Posts Tagged 'eataly'

dcpv – third day – usa – nyc – a cidade que nunca dorme (e nós também).

22/05/2021 (curtido em 11/01/2020)

Third Day – USA – NYCA cidade que nunca dorme (e nós também).

Primeiro dia completo em Nova York e …

… uma perspectiva de muitos kilometros rodados, opa, andados.

Iremos fazer um tour por lojas diferentonas e …

… com serviços pra lá de especiais.

É o início da nossa experiência com a NRF, …

… a maior feira de varejo do mundo …

… da qual participaremos a partir de amanhã.

De qualquer forma, peguei várias dicas em vários lugares (Santo Google incluso) e …

… partimos pra luta.

Antes de mais nada, …

… um lauto café da manhã …

… na maravilha das maravilhas …

… a Starbucks Reserve Roastery, nossa vizinha.

Incrível!

Quantas mais vezes vamos lá, …

… mais gostamos de absolutamente tudo.

Acho que tomaremos café da manhã todo dia por aqui. 😁

Retornamos pro hotel, …

… ele fica sobre o afamado High Line e …

… iniciamos o nosso roteiro pegando um uber pro Columbus Circle.

Lugar bacana, mas meio antigão.

Aproveitamos pra dar uma passeada pela lateral do Central Park …

… só pra matar as saudades.

Ô lugarzinho bonito, …

… ainda mais com a inesperada temperatura reinante …

… quase 20°C e em pleno inverno!

A primeira parada técnica foi na flagship da Neiman Marcus.

E foi poderosa.

A loja de departamentos se reinventou totalmente e …

… transformou o ato de comprar …

… numa verdadeira e real experiência.

Muito espaço, …

… uma decoração clean e marcante e …

… o melhor, um bar em cada andar …

… pra que você tenha onde esperar …

… enquanto o seu amorzinho experimenta aquelas coisinhas imprescindíveis.

Sensacional!

Demos uma entrada na 5th Ave e …

… rumamos pra Ikea Planning.

Taí um jeito diferente de vender/comprar móveis.

Muitos espaços bem definidos, …

… levando em consideração o quão exíguos são os apês hoje em dia.

De lá, passamos na Casa Barilla.

É um restaurante, quase uma cantina, …

… mais parecida com um McDonalds de pasta. Mamma mia!

Não ficamos muito entusiasmados.

Mais uma andada e …

… chegamos na NBC.

Foi só pra dar uma olhada e ver se tinha alguma camiseta nova do Seinfeld, …

… mas nada. Néééxxxxt!

Ao lado, fica a Casa Camper, uma marca espanhola de calçados que já foi bem bacana, pro nosso nível de conforto.

Como não poderia deixar de ser, …

… fomos até Times Square.

Sim, é um clichê, …

… mas é sempre espetacular.

Os telões estão cada vez mais com definições incríveis e …

… você não tem como não se maravilhar.

Assim como o McDonalds inovador que existe lá (atualização – ele fechou!).

Todo o atendimento é feito através de telões …

… onde você fecha a conta, …

… senta no seu lugar e espera o pedido chegar.

Testamos com uma batata frita, uma Coca e …

… ficamos muito satisfeitos.

Sem contar que a programação visual da loja resultou …

… muito interessante e modernosa.

Voltamos pra 5th, …

… pra explorar a parte esportiva.

Iniciamos com a flagship da Puma.

Uma loja muito tecnológica, …

… também com visual diferentão e …

… muitos produtos exclusivos.

Exploramos bastante, mas não compramos nada. Hahaha

Os tênis são bonitos, mas não tem muito conforto …

… o que hoje em dia é primordial pra que compremos.

Em seguida e logo ao lado, fica a loja da Adidas.

Ela ainda (a vimos no ano passado) impressiona pelo formato bacana, …

… com muitas alternativas de testar o produto antes de comprar …

… além da preocupação com o meio ambiente que …

… a empresa demonstra atualmente.

Outra loja que vimos foi a &other stories.

A ideia é bacana; eles juntam as roupas por temas (cores, ocasiões, etc) e não por marcas.

Mas a concepção é bem modesta.

Pela proximidade, …

… fomos num grande ícone nova-iorquino, …

… a Grand Central Terminal.

O lugar é absurdamente bonito e …

… ainda tivemos a oportunidade …

… de ver onde o magnífico (???) campeonato mundial de squash é realizado.

Olha, já estávamos bem cansados e …

… mesmo assim ainda passamos na Casa Escandinávia.

Achamos o lugar bem sem graça com a loja acompanhando o relator.

Apelamos prum Uber e …

… fomos nos esbaldar no Eataly Flatiron, …

… o mais roots que conhecemos (com exceção do Lingotto).

E ele não decepcionou.

Pedimos o básico: um prato com salumi e formaggio, …

… uma bella mozzarella de búfala e …

… duas taças dum ótimo Gavi de Gavi.

Olha a vida é muito boa aqui em NY …

… especialmente no Eataly Flatiron.

Vejam o viço destas …

… frutas e legumes!

Apelamos mais uma vez pro Uber …

… que funciona muito bem na Big Apple e …

… retornamos pro hotel …

… pra dar aquela descansada oficial.

Mesmo porque eu tinha reservado …

… um tour na Artechouse …

… que fica muito próximo daqui, no Chelsea Market.

A ideia toda é muito boa.

Ela é quase um Atelier des Lumieres (desculpaí!), …

… só que com obras específicas e de vanguarda de um determinado autor.

Já na apresentação, …

… a explicação foi muito interessante …

… com vários detalhes e …

… a expectativa aumentou muito.

Chegou a hora de ver realmente o que seria o espetáculo.

E aí a curuquice impera.

É um tal de imagens estroboscópicas pra lá e pra cá …

… junto com uma trilha sonora pífia …

… que mais parece um bate estacas de balada.

Ou seja, foi decepcionante (expectativa é fogo).

Ainda tentamos ficar mais um pouco, …

… mas não só a Dé, como eu, ficamos muito mareados e …

… o jeito foi ir embora, …

… aproveitando pra ter o primeiro contato …

… com o Chelsea Market.

Como tínhamos um compromisso pro jantar, …

… optamos por voltar pro hotel.

E logo depois, saímos pra conhecer um bar diferentão.

O Lyanees é um bar itinerante que pertence ao Mastercard.

Ele faz parte duma experiência que transporta lugares bacanas, …

… inclusive fisicamente, …

… pra NY e espera que você ache que está no localidade original.

Neste caso, é um bar londrino, escolhido como o melhor do mundo.

Tomamos dois coquetéis tradicionais, mas reinterpretados, um Cosmo e uma Margarita.

Foi divertido e logo ali ao lado, …

… fica o Pepolino, onde teríamos o nosso encontro oficial e …

… anual com casal Pellicano, Marcie (do ótimo blog Abrindo o bico) e Ciro (autor de frases geniais e impagáveis).

Como sempre, foi muito divertido e calamos, ops, conversamos bastante. 🙂

A comida? Foi ótima e muito Toscana.

Eu e a Dé dividimos uma salada de beterraba e …

… um branzino  com legumes cozidos à perfeição.

Tomamos um ótimo Gavi di Gavi e continuamos conversando.

Encerramos a noite com um docinho e …

… já marcamos o encontro de 2021 (mal sabíamos da pandemia).

Planejamento é sempre a chave do negócio.

See U.

Veja os outros dias desta interessante viagem:
First day – USA – Boston – Sem piadinhas, por favor!
Second day – USA – Boston/NYC – Um contraste incrível e uma constatação mais ainda. Incrível mesmo é o The Vessel.

.

 

 

dcpv – first day – usa – boston – sem piadinhas, por favor!

24/04/2021 (viajado em 09/01/2020)

First Day – USA – Boston – Sem piadinhas, por favor!

E lá vamos nós pra nossa segunda NRF.

Mais conhecida como National Retail Federation.

Ela é simplesmente a feira de varejo mais importante do mundo.

Ou seja, seria uma viagem puramente de trabalho. 🙂

E desta vez, faríamos de um jeito diferente.

Os preços das passagens foram determinantes pra que escolhêssemos Boston como nossa primeira parada.

E melhor, nunca tínhamos ido pra esta cidade, …

… uma verdadeira fonte de piadinhas com o seu singular nome.

A ideia inicial seria fazer uma conexão rápida e conhecer a cidade na volta de NY.

Mas como não conseguimos um voo legal com conexão, resolvemos passar a primeira noite bostoniana.

E como chegaríamos às 8 da matina, até que daria pra dar uns bons passeios.

Fizemos um voo noturno muito tranquilo e …

… aterrissamos com um céu de brigadeiro.

A primeira impressão é de uma cidade bastante compacta …

… tanto que o aeroporto fica muito perto do Centro.

Foram só uns 15 minutos de transfer com o mineiro e brasileiro Kennedy (sempre que possível, prestigiamos brazucas que trabalham nas cidades que visitamos) e …

… chegamos ao XV Beacon, …

… um hotel boutique pequeno, charmoso e …

… que fica, obviamente, na Beacon St, no número 15.

Perto de absolutamente tudo.

Tomamos um belo banho (são ótimas as amenidades Labottega) e …

… pernas pra que te quero.

Dá-lhe Boston!

O frio estava intenso, …

… mas com sol a pino, era facilmente absorvido.

Demos uma reconhecida no que eles chamam do Central Park de lá, o Boston Common.

Fica mais bonito nesta época do ano e …

… ainda mais com a sua pista de patinação no gelo bombando.

Ah, a vista do Palácio do governo, …

… que é parte da Freedon Trail é belíssima também.

Como estávamos bem perto, …

… passamos em Beacon Hill, …

… um bairro com construções típicas, …

… aquelas casas geminadas feitas com tijolinhos vermelhos …

… onde fica a Acorn Street, …

… considerada a rua mais bonita da cidade.

E é mesmo, pois ela é bem estreita e com um piso de pedra muito curioso.

Continuamos passando pelo Public Garden …

… que fica ao lado do Boston Common e …

…fomos pra Newbury Street, …

… considerada a principal rua comercial de Boston.

Lá estão as grandes marcas, …

… as lojas típicas e muitos cafés.

Foi o suficiente pra pararmos num, …

… tomar belos capuccinos, dando uma boa fugida do frio.

Como era bem perto, …

… (Boston toda é muito fácil de circular), conhecemos os dois principais shoppings da cidade, …

… o Prudential Center e o Copley Place …

… que são conectados por uma passarela coberta.

Curioso, né?

Era hora do almoço.

Aproveitamos pra ir num velho conhecido nosso, o Eataly.

Que neste caso é novo (acabou de abrir) e …

… tem o estilo do Eataly dos velhos tempos.

Nada a ver com aquele fantasma paulistano.

Como é um Eataly roots, …

… tem uma Piazza , …

… onde comemos uma ótima mozzarella de búfala, salame, mortadela e …

… tomamos duas taças dum excelente branco Gavi de Gavi.

Simplesmente excelente.

Demos mais uma passeada por lá, …

… vimos um montão de coisas que prometemos comprar quando da nossa volta e …

… continuamos o tour.

A próxima parada seria na Mary Baker Eddy Library.

É lá que fica o Mapparium, onde você faz um tour guiado por dentro dum globo terrestre …

… com a curiosidade dele ter a divisão dos países como vigorava em 1935 e …

… com uma acústica muito interessante.

Sensacional e uma pena que não se pode tirar fotos livremente.

Ainda bem que …

… existe o maravilhoso Santo Google.

Bem ao lado, fica uma loja de moda extremamente curiosa.

Bodega é realmente uma bodega, visto que a sua entrada é uma lojinha de alimentos.

Só que quando você ultrapassa a porta, lá dentro tem um montão de roupas malucas sendo vendidas.

Interessante demais.

Como já estava escurecendo e …

… o sol estava se pondo maravilhosamente …

… com o não menos nascer da lua …

… resolvemos andar só mais um pouquinho, …

… passar na linha de chegada da Maratona de Boston e …

… onde aconteceu aquele atentado há uns anos atrás.

Triste, mas curioso também.

Devido ao frio reinante, …

… ao cansaço, …

… não se esqueçam que chegamos hoje de manhã, …

… optamos por pegar um Uber, …

… retornar pro hotel pra dar uma descansada e …

… sair pra comer alguma coisa.

Optamos por ir num wine bar bem próximo.

haley.henry é um lugar bem charmoso, quase que uma pocilga chic.

Acredita que eles trabalham com ótimas sardinhas em lata especiais e super tenras? Foi o que pedimos…

… além de uma tábua de frios e …

… tostada de aliche com manteiga abaunilhada.

Tudo acompanhado de um ótimo vinho branco francês.

Isto é o que podemos chamar de comfort food e uma refeição perfeita.

Só nos restou retornar pro hotel debaixo dum puta frio e …

… dormir o sono dos que viajaram naquele dia.

See U.

.

 

dcpv – dia ottavo – itália/suíça – piemonte/lugano – do primeiro pro primeiríssimo mundo.

27/02/2021 (vivido em17/11/2019)

Dia Ottavo – Itália/Suíça  – Piemonte/LuganoDo primeiro pro primeiríssimo mundo.

Lá vamos nós com aquele dilema que sempre nos aflige: …

… dia de troca de hotel é dia perdido?

Neste caso, ainda não consigo dizer.

Aguardem um pouco, mesmo porque vamos de carro pra outro país.

Acordamos mais cedo que o usual, …

… já que tínhamos que liberar as nossas malas pra serem carregadas no ônibus.

Tomamos o nosso frugal café da manhã, …

… fizemos um “choc choc” e …

… fomos pra Turim.

O chef Giuseppe Gerundino mostrou neste tour ser mesmo um cara batuta e …

… que sabe o que todos querem ver e sentir.

Além do mais, toda aquela simpatia que ele mostra no Giro com Giuseppe (e agora no Academia de Giuseppe) é absolutamente verdadeira.

Fomos embora já com aquele gostinho de saudade (este grupo é incrível), …

… mas ainda tínhamos alguns bons programas pra serem feitos em conjunto.

Um deles era apreciar todo o entorno do caminho …

… de Pollenzo até Turim.

Inclusive, a iluminação solar especial …

… do Monviso e toda …

… a cadeia montanhosa nevada que o circunda.

Chegamos em Turim com tempo pra dar uma boa passeada pela cidade.

E ela, que já era nossa velha conhecida, …

… não deixou de nos surpreender por sua beleza.

Saímos do ônibus …

… diretamente pruma feira livre …

… com aqueles ingredientes frescos que tanto adoramos.

Cá pra nós, …

… passear por uma feira …

… italiana é sempre …

… um programaço!

Continuamos a passegiatta pelo centro …

… com direito a ver ícones turineses (como a Mole Antonelliana) e …

… piazzas bonitíssimas.

Ainda tomamos um ótimo Marroquino, …

… no lendário Caffé Torino.

Ah, um marroquino é uma bebida formada por chocolate quente, café e creme de leite.

Uma delícia!

Como estávamos atrasados pro encontro com o resto da turma (estávamos os quatro desgarrados), …

… corremos muito …

… pra irmos todos pro almoço de despedida que seria …

… exatamente no maior sex shop do mundo: …

… o Eataly (este nome é fantástico) de Turim.

Esqueça o Eataly de Roma (meia boca), …

… o de Milão (meia boquíssima) …

… e o de São Paulo (aquilo é mesmo um Eataly?).

O Lingotto, o primeiro, …

… é a verdadeira essência do sexyshopismo.

Lá tudo é perfeito e …

… você, amante da da gastronomia italiana, …

… fica louco ao conhecê-lo.

Frutas, …

… verduras e …

… legumes …

… simplesmente espetaculares …

… é o que se vê …

… em todos os cantos da loja.

É o paraíso das massas (corporativistas), …

… azeites, …

… frios, …

… queijos, …

… inclusive parmigianos, …

… prosciutos e …

… vinhos, …

…. muitos ótimos vinhos.

Só nos restava almoçar e …

… melhor, num evento totalmente trufado.

Foi o que fizemos.

GG conseguiu uma mesona pra nós e …

… iniciamos a nossa despedida oficial …

… rosetando com um espumante “nationale” …

… acompanhado dum ovo com gema mole, cardo (o preferido da Dé) e trufas, muitas trufas.

Que sabor!

A carne cruda trufada não poderia faltar!

Continuamos com um bianco Roero e o já famoso Tajarin 30 uova com tartufos, muitos tartufos.

Terminamos com um Nebbiolo buoníssimo e carne cozida com polenta ou como opção, dois ovos fritos com uma cama de batatas

Ah, tartufos biancos, muitos tartufos biancos.

Nos despedimos mais uma vez e …

… tínhamos mais um tempinho pra sexyshopear …

… pelo Eataly..

Resolvemos não comprar nada e simplesmente curtir a loja.

Passeamos por tudo o que foi lugar e …

… acabamos subindo pra ver o museu do Carpano.

Ele é um vermute muito antigo e …

… a exposição explicando …

… como ele surgiu e …

… como foi produzido …

… é extremamente interessante.

Quando percebemos, já estávamos todos no ônibus novamente pra o que seria a verdadeira e derradeira despedida.

O Eymard e a Lourdes iriam direto pra Milão e logo em seguida SP.

A turminha (Leila, Ignez, Alice, Adriana, Meire e Paula) ficariam em Turim por alguns dias.

A Ana e o grande Gabriel iriam pro aeroporto de Turim pra pegar um voo com conexão e destino final o RJ.

Nos também iríamos pro aeroporto, só que pra pegar um carro alugado e zarpar pra Lugano, na Suíça italiana.

Já o Giuseppe e o seu fiel escudeiro, o Papagallo Giuseppe, o Vincenzo iriam pra Milão, com o chef depois indo pra Pauliceia.

Pronto, terminamos uma semana de puro prazer, …

… capitaneados pelo charme do Giuseppe Gerundino e …

… com a certeza de que este grupo veio mesmo pra ficar.

Foi demais e certamente nos veremos novamente na Festa da Poda que acontecerá na Nova Toscana!

Fomos até o aeroporto com a Ana e o Gabriel, …

… pegamos o nosso carro alugado e …

… às 20:00 estávamos em Lugano, …

… mais especificamente no The View

… um hotel que realmente justifica o seu nome.

E olha que chegamos e estava tudo escuro.

O quarto é enorme, …

… moderno, …

… confortável, …

… além de ter tudo o que se imagina, …

… especialmente as amenidades.

Como estávamos sem “aquela” fome, optamos por fazer uma degustação de Champs no bar do hotel.

A entradinha de salmão …

… acompanhou perfeitamente um Brut Pommery sensacional.

Uma tortinha de abóbora …

… foi o parceiro ideal dum varietal Chardonnay Pommery.

Encerramos, vejam só, com uma carne cruda (outra?) pra mim …

… uma vieira espetacular pra Dé e …

… flutes de Ruinart Rosé de parar o trânsito.

Enfim, dia de mudança de hotel …

… pode e deve ser espetacular …

… como foi a de hoje.

Vamos lá que amanhã passearemos pelos lagos italianos.
Arrivederci!

Veja os outros desta viagem glutona:
Dia primo – Itália – Milao/Piemonte – Em busca da trufa branca,o fungo perfeita!
Dia secondo – Itália – Piemonte – O verdadeiro giro com Giuseppe.
Dia terzo – Itália – Piemonte – Barolo, a terra dos Barolos.
Dia quarto – Itália – Piemonte – Em busca da trufa perdida. Ou melhor, do tartufo achado.
Dia quinto – Itália – Piemonte – Visitando uma vinícola e uma grapperia piemontesas. Ah, já viu como se abre uma forma de parmigiano?
Dia sexto – Itália – Piemonte – Dá pra comer caracol, ops, escargots?
Dia settimo – Itália – Piemonte – Cerveja piemontesa. Tudo a ver.

.

 

dcpv – seventh day – usa – califórnia – los angeles – friends pra sempre, dando um pulo nos irmãos warner.

25/03/2020 (curtido adoidado em 01/04/2019)

Seventh day – USA – Califórnia – Los AngelesFriends para sempre, dando um pulo nos Irmãos Warner.

Hoje seria o dia de curtir LA na sua plenitude.

Iríamos fazer um tour pelos estúdios da Warner.

Ver um montão de coisas conhecidas e especialmente, o cenário de Friends.

Nós gostamos muito da série, especialmente a Re.

Bom, iniciamos tudo tomando um café da manhã razoável no hotel.

Tudo bem que estava incluído, mas não precisava ser tão frugal.

Em compensação, antes de irmos pra Warner, resolvemos conhecer o Farmers Market.

E gostamos muito.

Ele é quase que um shopping com lojas legais próximas …

… tais como Trader Joe’s …

… e com boxes bem legais.

Frutas e verduras de primeira, …

… balinhas espetaculares, …

… muitos restaurantes bons …

… e coisas turísticas, mas muito bacanas.

Saímos rapidinho de lá pois tínhamos o tour por fazer.

Que negócio bacana!

Você chega lá (reservamos pela internet), …

… pega o seu lugar na fila …

… e rapidamente entra num carrinho dirigido por um guia …

… que te dará todas as infos.

O espaço onde ficam os estúdios é imenso …

… e circulamos por muitos lugares.

Vimos todos aqueles cenários de filmes …

… e séries famosas …

… passando por florestas …

… e lojas fakes.

Incrível.

Segue o necessário mini fotoblog:

Continuamos vendo toda a memorabilia do Aquaman, …

… com figurinos diferentões, …

… (precisamos ver o filme) …

… e a Dé vibrou também …

… com um montão de coisas …

… originais do Harry Potter.

Inclusive, a vassoura Nimbus …

… e todas as roupas das casas, tais como Griffinoria e quetais.

Me desculpem, não entendo quase nada do bruxinho. 🙂

Incrível de novo!

Continuamos com várias paradas, …

… vendo também os depósitos onde ficam todos os materiais que são usados nos filmes.

Incrível again.

De repente, mais uma parada estratégica.

Pra curtir coisas do Batman, …

… com motos, …

… carros de neve, …

…e ele, …

… o Batmóvel.

Santa missão incrível!

Mais um pouquinho e chegamos ao esperado grand finale.

O cenário de Friends.

Com direito a foto no sofá e tudo o mais.

E a ver um montão de coisas interessantes sobre a série …

… além de muitos outros filmes.

Olha, foi incrível (será?) mesmo …

… e tive que fazer mais um fotoblog.

Só nos restou almoçar lá mesmo no Perks …

… e passar na excelente lojinha …

… pra comprar um montão de coisas sobre óbvia e fortíssima emoção.

Dali, seguimos para o Griffith Observatory.

A intenção seria conhecer o parque e tirar uma foto próxima do famoso Hollywood Signal.

O observatório estava fechado (é uma segunda), mas a foto, tiramos.

E com a missão cumprida, zarpamos pra tour da tarde.

Que seria no Dolby Theatre.

Isto mesmo, o lugar onde os Oscars são entregues.

O passeio é rapidíssimo, mas muito interessante.

Você fica sabendo bastante a história desta famosa estatueta …

… e sente o verdadeiro impacto da sua importância.

O palco é imenso, …

… mas a sensação quando se está vendo toda a plateia, …

… é indescritível.

É muito excitante …

… ver onde tudo realmente acontece.

Ainda conhecemos mais lugares dos bastidores …

… e vistas especiais dos camarotes …

… e da própria plateia. Me senti um Tarantino.

Enfim, é mais um passeio imperdível.

Como o calor reinante estava beirando o insuportável, …

… optamos por voltar ao hotel, dar uma breve descansada, …

… tomar um bom banho, …

… admirar o por do sol …

… e passear, …

… de carro, …

… pela luxuosa …

… e charmosa …

… Rodeo Drive.

De lá, fomos ao novíssimo Westfield Century City …

… com a clara intenção de conhecer o novo Eataly, …

… além da arquitetura do lugar.

E ele é belíssimo.

São muitas lojas legais …

… e o Eataly é imenso.

Jantamos no seu restaurante principal, o Terra, que tem como especialidade assar tudo em fornos de carvão.

Ou seja e no popular, faz churrasco. 🙂

A Dé acabou optando por comer entradas.

Dividimos um erva-doce assado …

… e ela comeu uma burrata muito boa.

Eu experimentei um maialino, um porquinho, sublime.

Tomamos duas taças, uma dum bianchetto siciliano e a outra, um Dolceto Dalba muito bons, …

… retornamos pra casa, opa, pro hotel …

… e não nos esquecemos de pensar em como a vida é bela e cheia de amigos.

I’ll be there for you!

Arrivederci.

Veja como foram os outros dias desta road trip californiana:
First day – USA – Los Angeles – Garota eu vou pra Califórnia, ver o papai Lebron
Second day – USA – Califórnia – San Diego de la Vega. 
Third  day – USA – Califórnia – San – Diego – Passeando num porta aviões.
Fourth day – USA – Califórnia – San Diego – Cruzeiro e show em igreja?
Fifth day – USA – Califórnia – San Diego – Fomos ver os Padres, Marcelo.
Sixth day – USA – Califórnia – San Diego/LA – Spring bloom, estão chegando as flores!

.

 

 

dcpv – day two – usa – andando muito nas lojas diferenciadas de NY.

25/01/2020  (labutado em 12/01/2019)

Day Two – USAAndando muito nas lojas diferenciadas de NY.

Viemos pra NY por causa da NRF, a maior feira de varejo do mundo.

Teoricamente, ficaríamos por conta dela nestes primeiros dias de viagem.

Acontece que isso é praticamente impossível …

… tamanha a quantidade de atrações que a Big Apple oferece.

Ainda mais que estávamos hospedados na região do Meatpacking.

Resultado?

Acordamos e fomos tomar um café da manhã …

… old school no Chelsea Market. Aproveitamos a proximidade pra conhecer …

… a feira orgânica da Abgindon Square.

Quer dizer, dar uma passada beeeem rápida já que a quantidade de barracas é minúscula.

Continuamos dando uma passeada pela vizinhança …

… que incluía conhecer o ponto inicial …

… do maravilhoso High Line.

Pra quem não conhece, ele é um jardim suspenso …

… feito sobre uma linha antiga de trens …

… e é o máximo do charme.

É um Minhocão que deu certo.

Andamos só um pouquinho por lá …

… porque queríamos visitar o Whitney Museum …

… que estava apresentando uma exposição com obras do Andy Warhol.

Confesso a nossa ignorância …

… mas imaginava que veríamos somente algumas daquelas latas de sopa Campbell …

… e fotos coloridas da Marylin.

Doce ilusão!

O trabalho dele é sensacional …

… e extremamente envolvente.

Em poucos minutos da exposição …

… você percebe que o enfoque dele …

… era eminentemente artístico …

… e com uma alta qualidade.

Enfim, esta merece um fotoblog.

Saímos de lá, demos uma passada rápida pelo excelente comércio local …

… e passamos numa loja sensacional, a Kleinfeld

… que pra quem não sabe, é onde acontece o programa “Say yes to the dress”. 🙂 Yeeeees!

Não vimos o Randy, mas nos divertimos muito.

Continuamos em direção ao Eataly

… que fica em frente ao icônico Flatiron Building.

Aproveitamos pra tomar a nossa Ferrari Perlé …

… e comer burrata e mozzarella de búfala …

… acompanhados de presunto San Danielle …

… e numa posição espetacular.

É, no quesito ambiente e comida …

… este Eataly, continua imbatível.

Como estávamos bem próximos de onde seriam apresentados os detalhes da feira …

… nos dirigimos pra lá …

… e ouvimos quase 4 horas de excelentes infos.

Aproveitamos, mais uma vez, a proximidade …

… e iniciamos um tour particular …

… por lojas que a própria FGV indicou.

Iniciamos pela Amazon Books, …

… uma loja que tem por característica, …

… só vender livros que tem avaliações positivas dos seus consumidores (está mais pra meia books).

De lá, fomos pra NBA, …

… que seria uma experiência marcante.

Foi?

Acho que não, pois o lugar está bem velho e fora do que imaginamos como um ponto moderno …

… e adaptado ao anseio do consumidor.

Ao lado da NBA, …

… fica a flagship da Adidas.

Esta sim, uma loja, moderna,..

… e marcante, …

… com muita personalidade.

Cada vez mais tenho certeza que a Adidas está dominando …

… o mercado esportivo.

Andamos mais um pouco …

… e chegamos a Anthropologie. Que loja, senhores!

Cheiro especial, layout maravilhoso, …

… enfim, tudo o que um estabelecimento tem que ter para encantar o cliente.

Passamos pelo icônico Rockfeller Center …

… e nos abastecemos no “lodjinha” da NBC.

Seinfeld e Friends foram devidamente comprados e registrados.

As Indústrias Vandelay agradecem.

Pegamos um táxi …

… e ainda conseguimos curtir …

… as cores e todo o ambiente contagiante …

… da Times Square.

Por sorte e planejamento, …

… o nosso jantar seria próximo do hotel.

Mais precisamente no queridinho (especialmente de alguns bons amigos) L’Atelier du Joël Robuchon, …

… o restaurante mais fotogênico do mundo.

Tudo foi feito pra que você se maravilhe …

… com as cores …

… os detalhes …

… e, é claro, a comida.

Além de que o fato de se sentar num balcão de frente pra cozinha …

… te faz realmente pensar …

… que se está assistindo a um excelente ballet …

… ou um concerto da mais alta qualidade.

Iniciamos com as obrigatórias flutes dum bom blanc des blancs.

Os amuses foram devidamente encaminhados, …

… os pães e a manteiga são soberbos e pedimos.

A Dé foi de terra.

Gnocchi de grão de bico com trufas negras …

… e alcachofras.

Eu fui de mar, marinheiro que sou.

Lagosta …

… e pulpito, o famoso polvo.

Tudo absolutamente perfeito.

Hramonizamos com um ótimo Sauvignon Blanc, …

… pedimos expressos com os obrigatórios docinhos acompanhando …

… e voltamos caminhando pro hotel …

… sobre o frio nova-iorquino.

Se víssemos o Soup Nazi, ele certamente diria: …

… no soup for you!

Neeeeext!

Veja o primeiro dia desta viagem:
day One – USA – New York, New York.

.

 

dcpv – dia fourteen – dubai – incrível o que os dubaienses conseguiram fazer no mar (inclusive o burj al arab)!

25/07/2019 (vivido em 17/04/2018)

Dia fourteen – Dubai – Incrível o que os dubaienses conseguiram fazer no mar (inclusive o Burj Al Arab)!

O dia amanheceu muito estranho.

Aparentemente, estava sol, mas tudo estava bastante nebuloso.

De repente, caiu a ficha.

A junção do vento com a quantidade absurda de areia que existe em Dubai, só poderia resultar numa coisa: tempestade de areia!

Sim senhores, era isto o que estava acontecendo. A primeira tempestade de areia a gente nunca esquece.

Tínhamos um tour de meio período com uma guia brasileira, a Clara, pra conhecer The Palm e o centro.