Posts Tagged 'dcpv'

dcpv – seventh day – usa – ny – mistura bombástica: compras e psycho killer.

17/07/2021 (vivido em 15/01/2020)

Seventh Day – USA – NYMistura bombástica: compras e Psycho Killer.

Como sempre, o tempo da Big Apple nos surpreendeu.

Após dois dias muito broncolhões …

… (ainda bem que estávamos na NRF), …

… o sol nasceu com galhardia.

Um céu absolutamente azul …

… nos convidou a sair da cama e …

… curtir o que NYC tem de melhor.

Shopping? Sim, mas shopping com experiência.

Foi praticamente este o tema da NRF.

Você precisa oferecer ao seu cliente um enredo tão bacana …

… que mesmo após fazer a sua compra, ele continue encantado.

Então aproveitamos as dicas e fomos atrás de lojas que praticam (ou tentam) isto.

Tomamos um belo café da manhã, …

… no nosso novo queridinho, …

… o Pastis, …

… pegamos um Uber (como eles funcionam bem por aqui) e …

… fomos “SoHar”.

A primeira parada foi na Champion, uma loja de artigos esportivos, …

… que achamos bonitinha, mas normalíssima.

Em seguida, passamos na Em Pty.

O trocadilho do nome é bem bacana e a loja é trendy demais.

Passear pelo SoHo é um grande deleite e …

… ainda conseguimos ver uma filmagem …

… do que parecia ser uma série ou até mesmo um filme.

O aparato era imenso. Coisas de NY.

Andamos mais um pouquinho até chegarmos à Levi’s.

Esta loja é muito legal, …

… tem inclusive uma área para customização.

A próxima foi a Stance, uma das nossas queridinhas e …

… que vende …

… meias.

Sim, meias e as melhores do mundo. 🙂

E já que o assunto eram meias, aproveitamos pra ir na loja dos melhores sapatos do mundo.

São, no mínimo, os mais trends.

Allbirds é especialista em fazê-los muuuuuito confortáveis e de um modo totalmente sustentável.

Logo ao lado, a loja do MoMa extrapola …

… no quesito “que coisa bonitinha” e …

… “como é que eu nunca tive uma destas“?

E aí você as compra!

Visitamos mais uma, a Converse, aquela do All Star e …

… não achamos grande coisa também.

Em seguida, a Showfields, autointitulada a loja mais interessante do mundo …

… mostrou que realmente parece ser.

O espaço todo é bem malucão …

… com um café modernoso e …

… ela é totalmente formada por stands transados e …

… ocupados por empresas novas …

… que  produzem coisas totalmente diferentes dos usuais (isto acima é um teclado).

Ou seja, a loja é mesmo incrível e …

… vale uma visita.

Compramos algumas coisas bem legais na lojinha deles.

Continuamos andando e …

… respirando o ar maravilhoso do SoHo …

… quando resolvemos comer alguma coisa.

Escolhemos o Le Pain Quotidien.

Fomos de quiche de vegetais e …

… uma tartine de muçarela e pesto.

Apelamos pro Uber novamente e …

… fomos praquela maravilha que é o Oculus

… mais conhecida como a estação de metrô …

… do World Trade Center.

Que beleza!

Aquela construção bonita …

… do gênio Santiago Calatrava …

… nos faz pensar …

… no que o homem é capaz de fazer quando está …

… realmente inspirado.

E olha que nem sabia que ela foi idealizada com o principio de representar um olho mesmo e …

… que uma vez por ano, eles abrem o pequeno teto retrátil …

… pra que seja vista a torre da Liberdade e …

… pra que a humanidade nunca se esqueça de 11/09.

Sublime, né?

Ainda demos uma passadinha na região, …

… entramos no Target, …

… só pra comprar algumas coisinhas e …

… dar uma “secada” na programação visual deles …

… que é linda.

Ainda deu tempo …

… de curtir aquele por do sol …

… maravilhoso, …

… fazer um leve happy hour …

… na não menos Starbucks Reserve Roastery …

… com direito a coquetéis especiais à base de café, …

… uma passada no Chelsea Market e …

… nos prepararmos pro acontecimento de hoje a noite.

Iríamos assistir a um show do incrível David Byrne.

Pra quem não sabe, ele foi o criador do Talking Heads e …

… atualmente, está fazendo um show na Broadway, o American Utopia

… só que sendo ele mesmo.

É claro que ele canta algumas músicas antigas, …

… mas o show todo é de uma singeleza e …

… ele tem tanto carisma …

… que fica impossível não gostar do espetáculo.

E os 100 minutos de duração passam muito rapidamente …

… seja pelo showman que o David é, …

… seja pela habilidade dos músicos que compõe a banda (tem um brazuca lá), …

… seja pela atmosfera reinante.

Em suma, quando percebemos, …

… estávamos todos dançando e …

… cantando Burning down the house.

Mais alto astral, impossível.

Só nos restou voltar pro hotel, …

… dar uma derradeira passada na Starbucks Reserve e …

… ir descansar.

Ufa, NY não é fácil, não.

Psycho killer, qu’est-ce que c’est … 

Veja os outros dias desta interessante viagem:
First day – USA – Boston – Sem piadinhas, por favor!
Second day – USA – Boston/NYC – Um contraste incrível e uma constatação mais ainda. Incrível mesmo é o The Vessel.
Third day – USA – NYC – A cidade que nunca dorme. E nós também.
Fourth day – USA – Nova York – Varejando, passeando e comendo bem na Big Apple.
Fifth day – USA – NYC – Conhecendo o The Vessel, o vaso chic por dentro.
Sixth day – USA – NYC- Tem NBA, estamos lá!

 

 

dcpv – sixth day – usa – nyc – tem nba? estamos lá.

14/01/2020

Sixth Day – USA – NYCTem NBA? Estamos lá.

Hoje seria o último dia da NRF (National Retail Federation).

Ou seja, o “trabalho” estaria terminando e …

… começaria verdadeiramente o lazer! Hahaha

Quer dizer, quase …

… pois ainda tínhamos planos de conhecer …

… um montão de lojas bacanas.

Acordamos cedo e …

… fomos tomar um ótimo café da manhã …

… no Pastis.

Sim, o o restaurante de ontem a noite.

De lá, pegamos um Uber e fomos pro Javits Center.

A programação era intensa e …

… a única janela, …

… seria pra almoçar num velho conhecido nosso, …

… o grego e queridinho Estiatorio Milos.

O divertimento é sempre garantido e foi.

Incrível, mas ele estava totalmente lotado.

Pedimos o trivial, …

… pra não atrasarmos pra tarde de encerramento da NRF.

Ceviche de peixe (o nosso mais do queridinho), …

… torre de berinjela e abobrinha fritas (as nossas queridinhas) e …

… uma ótima lula recheada (lula não é o nosso queridinho).

É claro que com o acompanhamento de duas taças dum excelente Chardonnay de Sta Bárbara, além duma Baklava daquelas.

Absolutamente perfeito!

Totalmente reabastecidos, retornamos pro Javits.

Assistimos a umas palestras meia bocas e …

… só ficamos até a última, …

… porque a atração seria uma estrela de Hollywood; Gwyneth Paltrow é o nome da criança.

Ela mostraria como funciona o seu site de relacionamento/comportamento/moda, o Goop.

Foi legal, mas nada de excepcional.

Tentamos pegar um Uber pro hotel, mas a coisa estava dura, …

… porque o frio batia forte (era janeiro) e começou a chover.

Resolvemos ir até o Hudson Yards …

… o que facilitou bastante.

Retornamos pro hotel, …

… demos uma breve descansada e …

… estávamos prontos prum programa que adoramos.

Fomos até o Barclays Center, no Brooklyn, …

… ver um jogo dos Brooklyn Nets.

NBA é sempre certeza de divertimento e prazer.

E foi o que aconteceu.

Brooklyn Nets e Utah Jazz se enfrentaram e …

… a expectativa seria se o grande Kyre Irving jogaria?

Jogou, fez os 30 pontos dele, …

… mas não adiantou nada, porque os Nets tomaram uma bela sova do Jazz.

Tudo bem que ver Kyrie Irving, …

… DeAndre Jordan, …

… Ingles e o gigante francês, o Gobert, …

… bem na sua cara …

… foi mais do que empolgante.

Mas, nesta hora prevaleceu a categoria do time de Utah.

Só nos restou curtir o espetáculo todo e …

… imaginar como seria bom ter tudo isto …

… no nosso querido Brasil.

Imagine ter a disponibilidade de ver espetáculos …

… desta magnitude praticamente a hora em que você quiser?

Bom, por enquanto, vamos curtindo a cada vez que viajamos …

… porque é mesmo imperdível.

Resultado?

O Jazz, que é um time muito mais estruturado, ganhou a partida tranquilamente, …

… mas o Kyre Irving mostrou porque é um cracaço.

Dá pra imaginar quando o Kevin Durant estiver apto …

… como será o desempenho deste time?

Certamente estaremos aqui no Barclay (sem corporativismo) …

… vendo tudo isso.

E o jantar?

Tivemos que apelar e comer o que provavelmente foi uma das piores pizzas ever.

São os ossos do ofício. Hahaha

Bom, amanhã iniciamos o nosso tour particular pelas incríveis lojas do SoHo.

Como diria o grande SS, aguaaardeeeem.

See U.

Veja os outros dias desta interessante viagem:
First day – USA – Boston – Sem piadinhas, por favor!
Second day – USA – Boston/NYC – Um contraste incrível e uma constatação mais ainda. Incrível mesmo é o The Vessel.
Third day – USA – NYC – A cidade que nunca dorme. E nós também.
Fourth day – USA – Nova York – Varejando, passeando e comendo bem na Big Apple.
Fifth day – USA – NYC – Conhecendo o The Vessel, o vaso chic por dentro.

.

dcpv – fifth day – usa – nyc – conhecendo o the vessel, o vaso chic, por dentro.

19/06/21 (muito bem vivido em 13/01/2020)

Fifth Day – USA – NYCConhecendo o Vessel, o vaso chic, por dentro.

Segundo dia da feira de Varejo, da NRF, em plena NY.

Tudo bem que ficaríamos praticamente o dia inteiro ouvindo palestras de figurões e …

… aprendendo um montão de coisas interessantes, …

… mas também sobraria tempo pra curtir algumas coisas que só NY te proporciona.

Por exemplo, …

… tomar um belíssimo café da manhã …

… na extraordinária …

… Starbucks Reserve Roastery.

De lá fomos pro Javits Center e …

… do Javits, para o Hudson Yards …

… onde almoçaríamos no TakRoom, o restaurante do chefaço Thomas Keller.

O lugar é bem clássico, quase uma lanchonetona chic, …

… como convém ao que se espera de antemão.

E o menu é bem trivial.

Tanto que a Dé pediu uma salada de peito de frango e …

… eu, um hambúrguer de Wagyu com fritas muito crocantes.

Duas taças de vinho completariam a boa refeição.

Voltamos pra feira pra parte vespertina e …

… deixamos justamente o início da tarde pra subir no Vessel (navio em português).

Reservei o ticket pelo site (é obrigatório, de graça e você tem que entrar no site com 15 dias de antecedência) e …

… às 16:30 estávamos lá.

Tudo bem que o tempo ficou bastante nublado e que deu uma tremenda esfriada, …

… mas foi bom, porque o exercício físico é puxado.

São inúmeros degraus (mais de 2500), …

… em inúmeros plataformas (80) …

… que você tem que subir (154 lances de escadas)…

… pra descobrir as fantásticas vistas externas e …

… principalmente, as deslumbrantes internas.

A construção da estrutura é belíssima e …

… a ideia toda é que você explore-a ao máximo.

É uma experiência bem marcante e …

… acredito que o Vessel …

… que mais parece com um vaso imenso (um abacaxi?) …

… se torne rapidamente um ícone da Big Apple.

Segue um minifotoblog com ângulos diferentes desta verdadeira trapizonga chic:

Aproveitamos que tínhamos tempo pra dar um giro pelo shopping.

A loja âncora, a Neiman Marcus é um exemplo do lugar onde se pretende …

… melhorar a experiência de compra.

Ela foi pensada pra que você se divirta bastante, …

… enquanto, consequentemente, compre bastante também!

Outra loja bacana é a FortyTenFive, …

… uma multimarcas malucona e …

… imensa, …

… além de muito interessante.

Mais uma loja interessante: Camp.

É quase o que o nome sugere, um acampamento onde …

… você leva o teu filho pra se divertir …

… enquanto compra uma montão de coisas pra eles.

Como estávamos cansados, voltamos de Uber pro hotel …

… demos uma boa espairecida e …

… fomos jantar numa instituição nova-iorquina, o Pastis.

Ele fica bem perto do The Standard (em pleno Meatpacking) e …

… é um bistrô francês.

Bistrô mesmo, com menu correspondente.

Keith McNally que é dono também do Balthazar sabe das coisas.

Você chega lá, não tem ninguém na rua, mas o restô está lotado.

Pedimos bistrosisticamente.

A Dé foi de sopa de cebolas e …

… eu, de croque monsieur com pommes frites.

Maravilhosos, …

… assim como foi tomar meia garrafa dum Sancerre em copos de requeijão.

Felizes, retornamos pro hotel sobre a luz da lua.

Demais e …

… sem corporativismo.

See U.

Veja os outros dias desta interessante viagem:
First day – USA – Boston – Sem piadinhas, por favor!
Second day – USA – Boston/NYC – Um contraste incrível e uma constatação mais ainda. Incrível mesmo é o The Vessel.
Third day – USA – NYC – A cidade que nunca dorme. E nós também.
Fourth day – USA – Nova York – Varejando, passeando e comendo bem na Big Apple.

.

 

dcpv – fourth day – usa – nova york – varejando, passeando e comendo bem na big apple.

05/06/2021 (vivido em 12/01/2020)

Fourth Day – USA – NYVarejando, passeando e comendo bem na Big Apple.

Domingão.

Tomamos um belo café da manhã no próprio café do The Standard.

E seria o primeiro dia de trabalho.

Na verdade, viemos pra NY pra acompanhar a NRF.

Que é a National Retail Federation …

… ou seja, a maior feira de varejo do mundo e …

… onde são discutidas as principais tendências do mercado, …

… inclusive as da nossa área de atuação, supermercados.

São 3 dias intensos com palestras proferidas por CEOs de grandes empresas mundiais, …

… além de muita informação das boas.

Mas é claro que sobra tempo pra diversão.

Afinal de contas, estamos em NY, a cidade que nunca dorme.

E coincidentemente o lugar que está bombando é o Hudson Yards, …

… um empreendimento bilionário que tem conexão com outra maravilha, o High Line, …

… que além de ter o The Vessel, aquele vasão deslumbrante, …

… que dizem que parece um abacaxi e fica exatamente ao lado do Javits Center, o lugar onde acontece a NRF.

É ou não é muita sorte?

Pra melhorar tudo, a área de alimentação do shopping é maravilhosa.

O nosso primeiro almoço foi no Mar at Mercado, o restô de peixes do Little Spain, um Eataly espanhol..

Reservamos (faça isso sempre) e já chegamos tapeando.

Croquetes de calamares em su tinta, …

… pulpo à galega e …

… uma paella de fideuá fizeram a nossa festa.

Apesar da feira continuar a tarde, tomamos duas copetas dum branco espanhol e …

… retornamos pro Javits …

… só aguardando o por do sol.

Que veio num formato maravilhoso, …

… justamente quando estávamos voltando a pé pro hotel …

… pelo High Line.

Que caminho maravilhoso!

Este vale o minifotoblog.

Descemos perto do hotel, …

… quase no final do High Line, em pleno Meatpacking e …

… ainda vimos um dos crepúsculos mais bonitos de todos os tempos.

Como descrever NY como fria, …

… após esta visão magnífica?

Cá pra nós, esta surpresa do tempo estar tão bom (estava quase 20ºC) …

… foi tão legal que só tínhamos que agradecer.

Pra encerrar um dia tão espetacular, nada melhor do que um jantar correspondente.

E em grande estilo; fiquei sabendo da existência da chef Missy Thompsom através do Instagram.

Ela tem uma história incrível e dois restôs na cidade: um é o Lilia e o outro, o Misi, justamente o que fomos.

Tudo bem que fica no Brooklyn, a meia hora de Uber do nosso hotel, mas vale a viagem.

O lugar é jovial, moderno, …

… descontraído e bastante italiano.

Pedimos alcachofras como entrada e estavam muito bem temperadas. A Dé adorou.

Como principais, ela foi de talharim cacio e pepe e …

… eu, num spaghetti com colatura de aliche. Ambos al dente e extremamente saborosos.

Tomamos duas (três?) taças dum bianchetto muito bom e …

… ainda sobrou espaço pruma especialidade da casa, o sorvete cremoso de leite, que é mesmo ótimo.

Olha, foi uma tremenda refeição e tivemos a certeza que devemos retornar ao Misi, …

… porque a Missy Thompson sabe cozinhar e muito.

Retornamos pro hotel e como diria o Topo Giggio, …

… está na hora de ir pra caminha.

See U.

Veja os outros dias desta interessante viagem:
First day – USA – Boston – Sem piadinhas, por favor!
Second day – USA – Boston/NYC – Um contraste incrível e uma constatação mais ainda. Incrível mesmo é o The Vessel.
Third day – USA – NYC – A cidade que nunca dorme. E nós também.

.

dcpv – third day – usa – nyc – a cidade que nunca dorme (e nós também).

22/05/2021 (curtido em 11/01/2020)

Third Day – USA – NYCA cidade que nunca dorme (e nós também).

Primeiro dia completo em Nova York e …

… uma perspectiva de muitos kilometros rodados, opa, andados.

Iremos fazer um tour por lojas diferentonas e …

… com serviços pra lá de especiais.

É o início da nossa experiência com a NRF, …

… a maior feira de varejo do mundo …

… da qual participaremos a partir de amanhã.

De qualquer forma, peguei várias dicas em vários lugares (Santo Google incluso) e …

… partimos pra luta.

Antes de mais nada, …

… um lauto café da manhã …

… na maravilha das maravilhas …

… a Starbucks Reserve Roastery, nossa vizinha.

Incrível!

Quantas mais vezes vamos lá, …

… mais gostamos de absolutamente tudo.

Acho que tomaremos café da manhã todo dia por aqui. 😁

Retornamos pro hotel, …

… ele fica sobre o afamado High Line e …

… iniciamos o nosso roteiro pegando um uber pro Columbus Circle.

Lugar bacana, mas meio antigão.

Aproveitamos pra dar uma passeada pela lateral do Central Park …

… só pra matar as saudades.

Ô lugarzinho bonito, …

… ainda mais com a inesperada temperatura reinante …

… quase 20°C e em pleno inverno!

A primeira parada técnica foi na flagship da Neiman Marcus.

E foi poderosa.

A loja de departamentos se reinventou totalmente e …

… transformou o ato de comprar …

… numa verdadeira e real experiência.

Muito espaço, …

… uma decoração clean e marcante e …

… o melhor, um bar em cada andar …

… pra que você tenha onde esperar …

… enquanto o seu amorzinho experimenta aquelas coisinhas imprescindíveis.

Sensacional!

Demos uma entrada na 5th Ave e …

… rumamos pra Ikea Planning.

Taí um jeito diferente de vender/comprar móveis.

Muitos espaços bem definidos, …

… levando em consideração o quão exíguos são os apês hoje em dia.

De lá, passamos na Casa Barilla.

É um restaurante, quase uma cantina, …

… mais parecida com um McDonalds de pasta. Mamma mia!

Não ficamos muito entusiasmados.

Mais uma andada e …

… chegamos na NBC.

Foi só pra dar uma olhada e ver se tinha alguma camiseta nova do Seinfeld, …

… mas nada. Néééxxxxt!

Ao lado, fica a Casa Camper, uma marca espanhola de calçados que já foi bem bacana, pro nosso nível de conforto.

Como não poderia deixar de ser, …

… fomos até Times Square.

Sim, é um clichê, …

… mas é sempre espetacular.

Os telões estão cada vez mais com definições incríveis e …

… você não tem como não se maravilhar.

Assim como o McDonalds inovador que existe lá (atualização – ele fechou!).

Todo o atendimento é feito através de telões …

… onde você fecha a conta, …

… senta no seu lugar e espera o pedido chegar.

Testamos com uma batata frita, uma Coca e …

… ficamos muito satisfeitos.

Sem contar que a programação visual da loja resultou …

… muito interessante e modernosa.

Voltamos pra 5th, …

… pra explorar a parte esportiva.

Iniciamos com a flagship da Puma.

Uma loja muito tecnológica, …

… também com visual diferentão e …

… muitos produtos exclusivos.

Exploramos bastante, mas não compramos nada. Hahaha

Os tênis são bonitos, mas não tem muito conforto …

… o que hoje em dia é primordial pra que compremos.

Em seguida e logo ao lado, fica a loja da Adidas.

Ela ainda (a vimos no ano passado) impressiona pelo formato bacana, …

… com muitas alternativas de testar o produto antes de comprar …

… além da preocupação com o meio ambiente que …

… a empresa demonstra atualmente.

Outra loja que vimos foi a &other stories.

A ideia é bacana; eles juntam as roupas por temas (cores, ocasiões, etc) e não por marcas.

Mas a concepção é bem modesta.

Pela proximidade, …

… fomos num grande ícone nova-iorquino, …

… a Grand Central Terminal.

O lugar é absurdamente bonito e …

… ainda tivemos a oportunidade …

… de ver onde o magnífico (???) campeonato mundial de squash é realizado.

Olha, já estávamos bem cansados e …

… mesmo assim ainda passamos na Casa Escandinávia.

Achamos o lugar bem sem graça com a loja acompanhando o relator.

Apelamos prum Uber e …

… fomos nos esbaldar no Eataly Flatiron, …

… o mais roots que conhecemos (com exceção do Lingotto).

E ele não decepcionou.

Pedimos o básico: um prato com salumi e formaggio, …

… uma bella mozzarella de búfala e …

… duas taças dum ótimo Gavi de Gavi.

Olha a vida é muito boa aqui em NY …

… especialmente no Eataly Flatiron.

Vejam o viço destas …

… frutas e legumes!

Apelamos mais uma vez pro Uber …

… que funciona muito bem na Big Apple e …

… retornamos pro hotel …

… pra dar aquela descansada oficial.

Mesmo porque eu tinha reservado …

… um tour na Artechouse …

… que fica muito próximo daqui, no Chelsea Market.

A ideia toda é muito boa.

Ela é quase um Atelier des Lumieres (desculpaí!), …

… só que com obras específicas e de vanguarda de um determinado autor.

Já na apresentação, …

… a explicação foi muito interessante …

… com vários detalhes e …

… a expectativa aumentou muito.

Chegou a hora de ver realmente o que seria o espetáculo.

E aí a curuquice impera.

É um tal de imagens estroboscópicas pra lá e pra cá …

… junto com uma trilha sonora pífia …

… que mais parece um bate estacas de balada.

Ou seja, foi decepcionante (expectativa é fogo).

Ainda tentamos ficar mais um pouco, …

… mas não só a Dé, como eu, ficamos muito mareados e …

… o jeito foi ir embora, …

… aproveitando pra ter o primeiro contato …

… com o Chelsea Market.

Como tínhamos um compromisso pro jantar, …

… optamos por voltar pro hotel.

E logo depois, saímos pra conhecer um bar diferentão.

O Lyanees é um bar itinerante que pertence ao Mastercard.

Ele faz parte duma experiência que transporta lugares bacanas, …

… inclusive fisicamente, …

… pra NY e espera que você ache que está no localidade original.

Neste caso, é um bar londrino, escolhido como o melhor do mundo.

Tomamos dois coquetéis tradicionais, mas reinterpretados, um Cosmo e uma Margarita.

Foi divertido e logo ali ao lado, …

… fica o Pepolino, onde teríamos o nosso encontro oficial e …

… anual com casal Pellicano, Marcie (do ótimo blog Abrindo o bico) e Ciro (autor de frases geniais e impagáveis).

Como sempre, foi muito divertido e calamos, ops, conversamos bastante. 🙂

A comida? Foi ótima e muito Toscana.

Eu e a Dé dividimos uma salada de beterraba e …

… um branzino  com legumes cozidos à perfeição.

Tomamos um ótimo Gavi di Gavi e continuamos conversando.

Encerramos a noite com um docinho e …

… já marcamos o encontro de 2021 (mal sabíamos da pandemia).

Planejamento é sempre a chave do negócio.

See U.

Veja os outros dias desta interessante viagem:
First day – USA – Boston – Sem piadinhas, por favor!
Second day – USA – Boston/NYC – Um contraste incrível e uma constatação mais ainda. Incrível mesmo é o The Vessel.

.

 

 

dcpv – second day – usa – boston/nyc – um contraste incrível e uma constatação mais ainda: incrível mesmo é o the vessel!

10/01/2020

Second Day – USA – Boston/NYCUm contraste incrível e uma constatação mais ainda: incrível mesmo é o The Vessel.

Hoje teríamos uma programação bastante light em Boston.

Afinal de contas, acordamos até que cedo, …

… tomamos o excelente café da manhã do XV Beacon e …

… aproveitaríamos o pouco tempo restante na cidade (nesta primeira perna), …

… pra conhecer melhor o parque Boston Commons, …

… lugar de início da Freedom Trail e …

… fazer um pedaço da mesma …

… com  um pouco de tranquilidade …

… até chegar no turístico Quincy Market.

E por que turístico?

Por que ele realmente tem uma cara daqueles lugares …

… cheios de estabelecimentos …

… com um jeitão de me engana que eu gosto.

Vamos ver na semana que vem se esta previsão …

… se confirma ou não?

Ainda chegamos até a orla e …

… percebemos que o harbour …

… é um lugar muito divertido, …

… com uma cara de que curtiremos bastante.

Como estávamos em cima da hora, …

… retornamos pro hotel, …

… fizemos o checkout, …

… pegamos o nosso transfer e pimba!

Estávamos prontos pra ir pra Grande Maçã.

Com quase tudo ok, tivemos um breve stress por causa dum problema com o passaporte, mas …

… rapidamente estávamos listos pra zarpar. Doce ilusão!

Tudo deu uma atrasada federal e …

… acabamos ficando quase duas horas dentro do avião esperando a liberação para a decolagem.

O voo foi curto (quase uma hora) e seria até divertido, …

… se não tivéssemos um montão de nuvens carregadas no céu.

Mas mesmo assim e ouvindo uma ótima trilha sonora …

… consegui alguns registros …

… bacanas do céu ianque.

Já percebeu como o balé das nuvens …

… é belíssimo, né?

Chegamos com tempo bom em NY e …

… com uma bela vista do skyline de Manhattan …

… a partir do Laguardia.

Pegamos o nosso transfer …

… chegamos ao The Standard Hotel …

… que fica no MeatPacking, é superhyppado e …

… constatamos que o nosso quarto tem, certamente, …

… uma das melhores vistas de NY.

Ele é quase todo envidraçado e …

… dá pra imaginar como será ver o por do sol daqui!

Devido ao atraso, …

… acabamos perdendo a visita ao …

… The Vessel, no Hudson Yards.

Paciência, estas coisas acontecem quando estamos viajando.

Fomos pro Hudson Yards do mesmo jeito, já que ele está bombando, …

… tudo lá é espetaculoso.

A começar pelo The Vessel que é …

… simplesmente arrebatador.

Fizemos um tour pelo shopping, …

… que não fica atrás na pujança.

Tudo muito bem acabado, …

… moderno, …

… com lojas de primeiríssima linha e …

… um estabelecimento gourmet de deixar o queixo caído.

O Mercado Little Spain, do chef José Andres …

… é simplesmente espetacular.

Tem tudo o que é de melhor da Espanha inteira …

… é muito grande e …

… com uma variedade proporcional.

Só pra que você entenda, é um Eataly (dos bons) espanhol.

É claro que voltaremos mais vezes.

Ufa, era a hora de jantar.

E como fiquei sabendo que um dos nosso restôs preferidos …

… abriu uma filial aqui no Hudson Yards, reservei (faça sempre isso).

Estiatorio Milos é um daqueles gregos que nunca decepciona.

E pra variar, o daqui é deslumbrante.

Conseguimos uma mesa de frente pro The Vessel e …

… aí foi só correr pro abraço.

Tomamos duas flutes dum bom Champagne; …

… pedimos só clássicos.

A torre de berinjelas e abobrinhas empanadas, …

… o ceviche e …

… um peixe assado escolhido no balcão …

… que é incrivelmente preparado.

Chamamos um Puilly Fummé e curtimos muito um dos nossos restôs preferidos.

Uma verdadeira maravilha.

Enfim, nem fiz a famosa pergunta (dia de troca de hotel é dia perdido?) …

… porque no caso de hoje, …

… apesar dos pequenos contratempos (conte sempre com eles) …

… foi espetacular.

Ah, não se preocupe.

Ainda tenho mais dois ingressos pra subir no The Vessel.

E subimos. Aguardem!

Veja o primeiro dia desta interessante viagem:

First day – USA – Boston – Sem piadinhas, por favor!

.

 

 

dcpv – first day – usa – boston – sem piadinhas, por favor!

24/04/2021 (viajado em 09/01/2020)

First Day – USA – Boston – Sem piadinhas, por favor!

E lá vamos nós pra nossa segunda NRF.

Mais conhecida como National Retail Federation.

Ela é simplesmente a feira de varejo mais importante do mundo.

Ou seja, seria uma viagem puramente de trabalho. 🙂

E desta vez, faríamos de um jeito diferente.

Os preços das passagens foram determinantes pra que escolhêssemos Boston como nossa primeira parada.

E melhor, nunca tínhamos ido pra esta cidade, …

… uma verdadeira fonte de piadinhas com o seu singular nome.

A ideia inicial seria fazer uma conexão rápida e conhecer a cidade na volta de NY.

Mas como não conseguimos um voo legal com conexão, resolvemos passar a primeira noite bostoniana.

E como chegaríamos às 8 da matina, até que daria pra dar uns bons passeios.

Fizemos um voo noturno muito tranquilo e …

… aterrissamos com um céu de brigadeiro.

A primeira impressão é de uma cidade bastante compacta …

… tanto que o aeroporto fica muito perto do Centro.

Foram só uns 15 minutos de transfer com o mineiro e brasileiro Kennedy (sempre que possível, prestigiamos brazucas que trabalham nas cidades que visitamos) e …

… chegamos ao XV Beacon, …

… um hotel boutique pequeno, charmoso e …

… que fica, obviamente, na Beacon St, no número 15.

Perto de absolutamente tudo.

Tomamos um belo banho (são ótimas as amenidades Labottega) e …

… pernas pra que te quero.

Dá-lhe Boston!

O frio estava intenso, …

… mas com sol a pino, era facilmente absorvido.

Demos uma reconhecida no que eles chamam do Central Park de lá, o Boston Common.

Fica mais bonito nesta época do ano e …

… ainda mais com a sua pista de patinação no gelo bombando.

Ah, a vista do Palácio do governo, …

… que é parte da Freedon Trail é belíssima também.

Como estávamos bem perto, …

… passamos em Beacon Hill, …

… um bairro com construções típicas, …