdes e a Débora comeram Strozzapetti com linguiça e um molho de tomate bastante apurado.

Já o Eymard e eu, fomos no famoso Spaghetti com Cozze, ou seja, mariscos.
Olha, preciso realmente aprender a fazer massa neste ponto, essencialmente al dente.

Nem queríamos sobremesas, mas o chef nos ofereceu docinhos que estavam sensacionais.

Ainda bem que a nossa batcaverna era bem próxima.

Foi só andar um pouco, curtir a iluminação da cidade e dormir o sono dos que caminharam muito em Matera.

Este foi um sonho realmente realizado.

Arrivederci.

Acompanhe os outros dias desta maravilhosa viagem:
Primo giorno – Itália – Puglia – Um sonho.
Secondo giorno – Itália – Puglia – Fasano – Você sabe como se faz burrata? Já foi na Grotte di Castelana?
Terzo giorno – Itália – Puglia -Piacere, io sono polignano a mare!
Quarto giorno – Itália – Puglia – Locorotondo e Cisternino, que nomes bonitos de bonitas cidades.
Quinto giorno – Itália – Puglia – Ostun, o branco total radiante!
Sesto giorno – Itália – Puglia – Trullando por Alberobello e grottando pela Palazzese.
Settimo giorno – Itália – Puglia – É Lecce condensado!
Ottavo giorno – Itália – Puglia – M.A.M.A. Io sono tanto felice!
Nono giorno – Itália – Puglia – Enfim conhecemos o mar Jonico.

 

 

dcpv – ottavo giorno – itália – puglia – m.a.m.a., io sono tanto felice!

17/06/2020 (viajado em 21/05/2019)

Ottavo Giorno – Itália – PugliaM.A.M.A., Io sono tanto felice!

Hoje o dia seria cheio.

Daríamos uma boa volta pela região do salto da Bota, quase perto da sola.

Ou seja, a Puglia seria desvendada pelas suas praias do Adriático.

Iniciamos tudo com um ótimo …

… e belíssimo café da manhã no Palazzo Bozzi Corso, …

… o nosso hotel, em Lecce.

Em seguida, zarpamos em direção ao sul.

A primeira parada foi em Porto Miggiano.

Só a parada lá já daria uma visão do que seria o nosso dia.

Ainda compramos morangos e cerejas dum senhor italiano muito simpático e comunicativo (que novidade!).

Continuamos para Santa Cesárea Terme.

É uma cidade até que desenvolvida e …

… com um jeitão daquelas termas que conhecemos aí no Brazuca (sabe Águas de Lindoia?).

Paramos tantas vezes, …

… pra nos maravilharmos com tantas paisagens bacanas, …

… ouvimos tantas músicas do Pavarotti …

… que atrasamos pro nosso tour em Otranto.

Mas conseguimos chegar, …

… apesar da dificuldade de encontrar um lugar pra estacionar, …

… pudemos aproveitar da beleza …

… e da cultura que esta cidade emana.

O nosso guia, o Stefano, é uma figuraça e …

… muito comunicativo, …

… como a maioria dos italianos.

Ele desvendou um montão de segredos e mistérios que Otranto apresenta.

Como por exemplo, toda a sua miscigenação …

… com a invasão de vários povos, …

… especialmente os turcos …

… que são “ligeiramente” odiados por aqui.

Inclusive, o famoso episódio dos 800 decapitados …

… nos foi mostrado …

… com a apresentação das ossadas das vítimas …

… em quadros na catedral.

Enfim, foi um tour muito descontraído …

… com a performance incrível do nosso guia.

Não esquecendo que Otranto é …

… simplesmente maravilhosa.

Duas horas passaram muito rapidamente e …

… quando percebemos, íamos almoçar.

Tinha reservado (reserve sempre que possível) o restô LaltroBaffo.

Ele é tido como um dos melhores da Puglia e que tem um certo toque de modernidade (na medida do possível).

E aprovamos.

Pedimos três entradas, um bacalhau, …

… mariscos e …

… polvo (sempre ele!).

Todas maravilhosas.

Como principal, um prato único.

Peixe na brasa …

… com legumes e …

… uma ótima salada.

Mais mediterrâneo, impossível.

Tomamos um bianchetto da região e nos esbaldamos nas sobremesas.

Uma musse estilizada e um ótimo bolo de amêndoas complementaram o que classificamos como uma excelente refeição.

Retornamos pro carro, …

… porque ainda tínhamos que ver um montão de coisas.

E aproveitamos a proximidade pra conhecer o Lago de Bauxita.

É realmente um lago e que tem bauxita! Hahaha

Bonito de se ver, mas nada muito excepcional.

Continuamos retornando e passamos na Baia dei … Turchi!

Linda, apesar do seu nome. 🙂

Tentamos ver as Due Sorelle, mas conseguimos só de longe.

E a Torre dell’Orso …

… que é um lugar lindíssimo.

Mais um pouquinho e chegamos na esperada Grotta della Poesia.

Ela é uma piscina natural famosa …

… pois a formação fica pertíssimo do mar e …

… é onde muitos malucos italianos saltam da sua borda.

Vimos alguns não tão italianos assim!

Confesso que achava que ela era muito mais bonita (expectativa é fogo), …

… mas mesmo assim, ela impressiona.

Estávamos cansados, …

… optamos por voltar pra Lecce e …

… dar uma nova turistada no seu interessante Centro Histórico.

Tomamos um café gelado (uma das especialidades da região), …

… comemos uns docinhos, …

… compramos várias coisas e …

… nos maravilhamos com o Duomo visto com a luz diurna.

Vocês pensam que acabou?

Nananinaná!

Tínhamos reservado um jantar particular no M.A.M.A.

Calma que esta mama não é nenhuma trattoria …

… e sim, o Museu de Arte Moderna de Lecce …

… que pertence aos donos dos hotéis Palazzo Bozzi Corso (o nosso) e do La Fiermontina.

Iniciamos conhecendo a história dos precursores do local, …

… visitando alguns quartos do nosso hotel, entre eles o azul …

… e o dedicado aos Beatles já que a mãe dos atuais proprietários foi amiga íntima da Yoko Ono.

Continuamos conhecendo o outro hotel deles, …

… o La Fiermontina e …

… terminamos com o tour no M.A.M.A. (que belo nome!).

Imagine um palácio transformado em museu com obras de arte dos ex-maridos da proprietária que também era artista …

… com um tom dramático na iluminação …

… e com uma trilha sonora de arrepiar?

Pois foi exatamente o que aconteceu (o museu estava aberta somente pra nós quatro).

Os nossos anfitriões eram simplesmente espetaculares e …

… o regabofes, o jantar, começou.

Por falar em ambientação, tínhamos um chef, o Sandro, cozinhando especialidades puglieses só pra nós, …

… numa cozinha estonteantemente linda, incluído um sommelier, o simpático Oscar.

Pra complementar, um show de música ao vivo, …

… todas do sul da Itália …

… executadas por uma dupla, …

… a Michele cantando e na percussão …

… e o Nico, no acordeão.

Foi, literalmente, um sonho!

Ficamos devaneando pela noite toda e …

… a medida que bebíamos mais um pouco, …

… ficávamos cada vez mais descontraídos. Hahaha

Enfim, certamente foi e será uma noite inesquecível.

Voltamos caminhando pelas ruas misteriosas de Lecce dando muitas risadas …

… e ainda tomando uma saideira no bar do nosso hotel, que tem uma característica muito legal.

Você faz o teu drinque e paga quanto quiser (demos uma excelente caixinha pra nós mesmos!).

Olha, a Puglia é “o” lugar!

Arrivederci.

Acompanhe os outros dias desta maravilhosa viagem:
Primo giorno – Itália – Puglia – Um sonho.
Secondo giorno – Itália – Puglia – Fasano – Você sabe como se faz burrata? Já foi na Grotte di Castelana?
Terzo giorno – Itália – Puglia -Piacere, io sono polignano a mare!
Quarto giorno – Itália – Puglia – Locorotondo e Cisternino, que nomes bonitos de bonitas cidades.
Quinto giorno – Itália – Puglia – Ostun, o branco total radiante!
Sesto giorno – Itália – Puglia – Trullando por Alberobello e grottando pela Palazzese.
Settimo giorno – Itália – Puglia – É Lecce condensado!

.

 

 

dcpv – eleventh day – usa – califórnia – san luiz obispo/carmel – by the sea, a terra do clint eastwood.

08/04/2020 (rodado em 05/04/3019)

Eleventh day – USA – Califórnia – San Luiz Obispo/CarmelBy the sea, a terra do Clint Eastwood.

E lá fomos nós continuar a nossa fantástica road trip.

Nem deu tempo de baixar a âncora em SLO…

… e já partimos pra Carmel, a terra do Dirty Harry.

Na verdade, Carmel-by-the-Sea (belo nome, né?).

Acordamos e resolvemos tomar um daqueles bons cafés do Starbucks.

E levantamos acampamento.

Passamos incólumes pela derradeira passagem no estreito corredor do estacionamento. 🙂

Saímos em direção a Morro Bay.

Que fica bem perto de San Luiz Obispo.

E é lá que está a Morro Rock, …

… uma montanha imensa …

… em pleno oceano.

Tudo bem que o tempo estava nublado,…

… mas era o que a previsão tinha informado.

Seguimos pela estrela, a Hwy 1 até Cayucos,…

… uma praia com este nome simpático …

… que tem um píer …

… e um visual incrível.

A próxima parada seria em Cambria, …

… uma outra cidadezinha bacana …

… e que tem o Moonstone Park, …

… como referência …

… e a terra das focas elefantes, …

… que são isto mesmo: …

… focas e elefantes ao mesmo tempo!

Dali iríamos direto para o Hearst Castle, a mansão que é um museu, …

… pois tínhamos reservado um tour pras 11:20.

Chegamos no horário ao centro de visitantes …

… e embarcamos no ônibus que nos levaria ao Castelo.

O caminho é bastante sinuoso …

… e deu pra conferir que a previsão do tempo acertaria (parcialmente).

Chegamos e a chuva começou a cair forte.

Mas como o show tem que continuar, …

… iniciamos o passeio …

… vendo um ícone hearstiano, …

… a piscina de Netptuno.

Uau!

Que lugar!

Aproveitamos pra explorar toda a residência.

Note que Randolph Hearst era um bilionário …

… e portanto, muito excêntrico.

A sua residência beirava quase que …

… ao kitsch, …

… visto que a maioria das suas obras de arte eram muito antigas …

… e a arquitetura do castelo também não ajudava muito.

Tudo bastante escuro …

… e sem muita ventilação.

Enfim, é um passeio que deve ser feito …

… porque é muito curioso ver como vivia um biliardário.

Tudo é superlativo …

… inclusive a piscina interna.

De qualquer forma, arrume tempo e faça o tour.

Você se arrependerá se não o fizer.

Ainda demos uma olhada na Hearst Winery …

… pra experimentar o vinho deles (mezza boca) …

… e almoçar sandubas de respeito.

Os sanduíches foram aprovados, mas não compramos os vinhos! Hahaha.

Seguimos caminho …

… e um fenômeno aconteceu.

A chuva desapareceu …

… uma nesga de céu azul apareceu …

… e quando fomos perceber, …

… o tempo tinha mudado drasticamente para melhor.

E foi incrível.

Paramos em vários lockouts …

… da Hwy 1.

Todos com vistas de tirar o fôlego …

… e com o tempo melhorando cada vez mais.

O destaque especial foi pra McWay Falls …

… que é muito fotogênica …

… e distinta de tudo o que já vimos …

… pois uma cachoeira desaguar na praia …

… definitivamente não é usual.

Outro destaque foi a Bixby Bridge.

Ver aquele monumento …

… com um céu azul …

… foi totalmente inesperado.

Ainda paramos inúmeras vezes …

… e registramos inúmeras imagens inesquecíveis …

… para o resto das nossas vidas.

Quando menos percebemos, …

… chegamos ao nosso hotel em Carmel.

Carmel Valley Ranch …

… é um hotelão …

… que fica afastado da cidade (uns 15 min), …

… que tem quartos enormes …

… e muito confortáveis.

Nós curtimos muito o nosso.

E como chegamos cedo …

… e o tempo colaborava, …

… resolvemos dar uma passada na cidade do Clint (ele foi prefeito de Carmel) e …

… fazer um tour pela 17 Mile Drive.

É isto mesmo.

São 17 milhas de percurso …

… com 17 paradas …

… em que você tem vistas e/ou informações bacanas em cada uma delas.

Fizemos todo o roteiro (custa U$10.50 por veículo) …

… e nos divertimos muito, …

… especialmente por que era justamente …

… no horário do por do sol.

Ah, É lá que fica o famoso campo de golfe, o Pebble Beach.

Cuidado, este mini fotoblog contém imagens perigosas:

Pensamos em retornar pro hotel, mas estava quase no horário do jantar.

Então, optamos por passear em Carmel e escolher um lugar que gostássemos.

E foi assim que chegamos à Cantinetta Lucca.

É um restô bastante simpático e pedimos coisas simples como convém a um deste tipo.

Uma excelente pizza 4 formaggio …

… e couve flor crocante e muito bem temperada.

Parece maluco, mas estava muito bom, ainda mais acompanhado dum Cabernet Sauvignon do Napa.

Ufa, que dia!

Voltamos pro hotel e fomos dormir o sono dos justos.

Justíssimo e pordosolarado.

See U.

Veja como foram os outros dias desta road trip californiana:
First day – USA – Los Angeles – Garota eu vou pra Califórnia, ver o papai Lebron
Second day – USA – Califórnia – San Diego de la Vega. 
Third  day – USA – Califórnia – San – Diego – Passeando num porta aviões.
Fourth day – USA – Califórnia – San Diego – Cruzeiro e show em igreja?
Fifth day – USA – Califórnia – San Diego – Fomos ver os Padres, Marcelo.
Sixth day – USA – Califórnia – San Diego/LA – Spring bloom, estão chegando as flores!
Seventh day – USA – Califórnia- Los Angeles – Friends pra sempre, dando um pulo nos irmãos Warner.
Eighth day – USA — Califórnia – Los Ageles – Until the sun comes up over Santa Monica boulevard/Michael, the Bublé.
Ninth day – USA – Califórnia – Eu quero falar com o San Luiz Obispo.
Tenth day – USA – Califórnia – San Luiz Obispo – Querida encolhi literalmente Los Olivos.

.

 

dcpv – day three – canadá – vancouver – voando na nba.

21/09/2019 (vivido em 29/09/2018)

Day three – Canadá – Vancouver – Voando na NBA.

O dia amanheceu broncolhaço.

O que era algo esperado nesta época do ano em Vancouver.

Tomamos o nosso variado café da manhã no hotel …

…e zarpamos pro Canadá Place.

Antes passamos num supermercado …

… ao lado do hotel …

… só pra ver o nível dos ingredientes.

Têm potencial!

Tínhamos uma reserva pra fazer o passeio FlyOver Canada.

Ele é quase um Soarin canadense.

Foi espetacular.

Uma pena que não é possível tirar fotos, mas a experiência toda é um espetáculo.

Aproveitamos pra dar uma passada pela cidade.

E que cidade!

Vancouver é um daqueles lugares que você se apaixona à primeira vista.

E fica pensando o porque de não morar lá? 😀

Aproveitamos pra passar numas lojas que a Cecilia, a nossa guia de ontem, indicou.

E não nos arrependemos.

Tudo é encantador e algumas marcas unicamente canadenses fazem produtos de alta categoria.

Ainda por cima, acompanhamos um protesto de brasileiros.

É, o #elenao é universal! (seria premonição?)

Retornamos ao hotel, pois iríamos almoçar no The Teahouse.

Este restô fica no queridinho Stanley Park.

E é muito charmoso.

Chegamos e a chuva começou a cair.

Pegamos um lugar na parte interna e pedimos somente coisas convencionais.

Abrimos os trabalhos com um mix de entradas.

Hummus, azeitonas, caponata , ricota e nan.

Tudo perfeito.

Acompanhamos com meia garrafa dum ótimo Prosecco natural e chamamos os pretensos principais.

A Dé escolheu uma salada Mediterrânea acompanhada de peito de frango …

… e eu, um “lerrítimo” Fish&Chips, crocante e saboroso.

Estávamos satisfeitos, mas tínhamos que correr.

Afinal de contas, o programa da tarde seria assistir a um jogo da NBA.

Toronto Raptors (o único representante canadense) …

… e Portland Trail Blazers fariam o amistoso da pré temporada da Season 2018/2019.

E, pra variar, o espetáculo foi sensacional.

Pra começar, tinha comprado ingressos prum lugar até que legal, mas não tinha noção que seria no nível da quadra.

Chegamos lá e quando vimos, estávamos atrás da tabela, …

… mas muito próximos da quadra.

Tão próximos, que foi possível ver os grandes astros quase que tete a tete.

Pra eu, que sou um aficcionado, foi inesquecível.

Ver o Kawhi Leonard, o Kyrie Irwing, o Valanciunas, o Danny Green, o Ibaka e outros menos votados tão de perto foi mesmo de tirar o fôlego.

E o jogo foi surpreendentemente bom.

Além de que o clima de qualquer espetáculo destes é memorável.

Nos divertimos muito …

… e tive ainda a possibilidade de pisar na quadra …

… e tudo o mais.

Até as Wags nós vimos.

Quem já assistiu, sabe do que estou falando! 😂

Enfim, curtimos muito e aproveitamos demais o clima da cidade, …

… já que fomos e voltamos a pé pro ginásio.

Corremos mais um pouco (a chuva deu uma apertada), chegamos no hotel e nos preparamos pro jantar.

Que seria no Blue Water Cafe (dica do Álvaro), um famoso restaurante de frutos do mar de Vancouver.

O lugar é muito charmoso …

… e por não estarmos com fome, …

… optamos por degustar somente entradas.

A primeira foi um multi prato com …

… ceviche, …

… tartar de atum, …

…  bolinho de crab …

… e uma tortinha de salmão.

Tudo estava mesmo especial …

… e fechamos com chave de ouro, tomando flutes de Taittinger e duas taças dum vinho branco francês espetacular.

Foi o coroamento de mais um dia especial nesta ótima viagem.

Que venham mais dias assim.

See U.

Veja como foi o primeiro dia desta viagem:
day One – USA/Canadá – Como chegar em Vancouver após divertidas 43 horas.
day Two – Canadá – Vancouver – Fazendo city tours, inclusive de hidroavião.

.

dcpv – giorno ventisetti – itália – toscana – greve, castellina e antinori. é muito chianti, minha gente!

12/06/2019 (vivido em 25/10/2017)

Giorno ventisette – Itália – Toscana – Greve, Castellina e Antinori. É muito Chianti, minha gente!

É chover no molhado dizer que repetir algumas cidades na Toscana é uma maravilha.

Mas queríamos apresentar o verdadeiro espírito Toscano pra todos, especialmente pra Re.

Então, só nos restou passar pelos lugares mais bacanas novamente.

Que chato, né?

Partimos logo cedo pra Greve in Chianti.

Esta cidade é bem bonita e charmosa.

É claro que a visita pra lá não seria completa se não fôssemos até a Macelleria Falorni.

O lugar é de deixar qualquer um maluco, especialmente se gosta de frios e queijos.

O Deo literalmente pirou.

Ainda compramos alguns ótimos azeites e prestigiamos a Forno, uma pequena padaria inesquecível.

Corremos para Castellina in Chianti, onde pretendíamos ver a feira livre local.

Chegamos tão em cima da hora que não deu tempo de fazer nada!

O negócio foi dar uma passeada pela cidade, muito bacana também,…

… especialmente pela parte que fica junto da muralha.

Ainda compramos especiarias e açafrão dum produtor muito simpático.

Como estávamos atrasados (que novidade), corremos pra almoçar no Albergaccio di Castellina.

O Francisco, mais conhecido como Bilbo, reconheceu a Lourdes e o Eymard, que são habituées de lá.

Fomos recebidos com uma flute de Prosecco e experimentamos o excelente azeite novo que eles produzem.

Pedimos tudo expressamente: …

… tagliarini com trufas, …

… fetuccini com cogumelos, …

… risoto …

… tortellini …

… e um ótimo vinho Rosso da região. Enfim, tudo perfeito!

Continuamos correndo (sabe como é, slow travel), pois tínhamos um tour marcado na vinícola Antinori nel Chianti Classico.

Eu já falei que o Antinori é o nosso queridinho, né?

Não preciso nem dizer que todos ficaram maravilhados com a organização …

… e especialmente com a construção.

É um prédio marcante e dificilmente se consegue esquecer dele.

Verificamos todo o processo de vinificação, …

… além de perceber a magnitude do lugar onde os barris descansam com este néctar precioso em seu interior.

Mais uma vez, a arquitetura se sobressaiu.

Só nos restou fazer a degustação e numa sala mais do que especial, …

… já que ela é de vidro …

… e fica literalmente em cima dos barris.

É de cinema.

Experimentamos quatro bons vinhos do Pierinho e tivemos uma boa aula sobre como eles conseguem este ótimo resultado final.

Enfim, se você estiver na Toscana, vá visitar a Antinori.

Você não se arrependerá.

Ainda tivemos tempo de passar em Impruneta …

… e comer bomboloni, que são praticamente sonhos, só que levíssimos e com um creme muito saboroso como recheio. Huuuuuuummmmm!

Como jantar, acabei fazendo um ótimo ragu com carne moída (todo mundo ajudou) ..

… que foi devidamente acompanhado por uma macia polenta, …

… e uma Magnum de Champanhe Rosé Collard-Picard, vindo diretamente da famosa região homônima e trazido pela Lourdes e pelo Eymard.

Foi um dia corrido, mas foi perfeito.

Ah, Toscana, você deixará saudades …

… (atualizando, estamos parecendo o Jordão, aquele calouro do SS, lembram? Chorando muuuito. Hahaha)

Ainda deu tempo de fazer até um comercial dos melhores shorts do mundo, os da Relaxed.

Arrivederci.

Veja os outros dias desta epopéia:
giorno uno – itália – toscana, amore mio ou o inicio duma bela jornada!
giorno due – itália – toscana – um simples domingo.
giorno tre – itália – toscana – antinori, o visionário.
giorno quattro – itália – florença – lindíssima, como sempre!
giorno cinque – itália – san gimignano, a verdadeira manhattan toscana e porque não dizer, uma über model
 giorno sei – itália – toscana – siena e monteriggioni, a maior e menor, são belíssimas.
giorno sette – itália – toscana – eu prefiro as curvas das estradas de chianti.
Itália – Toscana – Giorno otto – Em Impruneta, como os imprunetanos!
Itália – Toscana – Giorno nove – Certaldo, uma cidade pra se conhecer em camadas.
giorno diece – Itália – Toscana – Comida pantragruélica com o maior açougueiro do mundo!
giorno undici – Itália – Toscana – Retornando à Florença, que continua mais bela do que nunca!
giorno dodici – itália – prada na toscana? e lucignano, você conhece?
giorno tredici – Itália – Toscana – My name is … (by Suzanne Vega)
giorno quattordici – Itália – Toscana – San Gimignano e Monteriggioni, a vingança!
giorno Quindici – Toscana – Impruneta – Nunca foi tão bom ficar em casa.
giorno Sedici – Itália – Toscana – Fiesole, vicino a Firenze.
giorno Diciotto – Itália – Toscana – Repetido mas bom demais.
giorno Diciannove – Italia – Toscana – Colle di Volterra.
giorno Venti – Itália – Toscana – Jogo de Siena.
giorno Ventuno – Itália – Toscana – Estas top models toscanas San Gmignano e Monterriggioni são demais.
giorno Ventidue – Italia – Firenze – É sempre um prazer revê-la.
giorno Ventiquattro – Italia – Toscana será que deveríamos retornar pra Pisa e Luca?
giorno Venticinque – Itália – Toscana – San Gimignano/Monteriggioni – Esta dobradinha é demais!
giorno Ventisei – Itália – Toscana – Pienza e Lucignano –  Duas pérolas toscanas.

.

dcpv – giorno ventiquattro – itália – toscana – será que deveríamos retornar pra pisa e luca?

01/06/2019 (vivido em 23/10/2017)

Itália – Toscana – Giorno ventiquattro Será que deveríamos retornar pra Pisa e Luca?

Sabe quando você tem dúvida se deveria voltar prum lugar?

Foi o que aconteceu conosco com relação a PisaLuca.

Até gostamos das cidades, mas achamos que talvez não valesse a pena revê-las.

Doce ilusão! Bom, acordamos e toda a turma estava reunida, Re inclusa.

Chegamos até que cedo em Pisa.

E não sei o que está torre tem, mas o magnetismo dela impera.

São fotos e mais fotos sobre o mesmo tema.

Cheguei até a pensar em cobrar dez centavos de euro…

… por cada pose que se faz tentando segurá-la.

Ficaria milionário rapidamente (perceberam o The Flash?).

O pior é que se acaba esquecendo de ver a beleza que tem toda a Piazza del Miracolo.

Ela é arquitetonicamente perfeita …

… e o gramado integra todo o espaço.

Voltando a Torre  …

… dá prazer vê-la e sentir a tranquilidade que ela te passa.

Saímos correndo de lá, na esperança de conseguir manter a reserva num restaurante em Luca.

E, pra variar, chegamos muito atrasados.

O jeito foi almoçar na Piazza dell’Anfiteatro.

O lugar é bacanérrimo, …

… e extremamente turístico.

E é claro que os restaurantes também são.

Mas como eram os únicos abertos, resolvemos almoçar no El Buosodi e a comida foi muito irregular (ainda mais estando aqui na Itália!).

Pedimos gnocchi, …

… ravióli, …

… coelhos …

… lasanhas …

… e até maialino.

Inovamos não pedindo vinhos e sim, Aperois Spritz.

Saímos passeando e aí começou a nossa penúria.

Andamos muito e não fizemos nada.

Sabe quando se anda a esmo …

… e não acaba fazendo quase nada mesmo?

Foi o que fizemos.

Mas foi divertido, já que estávamos em família e na Toscana.

Quando percebemos, já estava quase na hora de voltar pra casa …

… pois, a Lourdes e o Eymard estavam chegando.

E acabamos fazendo um jantar de boas vindas pra eles.

Simples, mas saboroso.

Regado a muitos aperitivos, vinhos …

… e um risoto de bacon …

… com hambúrguer de Chianina e Pecorino.

Ficou realmente muito bom …

… e rendeu muita conversa.

Só nos restou pedir due “franghi”…

… e ir dormir o sono dos justos toscanos (esta foto não parece a dos Vingadores Toscanos?).

Arrivederci.

Veja os outros dias desta epopéia:
giorno uno – itália – toscana, amore mio ou o inicio duma bela jornada!
giorno due – itália – toscana – um simples domingo.
giorno tre – itália – toscana – antinori, o visionário.
giorno quattro – itália – florença – lindíssima, como sempre!
giorno cinque – itália – san gimignano, a verdadeira manhattan toscana e porque não dizer, uma über model
 giorno sei – itália – toscana – siena e monteriggioni, a maior e menor, são belíssimas.
giorno sette – itália – toscana – eu prefiro as curvas das estradas de chianti.
Itália – Toscana – Giorno otto – Em Impruneta, como os imprunetanos!
Itália – Toscana – Giorno nove – Certaldo, uma cidade pra se conhecer em camadas.
giorno diece – Itália – Toscana – Comida pantragruélica com o maior açougueiro do mundo!
giorno undici – Itália – Toscana – Retornando à Florença, que continua mais bela do que nunca!
giorno dodici – itália – prada na toscana? e lucignano, você conhece?
giorno tredici – Itália – Toscana – My name is … (by Suzanne Vega)
giorno quattordici – Itália – Toscana – San Gimignano e Monteriggioni, a vingança!
giorno Quindici – Toscana – Impruneta – Nunca foi tão bom ficar em casa.
giorno Sedici – Itália – Toscana – Fiesole, vicino a Firenze.
giorno Diciotto – Itália – Toscana – Repetido mas bom demais.
giorno Diciannove – Italia – Toscana – Colle di Volterra.
giorno Venti – Itália – Toscana – Jogo de Siena.
giorno Ventuno – Itália – Toscana – Estas top models toscanas San Gmignano e Monterriggioni são demais.
giorno Ventidue – Italia – Firenze – É sempre um prazer revê-la.
giorno Ventitré – Italia – Seria um domingo tranquilo na Toscana.

.

dcpv – giorno ventuno – itália – toscana – estas top models toscanas (san gimignano e monterriggioni) são demais!

04/05/2019 (Vivido em 20/10/2017)

Giorno ventuno – Itália – ToscanaEstas top models toscanas (san gimignano e monterriggioni) são demais!

E não é que retornamos na dupla San Gimignano/Monteriggioni?

Hoje fomos apresentá-las pra Helena, pro Lucas, pra Márcia e pro Deo.

E, pra variar, curtimos muito.

Fomos cedo pra San Gimignano .

Pra quem não se lembra, esta cidade é aquela das torres, a Manhattan italiana..

E dos ângulos especiais para fotos.

Pra todo lugar onde se olha, …

… obtém-se uma paisagem bacana e totalmente diferente.

Enfim, uma grande top model. É claro que subimos pela via principal, …

… clicando bastante …

… e chegamos logo a Piazza della Cisterna, ….

… provavelmente o lugar mais charmoso …

… e onde, certamente, se come o melhor sorvete do mundo, …

… na gelateria Dondoli .

Depois de nos deliciarmos, descemos pelo lado oposto da praça, …

… onde descobrimos novos ângulos desta über model.

E a vista da região externa não fica nada a desejar, …

… se comparada …

… ao que se vê na cidade.

Sem contar que o comércio todo é muito charmoso (tem cada flor lá!)  …

…. e com lojas muito diferentonas.

Estávamos com fome , …

… mas antes demos uma parada pra tomar alguns Spritz …

… e observar tudo o que passava na nossa frente, assim como aqueles velhinhos do Muppet Show. Lembra?

Tinha feito uma reserva na Trattoria Rigoletto que fica fora das muralhas da cidade …

… e é muito pequena.

Pedimos um montão de comidas diferentes 😀, …

… tais como picis, …

… spaghetti cacio e pepe, …

… spaghetti ao sugo, …

… lasanhas e outros quetais.

Tomamos bons Vernaccias …

… e além de gostar da comida, demos muitas risadas.

Ainda pedimos duas sobremesas só pra beliscar.

Um mil folhas (seriam duas folhas? 🙂 )…

… e um cantuccini com vin santo.

Olha, o lugar é bastante curioso e a comida é muito boa.

Subimos toda a rua, …

… compramos mais algumas coisinhas …

… tomamos mais alguns sorvetes …

… e fomos pra Monterriggioni (isso sim é uma reunião da Confraria!) .

A bela cidade é muito pequena .

E isto é que a faz muito divertida.

Esta pequena top model …

… se mostra de uma forma muito bonita aos nossos olhos.

E como não poderia deixar de ser, …

… fomos brindados com mais um por do sol.

Na verdade, este foi “o” por do sol.

Só nos restou agradecer por toda esta visão …

… e tirar mais e mais fotos.

Voltamos pra casa, …

… pra nossa Pietrina

… resolvemos que jantaríamos pizza novamente no I Tre Pini…

… e com a companhia de dois Chiantis Clássico.

Mais uma vez, demos graças de estar participando de toda esta festa.

Infelizmente, não consegui tirar fotos do céu estrelado desta noite.

Mas fica a lembrança de que a Toscana é muito mais bonita ao vivo, …

… do que qualquer imagem possa captar.

E tenho dito!

Arrivederci.

Veja os outros dias desta epopéia:
giorno uno – itália – toscana, amore mio ou o inicio duma bela jornada!
giorno due – itália – toscana – um simples domingo.
giorno tre – itália – toscana – antinori, o visionário.
giorno quattro – itália – florença – lindíssima, como sempre!
giorno cinque – itália – san gimignano, a verdadeira manhattan toscana e porque não dizer, uma über model
 giorno sei – itália – toscana – siena e monteriggioni, a maior e menor, são belíssimas.
giorno sette – itália – toscana – eu prefiro as curvas das estradas de chianti.
Itália – Toscana – Giorno otto – Em Impruneta, como os imprunetanos!
Itália – Toscana – Giorno nove – Certaldo, uma cidade pra se conhecer em camadas.
giorno diece – Itália – Toscana – Comida pantragruélica com o maior açougueiro do mundo!
giorno undici – Itália – Toscana – Retornando à Florença, que continua mais bela do que nunca!
giorno dodici – itália – prada na toscana? e lucignano, você conhece?
giorno tredici – Itália – Toscana – My name is … (by Suzanne Vega)
giorno quattordici – Itália – Toscana – San Gimignano e Monteriggioni, a vingança!
giorno Quindici – Toscana – Impruneta – Nunca foi tão bom ficar em casa.
giorno Sedici – Itália – Toscana – Fiesole, vicino a Firenze.
giorno Diciotto – Itália – Toscana – Repetido mas bom demais.
giorno Diciannove – Italia – Toscana – Colle di Volterra.
giorno Venti – Itália – Toscana – Jogo de Siena.

dcpv – giorno venti – itália – toscana – jogo de siena.

19/10/2017

Giorno venti – Itália – Toscana – Jogo di Siena.

Com este novo e grande grupo, teríamos que voltar a Siena.

E voltamos.

E foi um prazer, já que sempre é um prazer retornar a esta bela cidade.

É claro que paramos no estacionamento Fontanabranda, que fica perto das providenciais escadas rolantes que dão acesso ao centro histórico.

Olhamos tudo mais uma vez, …

… e desta vez, chegamos primeiro ao imponente Duomo.

Impressionante verificar como estas construções são exageradas e…

… ao mesmo tempo, bonitas.

Difícil entrar lá e não ficar imaginando como foi todo o processo executivo?

Mas é certo que o resultado final foi espetacular.

Desta vez entramos (ingresso a 4 euros) …

… com direito a observar tudo, …

… inclusive os belos painéis que estão no chão, …

… bem como conhecer na biblioteca Piccolomini, …

… que é um ambiente muito especial,…

… com afrescos de Pinturicchio em todas as suas paredes.

É realmente uma obra incrível.

Saímos de lá e ficamos um tempo sentados na escadaria pensando na vida.

Resolvemos almoçar e eu já tinha feito uma reserva no restaurante Particolare Di Siena.

É um ambiente bem diferente dos que encontramos por aqui, …

… e a comida não fica atrás.

Poderíamos, inclusive, chamá-lo de modernoso pros padrões toscanos.

Fizemos os pedidos.

Alguns pediram pici, …

… outros fusillones com cebola rossa e guanciale …

… e outros, otras cositas.

Ah, a entrada que a Dé pediu estava muito boa: flan de pecorino, quase um petit gateau salgado.

Acompanhamos com um vinho branco Vernaccia e um tinto Chianti DOCG.

Tudo excelente e dando a certeza que é um lugar pra ser indicado e revisitado.

Ainda demos mais uma passeada …

… pela Piazza_del_Campo, onde acontece o famoso Palio.

Que maravilha!

Voltamos pra nossa villa, pois tínhamos marcado um churrasco.

E de linguiças e de bistecas suínas e fiorentinas.

Para tanto, passamos no nosso açougue preferido em Impruneta, o Nannidici.

Fomos muito bem servidos novamente …

… e desta vez, contamos com o apoio incondicional da Dé, que conhece muito da matéria. 😀

Até parece!

Ainda passamos na festa de San Lucca e compramos “due frangui” assados e crocantes.

Ou seja, o jantar, mais uma vez, foi maravilhoso.

Comemos salada e as carnes estavam macias e …

… suculentas.

Deste jeito e com estes ingredientes, fica fácil fazer qualquer coisa (olha a confraria aí, gente!).

São os segredos da Toscana.

Arrivederci.

Veja os outros dias desta epopéia:
giorno uno – itália – toscana, amore mio ou o inicio duma bela jornada!
giorno due – itália – toscana – um simples domingo.
giorno tre – itália – toscana – antinori, o visionário.
giorno quattro – itália – florença – lindíssima, como sempre!
giorno cinque – itália – san gimignano, a verdadeira manhattan toscana e porque não dizer, uma über model
 giorno sei – itália – toscana – siena e monteriggioni, a maior e menor, são belíssimas.
giorno sette – itália – toscana – eu prefiro as curvas das estradas de chianti.
Itália – Toscana – Giorno otto – Em Impruneta, como os imprunetanos!
Itália – Toscana – Giorno nove – Certaldo, uma cidade pra se conhecer em camadas.
giorno diece – Itália – Toscana – Comida pantragruélica com o maior açougueiro do mundo!
giorno undici – Itália – Toscana – Retornando à Florença, que continua mais bela do que nunca!
giorno dodici – itália – prada na toscana? e lucignano, você conhece?
giorno tredici – Itália – Toscana – My name is … (by Suzanne Vega)
giorno quattordici – Itália – Toscana – San Gimignano e Monteriggioni, a vingança!
giorno Quindici – Toscana – Impruneta – Nunca foi tão bom ficar em casa.
giorno Sedici – Itália – Toscana – Fiesole, vicino a Firenze.
giorno Diciotto – Itália – Toscana – Repetido mas bom demais.
giorno Diciannove – Italia – Toscana – Colle di Volterra.

.