Posts Tagged 'lourdes'

dcpv – dia II – dois dias na região vinícola de carmelo, uruguai.

14/10/16

Dia IIDois dias na região vinícola de Carmelo, Uruguai.

Acordamos até que cedo e o dia estava chuvoso.

Aproveitamos pra tomar lentamente o nosso ótimo café da manhã …

… e divagar sobre o como a chuva é importante para o desenvolvimento das uvas. 😀

A nossa visita de hoje seria à vinícola El Legado.

Ela fica bem perto da Campotinto, a que fomos ontem.

E o estilo é o mesmo.

É um estabelecimento familiar, …

… com produção artesanal (4300 garrafas por ano) …

… e um cuidado imenso com a qualidade final do produto.

Chegamos lá e fomos recebidos pelos próprios donos, a Marta e o Bernardo.

Fizemos um tour bem rápido …

… e deu pra perceber o carinho com que eles tratam a matéria prima.

Logo após, nos alojamos na sala …

… e aproveitamos pra degustar alguns frios e queijos …

… na companhia de todos os 3 vinhos que eles produzem.

Um Tannat, um Syrah e um assemblage das duas uvas.

Todos foram aprovados …

… e, inclusive, tivemos a oportunidade de experimentar o assemblage 2016 diretamente do barril.

A experiência de nós mesmos tirarmos o vinho com o uso da pipeta foi demais.

Neste momento, já nos sentíamos em casa.

Logo o almoço foi servido.

E não podia deixar de ser uma parrillada feita pelos filhos do casal.

Ou seja, seria uma refeição realmente feita em família.

Comemos boas carnes, …

… ótimos legumes …

… e continuamos bebendo excelentes vinhos.

Experimentamos uma sobremesa …

… e tivemos, enfim, a certeza de que este passeio é indispensável.

Até o sol deu o ar da graça.

Portanto, se estiver pela região, venha visitar a vinícola El Legado.

Chegamos tão tarde ao Narbona, que só tivemos tempo de nos arrumar e partir pro jantar.

Que seria no Hotel Hyatt.

A curiosidade pra conhecê-lo era muito grande. Afinal de contas, ele é uma alternativa à hospedagem na Narbona.

Chegamos lá e constatamos que o hotel é muito bacana, mas que tem mais o formato dum resort.

Ele é bem bonito.

Optamos por comer frugalmente, já que o almoço foi substancioso. Escolhemos na maioria, massas …

… e achei os molhos mais pesados que o normal.

Mas, como sempre, foi muito divertido e conversamos até tarde, …

… com a boa companhia de dois vinhos brancos, um Chardonnay Ruttini e um Sauvignon Blanc Pulenta.

O resto foi fazermos o caminho de volta já marcando a próxima viagem deste grupo que veio pra ficar.

Uma pena, a Lourdes e o Eymard não poderem comparecer, mas certamente, estaremos todos juntos em Bordeaux.

Ainda tivemos, somente a Dé e eu, uma pequena e boa experiência em Colonia del Sacramento.

Como ficava no caminho pra Montevideu, optamos por almoçar por lá.

E escolhemos o Bistrô del Charco, que fica no hotel homônimo.

Ele fica de frente pra praia (ou seria o rio?) …

… e tem vistas especiais.

A comida também é muito boa.

A Dé pediu uma Caprese …

… e eu, uma Milanesa com batatas.

Tomamos um Chardonnay uruguaio …

… e ainda aproveitamos pra dar um pequeno passeio pelo centro histórico de Colonia.

Afinal de contas, terminar este tour pela Calle de los Suspiros ….

… foi mais do que apropriado.

Adiós e até a próxima.

.

 

 

 

 

dcpv – dia I – 2 dias na região vinícola de carmelo, uruguai.

13/10/2016

Dia I2 dias na região vinícola de Carmelo, Uruguai

É, o grupo estava afiado.

Afinal de contas, já tínhamos nos divertido muito anteriormente tanto no Chile (Vale do Colchágua), como na Argentina (em Mendoza).

E desta vez, nos juntamos na vinícola Narbona.

Nós, a Dé e eu, viemos de Montevidéu de carro (quase 3 horas de viagem) e os amigos cariocas (Madá, Álvaro, Marcia e Vianney) de Buquebus e carro, via BsAs.

Chegamos primeiro e fomos alocados num quarto enorme …

… com vista pras videiras …

… e que tem o nome da uva icônica daqui, a Tannat.

Pra não dizer que tudo estava maravilhoso, o banheiro era muito velho e com móveis, digamos, não muito contemporâneos. 🙂

Aproveitamos, enquanto o pessoal não chegava, pra ir almoçar.

E experimentando um ótimo Tannat Narbona Roble 2012 …

… com o acompanhamento de um ojo de bife com chimichurri pra mim …

… e frango com polenta pra Dé.

Tudo estava muito caprichado e autêntico.

O pessoal chegou e aproveitamos pra matar a saudade, tomando um bom Pinot Noir, também da Narbona.

Descansamos um pouco, …

… olhamos uma parte da vinícola …

… e fomos nos preparar pro primeiro jantar do grupo.

Que foi no próprio restaurante da Narbona.

Não precisa dizer que tudo foi extremamente divertido e saboroso.

Como o menu era o mesmo do almoço, tivemos algumas repetições.

Comemos ojo de bife, …

… salada (pra Dé, óbvio), cordeiro, …

… canelone e ravioli, …

… além de experimentarmos e aprovarmos o vinho top do lugar, o Tannat Luz de Luna 2012.

Gostamos de tudo, conversamos muito (tínhamos mesmo que matar as saudades) e fomos dormir, vendo um céu estrelado.

Acordamos com um maravilhoso sol.

Tomamos o ótimo café da manhã do hotel …

… e aproveitamos pra ir conhecer a bodega.

Existe uma parte antiga e uma nova e moderna (segue o fotoblog).

Quando percebemos já era hora do almoço, …

… que seria numa vinícola próxima, a  CampoTinto.

Aproveitamos que no meio do caminho e dentro do complexo Narbona, existe o Porto Camacho e fizemos uma visita.

O Porto é muito bacana, …

… além de ter uma bonita loja de produtos Narbona (conservas, queijos, etc) …

… e um restaurante casual chamado Basta Pedro que é bastante simpático.

Prometemos voltar.

Seguimos para a  CampoTinto, onde tivemos uma breve explanação da sua produção bastante artesanal de vinhos.

São somente 15000 garrafas feitas anualmente, …

… sendo que a maioria é utilizada no próprio restaurante.

O enólogo Daniel nos explicou tudo …

… e, inclusive, experimentamos vinhos que estavam descansando em barricas de carvalho.

O Tannat 2016 estava muito bom.

Dali, seguimos para o almoço.

O restaurante é muito simpático …

…  e você tem duas opções de entradas, principais e sobremesas.

Acabamos escolhendo tudo. Bruschettas …

… e bolinhos de chicória.

Gnocchi …

… e peito de frango.

Flan com dulce de leche (taí, Eymard) …

… e creme brulée.

Tomamos um Tannat 2012 e assim conseguimos escolher quais vinhos compraríamos.

Nos despedimos com pesar …

… e, ufa, fomos nos preparar prum picnic que contratamos na Narbona.

Ele seria feito próximo as videiras …

… e a atração maior deveria ser o por do sol.

Andamos cerca de dez minutos e chegamos ao local.

Estava tudo preparado. Sanduíches, queijos, doces e vinhos.

Somando-se a conversa agradável, foi o que podemos considerar um programaço.

E o sol não nos decepcionou.

Tiramos várias fotos do seu por e continuamos a conversa até o escurecer.

Retornamos ouvindo uma trilha sonora de peso que o DJ Álvaro nos brindou e cantando..

Imagine tudo isso ao som de Rolling Stones, Ramones e Talking Heads? Wild, wild, life!

Continuamos a conversa noite adentro com o devido acompanhamento de mais algumas garrafas de Tannat. Um espetáculo!

Depois disso, só subindo a escada e dormindo o sono dos justos.

Adiós.

Veja os outros dias desta viagem:
Uno – 1,5 dias em Montevidéu – O que fazer na capital uruguaia?

.

 

dcpv – um dia especial e ferrarista em milão.

29/11/14

Um dia especial e ferrarista em Milão.

Tudo começou, pra variar, através do dcpv.

DSC08242

O Kleber Ricardo, um engenheiro (olha o corporativismo) brasileiro que mora em Milão com a esposa, a também brasileira, Vanessa, deu uma comentada informando que gostaria de entrar em contato com a Maria.

DSC08283

Incrível como através deste post, muita gente confundiu a Maria como sendo uma guia brasileira na cidade.

DSC08345

Depois que eu esclareci que na verdade ela é somente uma amiga, o Ricardo apresentou a empresa dele, a Scuderia Moro Milano.

DSC08280

E veja só que coincidência!

DSC08335

Eles montaram uma empresa e fazem tours pra você dar uma volta de Ferrari (o automóvel é deles).

DSC08289

Daí até marcarmos um passeio no sábado que estaríamos em Milão foi um pulo.

DSC08284

Portanto, dia 29/11/14 às 10:30 estávamos lá, no local indicado e a espera de ouvir os roncos que só o motor de uma Ferrari sabe proporcionar.

DSC08294

Pra começar, o lugar marcado é bem bacana. Fica num café distante do centro de Milão (quase meia hora) o Caffé Le Delizie, mas convenientemente próximo duma autopista.

DSC08298

A empatia entre todos foi imediata. É claro que ficamos sabendo toda história deles (que é bem bacana) e logo depois iniciei o que seria propriamente o test drive.

DSC08293

O Ricardo começa explicando os princípios básicos pra se dirigir um bólido deste, uma Ferrari F430 …

DSC08300

… e logo depois você se vê comandando esta máquina.

DSC08295

Olha, é uma sensaçào única.

DSC08301

E a melhor de todas é quando você está na autoestrada, dá uma tremenda arrancada e sente os cavalinhos rompantes.

DSC08288

Taí uma outra Disney feita especialmente para adultos.

DSC08291

O passeio é mais do que recomendado e não exite em mandar um email pra eles pra perguntar o que quiser e terminar marcando o tal tour.

DSC08292

Você não se arrependerá.

DSC08285

Mesmo porque, você está em Milão!

DSC08302

PS – Fiz questão de pagar o tour, portanto, esta é uma opinião totalmente isenta. O passeio realmente vale a pena.

DSC08299

Este foi o gran finale da nossa aventura piemontesa. Espero que todos tenham gostado, porque nós estamos marcando a próxima. 🙂
Arrivederci.

Veja os outros dias desta viagem:
dia uno – Chegando e reconhecendo o Piemonte
Dia due – Barolo, a cidade.
dia tre – Piemonte – Olha que nome legal de cidade: La Morra.
Dia cuatro – Uma trinca quase perfeita: Coppo, Piazza Duomo e Vietti.
dia cinque – Vendo as borbulhas de Asti e sexshopeando no Eataly.
Dia sei – Fomos pra Ne-i-ve.

.

 

 

 

dcpv – piemonte – dia sei – fomos pra ne-i-ve.

27/11/14

PiemonteDia sei – Fomos pra Ne-i-ve.

O dia amanheceu nebuloso.

DSC08001

E úmido.

DSC08004

Estávamos um pouco livres, pois o nosso roteiro indicava apenas que conheceríamos Neive, uma cidade bem pequena e muito bonita.

DSC08099

Como mudança de planos, optamos por ir pra Alba antes do almoço.

DSC08022

E não nos arrependemos, já que Alba é bem bacana também.

DSC08024

Andamos pelo centro histórico todo, …

DSC08017

… passamos pelo Duomo …

DSC08006

… e por várias igrejas, …

DSC08009

… além de toparmos com muitas construções antigas …

DSC08018

… e interessantes.

DSC08019

Incrível como a história passou por aqui …

DSC08012

… e se instalou tão naturalmente.

DSC08011

Como tínhamos um pouco de tempo antes da reserva pro almoço, …

DSC08025

… decidimos conhecer a filial do melhor sex shop do mundo, o Eataly, que fica ao lado cidade, em Monticello D’Alba.

DSC08026

A loja é bastante modernosa, …

DSC08027

… muito menor que a de Turim, ..

DSC08029

… mas também muito interessante.

DSC08030

Ali você também encontra tudo o que precisa pra fazer a sua vida mais feliz.

DSC08031

Pronto, era hora do almoço.

DSC08058

E resolvemos retornar ao restaurante La Luna nel Pozzo, em Neive, cujo proprietário é o Dr Césare.

DSC08052

Da outra vez, ficamos entusiasmados com a eloquência e a capacidade que ele tem de elevar a sua cidade e os produtos que compõe as suas refeições. E desta vez não foi diferente.

DSC08049

Chegamos ao restaurante e lá estava o Dr Césare a postos, pronto a nos mostrar tudo o que é feito em Ne-i-ve (é deste jeito e falando separadamente que ele se refere a sua cidade).

DSC08075

Demos uma boa olhada no menu e no lugar, …

DSC08050

… enquanto o Dr Césare nos oferecia flutes dum espumante feito em Ne-i-ve.

DSC08046

Fomos frugais nos pedidos: as mulheres pediram simples polentas com muita trufa branca …

DSC08063

… enquanto nós, fomos de Tonato, non tonato uma mistura interessante de coelho com vitela.

DSC08065

Tudo muito bem feito e melhor ainda acompanhado por vinhos de Ne-i-ve.

DSC08056

Como principais, todos pediram um risotto com fondutta de queijo e trufas brancas, muitas trufas brancas.

DSC08078

Pra harmonizar um vinho tinto indicado pelo próprio Dr Césare. Só poderia ser de Ne-i-ve.

DSC08070

Pra não deixar passar batido, o Eymard pediu uma sobremesa, um bolo de chocolate com sorvete de baunilha …

DSC08084

… e nós 3 (exceto a Lourdes) mais três cafés expressos servidos nestas charmosas xícaras.

DSC08085

Pronto! Tínhamos repetido um dos melhores programas da nossa outra viagem ao Piemonte, e melhor, com o nível de tudo sendo mantido a todo momento.

DSC08082

Aproveitamos que estávamos lá e desta vez fomos conhecer melhor Neive (Ne-i-ve).

DSC08091

E a cidade é mesmo tão bonitinha e aconchegante que vale a pena mostrar um pequeno fotoblog com os melhores momentos.

DSC08098

DSC08100

DSC08103

DSC08105

DSC08109

DSC08107

DSC08111

DSC08115

Ainda tentamos passear por Mango, mais uma cidade pequena da região, com o seu museu a céu aberto, mas a única coisa que conseguimos foi ver muuuuuita neblina.

DSC08118

Voltamos ao hotel pra dar uma descansada e retornar pra Ne-i-ve, pois jantaríamos lá.

DSC08125

Não, não repetiríamos a casa do Dr Césare, mas sim iríamos a um restaurante desconhecido, o La Contea.

DSC08142

Antes disso, aproveitamos todo o mistério noturno do lugar e fomos fazer uma happy hour numa enoteca (não marquei o nome) …

DSC08135

Tomamos um bianchetto, o Arneis Roeiro e rumamos pro restaurante.

DSC08137

Que é velho, muito velho!

DSC08140

E bastante charmoso.

DSC08141

Não preciso nem dizer que só nos quatro estávamos lá.

DSC08178

E que foi uma das melhores e mais divertidas refeições de toda a viagem.

DSC08155

O atendimento, feito pelo JeanLuca e pela Daniela foi espetacular.

DSC08181

Como estávamos sem muita fome, escolhemos degustar o melhor grissini da viagem …

DSC08147

… e optar por pratos principais com trufas.

DSC08016

As damas escolheram gnocchi …

DSC08152

… e nós, tagliatelle.

DSC08154

Todos impecavelmente bem feitos.

DSC08143

Acompanhamos com um Barbaresco orgânico da casa, por sinal, muito bom.

DSC08151

Num arroubo, pedimos uma degustação de queijos pra cada casal.

DSC08162

E emendamos um outro Barbaresco da casa.

DSC08168

Três expressos depois, nos foi oferecido um passeio pelos porões da casa.

DSC08166

Mais um espetáculo…

DSC08170

… onde não nos furtamos em acompanhar a quantidade de história …

DSC08173

… e de tradição que estes lugares te proporcionam.

DSC08176

É realmente uma viagem no tempo.

DSC08183

Estávamos voltando pro hotel, quando cruzamos com um lugar, que imaginávamos ser uma enoteca e que parecia uma igreja.

DSC08197

Na verdade, era um bar local onde tinha um montão de velhinhos jogando baralho e que parecia mais uma filial da igreja católica local.

DSC08193

Pedimos mais um Barbaresco e descobrimos mais um segredo crucial piemontês: …

DSC08189

… Barbaresco vai muito bem com cheetos! 🙂

DSC08195

Depois de todo este divertimento e como estávamos perto do hotel, só nos restou voltar e dormir o sono dos justos.

DSC07617

Não, juro que ninguém pensou em tomar uma saideira!

DSC08149

Uau, que dia espetacular em Ne-i-ve!

DSC08113

Arrivederci.

Veja os outros dias desta viagem:
dia uno – Chegando e reconhecendo o Piemonte
Dia due – Barolo, a cidade.
dia tre – Piemonte – Olha que nome legal de cidade: La Morra.
Dia cuatro – Uma trinca quase perfeita: Coppo, Piazza Duomo e Vietti.
dia cinque – Vendo as borbulhas de Asti e sexshopeando no Eataly.

.

dcpv – piemonte – dia cinque – vendo as borbulhas de asti e sexshopeando no Eataly.

26/11/14

Piemonte – dia Cinque Vendo as borbulhas de Asti e sexshopeando no Eataly.

Acordamos junto com o dia mais broncolhão de todos. Tudo muito nublado e chuvoso.

DSC07829

Tomamos o nosso café da manhã no hotel

DSC07832

… e zarpamos pra Asti

DSC07836

Que não é uma cidade usualmente utilizada como referência piemontesa.

DSC07841

Mas que é bem bacana, ah, isso é.

DSC07840

Dirigimos bastante (quase uma hora) até chegarmos lá.

DSC07838

A neblina continuava pesada.

DSC07833

Chegamos e andamos muito.

DSC07850

Estacionamos próximos a uma feira livre.

DSC07863

Ver produtos de qualidade é sempre muito bom.

DSC07865

Asti é conhecida além dos espumantes que produz, pelas sua Torres antigas …

DSC07839

… e por ter um Pálio que concorre com o de Siena.

DSC07857

Vimos várias destas torres.

DSC07856

Também passamos pela igreja de San Secondo …

DSC07853

… e pelo Duomo.

DSC07861

Sabe que foi legal nos perder por uma cidade totalmente desconhecida …

DSC07848

… e praticamente sem referências?

DSC07854

Até tomamos um sorvetinho na GROM.

DSC07847

Como já estávamos perto do horário do almoço, rumamos pro restaurante que havíamos reservado, o Angolo del Beato.

DSC07900

Em tempo, o livreto Itália – Para Comer e Beber Bem, do Juscelino Piselli e do Gerardo Landulfo é imperdível pras situações de escolha de bons restaurantes em toda a Bota.

DSC07866

E foi mais uma refeição memorável.

DSC07898

O lugar é pequeno e bastante aconchegante.

DSC07899

E como estávamos na terra do espumante, fomos logo chamando um Ruinart.

DSC07879

Acatamos a sugestão do proprietário, e pedimos um misto de entradas típicas da região. Alcachofras cruas com parmeggiano, …

DSC07878

… coniglio tonato, …

DSC07874

… salsiccia (mais conhecida como lingüiça) cruda de Bra …

DSC07876

… e uma tremenda e típica salada russa. 🙂

DSC07873

Tudo muito bem temperado e em quantidade suficiente pra nos saciar.

DSC07872

Tomamos um Barbera D’Asti (um vinho da casa) …

DSC07881

… e até exageramos um pouco, ao pedir talharim na manteiga com trufas brancas pra todos.

DSC07890

Mas estava tão bom que ninguém reclamou e todos comeram tudo.

DSC07889

Com tudo tão agradável, ainda sobrou um espacinho pra experimentarmos (especialmente a Lourdes) ótimas pêras a Belle Helene.

DSC07895

Pronto!

DSC07902

E num clima de forte emoção, resolvemos dar um pulo em Turim (mais meia hora de carro) pra visitarmos novamente o nosso queridinho, o Eataly, a matriz.

DSC07904

Taí um loja que merece a alcunha de sex shop.

DSC07913

Tudo lá é tão perfeito que a toda hora você fica se perguntando o porque de ainda não ter alguma coisa parecida em SP (em tempo, já temos o nosso Eataly!).

DSC07915

Iniciamos tudo pela enorme …

DSC07923

… e diferenciada seção de vinhos.

DSC07919

Logo após passeamos pela mercearia, …

DSC07942

… pelos queijos, …

DSC07928

… pelos presuntos de Parma, …

DSC07924

… pelos hortifruti (segue o necessário fotoblog)…

DSC07931

DSC07932

DSC07933

DSC07934

DSC07935

DSC07945

DSC07959

… e finalizamos o tour com um obrigatório pitstop no balcão …

DSC07954

… onde tomamos um espumante Ferrari …

DSC07950

… e comemos duas tábuas de frios: uma de queijos e salames …

DSC07955

… e outra de presunto e mozzarela de búfala.

DSC07958

Enfim, certamente podemos comparar a Eataly com o que seria uma Disney gastronômica, só que onde tudo é de verdade.

DSC07949

Retornamos ao hotel com um pouco de chuva e bastante neblina.

DSC07965

O negócio foi optarmos por ficar por lá mesmo.

DSC07977

Como não estávamos com muita fome, quebramos o galho tomando um vinhozinho tinto da casa, um Dolcetto …

DSC07989

… e comendo saladas …

DSC07992

… cardos com trufas …

DSC07996

… e uma carne especial ..

DSC07995

… no próprio restaurante do hotel.

DSC07986

Uau! Que dia mais maluco!

DSC07910

Passamos por Asti, …

DSC07844

… por Turim …

DSC07908

… pelo Eataly …

DSC07947

… e finalizamos onde começamos.

DSC07983

Só no Piemonte mesmo!

DSC07864

Arrivederci.

Veja os outros dias desta viagem:
dia uno – Chegando e reconhecendo o Piemonte
Dia due – Barolo, a cidade.
dia tre – Piemonte – Olha que nome legal de cidade: La Morra.
Dia cuatro – Uma trinca quase perfeita: Coppo, Piazza Duomo e Vietti.

 

.

 

dcpv – piemonte – dia cuatro – uma trinca quase perfeita: coppo, piazza duomo e vietti.

25/11/14

Dia cuatro – Uma trinca quase perfeita: Coppo, Piazza Duomo e Vietti.

É claro que o dia amanheceu broncolhão.

DSC07674

Mas nada nos impediria de comemorar (e bem) o nosso aniversário de casamento.

DSC07713

Maneiramos no café da manhã no hotel

DSC07677

… e zarpamos pra Canelli, onde marcamos uma visita para conhecer o prestigiado produtor de vinhos Coppo.

DSC07679

Chegamos lá e tínhamos um pequeno problema: aparentemente invertemos (inverti!) os horários das visitas das vinícolas, tanto do Coppo como do Vietti.

DSC07702

Mesmo assim, o Sr Paolo Coppo, o dono do negócio, quebrou o nosso galho e nos mostrou o porquê da excelência do vinho que ele produz.

DSC07680

Ele foi muito paciente e conseguimos visualizar todo o processo e como são produzidas pérolas como Camp Rouss e Pomorosso.

DSC07699

Eis o fotoblog da visita:

DSC07681

DSC07682

DSC07683

DSC07685

DSC07687

DSC07689

DSC07690

Fizemos uma degustação de 4 vinhos, já com o filho dele, o Luigi, ao final e ainda compramos alguma coisa pra trazer pro Brasil.

DSC07697

Saímos de lá debaixo de chuva e rumamos pra Alba, a terra das trufas.

DSC07780

Tínhamos uma reserva pra almoçar no Piazza Duomo, o restaurante gourmet (e três estrelas do Michelin) do chef Enrico Crippa.

DSC07728

O lugar é difícil de encontrar. Ele fica no segundo andar dum prédio em frente ao Duomo de Alba.

DSC07716

E é super-moderno e muito bonito.

DSC07706

São oferecidos vários tipos de menu-degustação, mas terminamos escolhendo uma entrada e um prato principal pra cada um.

DSC07727

Foi uma sábia escolha, pois nos foram oferecidos vários piccolos.

DSC07719DSC07721

E todos com muita qualidade e criatividade.

DSC07733DSC07734

Iniciamos a comemoração com flutes de espumante italiano pra todos.

DSC07708

Como entradas, a Lourdes e o Eymard escolheram cardo, uma verdura específica do Piemonte com trufas brancas, óbvio.

DSC07754

A Dé pediu uma creme de patate, lassam gauchinni.

DSC07753

Eu fui de Capesante (mais conhecido como vieiras) e radici.

DSC07758

Todos absolutamente perfeitos e acompanhados das indefectíveis trufas brancas.

DSC07759

Pra comer trufas também nos pratos principais, não pensamos todos em pedir o mesmo prato, o Agnolotti ao Plin de Fondutta.

DSC07765

Perfeito e extremamente trufado.

DSC07767

Como não poderia deixar de ser, escolhemos um ótimo Barbaresco, o La Spineta, pra acompanhar este perfumado prato.

DSC07760

No mais foi curtir um ótimo e diferente café …

DSC07778

… e todos os piccolos doces que o chef nos enviou.

DSC07773

Resumo da ópera: o Piazza Duomo Duomo é um lugar imperdível (apesar de algumas opiniões contrárias, né Jusça?) e que você não pode deixar de ir se estiver pelo Piemonte.

DSC07761

E já que a esperança é a última que morre, corremos mais um pouco pra chegar no Vietti e ver se conseguíamos fazer o tour.

DSC07781

Só que desta vez não deu certo.

DSC07783

A Sra Vietti nos atendeu e além de informar que seria impossível, nos disse que eles não tinham mais nenhuma reserva pro restante da semana.

DSC07782

Tudo bem que estávamos errados, mas que ela foi um pouco indelicada, ah, ela foi.

DSC07785

Só nos restou dar uma passeada em torno do Castello Falletti Di Barolo, …

DSC07786

… tirar umas fotos do magnífico entorno …

DSC07802

… descobrir a Cantina Comunale, um lugarzinho bacana que vende vinhos produzidos em Castiglione Falletti …

DSC07795

… e melhor, com um tasting de 3 tipos deles (um Barbaresco, um Dolcetto e um Barolo) …

DSC07798DSC07799

… acompanhado de salame e queijo.

DSC07796

Voltamos pro hotel, com a noite caindo e com uma neblina incrível (já eram 17:30 hs).

DSC07800

Marcamos uma happy hour no bar pra comemorarmos melhor o nosso 31º aniversário de casamento (com um presentinho da nossa amada Re) …

DSC07803

… e acompanhado dum legítimo representante francês, uma Krug, …

DSC07804

… e fomos jantar no bistrô do próprio hotel, já que com toda aquela neblina, seria impossível sair.

DSC07806

E não nos decepcionamos.

DSC07808

Todos escolhemos opções frugais. 🙂

DSC07809

A Lourdes e o Eymard dividiram tanto uma salada completa, …

DSC07819

… quanto um vitelo tonato bem diferente.

DSC07817

A Dé, como não poderi deixar de ser, também foi numa salada enquanto eu, escolhi um Penne com salsiccia.

DSC07815

Pra complementar e celebrar, tomamos um Barolo Gaja DOCG que caiu como uma luva com a temperatura baixa reinante.

DSC07821

Só sobrou tempo pruma foto coletiva e aproveitamos a proximidade do hotel pra rápidamente estar nas nossas caminhas.

DSC07828

Happy birthday to us!

DSC07825

Arrivederci.

Veja os outros dias desta viagem:
dia uno – Chegando e reconhecendo o Piemonte
Dia due – Barolo, a cidade.
dia tre – Piemonte – Olha que nome legal de cidade: La Morra.

PS – Não é porque é a minha filhinha, não, mas a Re criou um blog bem bacana, o Meu Desafio do Dunga (http://meudesafiododunga.wordpress.com) que trata dum “desafio” que ela se propôs que é fazer corridas de 5, 10, 21 e 42 Km, sim, uma verdadeira e real maratona em 4 dias seguidos na Disney e em 2018!

Pateta
Para tanto, ela posta sobre a sua preparação e ao mesmo tempo, nos passa informações muito curiosas e interessantes sobre tudo o que envolve o mundo deste tipo de corrida (e com textos, modéstia a parte, muito bacanas).
Dê um pulo lá e divirta-se!

.

 

 

 

dcpv – dia tre – piemonte – olha que nome legal de cidade: la morra

24/11/14

Dia Tre – PiemonteOlha que nome legal de cidade: La Morra.

Era mais um dia incrível de frio e nublado.

DSC07461

Mais íncrível ainda como tudo combina com o Piemonte.

DSC07464

Tomamos o nosso ótimo café da manhã no hotel

DSC07468

… e rumamos pra conhecer Cherasco.

DSC07487

Que, por sinal, não é uma cidade muito turística (só estávamos nós quatro por lá), mas que é muito interessante.

DSC07482

Passeamos por todo o centro histórico, …

DSC07490

… conhecemos igrejas bem bacanas …

DSC07494

… e, curioso, descobrimos que o lugar é conhecido por produzir escargots.

DSC07508

Continuamos o tour pra tentar ver como é La Morra.

DSC07512

Ela é uma cidadezinha piemontesa pequena e charmosa e além de tudo, um centro gastronômico de excelência.

DSC07515

O problema é que vimos uma loja tão bacana, a Galo Wine Gallery, a GWG, …

DSC07517

… com uma vendedora tão especializada e criativa, que não tivemos o que fazer a não ser comprar um montão de coisas.

DSC07523

Como tínhamos uma reserva feita no melhor restaurante do Piemonte, o Bovio, zarpamos pra lá.

DSC07525

E tudo continua mágico.

DSC07529

O cheiro de trufa branca, …

DSC07528

… a paisagem, …

DSC07526

… a comida. Uau!

DSC07527

Todos pedimos entrada e principal. Alguns pratos foram coincidentes:

DSC07532

O risotto carnaroli mantecatto con cuore di Fondutta foi a entrada da Dé …

DSC07543

… e principal da Lourdes.

DSC07544

O Tagliolini al trenta Rossi con tartufo bianco di Alba foi a minha entrada …

DSC07551

.. e o principal do Eymard.

DSC07553

A entrada da Lourdes foi Uovo in pasta alla Bergese con tartufo bianco di Alba.

DSC07548

O Eymard pediu como entrada La batuta di fassone piemontese.

DSC07547

A Dé foi de ovo estralado com trufas brancas como principal …

DSC07555

… e eu, tagliata di vitela con scaglie di parmigiano e, é claro, tartufo bianco.

DSC07559

Tudo absolutamente perfeito e admirável.

DSC07560

Os vinhos foram um bianco Gavi di Gavi …

DSC07535

… e um Barolo do Vietti.

DSC07539

Como sobremesa, um semifredo al Torrone con cioccolato caldo.

DSC07568

Pronto!

DSC07571

Estávamos tão saciados (na melhor concepção) que o único jeito seria continuar o nosso passeio por esta região tão particular.

DSC07573

E resolvemos passar pelo centro de La Morra.

DSC07583

A cidade é bem pequena, …

DSC07589

… mas as paisagens de todo o vale do Langhe compensam a subida …

DSC07594

… da rua principal.

DSC07587

Retornamos ao tour com a intenção de conhecer a cidade de Barbaresco, homônima do vinho tão conhecido.

DSC07605

Eis mais um lugar bacana, que é dominado pelo mito Angelo Gaja.

DSC07606

Ainda tivemos tempo de degustar alguns vinhos locais, …

DSC07615

… numa enoteca que fica dentro de uma igreja antiga.

DSC07613

Mais típico e diferente, impossível.

DSC07616

Retornamos ao hotel e durante a happy hour, …

DSC07626

… feita com um bianchetto Roeiro Arneis e resolvemos jantar num restaurante na cidade vizinha.

DSC07623

O concierge nos indicou o Stazione.

DSC07633

Ele fica em Santo Stefano Belbo. E apesar da dificuldade de encontrá-lo a noite, tudo acabou sendo divertido e agradável.

DSC07628

Começa que os preços são muito mais baratos que os restaurantes estrelados que frequentamos até agora.

DSC07635

É incrível como a qualidade dos ingredientes continua a mesma.

DSC07630

Como não estávamos com muita fome, optamos por dividir alguns pratos.

DSC07638

Por exemplo, o vitelo tonato da entrada serviu pra mim e pro Eymard.

DSC07647

A Dé escolheu pimentóes vermelhos assados e recheados com atum e anchova.

DSC07646

A Lourdes foi de souflé de cardi com Fondutta.

DSC07645

Como principais, a Dé e a Lourdes dividiram um talharim com trufas brancas.

DSC07657

E as trufas foram servidas no formato mais honesto que vimos até hoje: pesadas e cobradas conforme o peso.

DSC07649

Eu e o Eymard escolhemos gnocchi. O dele com molho ao sugo …

DSC07653

… e o meu com molho branco de parmesão, papoula e Fondutta.

DSC07651

Tudo absolutamente perfeito mesmo.

DSC07650

Acompanhamos tudo com dois ótimos vinhos: um Barolo Gaja e um Barbaresco Pio Cesare.

DSC07665

Pulamos a sobremesa e recebemos (pra variar) uns piccolos muito bons.

DSC07668

O restante foi fazer o caminho sinuoso de volta pro hotel e dormir o sonho dos justos.

DSC07673

Caramba, foi realmente um dia estrepitoso, como diria a ótima vendedora italiana da loja de vinhos de La Morra, a Érika.

DSC07597

Taí, estrepitoso é uma boa palavra pra definir este maravilhoso dia da nossa viagem.

DSC07617

Arrivederci.

Veja os outros dias desta viagem:
dia uno – Chegando e reconhecendo o Piemonte
Dia due – Barolo, a cidade.

 

.

 


É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se a 639 outros seguidores

Comentários

Blog Stats

  • 1,343,478 hits
agosto 2017
S T Q Q S S D
« jul    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Arquivos

Atualizações Twitter