Archive for the 'evento' Category

dcpv – fifth day – usa – san diego – fomos ver os padres, marcelo!

30/03/2019

Fifth day – USA – San Diego – Fomos ver os Padres, Marcelo!

O Marcelo é o nosso sobrinho que veio fazer um intercâmbio aqui em San Diego.

E nos passou um montão de dicas legais sobre a cidade.

Ele é torcedor/sofredor do time de baseball da cidade, o San Diego Padres.

E como gostamos do jogo e do clima, resolvemos assistir ao jogo deles contra o SF Giants.

Bom, mas este assunto é pra mais a tarde.

Iniciamos o dia, repetindo o café da manhã excelente do nosso hotel.

Louve-se a simpatia dos atendentes.

Logo depois, fomos passear de SegWay, uma das especialidades da família.

E desta vez seria pelo parque mais famoso da cidade, o Balboa.

Chegamos no escritório da SegWay Tours, que fica bem próximo do porta-aviões USS Midway.

Ouvimos as instruções de praxe …

… e percorremos um trecho legal …

… pela cidade …

.. onde, pra variar, percebemos a organização de tudo.

Chegamos ao Balboa Park  e …

… surpresa!

Ele é imenso …

… e lindo!

Tudo muito expressivo.

A região dos museus é um espetáculo.

São mais de quinze e todos interessantes.

A cenografia é sensacional …

…e desta vez, batemos o nosso recorde quanto a “matrimonialidade” na viagem.

Vimos um pedido de casamento (e ela aceitou)!❤❤

Continuamos passando pelo espaço espanhol …

… multicolorido …

… e pelo enorme anfiteatro, …

… que fica ao lado do jardim japonês.

Percorremos trilhas de madeira …

… cortamos o maravilhoso jardim espanhol …

… e quando percebemos, …

… o tour tinha praticamente terminado.

Só nos restou retornar pro escritório, …

… curtindo novamente a paz …

… e a tranquilidade da cidade …

… num belíssimo sábado.

Como estávamos perto, …

… fomos conhecer o mercado de peixes …

… que funciona aos sábados no píer.

Não é bem um mercado, …

… mas gostamos muito.

Voltamos a pé pro hotel, …

… pegamos o carro e fomos conhecer a Ilha Coronado.

Ela é linda …

… mas, pra variar, a praia estava lotada …

… e não conseguimos estacionar.

Acabei resolvendo da seguinte maneira: …

… fiz uma reserva (bendito OpenTable)…

… no Eno, restô do Hotel del Coronado e …

… aproveitamos pra conhecer a praia.

Pedimos uma pizza de pepperoni (maravilhosa, por sinal) …

.. e duas taças dum não menos bianchetto do Antinori.

Adicionamos um sorvete …

… e lá fomos nós dar aquela farofada.

Olha, o hotel é histórico e tal.

Mas é bem bregão.

Até grama artificial eles têm. 🙂

Mas a praia é uma beleza.

Ou seja, valeu totalmente ter esta ideia.

Ainda aproveitamos pra conhecer um coisa pretensamente brega também.

No canto da Ilha, existe as Coronado Cays…

… um condomínio muito bonito, …

… que tem marinas com formatos variados.

Segundo os americanos, este lugar seria propício pra passear de gôndolas, como em Veneza.

E acreditem, este tour existe. Hahaha

Agora, imaginem passear de gôndola nestes canais com o gondoleiro americano da “chema” cantando Sole Mio?

Sem chance, né? 🙂

Retornamos pro hotel novamente e resolvemos ver como era o shopping da Westfield próximo dele.

Decepção total, o lugar está quase abandonado.

Pelo menos, serviu pra retornarmos de patinete.

E dar uma descansada pra nos preparar pro jogão de baseball, Padres x Giants.

Fomos a pé pro Petco, a casa dos Padres.

A multidão era enorme …

… e tivemos dificuldades pra entrar no estádio.

Afinal de contas, foi a primeira vez que os Padres ganharam os dois jogos iniciais da temporada, …

… ainda mais contra os Giants.

Confesso que tudo foi muito emocionante.

O estádio cheio, a comemoração dos 50 anos dos Padres, tudo combinou pra ficarmos mais felizes ainda.

O jogo transcorreu na normalidade de sempre.

Ou seja, nos divertimos muito.

E é bem legal ver as torcidas misturadas, …

… crianças acompanhadas dos pais …

… e  não acontecendo nada, …

… além de todos se divertindo muito.

Enfim, assistir a qualquer esporte nos USA …

… é encantamento certo.

Ainda terminamos a noite jantando levemente no restaurante do hotel.

Caprese finochiana, …

… alcachofra …

… e almôndegas nos nutriram, …

… além de duas taças dum ótimo alsaciano Trimbach.

Ufa de novo e que dia.

Ah! Os Padres perderam de novo e nós não comemos batatas grátis.

Until.

Veja como foram os outros dias desta road trip californiana:
First day – USA – Los Angeles – Garota eu vou pra Califórnia, ver o papai Lebron
Second day – USA – Califórnia – San Diego de la Vega. 
Third  day – USA – Califórnia – San – Diego – Passeando num porta aviões.
Fourth day – USA – Califórnia – San Diego – Cruzeiro e show em igreja?

.

 

 

dcpv – first day – usa – los angeles – garota eu vou pra califórnia, ver o papai lebron!

04/03/2020 – (vivido em 26/03/2019)

First day – USA – Los AngelesGarota eu vou pra Califórnia, ver o papai Lebron!

E lá fomos nós revisitar a Califórnia.

Tudo bem que fomos há 9 anos.

Mas a ideia original seria comprar tickets prum show dum artista que gostamos muito e depois ver no que daria.

Tudo começou com uma boa pesquisa.

E ela resultou em Michel Bublé.

Vimos que no início de abril ele estaria em LA.

Compramos os ingressos e pronto.

O resto seria puro planejamento. Hahaha

Iniciamos pensando em ficar uma semana.

Aí pintaram vários insights.

Que tal conhecer San Diego?

E voltar ao Napa e SF?

E melhor ainda, passear pela Hwy 1 nos dois sentidos?

Resolvido, chegamos em 23 dias.

É isso. 🙂

Vamos lá acompanhar esta epopeia californiana.

Reservamos um voo direto pela American Airlines.

Portanto, chegaríamos e retornaríamos por LA.

E coincidência, logo na chegada, haveria um jogo do Lakers …

… com o meu ídolo, papai Lebron James.

Portanto, a primeira noite seria em Los Angeles.

E em downtown, já que o Staples Center fica lá.

Chegamos cedo, pegamos a nossa máquina alugada …

… e zarpamos pro hotel Figueroa.

Ele fica ao lado do ginásio. Cômodo, né?

O hotel é muito bom.

O nosso quarto é muito espaçoso …

… e com uma vista muita bacana desta cidade tão espetacular.

Aproveitamos o dia maravilhoso …

… pra dar uma boa andada pelo revitalizado centro …

… (como é que não conseguimos fazer isso por aqui?) …

… e fomos conhecer um mirante sensacional.

OUE Skyspace é uma maravilha.

Você sobe até o 54° andar …

… e vê uma exposição muito bacana …

… sobre características …

… angelinas da gema.

Aí você pega o elevador até o septuagésimo andar …

… e tem vistas incríveis de toda a cidade.

São vários ângulos espetaculares, ainda mais com o sol a pino.

Notem que eles têm áreas abertas que te permite desfrutar de tudo …

… e ao mesmo tempo relaxar em lounges …

… com sofás e bares.

Ou seja, muito americano mesmo.

Como bônus, ainda dá uma escorregada pela parte externa do edifício.

Sim, pela parte de fora, no 70º andar e num escorregador de vidro!

Marcante demais.

Continuamos andando mais um pouco …

… pra observar toda beleza da atual downtown …

… e aproveitamos pra conhecer a arquitetura …

… do soberbo museu The Broad …

… que estava com uma fila tremenda …

… e do seu vizinho não menos famoso, …

… o Disney Concert Hall, …

… um daqueles prédios feitos pelo Frank Gehry …

…e que não deixam a menor dúvida …

… de que tem a sua assinatura.

Uau!

Ainda bem que retornaremos na semana que vem pra ver um espetáculo lá.

Voltamos pro hotel, …

… caminhando …

… e nos maravilhando com tudo.

A fome bateu e entramos no primeiro lugar bacana que vimos.

O Louise é uma daqueles restôs californianos ao extremo.

E como tal, pedimos um Chardonnay de Monterey, …

… uma tremenda salada de rúcula (obviamente pra Dé) …

… e um ótimo hambúrguer (obviamente pra mim).

Tudo muito bom …

… resolvemos andar mais um pouco e retornar de vez pro hotel.

Descansada a parte, …

… estávamos prontos pra ir ver o Papai Lebron.

Tudo bem que o jogo não tinha lá grande importância …

… afinal de contas, tanto Lakers quanto Wizzards estavam desclassificados.

Mas ver The King James ao vivo é sempre emocionante.

E foi!

Além de que não é todo dia que se tem a oportunidade …

… de ver um espetáculo tão bacana …

… quanto um jogo da NBA.

Tudo funciona tão bem …

… e tão redondamente …

… que a diversão é mais do que garantida.

A região em torno do Staples Center é belíssima.

E vimos mais uma boa exibição deste super atleta.

Comemos junk food das boas …

… e devido ao cansaço, …

… torcemos pro Lakers liquidar a fatura.

Isto aconteceu e fomos rapidinho pro hotel …

… dar aquela merecida descansada dos justos.

Afinal de contas, a viagem está só começando e promete muito.

Bye!

.

 

 

dcpv – day nine – usa – vendo o verdadeiro (?) lado b de ny.

11/02/20 (obscurecido em 19/01/2019)

Day nine – USAVendo o verdadeiro (?) lado B de NY.

Este dia parecia complicado.

A previsão do tempo informava que haveria uma nevasca, seguida duma tempestade.

Isso seria o suficiente pra amedrontar qualquer um.

Menos os Luz.😁

Acordamos com um pouco de neve (a Starbucks Roastery Reserve estava estranhamente fechada)…

… e fomos tomar o nosso corriqueiro café da manhã no Starbucks também.

Às 10:00 estávamos no lobby do hotel …

… para encontrar o Marcelo, do VPNY, o Vá Para Nova York.

A ideia seria fazer um tour com ele por lugares manjados de NY (Central Park, 5th, Brooklyn, etc) …

… mas tendo uma visão mais lado B destes campeões de audiência …

… que já conhecíamos na sua maioria..

Partimos em direção ao Central Park, …

… mais precisamente ao edifício Dakota, aquele onde John Lennon foi assassinado.

Só não contávamos com uma passeata das mulheres contra o Trump, …

… que paralisou toda aquela área.

Tentamos pegar alguns desvios, mas não deu certo.

Decidimos por descer …

… e curtir a Washington Square …

… onde fica o arco homônimo.

Sábia decisão …

… já que ao chegarmos lá …

… topamos com uma pessoa tocando piano …

… maravilhosamente bem …

… e nos fez pensar em como a vida é maravilhosa.

Agradecemos muito …

… e aproveitamos a “fominha” …

… pra comer uma boa fatia de pizza do Joe’s

… e um cupcake da Molly’s.

Excelentes!

Passamos por Wall Street (touro incluso)…

… e pelo Battery Park …

… pra ter uma visão bacana …

… de toda a área …

… e da Estátua da Liberdade.

Estávamos nos dirigindo pro Brooklyn …

… quando o Marcelo deu a ideia de pararmos …

…pra tirar umas fotos das pontes do Brooklyn …

… e de Manhattan vistas da ilha.

Só não contávamos que estávamos na frente da loja conceito italiana, …

… a 10 Corso Como, aquela mesmo de Milão.

Ela é novinha …

… e o seu design é simplesmente espetacular.

Esta vale o mini fotoblog.

Depois de nos extasiarmos com a loja …

… fomos efetivamente pro Brooklyn, …

… mais específica e novamente, …

… pra DUMBO.

É claro que tirei novamente a famosa foto da ponte de Manhattan …

… mas desta vez, tivemos mais tempo …

… pra nos maravilharmos …

… com vistas magníficas da própria.

Uma mais bonita …

… do que a outra.

Aproveitamos pra tomar um chocolate quente no Jacques Torres …

… e continuamos pelo píer …

… pra ver melhor ainda todo o skyline …

… e conseguir colocar a estátua da Liberdade no seu devido lugar.

Retornamos e o Marcelo nos deixou no Soho (apesar do esforço dele, o passeio foi médio) …

… porque queríamos continuar o nosso tour particular de lojas transadas.

Iniciamos pela 45R

… um estabelecimento cool que vende roupas muito bacanas.

Continuamos pela Kith 

… que é multimarcas …

… e estava simplesmente lotada.

Passeamos pelo Soho todo, …

… um grande prazer …

… e chegamos a LululemonLab.

Que lugar!

Tudo muito moderno ….

… e com roupas feitas com materiais incríveis …

… além de um layout arrebatador.

Mais um pouquinho …

… e chegamos a Allbirds.

Ela é uma loja de sapatos ultra confortáveis (certamente os mais do mundo e atuais queridinhos de todos os Luz) …

… e com um conceito incrível.

Toda a experiência de compra …

… é encantadora …

… e dificilmente você sairá de lá sem comprar ao menos um par de sapatos.

Próxima parada, a Stance, …

… que vende as meias mais confortáveis (esta foi uma descoberta da Re) …

… e bonitas de todos os tempos.

Taí outro lugar imperdível.

Mais um pouquinho e chegamos à Sonos.

Ela é especializada em home theaters e a sua loja tem uma série de cômodos pra você experimentar os incríveis produtos deles.

São sistemas de som da mais alta qualidade …

… e você pode ficar o tempo que quiser numa destas casinhas se deliciando com as alternativas pra deixar a sua sala como um autêntico cinema.

Ainda tivemos duas tentativas frustradas.

Uma na Lip Lab onde se fazem batons personalizados, que não tinha horário disponível …

… e outra, na Dominique Ansel Bakery, …

… onde além de ter uma tremenda fila, os famosos cronuts (mistura de croissant com donuts) tinham acabado (eles sempre acabam).

Só nos restou voltar pro hotel, …

… comer umas coisinhas no Chelsea Market …

… e zarpar pro Lincoln Center …

… onde assistiríamos a um espetáculo de folclore chinês, o Shen Yun.

Tudo bem que era proibido tirar fotos, …

… mas o show foi bem chatinho.😁

A parte visual era bem legal, …

… mas tudo foi muito repetitivo.

Sabe quando dá aquele torpor? Deu até pra dar uma cochiladinha. Hahaha

Saímos de lá com a neve e a chuva de gelo prometida.

Acabamos demorando um pouco pra conseguir um táxi …

… mas, chegamos e …

… tivemos a certeza de que nunca merecemos tanto dormir (na verdade, complementar) o sono dos justos.

See U!

Veja os outros dias desta viagem:
day One – USA – New York, New York.
day Two – USA – Andando muito nas lojas diferenciadas de NY.
days Three and Four – USA – Varejando por NY.
days Five and Six – USA – Supermercadeando por NY, parte I.
day Seven – USA – Supermercadeando por NEY, a vinganca. Já ouviu falar do Vertical Horizon?
dia – Eight – USA – Conhecendo a periferia de NY.

.

 

 

dcpv – dia eight – usa – conhecendo a periferia de ny.

08/02/2020 (bordeado em 18/01/2019)

Day Eight – USAConhecendo a periferia de NY.

Hoje seria praticamente o primeiro dia de turismo propriamente dito.

A feira de varejo, a NRF, acabou.

As visitas técnicas à lojas de supermercados também acabaram.

Ou seja, começaríamos a turistar.

O tempo estava bem broncolhaço.

Acordamos com neve caindo.

Fomos tomar um lauto café da manhã no Starbucks …

… e às 9:00 da matina, a guia Aline da Civitatis estava nos esperando.

Contratei um tour, o Contrastes de NY, em português, …

… pra conhecermos algumas regiões periféricas …

… e não muito turísticas da cidade.

Iniciamos passeando pela região oeste da cidade, indo em direção ao Bronx.

A primeira parada foi no belíssimo …

… estádio dos NY Yankees.

Pausa para fotos …

… e para verificar a quantas andava a neve.

Seguimos chegando na parte mais pesada …

… e a que estamos acostumados a ver nos cinemas.

Muita Street Art …

… e muitas histórias sobre gangs e assassinatos …

… nos foram contadas.

É claro que vimos aqueles lugares que ficaram marcados pelos filmes (remember Paul Newman), …

… mas também percebemos o quão culturalmente e …

… miscigenado o Bronx é.

Demos uma parada estratégica prum pipitstop …

… numa padoca uruguaia …

… e continuamos, indo pro Queens.

Passamos pelo estádio dos Mets, o Citi Field

… e pelo complexo de Flushing Meadows, …

… onde é realizado o US Open.

Ali ao lado fica o Corona Park, …

… onde o famoso Globo, …

… remanescente da feira mundial …

… fica e reina absoluto.

E antes de ficarmos um pouco congelados …

… vimos uma bairro muito bonito, o Malba, …

… com adoráveis mansões …

… e vistas muito bonitas …

… da ponte Whitestone …

… e da água e seus derivados.

Após etnias …

… e etnias diferentes, …

… chegamos ao hippado Brooklyn.

Mais especificamente a Williamsburg …

… que é um dos lugares mais cools da região.

Muitas lojinhas alternativas e bacanas, …

…. muitos restôs transados …

… e muita gente interessante (Elvis incluso).

Esta é a receita desta bairro pra dar tão certo.

Passamos pela bairro judeu …

… e fomos pro Dumbo (Down Under Manhattan Bridge Overpass), …

… tirar aquela foto obrigatória …

… da ponte de Manhattan.

Pedimos pra Aline nos deixar por lá mesmo, …

… pois queríamos fazer um tour particular por lojas transadas.

Iniciamos pela Space Ninety 8, uma filial da American Outfiters …

… que tem um montão de coisas bacanas pra vender.

Continuamos indo tomar um café especial …

… no Toby’s Coffee …

… e comer um bomboloni de salt caramelo.

Que lugar!

Em seguida, fomos visitar o Whole Foods de lá …

… que é imperdível.

Este vale mesmo o minifotoblog:

Próxima parada na Whisk, …

… uma loja onde você …

… encontra tudo para cozinha e cozinhar.

Passsamos na Toms, uma loja engajada que vende bons calçados …

… e na Apple, que por aqui, …

… como esperado, é bem alternativa …

…e com um design moderno.

Na sequência, a Mast

… se mostrou ser quase que …

… uma boutique de chocolates.

Finalizamos dando um pulo na Brooklyn Denin Co

… que não nos pareceu uma loja muito diferente das normais do setor.

Voltamos pro hotel, …

… fomos comer e beber …

… alguma coisa …

… no bar hippster do The Standard (seria uma premonição?).

Aproveitamos e também passamos na popup store …

… que comemora os 90 anos …

… do ratinho Mickey.

Eis outra experiência de compra muito bacana com, inclusive, produtos personalizados.

Voltamos pro hotel e fomos pra Times Square.

Sim, praquela muvuca colorida …

.. e muito impressionante.

Demos uma entrada…

… na loja conceito da Levi’s.

Ela é muito interessante …

… e tem um visual fantástico, …

,.. mas não encontramos nada que nos emocionasse.

Nos dirigimos pro teatro Nederland …

…onde assistiríamos ao musical Pretty Woman.

É claro que ele é baseado no filme homônimo, (não pode tirar fotos, mas encontrei estas no Santo Google) …

… e, de qualquer forma, são duas horas de muita diversão.

Uma pena não podermos ver a atuação da Julia e do Richard, os originais, …

… mas foi bastante interessante.

Só nos restou enfrentar o frio …

… e dormir o soninho dos justos, periféricos e musicados.

See U!

Veja os outros dias desta viagem:
day One – USA – New York, New York.
day Two – USA – Andando muito nas lojas diferenciadas de NY.
days Three and Four – USA – Varejando por NY.
days Five and Six – USA – Supermercadeando por NY, parte I.
day Seven – USA – Supermercadeando por NEY, a vinganca. Já ouviu falar do Vertical Horizon?

.

 

 

 

 

dcpv – day seven – usa – supermercadeando por ny, a vingança. já ouviu falar do vertical horizon?

05/02/2020 (ouvido em 17/01/2019)

Day Seven – USA – Supermercadeando por NY, a vingança. Já ouviu falar do Vertical Horizon?

E o último dia visitas aos supermercados começou …

… com um café da manhã no Starbucks, o comum.

Dali partimos pra pegar o ônibus que levaria toda a turma pra conhecer formatos diferentes de supermercados.

Demorou quase uma hora pra chegar em New Jersey onde fica o Stew Leonard’s.

Que loja maluca e legal.

Tudo muito antigo, cenográfico e com muita personalidade.

Na verdade, você anda num circuito (lembra da Etna?) …

… e quando percebe, já está no caixa.

Sensacional …

… além da quantidade de coisas bacanas com que topa …

… pelo caminho.

Perto dali fica o Costco.

Ele é um tipo de Sams Club …

… só que neste caso, …

… muito melhorado.

Curtimos tudo …

… e também compramos muitas coisas …

… além de comer um cachorro quente muito bom.

Próxima parada?

No Shop Rite …

… uma loja bem comum …

… mas com um mix de produtos imenso …

… e com muitos clientes.

Ou seja, a estratégia deles está muito bem montada.

A próxima loja a conhecer seria o Target.

E que espetáculo!

Um estabelecimento totalmente novo …

… com uma programação visual leve e …

… antenada com os tempos de hoje …

… (barata e com um formato de internet) …

… super abastecida …

… e com uma linha, …

… especialmente de não alimentos, …

… admirável.

Ainda deu tempo de passarmos pelo Fairway.

Ele é um supermercado calcado na venda de perecíveis.

Tanto que uma boa parte da loja é climatizada, como uma câmara fria.

Até jaquetas térmicas eles deixam à disposição dos clientes.

Incrível, né?

Terminamos o tour no Zabar’s, uma espécie de Santa Luzia nova-iorquino.

Ela tem uma profusão de produtos de luxo …

… e muita, mas muita, variedade.

De lá nos despedimos da turma, …

… pegamos um Uber (eles funcionam muito bem por aqui) …

… e fomos direto pra loja da Bulgari.

A fachada dela é incrível …

… mas a da sua vizinha de luxo, a Louis Vuiton …

… é mais ainda.

É claro que estávamos na Quinta Avenida.

E aproveitamos pra conhecer algumas lojas diferentonas.

A primeira parada foi na Microsoft.

A loja é tudo o que se espera de um gigante da tecnologia (tudo bem que imita um pouco o estilo da Apple).

Moderna, clean e …

… muito interessante.

De lá, demos uma passada na Uniqlo

… pra Dé comprar umas blusinhas baratas e bastantes quentes.

Continuamos, visitando uma megablaster, a Nike.

Ela é visualmente sensacional.

São cinco andares de muita criatividade …

… e quase sentimos mesmo uma experiência de compra.

Os problemas começaram quando eu gostei dum tênis …

… e pedi pra experimentar.

Foram quase trinta minutos de espera pra que eu resolvesse ir embora …

… sem ao menos ser contestado do por que?

Resumo: detestei a loja e eis um exemplo de que vendedores sem atitude …

… podem por todo uma grande plano a perder.

Saímos de lá e fomos conhecer a Dyson.

E aí aconteceu tudo ao contrário do que na Nike.

O vendedor, super solícito, …

… nos explicou tudo e saímos encantados e …

… pensando em realmente comprar um aspirador, já que eles são incríveis. Hahaha

Pronto!

Ah, olha só quem nós encontramos? Neeeeext!

Retornamos pro hotel, …

… passando pela, …

… cada vez mais incrível, Times Square …

… e fomos nos preparar pra realizar um dos meus sonhos.

Sempre quis assistir a um show duma banda quase que desconhecida …

… num lugar pequeno. Chegamos ao Highline Ballroom (fica pertinho do hotel) …

… e foi só trocar os ingressos (reservados), ouvir novamente músicas do conjunto escolhido e aguardar pelo show.

Isto nos permitiu dar mais uma passada …

…   na Starbucks Reserve Roastery …

… pra tomar coquetéis a base de café…

… e comer pedaços de pizza, …

… um pão de azeitona com mortadela e uma salada de frango.

Tudo muito bom, como sempre.

Voltando ao show, o conjunto escolhido foi o Vertical Horizon (abra o Spotify), …

… (belo nome, né?) …

… e é claro que chegamos no horário.

Bom, o show foi demais.

Matt Scannell, líder e compositor das músicas do conjunto, …

… é uma figuraça.

E o espetáculo foi um desfilar de grandes músicas, …

… com o Matt e seus asseclas demonstrando um tal grau técnico, …

… que deixou todo mundo extasiado, Dé inclusa.

Esta experiência de ver o show num lugar desconhecido, intimista …

… foi muito boa e certamente repetiremos.

Aguarde-nos!

See U.

Veja os outros dias desta viagem:
day One – USA – New York, New York.
day Two – USA – Andando muito nas lojas diferenciadas de NY.
days Three and Four – USA – Varejando por NY.
days Five and Six – USA – Supermercadeando por NY, parte I.

.

 

 

dcpv – days three and four – usa – varejando por ny

29/01/2020 (andado em 13 e 14/01/2019)

Days Three and Four – USAVarejando por NY.

Eu já falei que o propósito desta viagem à Big Apple …

… foi uma feira de varejo, a NRF, né?

Pois, por isto mesmo, estes dias não apresentaram …

… muitas coisas turísticas.

Como tivemos algumas exceções, …

… vou listá-las por aqui.

Acordamos cedo, …

… tomamos um café da manhã no queridinho Starbucks …

… e tivemos o nosso primeiro contato …

… com legítimos flocos de neve.

Por causa deles, pegamos um táxi …

… e fomos pro Jacob Javits Center.

NRF estava lotada.

Passamos a manhã inteira …

… ouvindo palestras sobre inovação …

… e principalmente, no nosso caso, …

… de como o varejo físico não irá acabar.

É claro que não teremos mais supermercados no formato que estamos acostumados, …

… mas os clientes ainda gostam muito de ter contato físico …

… com o que eles estão acostumados.

Aproveitamos a hora do almoço, …

… pra sair da feira e ir conhecer um restô bastante interessante, …

… o Legacy Records.

Como era domingo, aproveitamos pra brunchar!

E foi ótimo.

Iniciamos com uma bella focaccia com mortadela italiana.

Pedimos duas taças dum Sauvignon Blanc francês e chegaram os principais.

A Dé escolheu ovos que mais pareciam nuvens, acompanhados de pancetta.

Eu fui num espaguete básico, mas com um molho vermelho bastante apimentado e totalmente al dente.

Enfim, é um lugar pra voltar.

E por falar em, retornamos pra feira.

Mais uma série de palestras interessantes a tarde …

… e aproveitamos o ótimo clima, …

… pra curtir o High Line.

Que espetáculo!

Ainda mais com um por do sol daqueles.

Apesar do frio, …

… curtimos muito todos os prédios espetaculares …

… que estão sendo construídos, …

… e os que já foram.

NY continua um verdadeiro canteiro de obras …

… e como estava no caminho, …

… fomos conhecer uma estabelecimento que merece a sua visita.

A Story é uma loja conceito (atualização. Aparentemente, ela foi vendida pra Macy’s)..

… e muito divertida.

Ela é montada como se fosse uma revista, ou seja, com várias reportagens ou ambientes, …

… e todo o seu acervo se modifica pelo menos 4 vezes por ano.

Certamente voltaremos, mesmo porque a loja vai mudar totalmente na outra segunda feira.

Voltamos andando, …

… demos mais uma passada pelo Chelsea Market …

… e fomos nos preparar pra ir jantar com dois amigões nova-iorquinos nossos: a Marcie e o Ciro.

E seria num restô toscano da gema, o Pepolino. É um lugar muito divertido e canastrone ao máximo, ou seja, italianaço.

Fomos logo escolhendo várias massas, conversando muito, (nada de “calar” a noite inteira, né, Ciro?) …

… e quando percebemos, já tínhamos que ir embora.

É claro que o papo foi tão bacana que não tiramos nenhuma foto, mas o por do sol e o High Line foram tão legais que preencher estes espaços com suas fotos foi até um prazer.

Já o outro dia, amanheceu também ensolarado.

E frio, como de costume.

Por causa disso, optamos por tomar café da manhã no bar do hotel.

E sabe que até que foi bonzinho?

Fomos pra NRF de Uber …

… e ficamos a manhã inteira …

… enfurnados e recebendo ótimas infos sobre …

… para onde se encaminhava o futuro do varejo.

Além do mais, recebemos altas dicas de lojas diferenciadas …

… que estão vendendo experiências para os seus clientes. Elas proliferam por aqui.

Aproveitamos o horário do almoço pra conhecer o Ivan Ramen.

Pra quem não lembra, ele era o tema de um dos episódios do Chef’s Table.

E a comida é especial.

É claro que pedimos ramen. Hahaha

A Dé, um veggie …

… e eu, um legítimo de Tokyo.

Os sabores são muito marcantes e a visita foi muito auspiciosa.

Voltamos pro Javits Center …

… com um vento gelado cortando as nossas peles.

Mais um período com palestras e visitas à feira …

… e retornamos pro hotel pra dar uma passeada pela próspera região do Meatpacking.

E ela é demais.

Demos mais uma parada na Starbucks Roastery Reserve …

… aproveitando pra tomar cafés, …

… comer um docinho …

… e admirar mais uma vez …

… este fantástico lugar.

Mais um pouquinho e …

… fomos visitar a loja conceito da Samsung, a Samsung 837.

Que é mesmo totalmente diferentona.

Primeiro, que ela não vende nada.

Segundo que lá você tem realmente …

… um monte de experiências,…

… tais como ver uma telona formada por celulares, …

… desenhar sobre uma foto tirada por você mesmo, …

… achar que está descendo uma montanha de neve …

… ver um tremendo telão com imagens do mundo inteiro …

… além de muitas outras coisinhas mais.

E tudo isso de graça.

Passamos também no que seria um pretenso concorrente do Chelsea Market, …

… o Gasenvoort Market mais parecia um “curuca” desta categoria.

Estávamos quase prontos pro jantar.

Que seria no Charlie Bird, um restô indicado pela restaurateur Cris Beltrão.

E que lugar!

Estava lotado em plena segunda a noite (faça reserva).

Pedimos coisas pra compartilhar, tais como excelentes batatas fritas, …

… beterrabas muito bem temperadas com nozes e pistaches crocantes, …

… farro com especiarias e hortelã …

… e uma burrata com abóbora.

Tudo absolutamente perfeito.

Voltamos pra casa pensando em como seria legal misturar o sono real com o sonho virtual.

See U!

Veja os outros dias desta viagem:
day One – USA – New York, New York.
day Two – USA – Andando muito nas lojas diferenciadas de NY.

.

 

dcpv – day one – usa – new york, new york.

22/01/2020 (trabalhado em 11/01/2019)

Day One – USANew York, New York.

E lá fomos nós pra NY.

O motivo principal seria participar da maior feira de varejo do mundo, a NRF, a National Retail Federation  …

… e assim, nos informar sobre tudo o que de mais moderno acontece/acontecerá no nosso ramo.

Mas é claro que aproveitaremos da situação pra dar uma boa passeada pela Big Apple. 🙂

Saímos de SP na quinta à noite …

… e chegamos de madrugada em NY.

Desta vez, ficamos em pleno Meatpacking.

E no hotel Dream Downtown, …

… um lugar hyppado …