Archive for the 'viagem' Category

dcpv – dia three – passeio gastronômico em dublin.

11/10/14

Dia threePasseio gastronômico em Dublin.

Acordamos na correria.

DSC05759

Tínhamos horário marcado (9:30hs) pra fazer um tour gastronômico por locais famosos pela qualidade do que servem por aqui.

DSC05761

Para tanto, tomamos um breve café da manhã no hotel

DSC05757

… e zarpamos correndo pra não perder a hora.

DSC05705

Chegamos pontualmente e a guia já estava nos esperando, junto com o restante do grupo que seria exatamente dois casais de irlandeses.

DSC05760

Iniciamos o passeio, conhecendo uma loja de queijos artesanais irlandeses.

DSC05769

A Sheridan’s Cheesemongers é especialista e experimentamos dois tipos de queijos (vá anotando que aqui começa a maratona).

DSC05765

Andamos um pouco, …

DSC05768

… passamos por bancas coloridas de flores (como elas são comuns por aqui) …

DSC05771

… e chegamos ao The Pepper Pot Café, …

DSC05774

… um lugar bonito e bem escondido, no segundo andar dum shopping.

DSC05773

Comidas frescas, pães artesanais; tudo é bacana por lá.

DSC05776

O segundo round da degustação foi um macio baguel com salmão defumado. Simplesmente delicioso.

DSC05775

Mais uma pequena caminhada e chegamos ao Market Arcade, …

DSC05787

… uma construção vitoriana lindísssima …

DSC05800

… e onde se encontra a nossa terceira parada, a Lolly and Cooks, um lugar com comida takeaway de qualidade.

DSC05782

Lá experimentamos uma torta (quase um rocambole) de carne de porco que estava dos deuses.

DSC05783

Andamos mais um pouco e chegamos a um legítimo pub, o The Swan.

DSC05799

É realmente um legítimo e antigo pub, …

DSC05792

… onde não poderíamos deixar de beber um tradicional trago de whiskie.

DSC05795

E isso em plenas 11:00 da matina!

DSC05796

Retornamos ao Market Arcade e logo na sua saída, fica a Cocoa Atelier.

DSC05790

É uma loja de chocolates artesanais da maior qualidade.

DSC05801

Até lustres do Philippe Starck tem por lá.

DSC05802

E tome mais uma experimentação:

DSC05803

Como não poderia deixar de ser, a Fallon & Byrne estava no roteiro.

DSC05718

Demos mais uma boa olhada em todo este sex shop, …

DSC05809

… com ruibarbos, …

DSC05806

… cogumelos …

DSC05807

… pimentões …

DSC05808

,.. e tudo o mais que um legítimo sex shop tem que ter. :)

DSC05812

Desta vez, degustamos uma bruschetta com pastrame, queijo e dill.

DSC05810

O tour estava chegando ao fim e a nossa última parada seria no mercado de sábado do Temple Bar.

DSC05816

Mais precisamente no The Temple Oyster Bar.

DSC05815

Terminaríamos esta verdadeira viagem experimentando legítimas ostras irlandesas acompanhadas dum Sancerre.

DSC05818

Foi o Grand finale prum tour que é imperdível.

DSC05819

Reservamos tudo pela internet e a Fab Food Trails é ultraprofissional.

DSC05772

Voltamos ao hotel prontos pra almoçar (brincadeirinha!).

DSC05821

O máximo que conseguimos foi comer uma sobremesa …

DSC05828

… e tomar flutes de champagne num dos lugares mais tradicionais de Dublin, o Bewley’s Café.

DSC05825

Dali seguimos para o Castelo de Dublin.

DSC05844

Taí uma visita interessante.”Erguido no local de uma fortaleza viking, foi sede do poder britânico durante sete séculos”.

DSC05877

“O edifício medieval desapareceu, ou quase. Ainda permanecem duas torres e fortificações subterrâneas. Acima do subsolo, salões do século 18 em cores vivas:…

DSC05845

… estuques, …

DSC05850

… tapeçarias …

DSC05847

… e marchetarias, …

DSC05854

… até a sala de baile com lustres de cristal.”

DSC05851

Enfim, vale o passeio e cada um dos 4,5€ pagos por pessoa.

DSC05857

Aproveitamos a proximidade, pra conhecer o acervo que o milionário americano Sir Chester Beatty colecionou durante a sua vida toda, …

DSC05871

… na Library homônima.

DSC05873

Retornamos ao hotel, pois faríamos a primeira verdadeira refeição do dia.

DSC05878

Um chá da tarde que nos foi oferecido em cortesia pelo próprio Westin.

DSC05880

A Dé e a Re pediram chás tradicionais.

DSC05888

Eu pedi uma versão mais modernosa, que veio com acepipes diferentes e mojito em vez do chá.

DSC05887

Ambas estavam muito gostosas e bastantes divertidas.

DSC05894

A Re e a De ainda pediram uma flute de champanhe pra acompanhar tudo.

DSC05883

Uma coisa é certa: o jantar reservado teria que ser cancelado! rs

DSC05893

Só sobrou escolhermos uma vinoteca pra tomarmos um bom vinho (o tempo frio ajudou bastante). E com o cansaço batendo na porta, só sobrou mesmo o bar do hotel.

DSC05823

O problema é que lá estava uma confusão danada, a ponto de uma japonesa pegar a nossa porção de batatas fritas, comer uma parte e depois descobriram que era a nossa batata!

DSC05898

Ainda bem que pedimos mais uma garrafa de Taitinger (estávamos treinando pra parte champagnesca da viagem) e todos os problemas foram resolvidos.

DSC05899

Pra melhorar tudo (se é que isso seria possível), o conjunto tocava Fly Me To The Moon. Melhor, impossível.

DSC05991

Bye.

Veja os outros dias desta viagem:
Dia one – A caminho da Irlanda.
Dia two – Dublin – Bebedeira à vista: Guinness e Jameson.

.

 

dcpv – à procura da coxinha perfeita.

05/06/15

À procura da coxinha perfeita.

A Dé fazia aniversário. Além deste fato glorioso, ela é simplesmente louca por coxinhas.
Daí a Re ter a ideia de criar um tour de coxinhas pela praia paulistana foi muito rápido.

IMG_7288

Dei uma boa olhada no Santo Google, peguei mais algumas dicas de pessoas importantes (amigos e parentes) e pronto: estava definido mais um roteiro da agência de turismo Luz Inc. Ltda.

IMG_7259

Iniciamos pelo que prometia ser a melhor de todas: a do Bar Veloso.

IMG_7265

Ele fica na Vila Mariana. Normalmente é cheio demais e não ficamos nem um pouco surpresos em encontrá-lo totalmente crowdeado e em plenas 7 da noite!

IMG_7261

Antes deixa eu explicar os critérios estabelecidos: nós três (é claro que a Re estava junto) daríamos notas para cada uma das 5 coxinhas experimentadas e levando em consideração a aparência, o sabor, a massa, a crocância e o recheio. Todas variavam de 0 a 10.

IMG_7281

As coxinhas do Veloso (R$27,60 por seis unidades) são muito boas, tem uma crocância espetacular e o sabor é especial.

IMG_7260

Pra elas demos, na média das opiniões, 45 pontos. Além de que as caipirinhas são imperdíveis (tomamos uma de tangerina com pimenta e outra de 3 limões).

IMG_7262

Saímos de lá (de táxi, off course) e fomos direto para o Baixo Augusta.

IMG_7267

Mais precisamente pra Z Carniceria.

IMG_7264

O lugar é bem maluco e experimentamos as coxinhas da Dadá (R$ 27,00 por 8 unidades) que são bem sequinhas (são pequenas), com sabor bom e um pouco pálidas.

IMG_7276

Demos 44 pontos e aproveitamos pra tomar um Cosmo e um Aperol.

IMG_7272

Dali rumamos pra terceira parada que seria no lugar mais popular de todos, a Padaria Brasileira (fomos a pé, já que ela fica também na Augusta).

IMG_7274

Pedimos a porção de mini-coxinhas de frango (R$13,00 com 11 unidades). Esta certamente foi a mais fraca de todas, tanto que sobraram cinco. Obtiveram 25 pontos.
Pra acompanhar o rítmo, tomamos uma Coca Zero (olha a gordura! rs).

IMG_7269

Logo depois, fomos pro Octavio Café, que fica na Faria Lima.

IMG_7277

Pedimos uma porção de coxinhas DOC e não nos arrependemos. Gastamos R$ 23,00 por 8 unidades e elas estavam crocantes, saborosas e bem sequinhas (é claro que acompanhamos com um óbvio café gourmet).
Elas repetiram a média da Z Carniceria e ficaram com 44 pontos.

IMG_7270

Estávamos quase finalizando e só faltavam as coxinhas gastronômicas do ótimo restaurante Attimo.

IMG_7280

Chegamos praticamente enfastiados, mas não nos negamos a pedir uma porção de coxinhas com recheio de galinha caipira e catupiry …

IMG_7286

… devidamente acompanhadas de flutes duma Moet Chandon.

IMG_7283

Foi covardia. Elas estavam muito crocantes, saborosas, com uma ótima aparência e um apresentação muito boa. Só nos sobrou dar 49 pontos em média para elas (R$24,00 por 4 pequenas coxinhas).

IMG_7284

Resultado da experiência: nós recomendamos muito este tour e de preferência nesta mesma ordem de experimentos. Além do mais, a Dé ficou extremamente satisfeita e feliz (assim como eu e a Re).
Ah, tem mais: coxinha harmoniza muito bem com champagne. :)

IMG_7282

Happy birthday, my love!

Bye.

.

dcpv – dia two – dublin – bebedeira à vista: guinness e jameson.

10/10/14

Dia two – DublinBebedeira à vista: Guinness e Jameson.

A ideia toda é começar com força total e entender a relação dos irlandeses com as bebidas.

DSC05554

Para tanto, acordamos cedo, tomamos o nosso lauto café irlandês da manhã no próprio hotel …

DSC05756

… e rumamos (literalmente, porque fomos pelo rumo) pra conhecer o processo de fabricação da cerveja Guinness.

DSC05557

Devido ao nosso pequeno atraso, pegamos um taxi, …

DSC05546

… tivemos nosso primeiro contato com o Rio Leaffy …

DSC05548

… e finalmente, chegamos a Guinness Storehouse.

DSC05556

O prédio histórico é muito bonito.

DSC05550

Fizemos um passeio guiado (reservei com desconto pela Internet. Faça isso.).

DSC05551

Descobrimos todo o processo de fabricação de uma das bebidas mais famosas do mundo.

DSC05563

É uma cerveja de personalidade e com um gosto bem diferentão.

DSC05603

Este vale o fotoblog:

DSC05555

DSC05558

DSC05560

DSC05569

DSC05581

DSC05587

DSC05590

DSC05595

DSC05597

DSC05615

DSC05617

Terminamos o tour no bar (óbvio), que fica no 7º andar.

DSC05638

E que bar!

DSC05626

Ele fica no último andar do prédio, é circular e tem um dos melhores visuais de Dublin.

DSC05627

Pra complementar, demos uma passada na lojinha, quer dizer, lojona que tem tudo o que você imagina relacionado com a marca.

DSC05645

Após comprar algumas lembranças, rumamos pra Jameson Distillery onde faríamos mais uma visita pra verificar in loco o processo de fabricação do famoso whiskey.

DSC05653

Chegamos a tempo de trocar o horário do nosso tour …

DSC05658

… e assim, permitir que almoçássemos no restaurante de lá mesmo.

DSC05655

Olha a comida até que foi boa, mas um tanto quanto pesada.

DSC05662

Fizemos uma mistureba com um frango cajum, uma sanduba indiano de carne no pão pita e fish&chips.

DSC05668DSC05666DSC05667

Pagamos a conta e o tour começou.

DSC05673

Tudo é bastante teatral.

DSC05679

Mas vale cada centavo conhecer a história de como este famoso whiskey é fabricado.

DSC05672

Como eu peguei o folheto explicativo em italiano, as várias fases são: …

DSC05676

… il granaio, …

DSC05680

… maltazione, …

DSC05685

… macinatura …

DSC05671

… ammostamento …

DSC05688

… ermentazione …

DSC05693

… e destillazione.

DSC05687

Capisce?

DSC05702

Por fim, degustamos o whiskie (é muito macio) puro e com gingerale, for the ladies.

DSC05698

Pegamos mais um taxi, voltamos ao hotel e fomos dar um pulo na rua comercialmente mais agitada de Dublin, a Grafton.

DSC05706

E tinha gente lá!

DSC05703

Ainda tentamos conhecer o parque St Stephens Green, mas o horário de fechamento estava muito próximo. Retornaremos.

DSC05704

Voltamos ao hotel porque o jantar prometia.

DSC05545

Afinal de contas, experimentar uma comida semimolecular em Dublin, no Amuse, já seria por si só um milagre.

DSC05755

E não é que foi bom? O lugar é bem pequeno e muito agradável.

DSC05754

Iniciamos os trabalhos com flutes de champagne e todos optamos pelo menu de três pratos.

DSC05721

Com esta escolha, simplesmente passamos a limpo todo o menu do restaurante.

DSC05727

Camarões …

DSC05737

… e bacalhau pra Dé.

DSC05745

Truta do Atlântico …

DSC05733

… e frango pra Re.

DSC05744

Codorna …

DSC05736

… e peito de pato pra mim (viu, sócios?).

DSC05741

Como sobremesas, dois bolos de pistache pras garotas …

DSC05746

… e um de queijos pra mim.

DSC05750

Além de bonitos, todos estavam deliciosos.

DSC05732

Sem contar que acompanhamos tudo com um Sancerre espetacular.

DSC05730

Resumo da dança irlandesa: foi uma refeição memorável.

DSC05725

Retornamos pro hotel com a certeza que Dublin é um lugar com personalidade e que deve ser descoberto com calma.

DSC05707

É o que faremos.

DSC05711

Bye.

Acompanhe o primeiro dia desta viagem:
Dia one – A caminho da Irlanda.

 

.

 

 

dcpv – estivemos no leste ou no centro da europa?

número 389
10/06/2014

Estivemos no Leste ou no Centro da Europa?

É incrível.

DSC02765

Não tem como voltar duma viagem bacana e não ficar impressionado com a gastronomia do lugar.

DSC02779

E como desta vez estivemos em Viena, Budapeste, Praga e Frankfurt, só nos restou tentar reproduzir por aqui uma noite com as receitas mais interessantes que provamos.

DSC02826

O resultado disto foi que, obviamente, escolhemos pratos que mais nos entusiasmaram e que tivessem uma certa facilidade na execução.

DSC02935

Vamos lá então ao jantar das iguarias do Leste Europeu (ou seria Centro, como a maioria dos moradores de lá gosta de falar?).

DSC04151

Entrada – Wursties

Através de uma pequena importação, conseguimos alguns wursts (mais conhecidos como salsichas).

DSC04168

Trouxemos a tradicional e uma branca temperada.

DSC04166

E o jeito de fazê-las foi grelhando num legítimo George Foreman …

DSC04170

… e servindo com mostarda, catchup e pão.

DSC04174

Simplesmente delicioso.

DSC04177

É claro que o normal seria acompanhar com canecas de cerveja, mas devido a impossibilidade de importação da cerveja alemã, optamos por tomar um vinho tinto argentino Malbec Machi 2012 que foi “sold out, mst, cigano igor machi, homeless“.

DSC04175

Principal – Schnitzel de porco com batatas.

Este prato também é comum em todas as cidades que visitamos.

DSC04184

E ele é nada mais do que um bife bem fino de carne (no nosso caso, de porco) bem temperado, …

DSC04148

… empanado em farinha de trigo, …

DSC04160

… ovos batidos …

DSC04161

… e farinha de rosca …

DSC04159

… posteriormente frito em azeite …

DSC04183

… e servido com batatas que foram cozidas e fritas.

DSC04158

A salsinha foi acrescentada pra dar uma cor ao prato …

DSC04190

… e deixá-lo ainda mais saboroso.

DSC04193

Como estava frio, aproveitamos pra tomar mais um vinho tinto, neste caso, o Monastrell Salinas 2011 que foi “try, msh, msw, mengolau“.

DSC04188

Sobremesa – Torta Sacher.

Esta torta é o cartão de visitas de Viena.

DSC02749

Todo lugar tem uma versão dela, se bem que a oficial é a da doceria do hotel homônimo.

DSC02506

Para fazê-la (e foi a Dé quem fez), basta derreter 140g de chocolate amargo em banho-maria. Retire do fogo e deixe esfriar.

DSC04124

Bata 170g de manteiga e 150g de açúcar até obter um creme leve e fofo. Aos poucos, acrescente 5 gemas e bata até chegarem a um tom claro.

DSC04126

Adicione o chocolate derretido frio e volte a bater. Aos poucos, junte 100g de farinha de trigo peneirada.

DSC04131

Bata as 5 claras em ponto de neve e adicione a massa com cuidado. Em seguida, despeje tudo numa forma com fundo removível.

DSC04134

Asse no forno preaquecido a 180°C por 50 a 60 minutos. Deixe esfriar por completo antes de retirá-la para colocar o recheio e a cobertura. O recheio é simplesmente geleia de damasco.

DSC04139

E pra cobertura, derreta 1 colher de sopa de manteiga e 110 g de chocolate amargo em banho-maria. Adicione 6 colheres e sopa de café forte e bata bem.

DSC04141

Peneire 175g de açúcar de confeiteiro junto com uma colher de chá de baunilha.

DSC04143

Espalhe a cobertura quente na parte de cima e nas laterais da torta.

DSC04145

Ficou tão absurdamente boa que todos repetimos (alguns, 3 vezes. :) ).

DSC04198

Eis a opinião dos tiroleses:
Viena? Praga? Budapeste? Tudo bom? (Edu)
Heil wurst!!! Heil schnitzel!!! (Mingão)
Salsichon! Bom! mas sem hotelson! (Deo)

DSC04181DSC04195

Bom foi isso.

DSC03290

A comida é um pouco mais pesada que as demais , mas não deixou de ser um espetáculo.

DSC03391

Não é a toa que eles gostam tanto de música clássica.

DSC02737

Sbohem.

.

 

dcpv – dia one – a caminho da irlanda.

09/10/14

Dia oneA caminho da Irlanda.

A Irlanda não estava na nossa wish list. E só entrou porque a Re encaixou Dublin no roteiro da viagem dela e aproveitaríamos pra nos encontrar por lá.

DSC05652

Mas, vamos começar do princípio.

DSC05491

Primeiro dia de viagem é um dia perdido, certo?

DSC05468

Neste caso estava certo, mas por culpa única e exclusiva da Air France.

DSC05483

Afinal de contas, chegamos no novíssimo terminal 3 de Cumbica …

DSC05467

… (está bem bacana mesmo, apesar de alguns probleminhas técnicos tais como elevadores pequenos, estacionamento, etc) …

DSC05470

… e recebemos a notícia de que o vôo estava 4 horas atrasado.

DSC05485

Toca a trocar a conexão e ter que aguardar mais 6 horas!

DSC05475

Tudo bem, usaríamos a nova sala VIP, mas foi, certamente, um exagero este atraso.

DSC05465

No mais, fizemos um vôo tranquilo (ponto para a TAM na comparação geral com a Air France).

DSC05477

Assim como tranqüila foi a conexão no CDG para Dublin.

DSC05484

Foram somente 3 horas, mas confortáveis o suficiente pra não reclamarmos muito.

DSC05490

O vôo pra Dublin também foi sossegado e logo chegamos ao The Westin Dublin, um hotel muito bacana …

DSC05489

… e muito bem localizado.

DSC05493

Aproveitamos que a Re já estava na área (ela veio um dia antes de Amsterdã) e fomos conhecer a região próxima ao hotel.

DSC05498

Logo de cara demos uma passada na Trinity College.

DSC05499

Não só porque temos esta vista do quarto, …

DSC05497

… mas, principalmente, pra dar uma situada em tudo.

DSC05504

E o lugar é de impressionar.

DSC05500

Antigo, tradicional e bonito.

DSC05501

Certamente voltaremos.

DSC05503

Circulamos também pela região do Temple Bar.

DSC05506

Que apesar de ter um bar com este nome, delimita todo um espaço com muitos restaurantes, pubs e lojas.

DSC05510

Parece mais um lugar pega-turistas, mas é muito bonito e interessante.

DSC05508

Voltaremos também pra ver com mais tranquilidade.

DSC05509

Estávamos dando sinais de cansaço.

DSC05496

Jetlag dum fuso de 4 horas ajuda bastante você se sentir deste jeito.

DSC05492

Aproveitei pra repetir um costume: jantar no restaurante do hotel no dia da nossa chegada.

DSC05495

Assim chegamos ao The Mint Bar, que seria o nosso primeiro contato com a real culinária irlandesa (será que ela existe?).

DSC05542

De verdade, deu pra perceber é que por aqui impera uma tremenda miscelânea de sabores e culturas. Pra ter uma ideia, tomamos um legítimo champagne francês, um Tatitinger, …

DSC05540

… comemos um hambúrguer de cordeiro (americano), …

DSC05536

… um frango apimentado (thai) ….

DSC05538

… e batatas eximiamente fritas com pesto e parmesão (ítalo-americanas).

DSC05535

Tudo perfeito e num ambiente em que o jazz Standard americano corria solto. Só nos restou curtir bastante o local …

DSC05541

… e pegar o elevador pra nos levar praquela caminha quentinha e aconchegante.

DSC05712

Amanhã vamos tomar pé de Dublin e curtir tanto uma visita à cervejaria Guinness

DSC05556

… como à whiskeria Jameson.

DSC05675

Bye, hic!

.

dcpv – abruzzo, uma região aprazível.

número 395
12/08/2014

Abruzzo, uma região aprazível.

“O pulmão da Itália, como é chamada a região que compreende o maior número de reservas naturais do país, conserva traços de uma área que ficou isolada no mapa ao longo de séculos, protegida pelos imponentes e gélidos montes Apeninos”.

DSC04577

Esta é a descrição da região italiana de Abruzzo que consta da Coleção Folha Cozinhas da Itália.

DSC04502

E é bem convincente quanto ao fato de aguçar o interesse em se fazer um menu só com receitas de lá.

DSC04557

Vamos lá, então, experimentar as delicias abruzzianas (e colocar mais um lugar da Itália na wish list).

Entrada – Pallotte e Funghi trifolatti.

Pallotte. Taí um nome dificil de adivinhar o que significa. Na verdade, são bolinhos de queijo ao sugo.

DSC04553

E são feitos da seguinte maneira: amasse 500g de ricota (preferencialmente de leite de cabra) com um garfo e misture com 200g de queijo pecorino ralado, 100g de farinha de rosca e 1 ovo (no meu caso, tudo by sex shop).

DSC04505

Modele os bolinhos e empane-os em ovos batidos e farinha de rosca (necessariamente nesta ordem).

DSC04508

Reserve na geladeira em recipiente fechado, por ao menos 30 minutos. Frite-os submersos em óleo quente até ficarem dourados.

DSC04541

Enquanto isso, faça um molho ao sugo refogando dois dentes de alho socados em 3 colheres de azeite e uma lata de tomates pelados.

DSC04523

Sirva os bolinhos e por cima, o molho quente.

DSC04554

Já no caso dos funghi fica mais fácil de saber o que são.

DSC04537

No caso, simples cogumelos erynghi refogados.

DSC04542

E numa base com manteiga, azeite, 1 dente de alho e salsinha picada. Tempere com sal a gosto e cozinhe em fogo baixo por cerca de 5 minutos, até o cogumelo ficar al dente.

DSC04547

Sirva tudo muito quente e você certamente se divertirá, assim como nós.

DSC04556

Pra melhorar um pouco, tomamos o vinho branco Sol Torres 2012 que foi “insolarado, ençolarado, deuce, fenix“.

DSC04559

Principal – Gnocchi di zafferano com verdure.

“Perfeitamente adaptado ao clima dos montes Apeninos, o açafrão confere cor, sabor e aroma à massa e ao molho desta clássica receita”.

DSC04518

Bom, os gnocchi são feitos da maneira comum com somente um diferencial, o açafrão.

DSC04569

Portanto, misture 700g de batatas cozidas e passadas pelo espremedor, 200g de farinha de trigo, 2 colheres de sopa de azeite, 1 envelope de açafrão em pó diluído numa solher de sopa de água quente, 1 ovo e sal a gosto e trabalhe rapidamente até formar uma bola.

DSC04519

Enrole porções de massa numa superfície enfarinhada, formando rolinhos de cerca de um dedo de espessura e corte-os em pedaços de 2 cm. Reserve.

DSC04535

Para o molho, fatie uma abobrinha e 1 cebola em rodelas bem finas. Corte 1 pimentão vermelho e 1 verde à julienne (mais conhecido como fatias finas).

DSC04524

Refogue a cebola no azeite, junte os pimentões e a abobrinha e, assim que murcharem levemente, acrescente dois envelopes de açafrão em pó diluídos numa concha de caldo de vegetais. Cozinhe por 25 minutos.

DSC04531

Enquanto isso, cozinhe os gnocchi.

DSC04562

Regue-os com o molho ainda quente e sirva em seguida.

DSC04568

Delícia pura.

DSC04573

Pra acompanhar, tomamos um vinho tinto Alturis 2012 que foi “pátria-mãe, alpes suiços, pico da Bandeira, habemos vinus“.

DSC04572

Sobremesa – Panna cotta com salsa all’albicocca.

Panna cotta é super fácil de reconhecer. Já a albicocca vou deixar um pouco pra frente.

DSC04580

E pra fazer a tal, junte ½ litro de leite com 500g de creme de leite fresco e 50g de açúcar e leve ao fogo até dissolver os cristais, sem deixar ferver. Agregue algumas gotas de baunilha. Hidrate 1 folha de gelatina em ¼ de xícara de água, adicione ao creme e mexa até dissolver. Distribua a mistura em forminhas e leve à geladeira por ao menos 3 horas.

DSC04579

Enquanto isso, hidrate 200g de damascos secos (sim, as albicoccas!!) em água morna por 20 minutos. Leve 2 e ½ xícaras de água e 1 e ½ xícara de açúcar ao fogo, mexendo até o açúcar derreter.

DSC04513

Junte o damasco e cozinhe por 20 minutos ou até que a calda engrosse. Deixe esfriar e reserve na geladeira.

DSC04533

Desenforme a panna cotta e regue-a com a calda na hora de servir. Delícia, ainda mais com as albicoccas.

DSC04582

Eis a opinião dos abruzzeiros:
Tudo absolutamente per-fec-to! (Edu)
Superação. (Mingão)
Caiamba! Espetáquila! (Deo)

DSC04560DSC04574

“Das bucólicas montanhas, onde pequenas cidades parecem ter parado no tempo e também do mar Adriático que banha a sua costa, os abruzeses extraem inspiração e bons ingredientes para uma cozinha simples, ao mesmo tempo enriquecida pelo sabor e cor pronunciados do açafrão ou pela farta variedade de trufas encontradas nos arredores de L’Aquila”.

DSC04522

Açafrão? Trufas?

DSC04503

Precisamos ir pra lá rapidamente! :)

DSC04538

Arrivederci.

.

dcpv – dia elf – Frankfurt – alalaô, ô, ô, ôôô.

07/06/2014

Dia elf – Frankfurt – Alalaô, ô, ô, ôôô.

Frankfurt se abrasileirou.

DSC04046

Afinal de contas, marcar 33°C em plena primavera não é mole, não.

DSC04027

Iniciamos o dia acordando um pouco mais tarde e indo tomar o ótimo (talvez o melhor da viagem) café da manhã do hotel.

DSC04006

Resolvemos seguir as dicas do concierge e dar uma passeada pela região.

DSC04013

Primeiramente fomos conhecer a Unterman-Schweizer Str.

DSC04014

Ela é uma rua cheia de restaurantes, …

DSC04016

… mercados de rua …

DSC04022

… e lojas bacanas.

DSC04018

Tão bacanas que a Dé se entusiasmou e comprou algumas peças de roupa na LEMLI.

DSC04017

Depois de lá, passamos novamente pelo centro pra comer mais duas salsichas e tomar uma caneca de chopp numa daquelas barracas de rua.

DSC04044

Aproveitamos a proximidade pra conhecer o Kleinmarkthalle, um mercado bem ao estilo do nosso Mercadão, só que muito melhor!

DSC04054

Segue o minifotoblog do lugar:

DSC04031

DSC04032

DSC04036

DSC04038

DSC04040

E como diziam que lá é servido o melhor curryworsth de Frankfurt, aproveitamos pra comer uma outra salsicha, só que desta vez acompanhada por uma taça de Riesling.

DSC04050

Olha, quem falou que a salsicha de lá é a melhor, acertou. Ainda passamos pela catedral, a Dom que é imensa e muito bonita.

DSC04057

Depois de fazermos os três desejos, …

DSC04061

… resolvemos que era hora de voltar pro hotel e fazer uma happy hour.

DSC04066

E tome duas flutes de Louis Roderer rosé pra apaziguar o calor que, a esta hora, era insuportável.

DSC04065

Incrível, já era hora de jantar. E pra encerrar o nosso tour, seguimos novamente o concierge do hotel que nos indicou um lugar tipicamente alemão e (segundo ele) romântico.

DSC04067

Era tudo o que precisávamos. O Gerbermühle é bem antigo e muito alemão.

DSC04068

E pior, chegamos com uma má impressão já que o lugar era estranho, a beira do rio e com areia no chão. Parecia um pouco um daqueles pega-turistas desavisados.

DSC04073

Mas como tinha um montão de famílias alemãs acreditamos nas possibilidades e não erramos. A comida é muito boa.

DSC04079

A Dé pediu uma salada de aspargos com camarões, salmão defumado e uma tortilla de batatas. Tudo espetacular.

DSC04081

Eu fui no popular schnitzel com batatas ao forno e bacon. Mais uma delícia!

DSC04085

Acompanhamos tudo com champagne e vinhos alemães.

DSC04076

E ainda tivemos a oportunidade de ver o belíssimo cair da noite …

DSC04087

… com o skyline de Frankfurt ao fundo.

DSC04088

Claro que pra finalizar realmente a viagem, ainda teríamos uma manhã na cidade.

DSC04095

Como estava um calor danado, aproveitamos pra pegar o ônibus de turismo e dar uma volta pelos principais pontos.

DSC04102

Descobrimos o óbvio; que Frankfurt não é uma cidade muito turística.

DSC04105

Mas aproveitamos pra conhecer a parte nevrálgica da cidade, o distrito financeiro, a Ópera e a Estação Central.

DSC04103

Resumo da viagem: qual é a diferença entre Viena, Budapeste e Praga?

DSC03861

Viena nos pareceu bem clássica, com atrações distantes uma das outras e extremamente plana; em Budapeste, as atrações são mais próximas e uma parte da cidade é plana e outra, não e em Praga, todas as atrações são bem próximas com o terreno sendo um pouco irregular.

DSC03534

O que isso significa? Significa que realmente o ideal é o que todo mundo faz: visitar as três na mesma viagem e assim tirar as suas próprias conclusões, pois as três são espetaculares.

DSC03026

Até a próxima.

Acompanhe os outros dias desta viagem:
Dia eins – Viena – Conhecendo a terra da Sissi.
Dia zwei – Viena – Sississiricando.
Dia Negy – Buda cabra da peste.
Dia ot – Budapeste –Ô cidadezinha bacana. Egêszségédre!
Dia sest – É uma Praga!
Dia sedm – Praga – Isto sim é que é uma cidade.
Dia osm – Andando de Segwen, ops, Segway em Praga.
Dia devét – Praga – Vsechno nejlepsi, má lasko.
Dia zehn – Frankfurt – A terra da salsicha.

 

.

 


É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se a 535 outros seguidores

Blog Stats

  • 1,181,731 hits
julho 2015
S T Q Q S S D
« jun    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Atualizações Twitter


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 535 outros seguidores