Posts Tagged 'RS'

dcpv – da cachaça pro vinho – roberta sudbrack, cozinhando no dcpv

número 238
17/11/09

dcpv – Roberta Sudbrack, cozinhando no DCPV

Ela foi a primeira chef do Palácio do Alvorada! Calma, é claro que não foi na dinastia Lula!

Na verdade, ela ficou 7 anos pilotando a cozinha de lá, mostrando o seu talento pra família Henrique Cardoso e por tabela, pra reis, rainhas, presidentes e outros menos votados.

Desde 2001, ela comanda a cozinha do seu próprio restaurante, o Roberta Sudbrack, o RS no RJ, onde faz uma comida que poderíamos definir como robertasudbrackiana ou seja, extremamente personalizada e com uma brasilidade incrível, além de usar métodos completamente usuais (chapas, mixers, etc) obtendo resultados vanguardísticos.

E tem mais uma: a sudequipe comandada por ela, estuda exaustivamente ingredientes (maxixe, chuchu, mangarito, etc) a fim de obter sabores/texturas/formatos inimagináveis.

Com este currículo, só faltava ela cozinhar aqui no dcpv!
Portanto, prepare-se: a descrição das cenas que virão a seguir são fortes e podem causar um fenômeno estranho: você babará!! rsrsrs

Esta é a noite da RS no dcpv. Acho que nós nunca mais seremos os mesmos!
Abrimos os trabalhos com uma bela caipiroska de Morango com Limão Siciliano. Ela precisava descontrair!

Entrada – Canelone de Atum e Tartare de Chuchu

A própria Roberta disse: “não temos cardápios fixos. Alternamos todos os dias a partir do que encontram de melhor”.

E coisa boa e barata aqui em Ferraz de Vasconcelos é o chuchu! Dá em qualquer cerca!
Portanto, aproveitamos a matéria-prima pra comer uns belos caneloni. Com um pequeno detalhe: os caneloni são de atum mesmo!

Escalopes de atum são achatados com um batedor de carne até obter uma lâmina fina.

Obviamente, não vou poder passar as receitas completas aqui por uma questão de copyright (se me pedirem por baixo dos panos, eu passo! rs)
Continuando, este canelone de atum é recheado com chuchu em cubinhos refogados em água e sal e temperados com azeite, sal, açúcar e peperoncino em flocos moído.

E montados sobre uma farofinha de pão com amêndoas e um vinagrete de melado de cana (ele e azeite) ligando tudo!

Lindo e extremamente saboroso! A crocancia da farofa e a doçura do melado fazem o chuchu brilhar!

Nos sentimos como ex-presidentes!
Acompanhamos este prato excepcional com a nova onda do momento (sic), um tinto de verano, formado pelo Quinta do Seival 2005 Campanha Br, uma fatia de limão siciliano, H2O limão, muito gelo e uma gota de vermouth.

Como diria o grande Lula: Crise? Que crise!

Principal – Lagostins em lâminas de chuchu e leite de amendoim

A Roberta estava preocupada com a qualidade do peixe. Na verdade, ela iria fazer um Pargo Pochê em Vinagrete Crocante de Maxixe.

Mas como ela mesmo falou “não sou eu que decido qual peixe será servido e sim o mar e o pescador!”. Portanto, Jorge, o nosso vizinho pescador nos trouxe uns belos lagostins, que foram devidamente servidos em lâminas de chuchu e leite de amendoim.

Outro espetáculo de sabores. O chuchu é cortado em lâminas e grelhado até ficar um pouco chamuscado.
Logo depois, enrolamos estas lâminas nos lagostins, temperamos com Flor de Sal (xô, proibição!)  e cozinhamos no steamer até ficarem rosados.

São servidos sobre uma paçoquinha líquida (amendoim torrado moído, uvas passas e manteiga) e finalizados com uma infusão de amendoim (amendoim fervido com leite integral, creme de leite, coado e temperado com sal e açúcar).

Todo mundo pirou quando este prato foi servido. O amendoim que estava tanto na paçoquinha como na infusão elevou o lagostim e o chuchu a uma potência desconhecida por nós.

Ficamos todos de joelhos e dissemos: Ave, Roberta!!

Continuamos bebendo o tinto de Verano em pleno Verão (com um patrocínio dos supermercados Veran).

Sobremesa – Consomé de Chocolate, Pele de Leite e Rapadura

“Algo muito mais do que comida, algo que transforma cada cotidiano mutante e irracional em experiências sensoriais e emoções íntimas. Um lugar de sensações e lembranças para se viver a experiência do gosto!”
É isto mesmo! Foi isto o que sentimos ao comer um dos últimos experimentos da Roberta. Um belíssimo Consomé de Chocolate (chocolate amargo 70% derretido em creme de leite) …

… com uma pele de nata (nata reduzida a uma camada fina e congelada)…

… acompanhado duma casquinha de rapadura  (biscoitinhos finíssimos de rapadura, manteiga, clara de ovo e farinha de trigo)…

… finalizado por quinoa frita e polvilhado por açúcar de confeiteiro.

Ge-ni-al! Só isso!

Ainda mais acompanhado de um branco alemão, o Riesling Spätlese 2004 Selbach que foi aquele cara que abre a porta do carro pra sua acompanhante. Sacou?

Eis a opinião dos seguidores da seita RS:

Altíssima gastronomia. RS arrasou em SP, ou melhor, em FV. (Edu)
Perfeito! Fernando Henrique é que era feliz. (Mingão).
Dudu Sudbrack é bom mesmo! (Déo)

Lá no RS, a Roberta tem um espaço chamado Teacher&Diner onde ela ensina, uma vez por mês, ou melhor, incentiva todos os participantes a vivenciarem o processo da execução das receitas e mostra pra todo mundo como pode ser divertido experimentar a cozinha.

E é claro que ela não veio aqui (seria um sonho se viesse!).
Na verdade, ela veio dar uma aula no Wilma Kövesi, o wkcozinha e eu e a Dé fomos lá pra ver “o que que a Roberta tem?”
Uma boa parte das fotos foi feita lá e outra, do jantar que realmente fiz (a Dé fez a sobremesa)) por aqui.
Resumindo, a Roberta é tudo isso o que falam dela (simpática, gosta do que faz, entusiasta) e melhor, dá gosto ver alguém tão apaixonado pelo seu trabalho.

Fica só um desejo que precisamos realizar: conhecer o que ela faz lá no RS (o Diogão dos Destemperados já foi!).
E melhor ainda, conseguir um belo desconto ao marcar esta visita através do Twitter (ela é uma twitteira e tanto e costuma deixar todo mundo que a segue com água na boca ao informar os pratos que vai fazer/está fazendo no restaurante).

Quem sabe na próxima temporada dos mangaritos??

Até.

.

dcpv – da cachaça pro vinho – dá gosto ir ao brasil a gosto

eita brasilsão
23/10/09

dcpv – Dá gosto ir ao Brasil a Gosto

Domingão! Nós 3 (eu, a Dé e a Re) na praia (SP). Dia broncolhaço! Hora do almoço!

DSC03623-2

Onde almoçar? Oh! Dúvida cruel!
Pensei num montão de lugares que ainda não conhecemos: Dui, Dois, Nou, Chou, Roux … (Nooossa, como tem restaurante com nome pequeno!!!)

DSC03626-2

Aí veio a luz (olha a redundância!): Brasil a gosto. Isto! Comida brasileira autêntica e com toques modernos.

DSC03629-2

10 minutos depois estávamos lá!
Fazia uns dois anos que não íamos nos divertir com a comida saborosa que a Ana Luiza Trajano faz.

DSC03667-2

Lugar lindo, espaçoso e com vários maneirismos. Super bem-decorado; sempre com fotos sobre alguma região/estado do Brasil (desta vez eram do festival RS e consequentes pratos especiais sobre a culinária gaúcha!) …

DSC03622-2

… e com um cardápio regular com informações interessantes que descrevem muito bem os pratos e melhor, é muito bem escrito (adoro cardápios informativos e que não denigram o nosso querido idioma!).

DSC03624-2

Vale à pena despender uma meia hora só pra absorver todas as informações contidas nele. E de preferência, faça como nós, acompanhadas do couvert (com pãezinhos deliciosos, biscoito de polvilho, chips de batata doce e 3 tipos de creme)…

DSC03632-2

… e uma seleção de petiscos com um pouquinho de cada coisa: pastéis de pirarucu; canapé de banana-da-terra,queijo cremoso e geleia de pimenta; barquinha de beiju crocante, creme morno de siri e coco;  bolinho de arroz e queijo de coalho na chapa, melaço e pesto de cheiro verde.

DSC03638-2

Dá gosto comer e ainda mais acompanhar com uma caipirinha de carambola e morango pra mim, um martini de cachaça e licor de jabuticaba pra Re e um mojito de cachaça pra Dé.

DSC03645-2DSC03644-2DSC03641-2

Já tínhamos comido bem, mas os pratos principais nos esperavam. Pedimos o histórico 2×3 dos Luz.

DSC03653-2

E esta combinação tinha que ser perfeita já que a Dé não come carne.
Portanto, filezinho de porco com molho de jabuticaba, purê de inhame e batata da terra grelhada pra mim e pra Re .

DSC03656-2

O molho é adocicado e o purê harmoniza perfeitamente. Destaque pras cascas de jabuticaba que são fininhas, doces e pasmem, comestíveis!

DSC03660-2

O outro prato teria que ser peixe, pois a Dé e eu o comeríamos (percebam que comi os dois!).
E escolhemos a Tainha com maçã gratinada, paçoca de pinhão e bergamota montenegrina, um prato do festival do RS.

DSC03657-2

Frise-se que esta bergamota está em processo de extinção, mas estão fazendo um projeto pra recuperação da espécie. Ou seja, comemos e contribuímos pra ajudar a preservação da bergamota montenegrina. Que ela se salve e esteja sempre nos nossos pratos.

DSC03654-2

Finalmente e pra não decepcionar ninguém, um sobremesa (1×3): a cocada de forno, sorvete de limão e calda de melaço.

DSC03661-2

Esta é conhecida da família e tida como um dos doces que mais nos confortam.
Ainda contamos com a benevolência da Ana que nos brindou com sorvetes e telhas extras.

DSC03663-2

Já íamos embora quando lembramos da máquina de sorvete que fica na entrada do Brasil a gosto.

DSC03664-2

Sabe aquelas máquinas antigonas em que o sorvete é feito com uma cremosidade intensa e gosto groselhal? Pois bem, é ela mesma!
E é claro que tomamos 3!

DSC03672-2

Foi uma farra e mais uma vez, saímos com a sensação de que a Ana e o Brasil a gosto estão evoluindo (ainda mais) a olhos vistos!

DSC03665-2

Dá cada vez mais gosto ir comer lá!

Até!

PS – A partir de novembro o estado escolhido pro menu especial é o Pará, que está tão na moda. Bolinho de Piracuí, Costelinha de Tambaqui, Pato no Tucupi e Pudim de Bacuri são alguns dos pratos .
Acho que daqui pra frente o estado deveria mudar o nome pra Pari!! rs

.


É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se aos outros seguidores de 655

Comentários

Blog Stats

  • 1.467.922 hits
julho 2021
S T Q Q S S D
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Arquivos

Atualizações Twitter