Posts Tagged 'new york'

dcpv – days ten/eleven and last – usa – uma nba gelada em ny!

29/02/2019 (curtido em 20, 21 e 22/01/2019)

Days ten, eleven and last – USAUma NBA gelada em NY!

Iniciamos o domingão dum jeito que ele merecia.

Afinal de contas, estava muito frio mesmo …

… e a Starbucks Reserve Roastery era logo ali pertinho.

Café da manhã tomado …

… demos uma passada na Anthropologie

… pra Dé dar uma abastecida  no guarda roupa …

… e nas velas lá de casa.

Fomos de Uber até a Sacks 5th Avenue, …

… uma loja de deptos …

…  multifacetada …

… e bastante interessante.

Com o frio e a chuva reinantes …

… foi um jeito bom pra passar o tempo.

Nos divertimos por lá, …

… mas não compramos quase nada …

… e fomos almoçar no Armani.

O clima broncolhaço …

… e friozaço pedia um italiano.

Foi o que fizemos.

Pãezinhos supergostosos iniciaram a nossa refeição.

Um polvo cozido à perfeição abriu os trabalhos.

A Dé pediu um tagliatelle à bolonhesa …

… e eu, um espaguete à carbonara.

Tudo ótimo …

… e acompanhado de taças dum também ótimo Vermentino.

Continuamos babando na escada da loja …

… e fomos pra fora, sentir o drama.

Olha, fazia quase -20°C.

Mesmo assim, demos mais uma secada na fachada maravilhosa …

… da Louis Vuitton …

… passamos na Nike novamente (com o mesmo péssimo atendimento) …

… e resolvemos retornar …

… pois o por do sol prometia e foi uma belezura (sim, o tempo mudou muito rapidamente)!

É claro que o vento atrapalhava muito …

… deixando a sensação térmica …

… próxima dos -30ºC, …

… mas foi perfeito.

Simplesmente perfeito!

Terminamos a nossa tarde …

.. tomando uns bons drinks …

… no nosso queridinho …

… o Starbucks.

Aproveitamos pra comprar o nosso jantar: …

… pizzas …

… que seriam degustadas no calorzinho do nosso quarto assistindo às finais de conferência da NFL e muito bem acompanhadas.

Acordamos também um pouco mais tarde na segunda.

O frio continuava.

O café foi tomado no primo pobre, …

… o Starbucks convencional, …

… já que o Reserve estava fechado pra manutenção.

Por sorte, tínhamos comprado ingressos …

… pra ver o jogo da NBA …

… e finalmente, …

… conhecer o Madison Square Garden.

Pra variar, foi muito divertido assistir a um jogo, …

… ainda mais com atletas do tamanho …

… do Russel Westbroock.

Sim, o OKC não negou fogo.

O problema foi o NY Knicks.

Ô timinho ruim, sô!

Deu até vergonha.

Ver os coitados dos torcedores sofrendo …

… pra ver um time que não acerta uma.

Resultado?

Uma lavada do OKC …

… que só não foi maior …

… porque eles se desinteressaram do jogo.

Voltamos pro hotel …

… e engatamos uma visita à Container Store …

… (que loja) …

…e a Bed Bath & Beyond.

Até que não compramos muita coisa desta vez …

… e resolvemos dar mais uma passada estratégica …

… no Chelsea Market …

… pra fugir do frio.

Acabei marcando um jantar bem próximo ao hotel …

… no hyppado asiático Buddakan.

E o lugar é surpreendentemente bonito.

Todo cenográfico …

… e com uma mesona coletiva espetacular.

Pedimos somente coisinhas pra repartir, além de duas flutes duma Louis Roderer.

Dumplings de edamame, …

… bolinhos de couve flor, …

… bolinhos de camarão e frango …

… e rolinhos primavera.

Tudo muito competente, …

… mas realmente o que se sobressaiu, …

… foi o visual.

Atravessamos a rua e estávamos prontos pra dormir.

O último dia foi trivial.

Último café da manhã  …

… na Starbucks Reserve Roastery  (que novidade), …

… com um nascer do sol incrível.

Nos despedimos da nossa queridinha.

Fomos até perto da Union Square …

… e passamos na Body Works …

…. na Whisky …

… e retornamos pra região do hotel.

A intenção era, …

… apesar do frio, …

… dar uma olhada na nova coleção da Story (nota – esta loja não existe mais. Ela foi comprada pela Macy’s)

Só para lembrar, é aquela loja que pretende ser como uma revista …

… ou seja, troca tudo o que está a venda de 3 em 3 meses.

Olha, achei um pouco de enrolação, porque mudou um pouco a decoração, mas os produtos, não.

Pronto!

A nossa viagem/trabalho estava terminando.

A conclusão é que vale muito a pena misturar lazer com negócios …

… desde que você saiba fazer um bom roteiro.

Foi o que fizemos.

Ah, ainda fomos brindados …

… com mais um tremendo por do sol …

… em pleno voo de volta.

See U.

Veja os outros dias desta viagem:
day One – USA – New York, New York.
day Two – USA – Andando muito nas lojas diferenciadas de NY.
days Three and Four – USA – Varejando por NY.
days Five and Six – USA – Supermercadeando por NY, parte I.
day Seven – USA – Supermercadeando por NEY, a vinganca. Já ouviu falar do Vertical Horizon?
dia – Eight – USA – Conhecendo a periferia de NY.
day Nine – USA – Vendo o verdadeiro lado B de NY.

.

 

dcpv – day seven – usa – supermercadeando por ny, a vingança. já ouviu falar do vertical horizon?

05/02/2020 (ouvido em 17/01/2019)

Day Seven – USA – Supermercadeando por NY, a vingança. Já ouviu falar do Vertical Horizon?

E o último dia visitas aos supermercados começou …

… com um café da manhã no Starbucks, o comum.

Dali partimos pra pegar o ônibus que levaria toda a turma pra conhecer formatos diferentes de supermercados.

Demorou quase uma hora pra chegar em New Jersey onde fica o Stew Leonard’s.

Que loja maluca e legal.

Tudo muito antigo, cenográfico e com muita personalidade.

Na verdade, você anda num circuito (lembra da Etna?) …

… e quando percebe, já está no caixa.

Sensacional …

… além da quantidade de coisas bacanas com que topa …

… pelo caminho.

Perto dali fica o Costco.

Ele é um tipo de Sams Club …

… só que neste caso, …

… muito melhorado.

Curtimos tudo …

… e também compramos muitas coisas …

… além de comer um cachorro quente muito bom.

Próxima parada?

No Shop Rite …

… uma loja bem comum …

… mas com um mix de produtos imenso …

… e com muitos clientes.

Ou seja, a estratégia deles está muito bem montada.

A próxima loja a conhecer seria o Target.

E que espetáculo!

Um estabelecimento totalmente novo …

… com uma programação visual leve e …

… antenada com os tempos de hoje …

… (barata e com um formato de internet) …

… super abastecida …

… e com uma linha, …

… especialmente de não alimentos, …

… admirável.

Ainda deu tempo de passarmos pelo Fairway.

Ele é um supermercado calcado na venda de perecíveis.

Tanto que uma boa parte da loja é climatizada, como uma câmara fria.

Até jaquetas térmicas eles deixam à disposição dos clientes.

Incrível, né?

Terminamos o tour no Zabar’s, uma espécie de Santa Luzia nova-iorquino.

Ela tem uma profusão de produtos de luxo …

… e muita, mas muita, variedade.

De lá nos despedimos da turma, …

… pegamos um Uber (eles funcionam muito bem por aqui) …

… e fomos direto pra loja da Bulgari.

A fachada dela é incrível …

… mas a da sua vizinha de luxo, a Louis Vuiton …

… é mais ainda.

É claro que estávamos na Quinta Avenida.

E aproveitamos pra conhecer algumas lojas diferentonas.

A primeira parada foi na Microsoft.

A loja é tudo o que se espera de um gigante da tecnologia (tudo bem que imita um pouco o estilo da Apple).

Moderna, clean e …

… muito interessante.

De lá, demos uma passada na Uniqlo

… pra Dé comprar umas blusinhas baratas e bastantes quentes.

Continuamos, visitando uma megablaster, a Nike.

Ela é visualmente sensacional.

São cinco andares de muita criatividade …

… e quase sentimos mesmo uma experiência de compra.

Os problemas começaram quando eu gostei dum tênis …

… e pedi pra experimentar.

Foram quase trinta minutos de espera pra que eu resolvesse ir embora …

… sem ao menos ser contestado do por que?

Resumo: detestei a loja e eis um exemplo de que vendedores sem atitude …

… podem por todo uma grande plano a perder.

Saímos de lá e fomos conhecer a Dyson.

E aí aconteceu tudo ao contrário do que na Nike.

O vendedor, super solícito, …

… nos explicou tudo e saímos encantados e …

… pensando em realmente comprar um aspirador, já que eles são incríveis. Hahaha

Pronto!

Ah, olha só quem nós encontramos? Neeeeext!

Retornamos pro hotel, …

… passando pela, …

… cada vez mais incrível, Times Square …

… e fomos nos preparar pra realizar um dos meus sonhos.

Sempre quis assistir a um show duma banda quase que desconhecida …

… num lugar pequeno. Chegamos ao Highline Ballroom (fica pertinho do hotel) …

… e foi só trocar os ingressos (reservados), ouvir novamente músicas do conjunto escolhido e aguardar pelo show.

Isto nos permitiu dar mais uma passada …

…   na Starbucks Reserve Roastery …

… pra tomar coquetéis a base de café…

… e comer pedaços de pizza, …

… um pão de azeitona com mortadela e uma salada de frango.

Tudo muito bom, como sempre.

Voltando ao show, o conjunto escolhido foi o Vertical Horizon (abra o Spotify), …

… (belo nome, né?) …

… e é claro que chegamos no horário.

Bom, o show foi demais.

Matt Scannell, líder e compositor das músicas do conjunto, …

… é uma figuraça.

E o espetáculo foi um desfilar de grandes músicas, …

… com o Matt e seus asseclas demonstrando um tal grau técnico, …

… que deixou todo mundo extasiado, Dé inclusa.

Esta experiência de ver o show num lugar desconhecido, intimista …

… foi muito boa e certamente repetiremos.

Aguarde-nos!

See U.

Veja os outros dias desta viagem:
day One – USA – New York, New York.
day Two – USA – Andando muito nas lojas diferenciadas de NY.
days Three and Four – USA – Varejando por NY.
days Five and Six – USA – Supermercadeando por NY, parte I.

.

 

 

dcpv – days five and six – usa – supermercadeando por ny – parte I

01/02/2020 (comp(a)rando em 15 e 16/01/2019)

Days Five and Six – USASupermercadeando por NY – Parte I.

Continuamos a nossa saga pela Grande Maçã.

Ou seja, hoje, terça feira, teríamos o último dia da feira, a NRF.

Pra quem não sabe, NRF significa National Retail Federation.

E a manhã foi sensacional.

Começamos tomando um …

… lautíssimo café da manhã …

… na Starbucks Roastery Reserve

… uma maravilha que os gênios marqueteiros inventaram.

Como estava muito frio, optamos por chamar um Uber …

… e ir pro Jacob Javits Center.

E curtimos demais todas as informações …

… que nos foram passadas.

Tivemos previsão de como seria o varejo do futuro …

… com todos as tecnologias que se apresentarão.

Resolvemos ir comer num restô pan-asiático, mais precisamente do Uzbequistão, no almoço.

Ele é quase uma boca de porco, mas foi bom.

Farida fica perto do pavilhão.

Se bem que andamos 10 minutos sobre um frio cortante.

Escolhemos buns como entrada, acompanhados de batata frita (oba) e vareniques.

Retornamos pra sessão da tarde, a última oficial.

E foi ruim de doer; jabás em cima de jabás e quando percebemos …

… estávamos voltando pelo High Line, …

… esta maravilha, …

… e com mais um tremendo por do sol.

E põe tremendo nisso.

Foi tão bonito que resolvemos ficar sentados num banco …

… sobre um frio enregelante só pra ver o sol se por completamente.

Continuamos pelo High Line …

… com visões maravilhosas …

… dum montão …

… de prédios espetaculares …

… e de obras de arte …

… que se …

… encontravam …

… pelo caminho.

Sem contar, …

… que as luzes …

… do poente …

… insistiam em continuar …

… brilhando intensamente.

Olha, tudo estava  tão bonito …

… que resolvemos …

… caminhar até o final …

… e retornar pro hotel.

Ficamos com um grande dilema.

Antes de resolvê-lo, optamos por dar uma passada …

… na Empire Cakes …

… e comer cupcakes de primeiríssima categoria.

Retornamos de vez pro hotel …

… e decidimos cancelar a reserva no restaurante Budakkan, um asiático de categoria.

Escolhemos ir até a Starbucks Roastery Reserve (que novidade!) …

… pra continuar nos admirando …

… com a sua arquitetura …

… especialmente de interiores …

… e degustar dois pedaços de pizza …

… e duas taças dum Zinfandel Californiano.

Foi o que faltava pra dar aquela descansada …

… e agradecer pelo hotel ser tão perto.

Ah, passamos na frente do restaurante e vimos uma multidão. Você acredita que o Bruce Willis estava jantando lá?

Caramba, por pouco ele não teve o prazer de jantar conosco! 😀

Acordamos cedo no outro dia, …

… porque faríamos muitas visitas em diferentes tipos de supermercados, comandados pelo pessoal da FGV.

Tomamos um rápido café da manhã no Starbucks …

… e fomos nos encontrar com o grupo.

Saímos de ônibus, com o tempo bem broncolhão …

… e fomos conhecer o Garden of Eden ,…

… um mercado de vizinhança metido a chic.

Continuamos com o Whole Foods da Union Square, …

… um clássico …

… e o Trader Joe’s, …

… um outro clássico.

Na sequência fomos ao West Side …

… (antes comemos um pedaço de pizza)…

… um reduto de bons FLV …

… e terminamos com um em franca decadência, …

… o Food Emporium.

Retornamos ao ônibus e rumamos pra New Jersey.

A primeira parada foi no Wegmans, …

… um hipermercado de categoria …

… onde aproveitamos pra almoçar por lá mesmo.

Logo em seguida, invadimos um Walmart …

… novíssimo, …

… quase cheirando a tinta.

Ali ao lado, fomos num Dollar Tree.

Um espetáculo, pois todo mundo comprou um montão de coisas, …

… pagando um dólar por cada uma delas.

Baratíssimo!

Finalizamos em mais um clássico, …

… o espartano Aldi.

Teoricamente não poderíamos tirar fotos, …

… mas dei um jeitinho, …

… apesar da operadora de caixa ter brigado comigo. 😀

Retornamos pra Manhatan …

… e para sorte nossa, a última visita …

… seria na Starbucks Reserve Roastery, …

… a nossa querida vizinha.

Nos maravilhamos novamente, não cansamos mesmo, …

… tomamos dois tremendos coquetéis a base de café, …

… comemos uns pedaços de pizza que nos foram ofertados …

… e resolvemos dar uma passada na tremenda loja da Patagonia ..

… e da Lululemon, antes do que seria a nossa saída pra jantar.

Não fomos, porque estávamos tão cansados que resolvemos improvisar comendo uma pipoca com queijo e a schiaciatta da Princi.

Quer melhor final de dia do que este?

See U!

Veja os outros dias desta viagem:
day One – USA – New York, New York.
day Two – USA – Andando muito nas lojas diferenciadas de NY.
days Three and Four – USA – Varejando por NY.

.

dcpv – days three and four – usa – varejando por ny

29/01/2020 (andado em 13 e 14/01/2019)

Days Three and Four – USAVarejando por NY.

Eu já falei que o propósito desta viagem à Big Apple …

… foi uma feira de varejo, a NRF, né?

Pois, por isto mesmo, estes dias não apresentaram …

… muitas coisas turísticas.

Como tivemos algumas exceções, …

… vou listá-las por aqui.

Acordamos cedo, …

… tomamos um café da manhã no queridinho Starbucks …

… e tivemos o nosso primeiro contato …

… com legítimos flocos de neve.

Por causa deles, pegamos um táxi …

… e fomos pro Jacob Javits Center.

NRF estava lotada.

Passamos a manhã inteira …

… ouvindo palestras sobre inovação …

… e principalmente, no nosso caso, …

… de como o varejo físico não irá acabar.

É claro que não teremos mais supermercados no formato que estamos acostumados, …

… mas os clientes ainda gostam muito de ter contato físico …

… com o que eles estão acostumados.

Aproveitamos a hora do almoço, …

… pra sair da feira e ir conhecer um restô bastante interessante, …

… o Legacy Records.

Como era domingo, aproveitamos pra brunchar!

E foi ótimo.

Iniciamos com uma bella focaccia com mortadela italiana.

Pedimos duas taças dum Sauvignon Blanc francês e chegaram os principais.

A Dé escolheu ovos que mais pareciam nuvens, acompanhados de pancetta.

Eu fui num espaguete básico, mas com um molho vermelho bastante apimentado e totalmente al dente.

Enfim, é um lugar pra voltar.

E por falar em, retornamos pra feira.

Mais uma série de palestras interessantes a tarde …

… e aproveitamos o ótimo clima, …

… pra curtir o High Line.

Que espetáculo!

Ainda mais com um por do sol daqueles.

Apesar do frio, …

… curtimos muito todos os prédios espetaculares …

… que estão sendo construídos, …

… e os que já foram.

NY continua um verdadeiro canteiro de obras …

… e como estava no caminho, …

… fomos conhecer uma estabelecimento que merece a sua visita.

A Story é uma loja conceito (atualização. Aparentemente, ela foi vendida pra Macy’s)..

… e muito divertida.

Ela é montada como se fosse uma revista, ou seja, com várias reportagens ou ambientes, …

… e todo o seu acervo se modifica pelo menos 4 vezes por ano.

Certamente voltaremos, mesmo porque a loja vai mudar totalmente na outra segunda feira.

Voltamos andando, …

… demos mais uma passada pelo Chelsea Market …

… e fomos nos preparar pra ir jantar com dois amigões nova-iorquinos nossos: a Marcie e o Ciro.

E seria num restô toscano da gema, o Pepolino. É um lugar muito divertido e canastrone ao máximo, ou seja, italianaço.

Fomos logo escolhendo várias massas, conversando muito, (nada de “calar” a noite inteira, né, Ciro?) …

… e quando percebemos, já tínhamos que ir embora.

É claro que o papo foi tão bacana que não tiramos nenhuma foto, mas o por do sol e o High Line foram tão legais que preencher estes espaços com suas fotos foi até um prazer.

Já o outro dia, amanheceu também ensolarado.

E frio, como de costume.

Por causa disso, optamos por tomar café da manhã no bar do hotel.

E sabe que até que foi bonzinho?

Fomos pra NRF de Uber …

… e ficamos a manhã inteira …

… enfurnados e recebendo ótimas infos sobre …

… para onde se encaminhava o futuro do varejo.

Além do mais, recebemos altas dicas de lojas diferenciadas …

… que estão vendendo experiências para os seus clientes. Elas proliferam por aqui.

Aproveitamos o horário do almoço pra conhecer o Ivan Ramen.

Pra quem não lembra, ele era o tema de um dos episódios do Chef’s Table.

E a comida é especial.

É claro que pedimos ramen. Hahaha

A Dé, um veggie …

… e eu, um legítimo de Tokyo.

Os sabores são muito marcantes e a visita foi muito auspiciosa.

Voltamos pro Javits Center …

… com um vento gelado cortando as nossas peles.

Mais um período com palestras e visitas à feira …

… e retornamos pro hotel pra dar uma passeada pela próspera região do Meatpacking.

E ela é demais.

Demos mais uma parada na Starbucks Roastery Reserve …

… aproveitando pra tomar cafés, …

… comer um docinho …

… e admirar mais uma vez …

… este fantástico lugar.

Mais um pouquinho e …

… fomos visitar a loja conceito da Samsung, a Samsung 837.

Que é mesmo totalmente diferentona.

Primeiro, que ela não vende nada.

Segundo que lá você tem realmente …

… um monte de experiências,…

… tais como ver uma telona formada por celulares, …

… desenhar sobre uma foto tirada por você mesmo, …

… achar que está descendo uma montanha de neve …

… ver um tremendo telão com imagens do mundo inteiro …

… além de muitas outras coisinhas mais.

E tudo isso de graça.

Passamos também no que seria um pretenso concorrente do Chelsea Market, …

… o Gasenvoort Market mais parecia um “curuca” desta categoria.

Estávamos quase prontos pro jantar.

Que seria no Charlie Bird, um restô indicado pela restaurateur Cris Beltrão.

E que lugar!

Estava lotado em plena segunda a noite (faça reserva).

Pedimos coisas pra compartilhar, tais como excelentes batatas fritas, …

… beterrabas muito bem temperadas com nozes e pistaches crocantes, …

… farro com especiarias e hortelã …

… e uma burrata com abóbora.

Tudo absolutamente perfeito.

Voltamos pra casa pensando em como seria legal misturar o sono real com o sonho virtual.

See U!

Veja os outros dias desta viagem:
day One – USA – New York, New York.
day Two – USA – Andando muito nas lojas diferenciadas de NY.

.

 

dcpv – day two – usa – andando muito nas lojas diferenciadas de NY.

25/01/2020  (labutado em 12/01/2019)

Day Two – USAAndando muito nas lojas diferenciadas de NY.

Viemos pra NY por causa da NRF, a maior feira de varejo do mundo.

Teoricamente, ficaríamos por conta dela nestes primeiros dias de viagem.

Acontece que isso é praticamente impossível …

… tamanha a quantidade de atrações que a Big Apple oferece.

Ainda mais que estávamos hospedados na região do Meatpacking.

Resultado?

Acordamos e fomos tomar um café da manhã …

… old school no Chelsea Market. Aproveitamos a proximidade pra conhecer …

… a feira orgânica da Abgindon Square.

Quer dizer, dar uma passada beeeem rápida já que a quantidade de barracas é minúscula.

Continuamos dando uma passeada pela vizinhança …

… que incluía conhecer o ponto inicial …

… do maravilhoso High Line.

Pra quem não conhece, ele é um jardim suspenso …

… feito sobre uma linha antiga de trens …

… e é o máximo do charme.

É um Minhocão que deu certo.

Andamos só um pouquinho por lá …

… porque queríamos visitar o Whitney Museum …

… que estava apresentando uma exposição com obras do Andy Warhol.

Confesso a nossa ignorância …

… mas imaginava que veríamos somente algumas daquelas latas de sopa Campbell …

… e fotos coloridas da Marylin.

Doce ilusão!

O trabalho dele é sensacional …

… e extremamente envolvente.

Em poucos minutos da exposição …

… você percebe que o enfoque dele …

… era eminentemente artístico …

… e com uma alta qualidade.

Enfim, esta merece um fotoblog.

Saímos de lá, demos uma passada rápida pelo excelente comércio local …

… e passamos numa loja sensacional, a Kleinfeld

… que pra quem não sabe, é onde acontece o programa “Say yes to the dress”. 🙂 Yeeeees!

Não vimos o Randy, mas nos divertimos muito.

Continuamos em direção ao Eataly

… que fica em frente ao icônico Flatiron Building.

Aproveitamos pra tomar a nossa Ferrari Perlé …

… e comer burrata e mozzarella de búfala …

… acompanhados de presunto San Danielle …

… e numa posição espetacular.

É, no quesito ambiente e comida …

… este Eataly, continua imbatível.

Como estávamos bem próximos de onde seriam apresentados os detalhes da feira …

… nos dirigimos pra lá …

… e ouvimos quase 4 horas de excelentes infos.

Aproveitamos, mais uma vez, a proximidade …

… e iniciamos um tour particular …

… por lojas que a própria FGV indicou.

Iniciamos pela Amazon Books, …

… uma loja que tem por característica, …

… só vender livros que tem avaliações positivas dos seus consumidores (está mais pra meia books).

De lá, fomos pra NBA, …

… que seria uma experiência marcante.

Foi?

Acho que não, pois o lugar está bem velho e fora do que imaginamos como um ponto moderno …

… e adaptado ao anseio do consumidor.

Ao lado da NBA, …

… fica a flagship da Adidas.

Esta sim, uma loja, moderna,..

… e marcante, …

… com muita personalidade.

Cada vez mais tenho certeza que a Adidas está dominando …

… o mercado esportivo.

Andamos mais um pouco …

… e chegamos a Anthropologie. Que loja, senhores!

Cheiro especial, layout maravilhoso, …

… enfim, tudo o que um estabelecimento tem que ter para encantar o cliente.

Passamos pelo icônico Rockfeller Center …

… e nos abastecemos no “lodjinha” da NBC.

Seinfeld e Friends foram devidamente comprados e registrados.

As Indústrias Vandelay agradecem.

Pegamos um táxi …

… e ainda conseguimos curtir …

… as cores e todo o ambiente contagiante …

… da Times Square.

Por sorte e planejamento, …

… o nosso jantar seria próximo do hotel.

Mais precisamente no queridinho (especialmente de alguns bons amigos) L’Atelier du Joël Robuchon, …

… o restaurante mais fotogênico do mundo.

Tudo foi feito pra que você se maravilhe …

… com as cores …

… os detalhes …

… e, é claro, a comida.

Além de que o fato de se sentar num balcão de frente pra cozinha …

… te faz realmente pensar …

… que se está assistindo a um excelente ballet …

… ou um concerto da mais alta qualidade.

Iniciamos com as obrigatórias flutes dum bom blanc des blancs.

Os amuses foram devidamente encaminhados, …

… os pães e a manteiga são soberbos e pedimos.

A Dé foi de terra.

Gnocchi de grão de bico com trufas negras …

… e alcachofras.

Eu fui de mar, marinheiro que sou.

Lagosta …

… e pulpito, o famoso polvo.

Tudo absolutamente perfeito.

Hramonizamos com um ótimo Sauvignon Blanc, …

… pedimos expressos com os obrigatórios docinhos acompanhando …

… e voltamos caminhando pro hotel …

… sobre o frio nova-iorquino.

Se víssemos o Soup Nazi, ele certamente diria: …

… no soup for you!

Neeeeext!

Veja o primeiro dia desta viagem:
day One – USA – New York, New York.

.

 

dcpv – day one – usa – new york, new york.

22/01/2020 (trabalhado em 11/01/2019)

Day One – USANew York, New York.

E lá fomos nós pra NY.

O motivo principal seria participar da maior feira de varejo do mundo, a NRF, a National Retail Federation  …

… e assim, nos informar sobre tudo o que de mais moderno acontece/acontecerá no nosso ramo.

Mas é claro que aproveitaremos da situação pra dar uma boa passeada pela Big Apple. 🙂

Saímos de SP na quinta à noite …

… e chegamos de madrugada em NY.

Desta vez, ficamos em pleno Meatpacking.

E no hotel Dream Downtown, …

… um lugar hyppado …

… e modernoso.

Gostamos muito do nosso quarto, …

… espaçoso …

… coisa rara por aqui …

… e extremamente bem localizado.

Pelo menos, pro que gostamos.

Tanto, que nem tivemos tempo de dar uma descansada …

… e já zarpamos pra nova, grande e bela …

… Starbucks Reserve Roastery.

Ela é grande mesmo, …

… lindíssima …

… e nos lembrou muito a de Seattle.

Tomamos um ótimo café da manhã por lá…

… e tivemos a certeza que retornaremos inúmeras vezes.

Voltamos pro hotel …

… e já partimos pro Soho, …

… pra dar uma passeada …

… e comprar roupas de inverno …

… porque estava frio demais.

Fomos direto pra Uniqlo, onde adquirimos camisetas, ceroulas, meias e até cuecas térmicas. Hahaha

Passamos em lojas de óculos …

… na Nike Lab …

… e fomos almoçar no La Mercerie.

O lugar é, …

… como diria a Hebe, uma gracinha.

Todo francesinho …

… com floricultura, …

… uma loja transada …

… além do restô, que é marcante …

… e com uma cozinha excelente.

Tomamos duas taças de ótimos vinhos brancos, …

…a Dé pediu uma massa recheada com alcachofras e trufas negras …

… enquanto eu, fui de aliche com torradas e manteiga de baunilha.

Tudo absolutamente perfeito.

Nos deliciamos com toda a cenografia …

… e zarpamos pro World Trade Center.

No caminho vimos uma manifestação dos little Gilets Jaunes. 🙂

E fomos mais precisamente praquela maravilha …

… de obra, o Oculus

… projetada pelo gênio, …

… Santiago Calatrava.

O que é aquilo, …

… minha gente?

Que ideia ,…

… que projeto …

… e que construção!

Lá mesmo, …

… conhecemos o Westfield, …

… com suas lojas …

… e um destaque especial …

… para o Eataly

… imenso ….

… e muito bem cenográfico.

De lá, para o Brookfield Place, …

… um mall bacana …

… é um pulinho.

E vimos o espetacular …

… por do sol …

… com todas as suas cores …

… e possíveis nuances.

Mais outra maravilha, como a Estátua da Liberdade!

Tanto, …

… que não nos cansamos …

… de tirar fotos, …

,.. e melhor, …

… de curtir muito tudo o que as nossas retinas …

… poderiam ver.

Ainda comemos cupcakes da Springle …

… passeamos pelo Eataly francês, …

… o Le District …

… e continuamos adorando o por do sol…

… que a esta hora, …

… já era um tramonto de primeira linha.

Retornamos pro hotel …

… e como estávamos literalmente pregados, …

… optamos por dar uma passada …

… no Chelsea Market, …

… que fica bem em frente …

… e comer algumas coisinhas no Starbucks Reserve Roastery , …

… tais como uma baguete de azeitonas, ….