Posts Tagged 'paris'

dcpv – dia set – paris – monet+giverny=maravilha.

27/07/2016

Dia set – Paris – Monet+Giverny=Maravilha.

O dia amanheceu nublado.

Tínhamos marcado um passeio com a Fernanda, que trabalha com o excelente blog Conexão Paris.

Iríamos conhecer Giverny.

E de um jeito totalmente diferente, de bicicleta.

O negocio todo inicia com o encontro com ela na Gare St Nazare.

De lá, pegamos um trem para Vernon …,

… alugamos as bikes …

… e fomos passear.

Primeiramente, demos uma conhecida na cidade, …

… que, por sinal, é bem bonita, …

… entramos na igreja (a Dé adorou) …

… e zarpamos pra Giverny.

O caminho todo, através duma ciclovia, é muito bonito.

E a chegada na belíssima cidadezinha é melhor ainda.

Com os tíquetes precomprados (não se esqueça disso, pois as filas são imensas) …

… entramos tranquilamente, …

… e quando fomos perceber estávamos nos jardins de Monet.

Que espetáculo!

Pensar que foi justamente ali, …

… e com uma alta fidedignidade, …

… que tudo aconteceu, …

… te deixa muito emocionado.

Impossível não tirar um montão de fotos bacanas …

… e mesmo com uma quantidade razoável de turistas, …

… o lugar te deixa extremamente encantado.

Sem contar, que com todas as informações que a Fernanda passou, nós ficamos mais interessados ainda em tudo.

Esta primeira parte dos jardins, a das Ninpheas, já valeria o passeio.

Mas o restante é tão belo quanto.

Segue o fotoblog:

Continuamos a visita pela casa dos Monet.

E ela não decepciona.

Lá você vê como era o dia-a-dia de Monet…

… e sua família.

Aproveitamos pra almoçar num lugar bastante típico, o Hotel Baudy.

Todos pedimos o menu formule, …

… composto de entradas, …

… principais (todos foram de confit de cannard)…

… e sobremesas diversas, …

… além dum bom Chablis.

Estávamos retornando pra pegar as bikes quando a Fernanda nos fez uma surpresa.

Fomos conhecer um pintor impressionista, o Hans …

… que nos mostrou a sua técnica impecável.

Daí pra frente, foi voltar o caminho para Vernon através da ciclovia …

… e ao chegarmos, ainda tomamos um Rosé com uma paisagem espetacular ao fundo.

Foi realmente um passeio inesquecível …

… e nós o recomendamos fortemente.

Como sempre, estávamos com o tempo bem curto pro jantar e o máximo que fizemos foi tomar banho, nos trocar e rumar para o KGB.

Calma, KGB é um restaurante (e dos bons) que fica próximo ao nosso hotel em Saint German de Pres.

E, pra jogar o barco nas pedras, resolvemos fazer o menu degustação.

São 10 pratos, pra nós os homens e 8, para as mulheres. As entradas vieram no formato de 4 pequenas porções.

Straciatella, caranguejo, cordeiro e uma sopa de cogumelos, tipo missô.

Tudo muito bom e bem temperado.

No meu caso e do Eymard, ainda veio um prato com tomates e enguia.

Continuando a de nós dois, uma massa al dente e muito bem condimentada.

A seguir e pra todos, um peixe …

… e pra finalizar, pombo. É, pombo está na moda em Paris (desculpem, mas a foto do pombo voou!).

Como sobremesas, dois cremes com sorvetes excelentes.

Tomamos, para acompanhar um champagne Louis Roderer ..

… e um Mersoult, ambos de primeira linha.

Enfim, foi uma refeição irrepreensível.

Caminhamos um pouco até o hotel …

… e fomos dormir já sonhando com a Toscana (e o Bocelli).

Au revoir e arrivederci.

Acompanhe os outros dias desta viagem:
dia un – Vale do Loire – Não há, ó gente, ó não, Loire como este, do sertão … francês.
dia deux – Vale do Loire – Chateau de Villandry, este lugar é um espetáculo!
 jour troix – França – Vale do Loire – A mulherada fazendo a diferença em Chenonceau.
dia catre – França – Vale do Loire/Paris – Esta rota é um espetáculo.
Dia cinq – Paris – O dia de turistas serem turistas.
dia six – Vinhoteando pela cidade luz.

.

Anúncios

dcpv – paris – dia six – vinhoteando pela cidade luz.

26/07/2016

Dia six – ParisVinhoteando pela cidade Luz.

Hoje seria dia de aumentar os nossos conhecimentos.

E na área de vinhos, coisa que apreciamos muito.

Como ontem foi muito atribulado, resolvemos acordar um pouco mais tarde …

… tomar um bom café da manhã no hotel …

… e ir andando até o local onde faríamos o curso, a lindíssima Galerie Vivienne, onde fica a loja de vinhos da Legrand.

É claro que cruzamos todo o bairro de St German de Pres, …

… passamos pelo Louvre …

… e pelo Jardin Royal, …

… onde aproveitamos pra dar uma de parisienses, …

… ou seja, ficar não fazendo nada e vendo o tempo passar.

Galerie Vivienne é logo ao lado, …

… portanto, chegamos no horário.

Lá, a Ana estava nos esperando pra ampliar os nossos conhecimentos do mundo de Bacco.

E todo o conteúdo do curso é muito bacana.

Ela nos levou por uma viagem pelo mundo vitivinicultor francês com todas as nuances sobre particularidades de cada região produtora …

… e ao mesmo tempo, nos explicou numa linguagem simplificada várias coisas que gostaríamos de saber.

Experimentamos um champanhe Bollinger rosé safrada …

… e 5 vinhos tintos, sendo um de cada região importante da França.

É claro que os comeretes não poderiam faltar.

Legumes, salames, frios, foie gras, …

… queijos, pães; a boa comida acompanhou tudo.

Depois de três horas, estávamos aptos a entender melhor este universo que as vezes, parece tão complicado.

Caso você esteja interessado, faça a sua reserva e você não se arrependerá.

Ainda aproveitamos pra tomar mais um vinho branco na própria loja …

… e comprar algumas coisinhas, pois não somos de ferro. Rs

Depois disso tudo, resolvemos voltar a pé, flanando pela cidade Luz. Não deu tempo pra muita coisa, pois tínhamos uma reserva pra jantar no Le Chateaubriand, um restaurante que já foi o 18º do mundo, segundo o ranking da revista Restaurant.

E o jantar foi bem decepcionante.

O menu degustação de 10 pratos é muito pretensioso e com alguns pratos beirando o ridículo. Vejam se não?

Iniciamos com gougères. Eram boas, mas gougères.

Logo depois, vieram ceviches sem peixe e com abacate no seu lugar. Meio sem graça.

A seguir, camarõezinhos fritos. Simplesmente isso!

Como complemento um do outro, serviram pão com tomate …

… e mariscos sem nenhum tempero. Oi?

Já estávamos desanimando quando uma sopinha japonesa (parecia um missô) com 4 miniraviolis foi servida. Parece simples, mas foi o melhor prato da noite!

Peixe com ervas que não conhecemos, …

… outro peixe com pepino e amêndoas cruas (pedi sal porque não estava temperado) , …

… e pra piorar, uma glândula frita com vagens refogadas complementaram o desastre.

Pensam que acabou? Nananinaná.

Como sobremesas um sorvete de cereja com, pasmem, alcaparras , …

… um pseudo toucinho do céu servido com uma gema crua (oi again) …

… e o grand finale, um pedaço de melão com especiarias indianas, que segundo o garçom, seria digestivo. Uma verdadeira balela!

Resumo da ópera bufa: não foi à toa que chef Iñake perdeu todas as suas posições no ranking. Foi merecido!

Au revoir.

Acompanhe os outros dias desta viagem:
dia un – Vale do Loire – Não há, ó gente, ó não, Loire como este, do sertão … francês.
dia deux – Vale do Loire – Chateau de Villandry, este lugar é um espetáculo!
 jour troix – França – Vale do Loire – A mulherada fazendo a diferença em Chenonceau.
dia catre – França – Vale do Loire/Paris – Esta rota é um espetáculo.
Dia cinq – Paris – O dia de turistas serem turistas.

 

 

.

.

dcpv – dia cinq – paris – o dia de turistas serem turistas.

25/07/2016

Dia cinq- Paris O dia de turistas serem turistas.

O dia prometia ser muito louco e intenso.

Afinal de contas, a ideia seria seguir o trajeto a pé que o guia da Insight Guides – Paris a Pé indicava pra região das ilhas.

E foi o que fizemos.

Primeiramente tomamos o ótimo café da manhã do Hotel Bel Ami, o preferido dos Loguercio.

Depois saímos andando de St Germain de Prés até a extremidade  da Île Saint-Louis pra iniciarmos o tal roteiro. E ele é muito interessante.

Demos uma pequena transgredida e resolvemos fazer o caminho inverso.

Então, o primeiro ponto curioso foi justamente o Hotel Lauzun, construído em 1640, que abrigou alguns poetas famosos, entre eles, Charles Baudelaire e que ….

… no segundo andar, era mantido o Clube dos Consumidores de Haxixe. Imagine daonde vinha a inspiração destes grandes autores? 🙂

Logo após, ainda na Île Saint-Louis, passamos na igreja barroca de Saint-Louis-en-l’Île, construída em 1660. Bem bacana.

Seguimos em frente já entrando na Île de la Cité e passando pela catedral mais famosa da cidade Luz, a Notre Dame.

As filas eram imensas e nos furtamos de entrar num lugar que já conhecíamos.

Logo após, passamos no Marché aux fleurs e vimos bastantes coisas curiosas, apesar de algumas lojas estarem fechadas.

Continuamos passando pela Conciergerie e pela igreja de Sainte-Chapelle …

… e então fizemos a descoberta do tour.

Place Dauphine.

É um lugar ao lado do Palácio da Justiça …

… que foi idealizado como um mercado, …

… mas que parece mais um pedaço da paraíso.

É tão bacana que não resistimos e resolvemos tomar um champagne num dos restaurantes bacanas do local só pra comemorar.

Ou seja, foi simplesmente perfeito!

Terminamos o tour na Pont Neuf …

… e seguimos para o L’Atelier de Joël Robuchon onde tínhamos uma reserva para o almoço.

E como sempre, o queridinho de 10 entre 10 gourmands, não decepcionou.

Pedimos um montão de coisas (segue o fotoblog) …

… e tudo estava perfeito. Sintam esta sobremesa:

Ou seja, o Robuchon continua impecável e imperdível.

Aproveitamos o pós-almoço pra ver algumas lojas de design, …

… passear por Saint-Germain-des-Prés …

… e dar aquela passada na La Grande Epicerie.

Ô lugarzinho bacana!

Vimos um montão de ingredientes de primeira …

… além de tomarmos mais um champagne.

Voltamos rapidamente pro hotel, pois tínhamos um jantar reservado no David Toutain.

A coisa toda prometia e mais uma vez, a promessa foi cumprida. Acontece que chegamos lá e eles separaram uma sala especial para a nossa degustação.

A Dé e a Lourdes estranharam um pouco (a degustação, não a sala!), mas bravos que somos, fomos até o fim.

E foram mais de dez pratos.

Passeamos por verdadeiras maravilhas, …

… com entradas com tomates frescos, …

… vagens picadinhas frescas e al dente, como se fossem um risoto …,

… passamos por peixes …

… dos mais variados sabores , …

… lagosta …

… e colombe, mais conhecida como pombo, …

… além de várias sobremesas diferentes e …

… uma melhor do que a outra.

Tomamos dois vinhos, um branco da Borgonha, um tinto da mesma região …

… e saímos satisfeitos, após verificarmos que o chef David não só estava “on the house”, como veio nos cumprimentar e assinar o seu livro.

Enfim, foi uma noite perfeita …

… e só nos restou caminhar por Paris até chegar no hotel e dormir aquele famoso sonho dos justos.

Au revoir!

Acompanhe os outros dias desta viagem:
dia un – Vale do Loire – Não há, ó gente, ó não, Loire como este, do sertão … francês.
dia deux – Vale do Loire – Chateau de Villandry, este lugar é um espetáculo!
 jour troix – França – Vale do Loire – A mulherada fazendo a diferença em Chenonceau.
dia catre – França – Vale do Loire/Paris – Esta rota é um espetáculo.

.

dcpv – dia catre – frança – vale do loire/paris – esta rota é um espetáculo.

24/07/2016

Dia catre – França – Vale do Loire/ParisEsta rota é um espetáculo.

Dia de mudança de cidade/hotel numa viagem é dia perdido, certo?

Errado!

Começamos tomando um café na manhã no hotel e zarpando pra conhecer os últimos castelos do Loire que constavam da nossa programação.

Andamos um pouquinho pelas belas estradas locais até chegar em Cheverny.

A ideia era dar apenas uma olhada e continuar.

Mas ficamos tão fascinados com tudo que resolvemos entrar. E não nos arrependemos.

O castelo é muito bonito e toda a história dele é muito interessante. O melhor é que ficamos sabendo que a Diane de Poiters (ela, de novo!), a amante do rei Henrique II, ficou neste castelo até que o seu novo estivesse pronto.

Enjoada esta mulher! 🙂

De qualquer forma, toda a visita vale a pena.

A parte histórica e as salas interiores são muito interessantes.

Saímos correndo de lá com a intenção de visitar o castelo de Chambord.

E não deu tempo.

Primeiro que o estacionamento é muito longe do castelo.

E segundo, que ele é imenso.

Resolvemos dar uma boa olhada, meio que por cima, em tudo e zarpar rapidamente, pois tínhamos uma reserva num restaurante indicado pelo excelente site Conexão Paris.

Era o restaurante gastronômico do hotel La Maison d’à Côté, o Côté Bistrô.

É lá que o chef Chistophe Hay pratica uma cozinha de primeiríssimo nível.

O lugar é super moderno e a comida dele é incrível.

Iniciamos os trabalhos com belos amuses que ele nos enviou.

A Dé escolheu como entrada Loire ell caramelized, artichokes and black sésamo e seed, Vadouvan spice. É isso mesmo, alcachofras no ápice da sua utilização.

Eu, como entrada, fui de Red mullet from erquy, ricota goat milk, zuchinni, shelf fish.

Praticamente um belo e florido carpaccio de peixe.

Acompanhamos tudo com duas flutes de Taitanger.

Já nos principais, a Dé escolheu Loire Pike, carrots, kale cabbage and Melissa.

Uma beleza em forma de prato.

Eu apelei e fui de Wagyu beef from monsieur Roussel with potatoes, iodizeds condiments.

Tomamos vinhos branco e tinto da região e …

… não pudemos deixar de experimentar a sobremesa.

Que veio em forma de cerejas com uma tulhe de amêndoas e sorvete das mesmas.

Olha, foi um verdadeiro espetáculo e podemos dizer que estamos vendo nascer uma estrela na gastronomia, o Christophe.

Certamente ouviremos falar dele e do seu restaurante brevemente.

Saímos de lá mais do que satisfeitos e pegamos o carro pra voltarmos pra Paris.

São mais de duas horas em estradas perfeitas e foram cumpridas com muita tranquilidade.

Chegamos ao hotel Bel Ami (preferido dos nossos sócios Lourdes e Eymard), verificamos o nosso espaçoso, aconchegante e moderno quarto …

… e fomos devolver o nosso auto (é sempre um prazer dirigir por Paris).

Logo depois, encontramos com a Lourdes e com o Eymard e fizemos os nossos planos pro restante do tour, que incluirá um show do Bocelli na Toscana.

Decidimos jantar no Champeaux, um restaurante/ brassseria by Alain Ducasse que fica no novo complexo do Des Halles.

Cá pra nós, é um lugar bacaninha, mas que não encanta muito.

Tomamos um Cremant pra iniciar, …

… escolhemos pratos pra dividir, tais como variados tomates, …

… queijos, charcuterie, foie gras …

… mas nada saltou aos nosso olhos como normalmente ficamos encantados em Paris.

Ainda tomamos um vinho St Veran (olha o corporativismo) e certamente, a noite foi salva pela excelente companhia.

Resolvemos voltar a pé para o hotel (ele fica em St Germain des Prés) …

… e todos contemplamos o charme que a Paris noturna tem, …

… ainda mais com o verão a pleno vapor e a possibilidade de termos luz solar até as 22:30 hs.

Até um sorvetinho rolou!

É um verdadeiro espetáculo.

Au revoir!

.

dcpv – dia catre – paris – tour de chocolate (e otras cositas más) por saint german de prés.

18/03/2016

Dia catre – Paris – Tour de chocolate (e otras cositas más) por Saint German de Prés.

Mais um dia frio e maravilhoso na cidade iluminada.

DSC03184

Escolhemos fazer pela manhã o que melhor representa a capital francesa: flanar.

DSC03194

E melhor ainda que seria pelo nosso bairro, o Marais.

DSC03201

Tomamos um bom café da manhã e fomos passear.

DSC03183

Descemos a rua des Rosiers, cruzamos a Vielle du Temple …

DSC03185

… e chegamos num pet shop elegantérrimo.

DSC03189

Compramos algumas coisinhas pro Barclay (o nosso cãozinho) …

DSC03187

… algumas coisas pra nós (em outra loja, claro? 🙂 ). Que outro lugar você encontra roupas de frio exclusivas e camisas antigas de rugby …

DSC03193

… além das fantásticas quinquilharias específicas da Muji?.

DSC03192

Pra finalizar, nada como almoçar um legítimo falafel do L’As du Falafel!

DSC03199

Um espetáculo.

DSC03198

E estávamos prontos pra enfrentar um tour de chocolates e patisserries que encontrei no tio Google.

DSC03186

Paguei antecipadamente para a Get your guide e as 14:00 estávamos na frente da La Maison du Chocolat, junto com duas americanas.

DSC03202

O guia Davi estava a postos e fomos, logo de cara, experimentando eclairs espetaculares.

DSC03204

Como o tour também era cultural, ele nos explicou rapidamente como Paris se transformou numa metrópole.

DSC03207

Próxima parada?

DSC03208

Numa padoca de luxo, a Poilâne, …

DSC03209

… onde tudo é feito no formato old school.

DSC03211

Escolhemos tipos diferentes de pães …

DSC03210

… e rumamos para Saint Sulpice.

DSC03217

O Davi nos deu uma aula completa sobre história francesa …

DSC03220

… e aproveitamos pra conhecer o escultor de chocolates, o Patrick Roger.

DSC03222

A sua loja é fenomenal e o primeiro andar é um pequeno museu de esculturas chocolatais.

DSC03226

Continuamos a caminhada e chegamos ao óbvio.

DSC03225

Macarons? Pierre Hermé.

DSC03231

O rei dos reis.

DSC03234

Next stop? Pierre Marcolini.

DSC03236

O cara é belga, mas manja pra caramba!

DSC03238

Os chocolates dele são de deixar qualquer um estupefato (e olha que não sou tão fã assim deles).

DSC03239

Caminhamos mais um pouco e chegamos a uma praça altamente aprazível.

DSC03253

Nela fica a La Maison du Chou, …

DSC03245

… que nada mais é do que uma pequena eclair arredondada, recheada na hora.

DSC03247

Simplesmente fantástica.

DSC03248

O museu de Delacroix, grande pintor francês fica exatamente ao lado dela.

DSC03254

Continuamos o nosso périplo (????) experimentando os caramelos do Henri Le Roux.

DSC03255

Cara, caramba, cara, caramelo.

DSC03256

Nos deliciamos com tudo o que experimentamos e tudo era muito bom.

DSC03257

Próximo dali, o bar Procope nos foi indicado como um lugar onde a revolução francesa realmente foi inspirada.

DSC03260

Última parada: Maison Georges Larnicol, ao lado da inspiradora imagem de Danton.

DSC03266

Hoje fizemos a revolução dos chocolates.

DSC03223

Ainda deu tempo de passar na Grand Epicierie e comprar mantimentos pro nosso jantar.

DSC03268

Rapidamente pegamos um táxi e zarpamos pro extremo do Marais onde tínhamos um encontro marcado com a melhor millefeuille que comemos até hoje.

DSC03277

E ela é servida no Jacques Genin.

DSC03271

Por pouco perdemos a hora, mas a gerente se apiedou de nós e conseguimos experimentar esta maravilha que é montada na hora …

DSC03275

… e é extremamente crocante.

DSC03274

O restante foi caminharmos até o apê …

DSC03283

… e encerrarmos este tour parisiense com um risoto de trufas …

DSC03286

… regado a Chablis e a champagne Bollinger.

DSC03289

Resumo do dia: uma lição de como a história e a gastronomia podem andar juntas.

DSC03264

Isto é Paris.

DSC03214

Au revoir.

Veja os outros dias desta viagem:

dcpv – dia trois – paris – tour gastronomico por montmartre.

17/03/2016

Dia trois – ParisTour gastronômico por Montmartre.

Mais um dia maravilhoso, na nossa cidade, a cidade Luz.

DSC03012

A Dé acordou bem cedo, foi correr com a Re na Place des Vosges (chic, né?) e logo depois, tomamos café, com ingredientes locais no próprio apê.

DSC02996

Saímos pro metrô, pois tínhamos um compromisso muito importante: fazer um tour gastronômico por Montmartre.

DSC02999

Este eu descobri através do santo Google e é feito pela Secret Food Tours Paris.

DSC02998

As 11:00 hs, estávamos nos três e mais dois casais de ingleses em frente a estação Anvers do metrô à espera do nosso guia.

DSC03002

O PJ chegou no horário e logo foi nos explicando tudo sobre a história de Paris e do surgimento do bairro de Amélie Poulain.

DSC03000

Daí pra frente foi um despertar de novas sensações …

DSC03001

… e do reconhecimento que o francês tem de produtos com pedigree.

DSC03062

Nossa primeira incursão foi na loja de chocolates Maison Georges Larnicol, …

DSC03003

… um chocolatier renomado e onde experimentamos muitas variações sobre o mesmo bom tema.

DSC03005

Andamos bastante por lá e tivemos ótimas visões da catedral de Sacre Coeur.

DSC03010

Logo após, entramos na Christophe Roussel onde fizemos o test drive de vários tipos de macarons.

DSC03013

A vitrine é muito bonita …

DSC03015

… e você tem vontade de experimentar tudo.

DSC03020

Logo depois foi a vez das baguetes.

DSC03039

E no Boulanger Patissier D’Antan.

DSC03027

Além de vermos a loja do vencedor de melhor baguete parisiense de 2011 …

DSC03055

… ainda tivemos a oportunidade de participar do behind the scenes de todo o processo.

DSC03030

Segue um mini fotoblog de tudo:

DSC03029

DSC03033

DSC03037

DSC03041

DSC03045

DSC03047

DSC03052

Mais uma caminhada pelo bairro, …

DSC03056

… uma passada pelo muro do amor …

DSC03057

…e explicações sobre como este pedaço de Paris se desenvolveu, …

DSC03105

… estávamos prontos pra conhecer uma casa de queijos, a Fromagerie La Butte

DSC03063

… que é simplesmente maravilhosa.

DSC03064

Ali você entende o porque dos franceses considerarem a existência de mais tipos de queijos do que a quantidade de dias do ano.

DSC03066

Mais um ponto de visita magnifico, a Boucherie Jacky Gaudin

DSC03069

… com suas carnes impecáveis …

DSC03074

… e estávamos aptos a participar da aula que o PJ nos ministraria.

DSC03072

E ela foi dada no Pétit Café de Montmartre.

DSC03080

Ali degustamos vários tipos de queijos, …

DSC03088

… de embutidos, …

DSC03089

… com o devido acompanhamento de baguetes …

DSC03086

… e de apropriados vinhos.

DSC03099DSC03100

Tudo regado a muita informação, …

DSC03092

… bom humor …

DSC03087

… e savoir fare.

DSC03094

Taí um passeio imperdível pra quem gosta desta seara.

DSC03090

Aproveitamos que estávamos por lá, …

DSC03103

… e subimos as escadarias …

DSC03109

… pra ter uma das vistas mais bacanas de Paris, …

DSC03114

… a de Sacre Coeur.

DSC03113

É ou não é espetacular?

DSC03115

O roteiro maluco deste dia não menos, seria completado por uma programa turisticaço que nunca fizemos antes: subir na torre Eiffel.

DSC03117

Só a visão com a ângulo do Trocadero já valeria tudo.

DSC03120

Mas fizemos questão de realmente subir.

DSC03126

E até que as reservas feitas pela internet funcionaram no primeiro estágio.

DSC03130

Quando você tem que trocar de elevador, tudo se complica um pouco.

DSC03129

A muvuca é grande …

DSC03134

… mas a visão de Paris a partir do alto da torre ….

DSC03137

… é sempre surpreendente …

DSC03131

… e inspiradora.

DSC03142

Louve-se que o dia ensolarado …

DSC03121

… fazia tudo ficar mais bonito ainda.

DSC03128

Como queríamos continuar em alto astral, …

DSC03145

… aproveitamos pra dar uma passada no nosso queridinho, o Lenôtre, …

DSC03147

… e degustar a nossa primeira millefeuille desta viagem.

DSC03146

Pra terminar o dia com uma coerência bem diferentona, aproveitamos a dica de uma amiga da Re e fomos conhecer um speak easy.

DSC03171

Pra quem não sabe, este tipo de bar fica num local só divulgado no boca a boca e até pra chegar lá tem a sua dificuldade. Neste caso, a taqueria Candelaria dá guarida ao bar.

DSC03177

Pra encontrá-lo, você tem que ir ao fundo do estabelecimento e entrar por uma porta pequena, onde você se surpreenderá com a quantidade de pessoas que estão lá dentro.

DSC03176DSC03175

Tudo muito escuro e muito interessante.

DSC03151

Tomamos uns bons drinques, comemos um ótimo guacamole, bebemos flutes de champagne …

DSC03168DSC03167DSC03169

… e depois só nos restou caminhar, com segurança, até o apê e…

DSC03179

… além de vermos o belíssimo luar, perguntarmos pra nós mesmos porque não temos esta liberdade de ir e vir que eles têm tão tranquilamente por aqui.

DSC03180

Au revoir!

Veja o primeiro dia desta viagem:
Dia un – Paris, a cidade dos Luz.
dia deux – Paris – Frank Gehry e cidade luz, tudo a ver.

.

 

 

dcpv – dia deux – paris – frank gehry e cidade luz, tudo a ver.

16/03/2016

Dia deux – ParisFrank Gehry e Cidade Luz, tudo a ver.

Está frio em Paris, mas tá gostoso.

DSC02899

Acordamos um pouco mais tarde, resolvemos tomar café num destes bares bacanas…

DSC02901

… e explorar museus que ainda não conhecemos na vizinhança.

DSC02902DSC02903

O primeiro foi o do Picasso, …

DSC02906

… que além de ter a sua belíssima edificação totalmente reformada …

DSC02904

… ainda apresenta uma coleção espetacular do mestre espanhol.

IMG_9689

Tão espetacular e diversificada que você fica com uma dúvida incrível: …

IMG_9688

… como este gênio tinha tempo pra tantos afazeres …

IMG_9693

…  e com resultados tão espetaculares?

IMG_9696

Afinal de contas, além de suas pinturas, …

IMG_9697

… suas esculturas são um deleite …

IMG_9695

… e aqui você fica sabendo das várias fases do trabalho dele, desde o planejamento até a execução final.

IMG_9690

Logo ali pertinho, fica o museu Carnavalet …

DSC02911

… que além de ter a entrada franqueada, …

DSC02918

… nos mostra toda a história de Paris.

DSC02916

Taí um outro passeio imperdível.

DSC02919

Como era hora do almoço, optamos por conhecer um restaurante tailandês, o Au Petit Thai, que também fica ao lado do apê.

DSC02931

É uma comida mais do que correta e caiu como uma luva, pra nós que somos fãs dos temperos tailandeses.

DSC02924

Experimentamos todos uma sopa de frango com leite de coco, …

DSC02929

… outra sopa de frango com gengibre, …

DSC02926

… carne de porco com molho de caramelo e frango com gengibre.

DSC02925

Tudo bem spice e thai ao extremo.

DSC02923

Como sobremesa, optamos por conhecer uma loja especializada em eclairs, a L’Eclair de Génie, que é excepcional.

DSC02922

Taí um exemplo de franquia que seria bem sucedida na nossa praia.

DSC02932

Demos uma passadinha rápida no apê e rumamos, via metrô, para o Bois de Bologne, …

DSC02933

… um parque excepcional e que dificilmente as pessoas visitam quando estão em Paris.

DSC02934

Quer dizer, visitavam, pois agora lá está o museu da Fundação Louis Vuitton.

DSC02969

O prédio desta fundação é o verdadeiro espetáculo.

DSC02935

Ele foi projetado pelo renomado arquiteto Frank Gehry e como toda obra dele (vide Guggenheim de Bilbao), sua atenção é voltada pelas suas curvas.

DSC02971

O exterior dele é fabuloso …

DSC02936

… e o interior não fica atrás.

DSC02940

É claro que você deve dar um desconto por haver exposições de arte moderna, mas esta com artistas chineses até que é bem interessante.

DSC02951

Segue um fotoblog com detalhes arquitetônicos do prédio e também da exposição.

DSC02941

DSC02943

DSC02953

DSC02955

DSC02956

DSC02957

DSC02959

DSC02963

DSC02968

A vista do topo do prédio é plural.

DSC02945

De um lado você tem o skyline de La Defense ..

DSC02948

… e do outro, uma visão charmosa da Torre Eiffel.

DSC02944

Pra terminar a visita com chave de ouro, tomamos umas flutes de champagne …

DSC02967

… no impressionante bar do instituto.

DSC02966

Enfim, quando estiver na cidade Luz, dê uma passada na Fundação.

DSC02962

Retornamos num microônibus que faz o trajeto até a Champs Elysees, com direito à vista do Arco do Triunfo.

DSC02973

Isto é Paris.

DSC02972

Pegamos o metrô em pleno rush e só deu tempo de tomar um banho e jantar. E em grande estilo no bistrô A Mere.

DSC02977

É lá que o chef brasileiro Maurício faz uma comida bem diferente da francesa tradicional.

DSC02978

O lugar é diferentão e bastante despojado, com um menu que privilegia os produtos frescos e a criatividade da sua cozinha.

DSC02982

Após conversarmos com o Maurício, decidimos por fazer uma pequena degustação com 2 entradas, um principal e uma sobremesa para todos da mesa. E eu vi o inimaginável, senhores!

DSC02993

Ou seja, Renata e Débora comendo escargots, ….

DSC02984

… ovos moles com frutos do mar, …

DSC02985

… frango (até aí, tudo bem) com boudin (dê uma clicada aqui pra saber o que é isso?) …

DSC02987

… um torrone de chocolate com, pasmém, couve frita!

DSC02990

Tudo acompanhado dum ótimo vinho branco da casa, o Saint Aubin 2012.

DSC02981

Olha, foi no mínimo, muito divertido.

DSC02991

O restante foi muita conversa, muitas risadas e a promessa de que esta experiência terá que ser repetida.

DSC03284

Au revoir!

Veja o primeiro dia desta viagem:
Dia un – Paris, a cidade dos Luz.

.

 


É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se a 654 outros seguidores

Comentários

Blog Stats

  • 1.402.088 hits
dezembro 2018
S T Q Q S S D
« nov    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Arquivos

Atualizações Twitter

Anúncios