Posts Tagged 'jamie oliver'

dcpv – jamie’s italian (e ferrazense).

14/04/2015
número 414

Jamie’s Italian (e ferrazense).

E não é que o porquinho do Jamie Oliver abriu um restaurante lá na praia (mais conhecida como capital paulistana)?

DSC09193

Juro que tentamos conhecer, mas por motivos técnicos, não conseguimos (em tempo, já fomos lá várias vezes e gostamos muito).

DSC09190

Acontece que tenho um livro dele, o Jamie Viaja, que é muito legal e tem receitas bacanas.

DSC09188

Pra homenagear a abertura do Jamie’s Italian em SP, resolvi fazer um menu só com receitas deste jovem (hoje, nem tanto) e famoso chef inglês.

DSC09211

Vamos lá, então!

Entrada – A melhor salada de tomates do mundo.

O nome da receita é bem modesto, né? E será que esta simples salada é mesmo a melhor do mundo?

DSC09220

Para fazê-la basta colocar numa saladeira grande, 3 tomates italianos cortados em pedaços irregulares, …

DSC09172

… um punhado de tomates-cereja cortados ao meio, …

DSC09176

… cebolinha verde cortada, salsinha a vontade e temperar com vinagre de sherez e azeite.

DSC09177

Enquanto isso, frite um chouriço (espanhol, por favor) num pouco de azeite.

DSC09173

Quando ele tiver frito, junto uns dentes de alho fatiados e doure-os.

DSC09186

Misture o chouriço ainda quente com a salada e sirva.

DSC09184

Ele indicava como opcionais, um pouco de presunto ibérico e queijo de cabra.

DSC09204

É claro que eu servi (comprei tudo no sex shop) …

DSC09207

… e junto, fatias de pão italiano, pra aproveitar bem o molho que se formou no fundo da certamente, a melhor salada de tomates do mundo!

DSC09218

Acompanhamos esta maravilha com um vinho branco francês, o Vendanges Nocturnes Classic Laurent Miquel 2013 que foi “estiloso, pret-a-porter, vice-versa, bugiardo“.

DSC09209

Principal – Risoto de tomate cereja.

Esta é mais uma invenção do Jamie. Ele diz que pra incrementar um risotto, basta você fazer uma receita básica e acrescentar os ingredientes que você gostar no final de tudo.
E, mais uma vez, foi o que eu fiz.

DSC09175

Pela ordem, você faz um risoto básico, usando um caldo de legumes (feito em casa) no procedimento usual.

DSC09226

Enquanto isso, pegue tomates-cereja, corte-os ao meio e frite-os no azeite, juntamente com 3 dentes de alho fatiados e um punhado de folhas de manjericão.

DSC09183

Quando o risoto estiver pronto (com o arroz al dente e finalizado com manteiga e queijo parmesão) adicione os tomates fritos, misture bem e sirva.

DSC09227

Ficou muito bom mesmo e dá pra imaginar na quantidade de misturas que são possíveis de usar.

DSC09233

Tomamos um bom tinto, o francês Fleur de Thénac 2009 que achamos “sem filtro, mistura fina, Solange, pretender“.

DSC09231

Sobremesa – Sorbet de tinto de verano.

Somos fãs de tinto de verano aqui em casa. Quando vi esta receita, vibrei. Afinal de contas, tomar um sorbet deste nectar deve ser muito bom.

DSC09237

Para fazê-lo, faça uma mistura com 300ml de água e 300g de açúcar. Coloque no fogo até formar uma calda rala e deixe esfriar.

DSC09168

Misture esta calda com 300ml dum vinho espanhol e 300ml de H2O limão, além de suco de um limão.

DSC09169

Leve à sorveteira e assim que tiver batido, deixe no freezer.

DSC09171

E o sorvete realmente ficou muito bom.

DSC09240

Eis a opinião dos Jamie’s Ferrazenses:
Jamie. Bem-vindo a SP. E a Ferraz. (Edu)
Grande Jamie, Viva Orlando Alvarado! (Mingão)
Oliver, you’re so good! (Deo)

DSC09222DSC09235

Olha, espero que a comida do Jamie’s Italian tenha alguns dos fundamentos desta que apareceu por aqui.

DSC09187

Porque esta estava muito bem condimentada, saborosa, bonita e gostosa.

DSC09196

E olha que eu lavei as mãos pra fazê-la!! 🙂

DSC09214

Arrivederci.

.

 

dcpv + GNT = uma verdadeira sopa de letrinhas

número 362
27/08/2013

dcpv + GNT= uma verdadeira sopa de letrinhas.

Nós somos fãs do GNT, aquele canal de tv paga, aqui em casa.

DSC07711

Gostamos de quase todos os programas, especialmente os de culinária e, pasmem, os de decoração.

DSC07739

Tem o do porquinho do Jamie Oliver, o da “sensual” e rechonchudinha Nigella, o do estranho Chuck, o do Mr. Marravilha Claude e até o mambembe do bonitão Rodrigo Hilbert é bastante interessante.

DSC07705

O site do GNT também é bacana e lá são encontradas receitas de todos os citados acima, além de muitos outros chefs badalados.

DSC07728

Pensando em fazer uma homenagem a tão prestigiado centro gastronômico, resolvi escolher receitas de lá pra formar um menu.

DSC07737

Vamos lá, então, aos pratos da tv a cabo.

DSC07768

EntradaSopa de mandioquinha com cream cheese.

Esta receita pareceu bastante interessante, justamente por ser simples.

DSC07749

Primeiro é preciso cozinhar 1kg de mandioquinha descascada junto com 1,6 l de caldo de legumes.

DSC07721

Quando a mandioquinha estiver bem macia, bata no liquidificador junto com 2 colheres de sopa de cebola picada, 1 colher de chá de alho picado e o caldo. Inclua 150g de cream cheese Philadelphia.

DSC07736

Feito isso, despeje a sopa numa panela, tempere com sal e pimenta e deixe ferver por 5 minutos.

DSC07746

Finalize, misturando duas colheres de sopa de salsinha picada e polvilhe com queijo parmesão ralado.

DSC07748

Ficou uma delícia.

DSC07751

Acompanhamos com um bom vinho branco, o Ca’del Bosco Curtefranca Itália 2011 que foi “cadê, está aqui, donde estás“.

DSC07742

PrincipalRisoto de polvo com lulas e tomatinho confit.

Esta é um pouco mais trabalhosa, mas não menos deliciosa.

DSC07765

Pra fazer o tomate confit, coloque uma bandeja de tomates cereja numa panela com azeite extra virgem suficiente para cobrí-los e 1 raminho de cada uma das seguintes ervas: alecrim, manjericão, salsa, sálvia e tomilho.

DSC07697

Leve ao fogo baixo até que fiquem macios.

DSC07706

Tenha cuidado pra não deixá-los demais, senão estouram.

DSC07710

Já pro risoto, coloque 20g de alho poró picado numa panela, junto com azeite, 100g de polvo cozido e 100 g de lula crua em anéis.

DSC07738

Adicione 50ml de vinho branco e em seguida o arroz.

DSC07755

Acrescente caldo de legumes aos poucos até o arroz ficar al dente. Finalize com manteiga e parmesão …

DSC07757

… e decore com os tomates confit.

DSC07766

Só posso dizer uma coisa: faça na sua casa e não se arrependerá.

DSC07767

SobremesaBrigadeiro de cerveja.

Bota simples nisso, foi o que a Dé, a executora, expressou. Pra fazer, basta ferver 150 ml de cerveja até que ela “suba”, semelhante ao leite. Coloque num recipiente para esfriar.

DSC07698

Quando a cerveja estiver em temperatura ambiente, coloque-a numa panela juntamente com uma lata de leite condensado e 1 colher de sopa de margarina. Misture tudo em fogo baixo até que desgrude da panela, igual ao ponto dum brigadeiro tradicional.

DSC07709

Coloque a porção em copinhos e jogue pitadas de canela por cima.

DSC07715

Taí um bom jeito de tomar uma cervejinha.

DSC07719

Eis a opinião dos geeneteiros:
O canal é bom, a comida foi de boa (e olhe lá!). (Edu)
Sopa boa, risoto ótimo, polvo e lulalá. (Mingão)

DSC07753

Olha, este menu que é uma verdadeira sopa de letras, foi uma surpresa até que agradável.

DSC07764

Assim como é a programação desta tv a cabo que transmite programas muito interessantes e deliciosos (vamos relevar as porcarias).

DSC07704

E não vamos esquecer de algumas chamadas que são muito bem feitas, como aquela em em que os abridores de vinho são pseudo-nadadores.

DSC07771

Até.

dcpv – a sicília do jamie em 15 minutos

número 352
21/05/2013

A Sicília do Jamie em 15 minutos.

Todo mundo que passa por aqui sabe que eu não morro de amores pelo porquinho do Jamie Oliver.

DSC04001

Mas sabe também que apesar dos maneirismos dele e da vontade de ter nascido na Itália, gosto bastante de alguns livros e de alguma coisa que ele faz na tv.

DSC04012

E zapeando um dia destes no GNT, topei com um programa em que ele faz um menu quase completo (neste caso, entrada e primo) em apenas 15 minutos.

DSC04014

Quer coisa mais conveniente prum dia em que você está numa tremenda correria e não consegue pensar em nada mais rápido do que isso? 🙂

DSC04038

Pra melhorar um pouco mais, estas receitas eram italianas (que novidade!) e melhor, sicilianas.

DSC04074

O único trabalho complementar que eu tive foi pegar o meu livrinho siciliano da Coleção Folha Cozinhas da Itália e escolher tanto o complemento da entrada, como a sobremesa.

DSC04059

Vamos lá então cozinhar por 15 minutos junto com o pouco asséptico (esta foi politicamente correta, heim?) Jamie Oliver.

Entrada – Salada de Funcho e Hortelã e Fritos de Grão-de-Bico.

Estes fritos, os panelle, foram retirados do livro.

DSC04053

Eles são formados por uma massa composta de 500g de farinha de grão de bico e 1,5 litros de água que foram muito bem incorporados, temperados com sal e pimenta e cozidos em fogo médio.

DSC04022

Junte uma colher de sopa de salsinha picada e quando começar a ferver, mexa pra que não grude no fundo da panela.

DSC04020

Derrame esta mistura sobre uma bancada de pedra molhada e rapidamente, espalhe-a com uma espátula até atingir cerca de 5 mm de espessura.

DSC04026

Depois de fria, corte-a em losangos e frite em óleo bem quente.

DSC04029

Ela foi servida junto com uma salada do Jamie Oliver muito diferentona e feita totalmente com o processador.

DSC04039

Basta cortar em fatias finas, funcho, salsão, um ramo de hortelã …

DSC04044

… e, pasmem, um limão siciliano inteiro.

DSC04043

As fatias fininhas deste último darão um charme especial a tudo.

DSC04047

Aí é só temperar tudo com azeite, vinagre de vinho tinto …

DSC04069

… e servir junto com o frito.

DSC04075

Espetacular! Assim como o vinho branco italiano Frascati San Marco 2011 que foi “little king, frescati, dr Osires, Florindo”.

DSC04077

Principal – Linguini com Molho de Camarão e Pangrattato.

Estas duas são do Jamie Oliver.

DSC04096

O Pangrattato é um pretenso substituto siciliano do parmesão.

DSC04031

Para fazê-lo, basta processar duas fatias de pão italiano, dois dentes inteiros de alho e uma colher de sopa dum bom azeite …

DSC04027

… e dourar na frigideira.

DSC04030

Já pra pasta, faça o Linguini como descrito no pacote.

DSC04083

Enquanto isso, comece o molho colocando pimenta calabresa seca a gosto numa frigideira junto com uma latinha pequena de anchovas (óleo incluso).

DSC04036

Acrescente uma pitada de açafrão e junte camarões congelados.

DSC04056

Coloque dois dentes de alho esmagados e uma pitada (ou duas?) de canela. Interessante, não?

DSC04057

Adicione um vidro inteiro de passata de tomate e o suco de um limão.

DSC04058

Junte a massa cozida e sirva bem quente …

DSC04087

… junto com o Pangrattato.

DSC04097

Ficou uma verdadeira delícia siciliana.

DSC04099

Pra melhorar tomamos um outro ótimo tinto italiano, o Casa Vasari Valdichiana 2010, que foi “celebration, cássio, mariesco, mariesco”.

DSC04089

Sobremesa – Gelatina de Melancia

Este Gelo di Mellone Rosso foi escolhido justamente por causa da quantidade de melancia existente na nossa geladeira.

DSC04108

E ela é bem fácil de fazer. Dissolva 80g de amido de milho e 200g de açúcar em 1 litro de suco de melancia com um fouet, misturando bem pra não formar grumos.

DSC04004

Leve a mistura ao fogo e, após a fervura, deixe cozinhar por cerca de 2 minutos.

DSC04010

Retire do fogo, coloque em recipiente único e individual umedecido e, depois de frio, leve à geladeira.

DSC04018

Desenforme e sirva como eu fiz, com lascas de chocolate, amêndoas e flores.

DSC04109

Eis a opinião dos rápidos sicilianos:
15 minutos pra fazer, 2 horas pra degustar! (Edu)
Na chacara de Dios, não sobrou pedra sobre pedra! (Mingão)
Achei um espetáquila! (Deo)

DSC04081DSC04101

“Assim como na arquitetura, as artes e os costumes, a história da cozinha siciliana se confunde com seus invasores. Da convivência com diferentes povos ao longo dos séculos, essa ilha do sul da Itália herdou especiarias, ingredientes e receitas, o hábito saudável de cultivar e consumir vegetais e a paixão por doces e sorvetes”.

DSC04107

Me diz se com tudo isso, não é pro Jamie Oliver querer se transformar em italiano e em apenas 15 minutos?

DSC04068

Arrivederci.

.

dcpv – venice, venezia, veneza. by “seboso” jamie

18/09/2012
número 329

Venice, Venezia, Veneza. By “seboso” Jamie.

Todos que passam por aqui sabem do meu apreço pelo design dos livros do Jamie “Seboso” Oliver.

Eles são bem didáticos e, via de regra, muito bonitos também.

Logo que eu vi o Jamie Viaja, adorei. Afinal de contas, misturar grandes fotos com algumas boas receitas (algumas são variações do mesmo tema oliveriano), além de algumas dicas de viagens, tem que resultar num bom produto.

Já tinha feito uma noite só com receitas (excêntricas) suecas que o Jamie indicou.

E agora, como estou pesquisando o destino da nossa viagem do final do ano, me lembrei do capítulo sobre Veneza, a Recife italiana.

A culinária da região é muito interessante e espelha a miscigenação de culturas que aportaram (literalmente) por lá durante todos este tempo.

Não esquecendo que por serem receitas italianas, o produto é sempre reverenciado e invariavelmente, servido na maneira mais original possível.

Vamos lá, então, experimentar a culinária dos venezianos (nada a ver com os incas venusianos).

Entradas – Salada de Tomate com Manjericão e Salame Frito.

Caprese, tricolore … quantas vezes poderemos reinventar a salada de tomate?

É, o “porquinho” do Jamie bem que queria ter nascido italiano. Dá pra perceber pelos verdadeiros “micos” que ele passa só pra se parecer um legítimo oriundi.

Neste caso, o aproveitamento do ingrediente ao extremo, faz deste prato simples, uma delícia. Demos a sorte de estarmos na praia hoje de manhã e consequentemente, passamos no sex shop.

Então, foi só cortar tomates-caqui em rodelas grossas …

… e colocá-las nos pratos.

Enquanto isso, faça um azeite de manjericão, socando no pilão folhas de um maço deles e um pouco de sal até transformá-los numa pasta verde e espessa.

Junte pouco a pouco, azeite e vinagre. Distribua este “pesto” sobre os tomates.

Rale queijo feta …

… e enfeite com algumas folhas de manjericão.

Pra dar um up (será que isso seria possível?), sirva com uma fatia bem quentinha de pão italiano.

Há algo de especial em escolher um salame de boa qualidade, cortá-lo em rodelas e fritá-lo até ficar crocante.
Ou seja, um salame frito faz a festa de qualquer pessoa inglesa de língua presa. Imagine algumas ferrazenses?

E pra fazer este prato é uma moleza. Basta fritar as fatias de salame numa frigideira bem quente e com um fio de azeite até ficarem crocantes.

Reserve-as e acrescente um pouco de alecrim e alho cortado em fatias finas (a gosto). Refoque por um minuto e junte folhas de radicchio até murcharem.

Sirva junto com o tomate e terá uma puríssima entrada italiana.

Ela é elevada ao quadrado quando se toma um Bellini, um coquetel que é a simples junção de purê de pêssego com Prosecco que foi “macanah, alessandro, mauro ramos”.
É um verdadeiro raio-de-sol em plena noite ferrazense.

Principal – Risotos.

O risoto é um dos astros da cozinha veneziana, consequencia das grandes plantações de arroz espalhadas pelo Vêneto.

Esta é mais uma daquelas do tipo “porque que eu não tive esta idéia antes?”.

Afinal de contas, fazer um risotto “bianco” básico com o único diferencial de colocar salsão picado junto com  cebola …

… e refogá-los em fogo baixo por uns 10 minutos e quando estiver próximo do final do cozimento, …

… misturar os seus ingredientes preferidos, não é uma boa idéia?

Aproveitei, então, pra fazer 3 sabores diferentes. O primeiro, de alcachofra.

Simples alcachofras em conserva fatiadas e cozidas com salsinha, um pouco do caldo de legumes do risoto, sal e um pouco de limão.

O segundo, tomates-cereja cortados ao meio e refogados numa panela onde …

… já tinha sido refogados 2 dentes de alho cortados finamente, além de manjericão a vontade.

E o terceiro, ervilhas frescas cozidas numa panela com manteiga derretida …

… e folhas de hortelã e de salsinha cortadas finamente. Pronto!

Basta então pegar cada um dos sabores e adicionar, nas suas panelas, o risoto bianco.

Finalize todos com manteiga, um pouco de parmesão …

… e no caso do de ervilha, coloque uma fatia de queijo de cabras.

É isto, pessoal! Felicidade existe!

Além do prato ser um retrato fiel do entardecer em Veneza.

Só poderíamos acompanhar com um tinto italiano, o Nero di Troia Torre del Falco, que nos pareceu “ameixa preta, barbudinho, ulisses“.

Sobremesa – Tiramisù

A culinária veneziana não tem muitas sobremesas. Mas este é um clássico. O melhor Tiramisù. (modesto, o Jamie!!)

A nossa patissière, a Dé, caprichou mais uma vez.

Afinal de contas o Jamie inventou mais um pouquinho e colocou chocolate no Tiramisu.

E, sim, foi no formato raspas com a faca (como ele sempre faz!! rs)

O que ele fez foi embeber biscoito champagne em café doce, …

… fazer um creme com gemas, claras, queijo mascarpone, vin santo, açúcar …

…e derreter chocolate com um pouco de manteiga. Ai foi só montar (a Dé escolheu em taças em vez duma tigela), com camadas de biscoito, …

.. chocolate, creme de mascarpone …

…e finalizar com as indefectíveis raspas de laranja e chocolate em pó.

De-li-cio-so!

Eis a opinião dos gondoleiros (e cantores):
Seboso, pero, no mucho! (Edu)
Esse boso é sensacional! (Mingão)

Se tivesse que resumir a culinária de Veneza, diria que é um cozinha de contrastes. De um lado, você tem alimentos luxuosos, que teriam origem nas casas dos ricos; pratos com atraentes especiarias de lugares distantes, vinhos finos, animais incríveis caçados nos pântanos e uma enorme variedade de frutos do mar.  Ao lado disto tudo, está a comida humilde, realista e com o pé no chão da maioria das pessoas. Com a perda do poder, todos foram obrigados a se acostumar com a cozinha “povera”. Risotos, frutas e verduras, ensopados: tudo isto entrou no cardápio de todos os venezianos.

E você? Prefere qual estilo de comida?

Ciao.

.

dcpv – valentine’s day na grande FV

especial, né bem?
12/06/2012

Valentine’s Day na grande FV

Hoje seria dia de comemorar do jeito costumeiro: jantar “fora”.

Nós resolvemos inovar e fazer uma bela refeição “dentro”.

Nada de filas; nada de dúvidas sobre ir num restaurante novo ou tradicional; nada de reclamar de tudo (do trânsito, da conta, do manobrista, etc).

Deixaríamos as responsabilidades pros de sempre: a Dé enfeitaria tudo e eu cozinharia (aproveitamos que o Mingão estaria em Botucatu e o Deo, sabe-se lá em que lugar do Pará!)

E cá pra nós, com uma data destas, um friozinho convidativo e esta companhia, ficar em casa e comer de acordo com o “figurino” (esta é nova! rs) é um grande prazer.

Vou dar um conselho (pros maridos, claro!): faça um jantarzinho destes pra sua esposa, e em qualquer data. Ela vai adorar.

Vamos lá.

Entrada – Salada de fava, aspargo e vagem com molho de mostarda. 

Esta receita modesta é do talentoso Jamie (aquele porquinho da tv).

Basta juntar quantidades iguais de fava (usei feijões brancos em lata), …

… aspargos aparados, …

… além de vagens também aparadas …

… e ambos cozidos levemente.

Tempere com um molho especial de mostarda feito com uma colher de sopa cheia de Mostarda Dijon, …

… 2 colheres de sopa de suco de limão, 5 colheres de sopa de azeite do bom e 1 colher de chá de pimenta-do-reino moída na hora.

Pronto! Taí uma entradinha que agrada as mulheres.

Você já vou alguma delas não gostar de saladas?

E como a data requere, tomamos um Champagne verdadeiro, o Laurent-Perrier que acrescentou “buinhas” ao nosso namoro.

Principal – Risotto di salmone e mascarpone

É claro que você tem que pesquisar e encontrar alguma receita que seja interessante.

Mas é mais claro ainda que esta receita se encaixe nos ingredientes que você ja tem. Foi o caso do mascarpone e do salmão defumado.

Eles estavam disponíveis aqui em casa e só tive o trabalho de lembrar como encaixá-los numa criação do Boseggia. Vamos a mais uma aula risotística (estas quantidades são pra dois pombinhos).

Doure 1/4 de colher de sopa de cebola picada em um pouco de manteiga e 1/2 colher de sopa de azeite.

Junte 100 g de salmão defumado em tiras …

… e flambe com 1/8 de xícara de vodka (quanto mais bebida, melhor!). Reserve.

Numa outra panela, doure 1/2 colher de sopa de cebola picada em um pouco de manteiga e 1/2 colher de sopa de azeite. Junte 90g de arroz carnaroli e regue por alguns minutos.

Adicione caldo de peixe aos poucos e quase em ponto de fervura.

Cozinhe por aprox 18 minutos, mexendo de vez em quando (a medida que o arroz for secando, coloque mais caldo).

Experimente e veja se o arroz está al dente.

Acrescente o salmão e 100g de mascarpone.

Misture delicadamente (cuidado com a delicadeza! rs), polvilhando com 1 colher de sopa de cebolinha em pedaços.

Deixe descansar um pouquinho e sirva. Putz! Ficou uma delícia.

E como a ocasião pedia, tomamos um Grand Cru, o Corton-Charlemagne Bouchard Père et Fils 2008 que upgradeaou tudo.

Sobremesa – Cuscuz doce 

Mais uma do little pig.

Só que desta vez escolhida sobre medida pra Dé. Ela é fã de cuscuz.

A idéia principal é hidratar 100g de cuscuz marroquino numa panela média, junto com 275 ml de leite e 1 colher de sopa de mel, mexendo de vez em quando. Não cozinhe demais, pois o objetivo é obter uma consistencia bem líquida.

Enquanto isso, coloque 100g de damasco seco picado numa vasilha com raspa de uma laranja. Encha com água fervendo apenas na quantidade suficiente para cobrí-los.

Coloque esta mistura num liquidificador, adicione o suco de metade duma laranja e bata até formar um purê.

Torre 1 punhado de pistaches descascados …

… e ao final, coloque uma colher de sopa de mel.

Monte colocando o purê de damasco e os pistaches “melizados” sobre o cuscuz..

Delicioso.

Eis a opinião dos pombinhos:

O amor é lindo. (Dé)
O amor é lindo. (Edu)

Bom é isso! Fuja da bagunça do Dia dos Namorados e faça um belo jantar na sua casa.

A sua namorada, noiva, patroa, esposa, companheira ,whatever vai adorar.

Faça e não se arrependerá! Né, Dé?

É sim! Bchos

Hasta.

.

dcpv – a suécia de jamie oliver

número 302
30/08/2011

A Suécia de Jamie Oliver.

Quem passa por aqui, sabe que eu não morro de amores pelo Jamie Oliver. Eu o acho um tanto quanto falastrão, meio porquinho (não asseado pros politicamente corretos) e até com alguns problemas de identidade (cazzo, eu nunca vi um cara querer ser tão italiano quanto ele!).

Mas sou obrigado a dizer que acho os livros dele muito bons. Todos tem um grande projeto gráfico, são charmosos e sempre trazem algumas informações incríveis acopladas às receitas. Portanto, quando vi o Jamie Viaja (Editora Globo) na livraria, foi paixão a primeira vista. Tudo bem que lá estavam as manjadas França, Espanha, Itália (ela de novo, Jamie?), mas em compensação, também continha Marrocos, Grécia e a … Suécia.

Suécia? É isto mesmo. Também achei estranho, mas li o capítulo inteiro e depois disso, Estocolmo entrou num lugar de gala na nossa wish list.

O lugar parece bem bonito e melhor, tem uma gastronomia bastante interessante com ingredientes exclusivos e com formatos diferentes de preparar as receitas.

Não precisa nem dizer que escolhi algums delas pra fazer um menu sueco da gema aqui no dcpv.

Vamos lá, então!

Entradas – Sopa de ervilha  e Camarão na Torrada.

“Os suecos se alimentavam desta sopa de ervilha desde a Idade Média. Antigamente, todos enchiam a barriga com esta sopa na quinta-feira, para passar pelo jejum da sexta-feira. Com lembrança desta tradição, quinta ainda é o dia da sopa de ervilha no Exército e na Marinha”.

Aqui em Ferraz, a tradição será criada a partir de hoje. Todas as terças, sopa de lentilha.E porque lentilha? Porque eu não tinha ervilha amarela aqui em casa. 🙂

Mas ficou boa do mesmo jeito. Veja: ponha uma panela grande em fogo baixo. Frite salsão e cebola bem picados e um pouco de ervas secas (tomilho e orégano) num fio de azeite e deixe cozinhar por cerca de 10 minutos, mexendo de vez em quando até os legumes estiverem macios. Junte a lentilha (500g), 1 pedaço de 250 g de presunto defumado cozido e acrescente 1,5 litros de caldo de galinha. Quando começar a ferver, abaixe o fogo e deixe cozinhar por 50 minutos.

Tire o pedaço de presunto e corte-o em pedaços.Esmague grosseiramente as lentilhas,  junte os pedaços do presunto e tempere com pimenta e sal.

Sirva bem quente com um pouco de azeite e uma boa porção de mostarda de Dijon. É uma delícia e que as cidades vizinhas da grande SP se preparem pra nossa invasão!

Já o Skagen, mais conhecido como Camarão na torrada, é “o equivalente sueco do coquetel de camarões … que emprega quantidades generosas de limão e endro na maionese“.

Esta é facílima de fazer. Misture num bowl, 500 g de camarão limpo e cozido, 1/2 cebola ralada, 1/2 maço de endro bem picado, 3 colheres de sopa de azeite e  4 colheres de sopa  de creme azedo (faça com creme de leite misturado com algumas gotas de limão e deixado em lugar aquecido por algumas horas).

Tempere com sal e pimenta. Misture e sirva em fatias de pão branco grossas e colocadas numa frigideira bem quente …

… com pedaços de manteiga …

… até torrarem.

Refrescantes …

… e certamente poderiam ser até pratos principais, pois tem sustância.

O vinho tinto brasileiro Coletânea Lidio Carraro 2009 caiu muito bem e foi “corpo, saravá, cassiano, surpreendente”.

Principal – Almôndegas suecas.

Mesmo pessoas que não sabem muito da culinária sueca já ouviram falar ou até experimentaram este grande prato, as almôndegas suecas, especialmente depois que a Ikea se espalhou pelo mundo (ouvi dizer que vendem muito desses bolinhos em suas lojas)”.

Bom, enquanto não temos Ikea no Brasil e imagino que na Tok&Stok não deva ter também; o negócio é pegar esta receita aqui mesmo e experimentar em casa.

As almôndegas são feitas de 300 g de carne de porco moída, 300 g de carne bovina moida, …

… 1 punhado ervas frescas picadas (se tiver dill, inclua-o), 1 ovo grande, 100 ml de leite, 75 g de farinha de rosca, 1 colher de chá de pimenta da Jamaica (importante) …

… sal, pimenta do reino e duas mãos.

As suas mãos que serão utilizadas pra misturar, enrolar e moldar as almôndegas.

Que ficarão numa forma untada na geladeira por uma hora e logo após, fritas com um pouco de azeite numa panelona com fundo grosso.

Após estarem bem douradas, retire-as e faça o molho.

Junte suco de 1/2 limão siciliano (cuidado.Vai espirrar muito!), 300 ml de caldo de carne, 1 colher de sopa farinha de trigo, 60 ml de creme de leite e 1 colher bem cheia de geléia vermelha (usei de Blueberry). Deixe ferver, baixe o fogo até reduzir e ficar com uma consistência que vá aderir as almôndegas.

Volte as almôndegas pra panela e mexa bem.

Eu servi acompanhado dum arroz branco frito em manteiga noisette, com um pouco de amêndoas torradas e ervas frescas picadas.

O Jamie não disse nada, …

… mas este saboroso prato (o sabor da pimenta da Jamaica é demais) serviria pra matar a fome de vários soldados!

Como estávamos verificando a qualidade dos produtos Lidio Carraro, abrimos um Quorum 2005, o top deles. O achamos “pepper, fanta, formidable,quedadíssimo“.

Sobremesa – A torta de frutinhas mais rápida.

“Esta receita pode parecer estranha, mas a combinação de sabores e texturas funciona muito bem. Esta é basicamente uma torta de frutinhas espalhadas a esmo, para criar uma sobremesa incrivelmente deliciosa de fazer”.

De vez em quando, o Jamie dá uma escorregada na denominação das suas receitas. E também de vez em quando, as traduções destes livros dão uma derrapada. Esta é uma delas.

Resumidamente é uma torta com uma massa bem gostosa formada por farinha de trigo, açúcar de confeiteiro, manteiga, ovo e leite.

E um recheio de açúcar de baunilha (aquele da fava), creme de leite fresco, raspas de casca de laranja, frutas silvestres (no nosso caso, o máximo de silvestres que conseguimos foram morangos. Que saudades do sex shop!), suspiros partidos (o doce, não o ato de suspirar) e acúcar de confeiteiro pra polvilhar.

O erro crasso foi não ter batido o creme do formato certo. Resultado? Ficou mole demais  e a torta, apesar de gostosa, ficou parecida com lava de vulcão (tem na Suécia?).

Como upgrade, um novo Spirits by Flávio Federico Dolci, desta vez o de Rosa&Lichia que foi servido com um pouco de frutas silvestres, ops, morangos esmagados.

Eisa opinião dos loiros altos, bonitos e sensuais:

Malmoe, Edstron, Estocolmo: Suécia na cabeça. (Edu)
“Estou col mo” eu, de barriga forrada. (Déo)
Síndrome de Estocolmo (estou sequestrado). (Mingão)

Como diria o grande Jamie, “não quero apenas que este livro o liberte das velhas dúvidas sobre o que vai fazer para o jantar. Quero que ele injete em você um pouco de impulsividade, porque seu propósito é mostrar como é fácil, compensador, estimulante pegar o carro, um trem, um onibus, ou um avião e mergulhar em outra cultura.”

Pode deixar. Vamos explorar as terras próximas (Poá, Suzano, Mogi, Guaianazes??) e nos divertir muito, além de aumentar a nossa cultura.

Ah! Mr Oliver, bem que o senhor podia ser assim na TV também, né?

Till och med.

.

dcpv – jamie, o seboso.

número 257
15/06/10

Jamie, o Seboso. 

Se tem um cara que eu considero controverso no meio gastronômico, este cara é o Jamie Oliver.

Eu já tive uma fase de deslumbramento quando há muito tempo o achei muito interessante e com grandes idéias (foi nessa época que comprei o livro dele).

Também passei pela fase onde o achava mais “porquinho” que qualquer outra coisa. Se sujava todo pra cozinhar; usava as mãos imundas pra cortar coisas; experimentava a comida com a mesma colher; fazia churrasco em lata de tinta ou seja, era uma pessoa , digamos, não muita higiênica!

Um tempo depois, voltei a fase da admiração (mesmo ainda o achando seboso) quando ele começou a mostrar como é o projeto dele pra se plantar tudo o que é tipo de ervas/legumes  em casa. Este programa é um dos que ainda passam no GNT. E gerou um livro muito bacana que só não comprei porque ainda não moro na Inglaterra já que ele dá dicas levando em consideração o complicado clima da terra de Sua Majestade.

Fora os outros projetos marqueteiros quase malucos (o Fifteen,  a melhora da merenda escolar inglesa, a tentativa patética de cozinhar pros italianos na Itália) ainda sobraram algumas receitas que eu gosatria de fazer.

E este é o motivo desta noite. Receitas do Jamie Oliver, o chefe sem segredos. Vamos ver se eu consigo reproduzí-las a altura.

Se bem que com óbvias restrições: não conseguirei ficar sem tomar banho. E nem vou fazer aquela boquinha-mole que ele faz!! 🙂

Bebidinhas – Purê de morangos com espumante.

Gostoso. Tomamos mais uma garrafa de Salton (e foi a última do lote).

Entrada – O meu ministrone (na verdade, o dele!)

Eu e o Mingão fizemos este inteirinho. Tivemos esta oportunidade após assistir aquele espetáculo de futebol (Brasil 2×1 Coréia do Sul).

É um tremendo minestrone e que pode e deve ser feito com as quantidades que mais lhe agradarem  dos ingredientes.

Pique tomates, cenouras, alhos porós, salsões, cebolas roxas e repolhos.

Numa panela de fundo grosso, ponha azeite e refogue a cenoura, o alho-poró, a cebola, o salsão, alho e alecrim em fogo médio por 15 minutos.

Junte os tomates, adicione  o caldo (o real, por favor) e deixe cozinhar em fogo baixo por mais 15 minutos.

Acrescente os repolhos e cozinhe por mais 10 minutos.

Adicionee manjericão e cozinhe a massa (a Dé fez a nossa)  na sopa.

Tempere e sirva com azeite e parmesão. Uma sopona reconfortante e que tem um peso inimaginável. Não precisa nem dizer que a Dé adorou.

Como o próprio Jamie diz, há vários minestrones em toda a Itália. Os ingrediente mudam conforme a estação do ano. Se faz até com hortelã e manjericão no verão. Ou seja, se você quiser fazer o seu, escolha os seus ingredientes e vá fundo.

Continuamos com o Salton purezado e nos permitimos emitir uma opinião sobre a combinação: bom, salbom, verão no outono.

Principal – Taglietelle com abobrinha, limão e manjericão.

Este prato é leve e aromático, segundo o Jamie.

Este prato é leve e aromático, segundo nós mesmos.

Frite um pouco de alho em azeite sem deixar dourar. Adicione abobrinha fatiada finamente e mexa suavemente por 2 minutos.

Borrife suco de limão, junte manjericão e cozinhe por um pouco mais de tempo.

Enquanto isso, cozinhe o tagliatelle al dente em água fervente com sal, escorra e junte a abobrinha. Tempere (sal e pimenta) e acrescente o parmesão ralado.

Ah! Aproveitei que a Re tinha feito um franguinho (receita do Jamie tambem) no final de semana e dei uma incrementada no penoso.

E como ela, a Re, estava por aqui e precisava comer antes, fiz um pratinho pra ela.

Já o nosso, servi salpicando com um pouco de manjericão e parmesão.

Taí um prato simples e mediterrâneo. Pra fazer naquelas noite em que se está com larica e sem muita vontade de cozinhar coisas complicadas.

Tomamos um tinto Cavas de Perdriel Syrah Malbec 2006 Mendoza que foi “reconfortante, reforcontante, cortante“.

Sobremesa – Frutas assadas

Não subestime a simplicidade das frutas da estação frescas e maduras. Experimente assá-las – elas assumem um carater totalmente diferente.

É isto mesmo.
Peguei morangos, figos,  e coloquei no meu grill George Foreman.

Servi com um sorvete de limão siciliano (aquele) e não deu nem tempo de olhar direito pra tudo.

Desceu redondo! De primeira, como citou o próprio Jamie.

Eis a opinião dos dois mosqueteiros (é, mais um cano do Déo):

Jantar sobre medida e uno spetaccollo! Tudo perfeito do primo piatto a sobremesa! E limpinho. (Edu)
Grandissíssimo Jamie (um legitimo oriundi). (Mingão)

-“Um dos melhores chefs jovens da Inglaterra”
– “Eu amo a comida do Jamie. Tão simples e despretenciosa, mas absolutamente deliciosa” |
– “Adquira o livro: é irresistível”
– “O chefe mais quente do pedaço”
– “Simplesmente delicioso”.
Tudo isto é o mínimo que se fala por aí sobre a comida e sobre o próprio Jamie!!

Imagine se ele tomasse um banhozinho e lavasse as mãos!! rs

Bye.

.


É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se a 640 outros seguidores

Blog Stats

  • 1,332,302 hits
maio 2017
S T Q Q S S D
« abr    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Atualizações Twitter