Posts Tagged 'la pietrina'

dcpv – giorno cinque – itália – san gimignano, a verdadeira manhattan toscana e porque não dizer, uma über model

04/10/2017

Giorno cinque – Itália San Gimignano, a verdadeira Manhattan toscana e por que não dizer, uma übermodel.

Você sabe o que é uma übermodel, né?

Pois San Gimignano é a verdadeira übermodel das cidades toscanas.

É incrível como ela é bonita em todos os seus ângulos.

E olha que nem precisa ser um super fotógrafo para conseguir as melhores fotos.

Basta ter as condições climáticas ideais e um pouco, só um pouco, de boa vontade.

Acordamos tarde (ritmo toscano e devido aos Marques de Paula), tomamos uma ótimo café e …

… rumamos pra Manhattan Toscana.

E por que Manhattan Toscana?

Porque San Gimignano é reconhecida pelas suas altas e charmosas torres, …

… comparadas aos belos arranha-céus da famosa região nova-iorquina.

Cá pra nós, San Gimignano é muito mais bonita.

É claro que foi difícil encontrar lugar nos estacionamentos.

Afinal de contas, uma horda de turistas, assim como nós, estava disposta a ganhar seu dia tendo visões que gratificam estar vivo.

E a agradecer por cada momento que se passa por aqui,

Fizemos o circuito normal que todo turista que se espreme faz.

Entramos pela porta principal, onde não se vê nenhuma das torres, …

… subimos a rua principal, …

… e chegando próximo da Piazza della Cisterna, …

… você começa a ter a visão delas .

São esplendorosas e extremamente fotogênicas.

Ainda mais com este céu azul.

E estando na Piazza, você fica sem respiração ao presenciar tamanha beleza.

Como bônus, ainda toma um ótimo gelato no Dondoli,…

… que faz deste sorvete uma verdadeira obra de arte.

Resolvemos almoçar no extremo oposto da cidade, …

… o que nos obrigou a caminhar mais um pouco e descobrir mais alguns segredos desta bela modelo.

O almoço foi frugal e muito divertido.

Demos boas risadas tomando dois litros de um bianchetto feito com a uva icônica da região, a Vernaccia

… e comemos risotos, …

,.. papardelles, …

… lasanhas …

… e maialinos.

Retornamos pra Piazza e decidimos tomar uma saideira na enoteca Divinorum.

Sábia decisão.

O lugar é muito bacana …

… e sua parte externa tem uma das melhores vistas da região.

Aproveitamos pra tomar alguns Aperol Spritz …

…  e curtir cada vez mais a cidade.

Retornamos pelo lugar onde entramos…

… e conversamos muito sobre tudo o que acabamos de presenciar.

Foi um verdadeiro desfile de moda …

… onde a übermodel brilhou mais uma vez.

Como bônus, ainda chegamos na nossa villa, …

… a tempo de presenciar mais um daqueles pores do sol espetaculares …

… e que além de tirarem o fôlego, …

… te fazem agradecer por tudo (desculpem a redundância) o que você tem nesta vida.

Ainda tivemos tempo de tomar duas garrafas dum bom Chianti, …

… duas de um bom Vernaccia…

… além de cozinharmos pela primeira vez por aqui, …

… um ótimo fusilli com alho e peperoncini.

Taí mais um motivo pra agradecer. 🙂

Grazie e …

… arrivederci.

.

 

dcpv – giorno quattro – itália – florença – lindíssima, como sempre!

03/10/2017

Giorno quattro – ItáliaFlorença, lindíssima, como sempre!

Dizem que a maior loucura que se pode fazer é passear de carro por grandes cidades européias.

Nós contrariamos esta teoria.

Pois não é que fomos de automóvel para Florença?

Sim, eu sei que é proibido circular motorizado pelo centro histórico (multas chegarão! 🙂 ).

Mas foi muito confortável dirigir por 20 minutos de Impruneta, …

… onde fica a nossa villa, a La Pietrina, …

… e chegar no estacionamento da Estação Santa Maria Novella.

De lá, andamos uns 10 minutos e estávamos no que pra nós, os Luz, …

… é uma grande atração florentina.

Gelateria Santa Trinita tem sorvetes maravilhosos, especialmente os de pistache e gergelim preto.

Devidamente abastecidos,…

… pelo sorvete e …

… pela beleza das pontes …,

… rumamos pra Ponte Vecchio onde captamos a essência da capital do Renascimento.

Passeamos pelo centro, …

… (re)babamos na arquitetura maravilhosa …

… e chegamos na Piazza della Signoria, …

… um verdadeiro museu a céu aberto.

De lá rumamos para a cobertura da loja de deptos, a La Rinascente, onde além de tomar duas flutes de Ferrari, …

… se tem uma das melhores visões de Florença.

Como estava na hora do almoço, resolvemos degustar alguns vinhos.

E através do TheFork (muito bom este aplicativo de reserva de restaurantes) descobrimos a Enoteca Alessi.

Lá fizemos um vuelo de vinho bianco, …

… outro de rossos da Itália …

… e comemos uma buoníssima burrata.

Foi muito divertido, além da loja ser espetaculosa.

Inclusive, encontramos um conhecido nosso por lá, o Centellino (pra quem não conhece, é um dosador de vinhos).

É claro que tomamos um café expresso curtíssimo …

… sentados em frente ao imponente Duomo Florentino …

… e seguimos caminhando de volta para o estacionamento.

Antes de chegar, compramos algumas coisinhas básicas ( e imperdíveis :)) …

… tais como desodorizadores da Dr Vranjes …

… e perfumarias (os sabonetes são maravilhosos) na Officina Profumo Farmaceutica di Santa Maria Novella.

Mesmo que você não vá comprar nada, vá visitar este estabelecimento. Ele é lindo!

Pegamos o nosso carro e resolvemos conhecer a Piazzalle Michelangelo.

Dizem que de lá se tem a melhor vista de Florença.

E é a mais absoluta verdade.

Depois de ver cada um dos lugares individualmente,…

… (Florença é bem pequena e se vê quase tudo num dia, com a óbvia exceção dos museus), ter a visão de todos juntos é reconfortadora …

… e te dá a impressão de que tudo não passa de um belo Lego divino.

Voltamos pra casa felizes, ainda mais sabendo que esta não foi a última vez que veremos Florença nesta viagem.

Como eu devo ter dito algumas vezes neste post, Florença é realmente imperdível.

Ah, encontramos pela primeira vez nesta viagem com a Regina, o Mingão, a Gabi e o Fom, em plena Impruneta.

Foi um tremendo prazer ver pessoas tão queridas dividindo um sonho acalentado por tanto tempo.

Ainda bem que também teremos muitos encontros até o final do mês.

Arrivederci.

.

dcpv – giorno tre – itália – toscana – antinori, o visionário.

02/10/2017

Giorno tre – ItáliaToscana –  Antinori, o visionário.

E voltamos com o sol da Toscana.

Ele brilhou muito.

Sorte nossa, porque hoje faríamos uma visita ao Antinori nel Chianti Classico.

Tomamos o nosso café da manhã caseiro rapidamente e rumamos pra lá.

A chegada é impactante.

A arquitetura da vinícola é espetacular.

É o mínimo que podemos falar de uma obra tão bonita …

… e ao mesmo tempo, tão integrada com a natureza.

Fizemos a reserva do tour completo pela internet e chegamos no horário (ela fica bem perto da nossa casa).

Como optamos pelo passeio falado em italiano, ele foi privado, já que éramos só nós dois (eu e Dé) e a guia.

A recepção e a sala de espera não ficam atrás no quesito modernidade.

É tudo muito interessante.

Iniciamos o nosso espanto propriamente com um filme explicando toda a saga dos Antinori.

Eles estão no ramo de vinhos desde os idos de 1300 (são mais de 25 gerações).

E se tornaram num gigante deste mundo tão particular.

Logo depois (o filme dura uns 20 minutos) fomos pra cobertura do prédio, onde videiras estão plantadas e com o mesmo solo original.

O prédio foi construído enterrado numa colina original e é na sua cobertura que fica o restaurante onde almoçaremos.

E é lá também que fica a produção de vin santo.

Entramos no prédio propriamente dito e tivemos mais algumas surpresas.

Todo o lugar parece um laboratório e daqueles de ficção científica.

Os barris de carvalho húngaro (produto do próprio Antinori) repousam como se fossem bebês num berçário.

É simplesmente espetacular.

Faltava a degustação.

E ela veio à la grande.

Experimentamos um vinho branco, o Cervara, um Brunello, um Chianti, o Badia a Passignano e o icônico super Toscano, o Tignanello.

Não precisa nem dizer que adoramos tudo…

… mesmo porque a sala era toda envidraçada e ficava suspensa sobre o lugar onde os barris estavam descansando.

Um sonho!

Depois de curtir bastante todos os vinhos, …

… fomos pra cobertura almoçar (o prédio da vinícola está embaixo das videiras).

Iniciamos como entrada, com os ravioli al dente indicados pelo menu.

A Dé, que não come carne, escolheu um bacalhau como principal.

Eu fui de costeletas de cordeiro.

Tudo excelente e brilhante …

… além dos vinhos, que harmonizaram perfeitamente.

Foram mais três …

… mesmo porque o branco doce acompanhou …

… o prato de queijos italianos especiais.

Totalizamos quase cinco horas de puro prazer.

Recomendamos este passeio para todos que vão a região do Chianti na Toscana …

… especialmente aqueles que não gostam de vinho, se é que estas pessoas existem! 😄

Ah, aos que gostam, também!

Ainda demos uma obrigatória xeretada na ótima lojinha.

Aproveitamos a proximidade e passamos em Greve em Chianti …

… pra comprar alguns queijos e salames na famosa Antica Macelleria Falorni.

Eis outro lugar imperdível por aqui.

Também visitamos San Casciano di Val di Piesa.

É uma cidadezinha tranquila …

… onde aproveitamos pra tomar um gelato (estava muito calor) e conversar bastante, sentados num banco.

Nos sentimos verdadeiros locais.

E onde fica a hospedagem na nossa Villa Toscana?

Apareceu na comodidade de se chegar em casa …

… e ver um dos mais bonitos pores do sol das nossas vidas.

Tudo isso com uma trilha sonora escolhida pela Dé, onde “Fly Me to the Moon” (quer ouvir? Coloque o nome da música no Spotify) foi tocada de todas as formas maravilhosas possíveis.

Este é o nosso verdadeiro Sob o Sol da Toscana.

O resto foi terminar a noite em casa tomando um bom bianchetto (o mesmo ótimo Cervara do almoço ) …

… e entender o porque do Benigni ter dito que a vida é bela!

Viva a Itália e …

… arrivederci.

.

 


É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se a 656 outros seguidores

Comentários

Blog Stats

  • 1.428.707 hits
novembro 2019
S T Q Q S S D
« out    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Arquivos

Atualizações Twitter