Posts Tagged 'cusco'

Qosqo II – Cusco e o Vale Sagrado

Aqui, a lhama é sagrada
12/10/09

Qosqo II – Cusco e o Vale Sagrado

Foi uma noite muito mal dormida. Na altitude de Cusco  (3360 m), o  soroche atacou e tivemos dor de cabeça a noite toda.

Mas com um pouco de adaptação e somando-se o fato de ser uma segunda-feira e feriado na Grande Ferraz de Vasconcelos, o dia prometia.

Fomos, logo cedo,  passear de ônibus  pelo Vale Sagrado.
E porque é sagrado? Porque num lugar onde a vegetação é escassa e a água mais ainda, ter um rio (o Urubamba) faz a diferença.

A primeira parada foi em Pisac.  Povoada desde o seculo X, foi uma importante capital regional desde a chegada dos incas.

E o resquício disto tudo é exatamente o Mercado de Artesanato, uma grande mistura de Guaianazes e São Miguel Paulista Peruanos onde você tem que esforçar pra achar produtos legais pra comprar, já que a maioria vende praticamente as mesmas coisas. Sabe aqueles vendedores de biju no caminho pra praia? rs
Se bem que compramos um joguinho de xadrez onde os incas enfrentam os espanhóis que é muito legal!!

Foi em Pisac que tivemos o primeiro contato com a variedade de batatas  (segundo eles, mais de 2000!!) …

…e com os mais de 80 deliciosos tipos coloridos de milhos!

Teresa Perez (agência que fizemos o pacote pela região Cusco/Machu Picchu) organizou um belo almoço-picnic na beira da estrada …

 

… e de frente pras famosas terraças onde os peruanos, especialmente os incas, plantavam todos estes produtos.

Fomos sempre acompanhados por simpaticíssimos habitantes do lugar.

A tarde, conhecemos Ollantaytambo, uma fortaleza espetacular que é praticamente uma cidade inca viva.

O grupo se dividiu pois tínhamos que subir um montão de degraus pra conhecer tudo (é claro que fomos!) e o nosso guia, o midiático Pepe Villena aproveitou pra nos explicar exatamente como os incas conseguiam transportar as famosas pedras pros seus devidos lugares. Reparem nas rampas feitas no formato de cunha.

E até monitor de vídeo os incas tinham !! (Um tanto ultrapassados pois não eram de LCD! rs).

Voltamos pra nossa base em Cusco, o hotel Monasterio e conseguimos ver um lindo por do sol.

A noite fomos jantar no MAP, o restaurante que fica dentro do Museu Pré Colombino e que é totalmente de vidro! O restaurante, óbvio! Ele é muito perto do hotel!

Lindo e com uma comida de primeira.  O soroche atacava mais timidamente, então a Dé pediu Ravioli com aji …

… e eu, fui de Cuy.

Ou melhor. Pernas crocantes e torresmentas de Porquinhos da Índia. Uma delícia!!  

Um grande dia. Um dia sagrado!

Hasta.

PS – Antes que eu me esqueça e acho que alguém teve a curiosidade: Qosqo é Cusco em quíchua, uma das línguas nativas do Peru e  significa “umbigo do mundo”! 

.

Anúncios

Qosqo I – Cusco e o Soroche (o mal da altitude!)

ai, que dor de cabeça!
11/10/09

Qosqo I – Cusco e o Soroche (o mal da altitude)

Voo de Lima pra Cusco. 1:15 hs depois, chegamos.
Todo mundo nos prevenindo sobre o provável mal estar que teríamos devido a altitude da cidade (3360 m), o tal do soroche.

Antes de sentirmos alguma coisa, ficamos maravilhados com a visão toda marrom da cidade. Alguma coisa parecida com uma daquelas cidades toscanas ( guardadas  as devidas proporções, óbvio!)

Fizemos o checkin no hotel Monastério e descobrimos o quão bonito e majestoso ele é.
Um verdadeiro Mosteiro reformado, com o pátio interno ajardinado …

… e várias obras de arte da escola Cusquenha, inclusive nos quartos. Esta por exemplo, estava dentro do nosso!

Fomos fazer o reconhecimento da área e almoçamos no Granja Heidi, um veggie muito bom onde comemos batatas a la Huancaina

…  lomo saltado (ele parece feio e um pouco com o do Olivier, mas é gostoso) …

…uma bela massa com pimientos, ajis, rocotos

… e tomamos mais algumas chichas moradas. Estávamos começando a ficar viciados nelas!

Voltamos ao hotel e o nosso guia, o excêntrico Pepe Vilhena já nos esperava pra nos mostrar o Centro Histórico de Cusco.

Tomamos um chá de folhas de coca ( é, o soroche já estava dando sinais de vida!) e fomos pra Plaza de Armas, onde tudo acontece. Foi lá que toda a cultura peruana, inclusive a  inca se desenvolveu e esta praça era usada pra fins cerimoniais.

Lá também ficam La Catedral e a Iglesia de La Compañia.

 

Fomos ao Convento Santo Domingo e ao Qorikancha, um templo construído em honra a Inti, o Deus-Sol e que tinha os muros de pedra revestidos de ouro e pedras preciosas. Uma beleza!

 

Pudemos ver também os famosos encaixes perfeitos de pedras  de construções incas, uma marca registrada.

E ainda a fortaleza de Sacsayhuaman (diz-se SexyWoman), um exemplo da inteligente (e,em alguns casos, megalômana) arquitetura inca.

Pedras de até 80 t ( imagine o transporte disto) se encaixam perfeitamente formando 3 níveis de muros em ziguezague que se estendem por uns 300 m. Um absurdo de grande! 

Com a cabeça estourando (o soroche atacou a mim e a Dé), voltamos ao hotel, tomamos mais chá de coca, mascamos folhas de coca e fomos jantar no Chez Maggy, um lugar mais bicho-grilo ainda que o Granja Heidi.

 

Decoração estranhíssima com gente mais estranha ainda. Eu não sabia se era o soroche que estava atacando ou se o lugar é assim mesmo. Fico com as duas hipóteses!!

 

De qualquer maneira, a pizza de lá é excelente!

Comemos e voltamos pro hotel, não sem antes esbarrar num daqueles vendedores de pinturas que se intitulava Ronaldinho Gaúcho e que me “empurrou” uma bela pintura em crayon da Catedral por exatos U$ 32.

É, acho que o soroche nos atacou profundamente!!

Hasta.

.

Bike tour por Lima – Peru

beiceiceeleetea
10/10/09

Bike tour por Lima – Peru

Saímos daqui de São Paulo com este tour reservado através da agência especializada Gouté.
Como já descrevi, Lima é uma cidade litorânea totalmente estranha já que a praia fica uns 50 m abaixo do nível da cidade.

Pra fazer um passeio de bicicleta, só se for pela parte alta. E foi o que fizemos.
Às 9:00 hs em ponto, estávamos na Bike Tours pra pegarmos as nossas magrelas e sairmos pra fazer o Bay Tour  junto com o nosso guia, o José. Veja a foto da família já que eu estava conversando com a Re pelo celular:

Começamos pelo Barranco, o bairro boêmio e artístico da cidade  (é quase uma Vila Madalena). Passamos pela orla e chegamos a iglesia La Ermita, onde é fácil de se ver o estilo de construção inca …

…e a Puente de los Suspiros, onde diz a lenda que quem a atravessar sem respirar, terá o seu desejo (que foi pedido logo em sua entrada) atendido.  Fizemos os tais pedidos e quase “morremos” asfixiados!! rsrs

Continuamos por Chorrillos, uma bairro heróico pois foi lá que os peruanos lutaram contra os seus inimigos mortais ( inclusive, até hoje!), os chilenos. É bem antigo e tem  até uma vila de pescadores .

Voltamos pedalando e fizemos um pit stop no bar Yazu, um pé-sujo peruano muito bom !

Por uma coincidência, o José tirou uma foto nossa que tem tudo a ver com o nome do bar. 

Lá comemos um sanduba de chincharrones (quase um de pernil de estádio de futebol) e tomamos a nossa primeira chicha morada, que é um fermentado de milho muito popular no Peru. Pra quem nunca experimentou tem um gosto de suca de uva mais aguado  e como eles usam algumas especiarias também ( cravo, canela, etc), resulta em algo parecido com um vinho quente frio. 

Voltamos e ainda passeamos por todo o bairro Miraflores, quase um Jardins deles  e que tem vistas estonteantes do mar. Dentre elas uma das mais belas, a do restaurante La Rosa Naútica que fica literalmente dentro do mar (e que não fomos pois a agenda e os nossos estômagos estavam lotados!).

Antes de encerrar o tour ( ~4 hs de duração) passamos pelos parques da orla marítima alta onde existe o parque do Amor…

… e até uma mini-imitação dos bancos do Parque Güell.

À tardinha, comemos como lordes ingleses. Deixa eu explicar melhor!
Fomos tomar um “lonche” que nada mais é do que uma herança deixada pela cultura inglesa durante o sec XIX que é mantida até hoje.
É isto mesmo! Um chá da tarde com várias comidinhas especiais no La Bonbonniere.

Nos serviram  sanduíches ( triple multicolor, triple de aceituna, butifarra de jamon ingles e empanada) …

… doces (milhojas de manjarblanco, alfajores, turron da D Pepa e Pionono)…

… além de chás e cafés. Muito interessante este costume angloperuano e o restaurante também é bem bonito. Curiosidade: manjarblanco é a mesma coisa que doce de leite. 

Cansados, retornamos ao hotel com o fog de Lima cada vez mais presente. E desta vez justificado já que acabamos de tomar um legítimo English Té!!

Hasta. E hasta Cusco ( ou melhor Qosqo) 

.


É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se a 644 outros seguidores

Comentários

Blog Stats

  • 1,353,895 hits
novembro 2017
S T Q Q S S D
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Arquivos

Atualizações Twitter