Posts Tagged 'santorini'

dcpv – dékati ékti e teleftaía iméra – grécia – atenas, uma pequena demonstração da histórica Acrópole.

10/10/2019

Dékati ékti e teleftaía iméra – GréciaAtenas, uma pequena demonstração da histórica Acrópole.

A única coisa que não fechou legal …

… neste espetacular giro grego …

… foi este finalzinho.

Por causa de um compromisso, tínhamos que voltar na quinta e …

… isto significava ficar somente uma noite em Atenas …

… e pior, menos que 24 horas.

Pelos nosso antecedentes, tinha certeza que gostaríamos, …

… ou melhor, amaríamos a cidade.

Ela tem tudo o que apreciamos.

É bem cosmopolita, …

… super histórica, charmosa …

… sem contar o temperamento dos gregos e o tempero da sua saborosa comida mediterrânea.

Se foi ruim ficar pouco, …

… por outro lado foi ótimo, …

… porque nos prometemos voltar o mais rápido possível …

… pra degustá-la como se deve.

Acordamos bem cedo, …

… tomamos o nosso ótimo café da manhã …

… by Irmãos Campana …

… tiramos algumas fotos …

… da rainha Acrópole …

… iluminada pelo sol e …

… fomos pro tour.

A grega, que aprendeu a falar português através de novelas brasileiras, a Mariana …

… nos proporcionou 4 horas de puro ensinamento …

… da história universal.

Encontramos com ela no lobby do New Hotel e …

… fomos andando até o Museu da Acrópole.

Passamos pelo bairro de Plaka e …

… apesar de estar tudo fechado, …

… deu pra sentir o clima alto astral desta vizinhança.

Chegamos no museu e …

… nos surpreendemos com o seu prédio.

Extremamente moderno, …

… didático e …

… com um conteúdo obviamente invejável.

Tudo nos foi explicado nos mínimos detalhes.

Desde os achados de utensílios que datam de 1500 AC …

… passando pelas estátuas originais …

… que foram protegidas no próprio museu …

… para que não se perdesse este registro histórico.

Também ficamos sabendo de onde surgiram …

… “n” palavras que usamos diuturnamente e …

… que se originaram ou na mitologia …

… ou através de atos heroicos dos grandes gregos.

A Mariana nos mostrou muito didaticamente e …

… com sabedoria …

… pois foi quase uma aula de preparação …

… para encararmos a subida até a real Acrópole …

… e sentir, ao vivo, …

… tudo o que ela nos explicou.

E confesso que é muito impactante …

… ver tudo na sua cara.

Começa que você vai subindo e …

… os monumentos vão surgindo.

O palácio da Nike, …

… o teatro de Dionísio e …

… outros menos votados.

A subida toda é incrível.

Passamos também no Odeão do Herodes Ático, anfiteatro de pedra onde …

… o Foo Fighters fez aquele show memorável (assista aqui,por favor!).

Aí quando se chega no topo é que a coisa pega de vez.

Uma multidão está andando por lá, …

… mas é quase como se estivéssemos sozinhos. Encantador! 

Passamos pelo Propileu.

É como entrar em outra dimensão.

Além de que as vistas de Atenas de lá de cima são impressionantes.

Logo no canto, está o Erecteu.

É lá que estão as cariátides, …

… as mulheres gregas que estão no lugar dos pilares (a Dé adorou!).

E pro Grand finale, está ele, o Paternon.

Soberbo, único e impressionante.

Esqueci de dizer que no Museu e com vista pro Paternon, …

… fica uma réplica dele com a mesma dimensão (escala 1×1) e …

… com o jeitão que ele teria se não tivesse sido destruído e …

… pilhado tantas e tantas vezes.

E quando se está lá em cima, na sua frente …

… não tem como não olhar pra baixo e …

… lembrar de tudo o que aprendemos.

É realmente incrível!

Descemos felizes …

… com tempo suficiente (olha o anfiteatro aí de novo) …

… pra dar uma última olhada em Plaka, …

… desta vez, lotada de turistas (mal sabíamos) e …

… comprarmos as penúltimas coisinhas deste tour helênico.

No resto foi pegar o transfer, …

… voar o primeiro trecho até Zurich …

… curtir a janelinha …

… com um derradeiro por do sol …

… daqueles …

… gregões da gema.

Chegamos na bela cidade suíça, …

… com mais um tempinho pra free shop e …

… embarcamos com destino à capital paulista, mais precisamente pra Nova Toscana..

Resumo da tragédia grega?

Gostamos muito de Atenas e já estamos planejando uma viagem turística-histórica Roma/Atenas (será inesquecível).

E também gostamos de todas as ilhas que visitamos.

Santorini é realmente um espetáculo, …

… com muitas atrações e …

… por do sol em Oia que é absurdamente lindo.

Mykonos é bem menos atrativa (pro nosso gosto) e salvou-se por causa da charmosa Chora, a Mykonos Town …

…e o hotel Bill&Coo, que gerou um samba enredo cujo início da letra é: …

ai que saudades do Bill&Coo.

Kefalonia valeu especialmente pela espetacular Melissani Caves …

… e pela charmosa Myrtos Beach.

Zakynthos nos surpreendeu pela vegetação, …

… especialmente pela enorme quantidade de oliveiras muito mais antigas que Jesus e …

… pela indescritível azulada praia de Navagio.

Enfim, foi uma “puta” viagem.

Ef’charistó, Grécia!

Opa!

Veja os outros dias desta admirável viagem:
Proti iméra – Grécia/Suíça – Vitznau – Que cachoeira e que hotel!
Defteri iméra – Grécia – Suíça – Lucerna e Lauterbrunnen, a dupla Lu-La perfeita.
Tríti iméra – Suíça/Grécia – Vitznau/Santorini – Do primeiro para o terceiro e maravilhoso mundo grego.
Tetarti iméra – Grécia – Santorini – Oia, Oia, Oia e acabamos “fondo”.
Pémpti iméra – Grécia – Santorini – Red Beach, Santo Wines e o legítimo poente em Oia.
Ékti iméra – Grécia – Santorini/Mykonos – A melhor estrada entre estes dois paraisos gregos.
Évdomi iméra – Grécia – Mykonos – A nossa balada foi histórica e em Delos.
Ogdoi iméra – Grécia – Mykonos – Pequenas cidades e a maravilhosa Chora.
Enati iméra – Grécia – Mykonos/Kefalonia – Direto da Grécia mauricinha pra raiz.
Dékati iméra – Grécia – Kefalonia – Depois da tempestade vem a bonança em forma de magnífica caverna.
Endékati iméra – Kefalonia – Praias paradisíacas. Meu nome é Kefa, Kefalonia.
Dodékati iméra – Grécia – Kefalonia – Zakynthos – Do paraíso para o paraíso.
Dékati triti iméra-grecia – Zakynthos – O lado B e chuvoso de Zante existe.
Dékati tétarti iméra – Grécia – Zakynthos – Ouros verde e azul: azeite e Navagi
Dékati pémpti iméra – Grécia – Zakynthos – Atenas – Repetindo as greguices que mais gostamos e melhor com sol. Ah, Acrópole!

dcpv – ékti iméra – grécia – santorini/mykonos – a melhor “estrada” entre estes dois paraísos gregos.

24/10/2020 (vivido em 30/09/2019)

Ékti iméra – Grécia – Santorini/Mykonos – A melhor “estrada” entre estes dois paraísos gregos.

Chegou a hora daquela pergunta famosa.

Dia de troca de hotel é dia perdido?

Quando se está na Grécia, não.

Hoje iríamos sair de uma beleza, Santorini e …

… chegar em outra, Mykonos.

E de ferry.

Como todo mundo falava sobre bagunça e dificuldade para transfer no Porto …

… resolvemos pagar a taxa de entrega do auto alugado numa outra ilha e ficar com ele.

Ou seja, de alguma forma, …

… iríamos sair com o carro numa ilha e …

… chegar na outra com o mesmo possante.

Quase que um milagre! 🙂

Acordamos no horário, …

… demos mais uma boa paquerada na Caldeira …

… com o belíssimo sol nascendo e …

… fomos tomar café, …

… aquele ótimo café da manhã …

… numa mesa estrategicamente escolhida …

… pra nos proporcionar …

… uma verdadeira visão do paraíso.

Ainda deu tempo de dar mais …

… uma passeada pelo calçadão chic …

… e granítico de Oia (fala-se Ia) além de ver mais um casório, fato corriqueiro nas nossas viagens.

Pensei que conseguiríamos curtir novamente as igrejas com as abóbodas azuis …

… com tranquilidade, mas ledo engano.

As excursões de cruzeiro e as hordas de asiáticos …

… já estavam por lá e as filas pra tirar fotos eram imensas.

Voltamos pro hotel, porque além do calor estar demais …

… ainda tínhamos que dirigir até o porto.

E tivemos até que um stressesinho, pois o trânsito estava bem ruim, …

… sem contar a quantidade de “tartarugas” gregas que estavam dirigindo.

Sorte que conseguimos trocar os tickets do ferry através do concierge e por isto, mesmo chegando em cima da hora da partida, embarcamos.

Incrível a quantidade de pessoas que usam o ferry como transporte.

Chegamos, estacionamos …

… e subimos pra nossa confortável …

… área vip, onde além de desfrutar de poltronas super confortáveis, …

… ainda tínhamos a visão de várias ilhas paradisíacas.

O ferry fez uma parada em Naxos e …

… seguimos viagem pra Mykonos.

Como o porto é bem perto do nosso hotel, …

… chegamos até que cedo na ilha.

E continuamos nos hospedando em alto nível (merci Marcello Brito).

Bill&Coo Suites é um hotel muito agradável, …

… muito bem localizado, …

… próximo de Mykonos Town.

O nosso quarto é muito confortável, …

… gregaço e …

… com uma vista absurda do mar.

Demos uma semidescansada, …

… muito mais pra curtir o hotel e …

… almoçar frugalmente.

Uma salada grega, …

… spaghetti al vongole e …

…  dois Aperois depois, …

… fomos explorar Mykonos Town, também conhecida como Chora.

Não preciso nem dizer que é muito bonita …

… e dramática, né?

Nunca aquela máxima de se perder numa cidade …

… foi tão verdadeira.

São tantos cantos bacanas …

… com ângulos inusitados …

… que tivemos a certeza que retornaremos e …

… inúmeras vezes.

Tudo bem que ir a pé do hotel até lá …

… é uma tarefa inglória, …

… já que você tem que andar por uma estrada sem nenhum tipo de calçada.

Mas a vista do mar é arrebatadora e …

… procuramos fazer o nosso circuito …

… conhecendo o charmoso …

… centro de Mykonos Town.

Tudo bem também que as lojas não são muito animadoras, …

… seja na qualidade …

… ou seja nos preços, …

… mas a beleza de tudo é inegável.

Inicialmente passamos na padaria Gioras, uma daquelas old school …

… onde compramos uma ótima Baklava.

Logo depois, visitamos a Rarity Gallery …

… que realmente é uma raridade de tão bonita.

Pra elevar mais ainda o astral, …

… nada melhor do que uma #Happiness.

E fizemos uma vistoria na Litte  Venice …

… (há um certo exagero nesta descrição)…

… obrigatória, …

… bem como nos Windmills of Kato …

… os famosos moinhos que …

… estão em todas as fotos …

… de turismo sobre Mykonos.

O resto foi retornar pro hotel, …

… curtindo o visual, …

… abrindo um belo prosecco e …

… aguardar a maior atração do dia, …

… aquele tramonto …

… mais do que especial.

E ele aconteceu.

O sol apareceu, …

… deu o ar da graça e …

… enfim, se exibiu.

Pra nós, …

… que somos voyeurs solares , …

… foi um verdadeiro manjar dos deuses.

Que por do sol, senhores!

Ficamos um tempão, observando tudo e …

… agradecendo por este momento tão especial nas nossas vidas.

Pra coroar o dia, …

… jantamos no restô do próprio hotel, …

… o Gastronomy Lab.

Pedimos frugalmente; a Dé foi de John Dorian …

… e eu, de Red Mullet.

Peixes muito bem feitos e harmonizados com um bianchetto Cervara by Antinori (grandes recordações toscanas) …

… que conseguiu terminar este dia com a mais absoluta chave de ouro.

Uau, que dia!

Que viagem!

Opa.

Veja os outros dias desta admirável viagem:
Proti iméra – Grécia/Suíça – Vitznau – Que cachoeira e que hotel!
Defteri iméra – Grécia – Suíça – Lucerna e Lauterbrunnen, a dupla Lu-La perfeita.
Tríti iméra – Suíça/Grécia – Vitznau/Santorini – Do primeiro para o terceiro e maravilhoso mundo grego.
Tetarti iméra – Grécia – Santorini – Oia, Oia, Oia e acabamos “fondo”.
Pémpti iméra – Grécia – Santorini – Red Beach, Santo Wines e o legítimo poente em Oia.

.

 

 

dcpv – pémpti iméra – grécia – santorini – red beach, santo wines e o legítimo poente em oia!

19/10/2020 (muito bem vivido em 29/09/2019)

Pémpti iméra – Grécia – SantoriniRed Beach, Santo Wines e o legítimo poente em Oia!

Hoje seria mais um daqueles dias ensolarados gregos.

E nada melhor do que iniciá-lo …

… tendo mais uma visão espetacular da Caldeira.

Você sabia que ela era originariamente uma cratera de vulcão e …

… que foi separada da ilha após uma grande erupção?

Mais uma boa curtida e …

… fomos tomar o nosso ótimo café da manhã (veja se não?) …

… admirando-a profundamente .

É incrível o magnetismo que ela possui!

Saímos até que cedo …

… com destino a Akrotiri.

Mas sabiamente mudamos a nossa decisão.

Optamos por ir conhecer Red Beach …

… que é próxima, …

… mas como tem poucas vagas no estacionamento, …

… resolvemos passar primeiro por lá.

Chegamos, paramos e ficamos boquiabertos.

Primeiro que ela é toda vermelha mesmo.

Ou melhor, o paredão que fica trás dela é totalmente vulcânico e vermelho.

Segundo que você tem que percorrer uma trilha tortuosa, …

… difícil e …

… interessante até chegar a visualizá-la.

Aí é só correr pro abraço.

Porque o visual é mesmo incrível.

Pense numa água super transparente, com tons de azul e verde …

… ladeada por rochas vermelhas nas mais variadas formas, …

… seja em pedronas, seja em pedrinhas …

… seja em desabamentos e finalizada com pedras escuras?

Olha, acho que nem o pessoal da Disney faria melhor.

Retornamos com a intenção de conhecer Akrotiri (é claro que compramos o souvenir) …

… que é uma cidade da Grécia antiga, …

… mas o calor estava tão intenso que passamos e …

… fomos direto pra Santorini Arts Factory.

Que vem a ser um museu numa fábrica de molho de tomates.

E o tour é incrível.

Inicia com um passeio guiado …

… onde nos foi mostrado …

… todo o processo old school …

… de se fazer uma massa de tomates.

Imagine a dificuldade de se transformar …

… tomates especiais cultivados neste solo tão desértico …

… num produto industrial …

… vendido em latas?

Imagine ainda que nem energia elétrica eles tinham e muito menos transporte para a matéria prima (usavam burrinhos)?

Eram realmente heróis estes gregos.

Ao final do tour, você ainda tem direito a fechar uma lata de molho numa máquina daquelas antigonas e …

… escolher a sua embalagem.

Taí mais um belo souvenir.

Ainda deu tempo de tirar algumas fotos de Vlichada …

… com sua bonita marina.

Como estávamos em cima da hora, rumamos pra Santo Wines.

Ela é uma das maiores e …

… mais organizadas vinícolas de Santorini.

Tinha feito a reserva dum tasting de 6 vinhos pra cada …

… com o acompanhamento duma salada grega (nota 8.5 no MicheLuz) e …

… um prato de queijos.

O garçom que nos atendeu, o Filippo, foi de uma generosidade imensa e …

… nos disse que tínhamos reservado muita comida.

Assim, rearranjamos tudo , tomamos …

… ou melhor, experimentamos um montão de vinhos, …

… comemos bem e …

… ainda tivemos direito a comprar uma garrafa dum Assyrtico Gran Reserva com o que sobrou.

Sem contar que a vista que a vinícola te proporciona …

… é mais uma daquelas cinematográficas.

Aproveitando ainda a posição geográfica, …

… resolvemos conhecer uma cidadezinha tida como bonita …

… e que está um pouco fora do circuitão turístico.

Pyrgos fica bem em cima de um morro e …

… a vista que se tem da ilha …

… e da Caldeira é belíssima.

Paramos o carro na entrada da cidade e …

… iniciamos a subida a pé.

Foi cansativo, …

… mas muito compensador.

Passamos por várias vielas, …

… onde moradores, certamente, …

… vivem o dia a dia …

… de uma forma muito tranquila.

Também passamos por lojas interessantes e …

… finalmente chegamos ao topo (Lost Horizon?), …

… onde fica um oásis, …

… o café Franco.

É claro que fizemos um pit stop por lá …

… com direito a estilosos Aperois Spritz …

… que simplesmente renderam …

… fotos perturbadoras.

Enfim, aconselhamos muito a visita a Santorini Roots, …

… representada por Pyrgos.

Retornamos pro hotel, …

… pois a intenção, seria …

… curtir o famoso por do sol …

… do nosso quarto.

E ele foi maravilhoso.

Acompanhamos todo o processo (deu até pra meditar!) …

… desde o princípio, …

… passando pelo por propriamente dito e …

… culminando com o tingimento do céu …

… com um vermelho alaranjado intenso.

Segue o obrigatório fotoblog.

Terminado este imenso prazer, fomos jantar …

… e no restô Elements, do Canaves mais novo, o Epitome.

O restaurante é bem bonito, apesar de não ter vista do mar.

Optamos pelo menu à la carte e …

… lá vieram …

… os agradinhos do chef,.

O lugar tem uma pegada gastromolecular …

… o que convenhamos é uma tanto old fashion e …

… a nossa entrada foi cenoura em vários formatos de preparação.

Estava muito bom.

Tomamos flutes de Champagne …

… e taças de vinho branco Assyrtiko de Santorini.

Os principais chegaram: a Dé escolheu um turbot com feijões amarelos, …

… e eu, um peixe numa crosta crocante com abobrinhas e caviar.

Tudo tão bom, ….

… que só nos restou retornar ao hotel e …

… torcer pra que os outros dias desta viagem …

…. sejam pelo menos, parecidos com o de hoje.

E tenho dito!

Opa.

Veja os outros dias desta admirável viagem:
Proti iméra – Grécia/Suíça – Vitznau – Que cachoeira e que hotel!
Defteri iméra – Grécia – Suíça – Lucerna e Lauterbrunnen, a dupla Lu-La perfeita.
Tríti iméra – Suíça/Grécia – Vitznau/Santorini – Do primeiro para o terceiro e maravilhoso mundo grego.
Tetarti iméra – Grécia – Santorini – Oia, Oia, Oia e acabamos “fondo”.

.

 

dcpv – tétarti iméra – grécia – santorini – oia, oia, oia e acabamos “fondo”.

13/10/2020 (vivido em 28/9/2019)

Tétarti Imera – Grécia – Santorini – Oia, Oia, Oia e acabamos “fondo”.

E o milagre aconteceu.

Se bem que ver esta maravilha aqui em Oia (fala-se Ia), …

… não é o que podemos chamar propriamente de miraculoso.

Olha, ou melhor, Oia é …

… simplesmente embasbacante.

Pra cada lado que se olha (ops) …

… o deleite é imenso.

O hotel, o Canaves Oia Suites (gracias, Mr Britto) é mesmo um …

… daqueles inesquecíveis.

Todas as janelinhas do quarto …

… tem uma vista arrebatadora.

E a da varandinha é tão, …

… mas tão espetacular, …

… que pela primeira vez nas nossas viagens …

… não tivemos vontade de sair do hotel.

Sabe “turismo de observação”?

Pois era isso mesmo!

Vou inovar e fazer um fotoblog só sobre os cantinhos da propriedade.

Após este devaneio, fomos tomar café da manhã no próprio hotel.

E veja se este não é um verdadeiro “breakfast with view”?

Demos mais uma boa pescoçada …

… na área externa do Canaves e …

… iniciamos o que seria propriamente o tour do dia.

Pegamos o nosso possante e …

… fomos pra Imerovigli, …

… uma cidade maior que Oia, …

… menos bonita, …

… mas exuberante, normal por aqui.

Estamos na Grécia, senhores!

Mais propriamente em Santorini.

Demos uma passeada pela orla, …

… se é que podemos chamar assim a …

… um caminho muito acima do nível do mar …

… com várias daquelas igrejinhas …

… com teto abobadado azul, …

… vistas dramáticas da Caldeira, …

… muitas primaveras, …

… todas espetacularmente floridas.

Até uma legítima e natural Coca grega nós tomamos.

Chegamos ao centro dito turístico e …

… pegamos o bondinho que leva até o nível do mar.

Este trajeto é maravilhoso e …

… além de fugirmos da possibilidade …

… de usar aqueles burrinhos como meio transporte, …

… (dá uma tremenda dó deles) …

… ainda vimos paisagens de tirar o fôlego.

O visual lá embaixo não fica atrás.

Sabe aqueles barquinhos que parecem estar flutuando no ar?

Pois foi o que vimos e …

… aos borbotões.

Retornamos de bondinho, …

… curtindo a paisagem e …

… voltamos pro hotell …

… pra dar uma pequena refrescada.

O sol estava abrasador.

Curtimos mais um pouco do nosso quarto e …

… das vistas que ele nos proporciona, …

… além de continuarmos com os queixos literalmente caídos.

Já estava perto da hora do almoço.

Reservei o Lycabettus Lounge Área …

… por ser bem próximo do hotel e …

… por estar num penhasco muito perto do mar.

Foram 4 deliciosos minutos a pé …

… passeando pelo centro de Oia.

E deu pra ter uma noção do porque …

… desta cidadezinha ser tão admirada.

Tudo é muito bonito.

Chegamos no restô, que pertence a um hotel, o Andronis Luxury Suites e …

… tivemos que descer uma tremenda escadaria.

O preparo físico tem que estar em dia …

… pra enfrentar todos os degraus que existem por aqui.

O lugar é incrível (de novo).

Tudo muito aberto, …

… em alguns casos até exageradamente kitsch, …

… mas com um charme daqueles.

Iniciamos a nossa dieta mediterrânea …

… pedindo o que seria a primeira de inúmeras excelentes saladas gregas.

Duas taças de vinho da casa foram sorvidas e …

… chegaram os principais.

A Dé foi de peixe com aspargos e …

… eu, de tenras costeletas de cordeiro com batatas fritas.

Tudo absolutamente perfeito …

… como era este momento.

Saímos abastecidos e …

… fomos conhecer Oia direito.

Só o calçadão feito de granito …

… já impressiona.

Mas a cada passada …

… você sente a aura do lugar, …

… seja através de cheiros, …

… seja através da simpatia dos gregos, …

… seja pela conjunção perfeita de toda atmosfera.

Passamos por várias daquelas …

… lojinhas de bugigangas e …

… estávamos loucos pra turistar oficialmente.

Ou seja, tirar aquela foto com a Caldeira ao fundo e as abóbodas azuis das igrejas.

E olha que dá um certo trabalho chegar ao ponto exato, …

… pois a cidade é um verdadeiro labirinto.

O mais engraçado é que quando se chega, tem uma fila imensa de gente pra tirar a tal foto (inclusive, existem cúpulas asiáticas avermelhadas também!).

Não é romântico, mas é lindo.

Continuamos andando pela rua Nikolaou Nomikou, …

… conhecemos também uma livraria incrível, …

… a Atlantis Books, …

… um daqueles estabelecimentos muito marcantes e …

… com altíssima personalidade.

Decidimos retornar e …

… dar uma parada no Melenio Cafe.

Li que o mil-folhas de lá era imperdível.

Menos (era bem pesadão), mas foi divertido e …

… pra variar …

… o visual foi a estrela.

O sol estava ameaçando se por.

Retornamos pro hotel novamente.

Afinal de contas, tínhamos uma garrafa dum bom (???) branco grego …

… nos aguardando.

Acho que nunca degustamos um vinho …

… com tamanho prazer.

Principalmente, visual.

Mas o roteiro nos chamava novamente.

Tinha reservado uma visita à Domaine Sigalas, …

… uma vinícola bacana e também muito próxima.

O lugar é bonito e …

… além do passeio, …

… marcamos um jantar com mezzes, …

… porções típicas da culinária grega.

O por do sol estava matador.

Zeus e seus asseclas nos acompanharam …

… neste deleite visual.

O tour propriamente iniciou …

… com os vinhedos.

O nosso guia, o Sócrates, era uma figuraça e …

… totalmente apaixonado pelo seu trabalho.

Estávamos andando quase que na penumbra, …

… mas as informações sobre como eles tratam as uvas …

… foram incríveis.

Fora que o formato das parreiras é sui generis.

Elas são estas touceiras arredondadas …

… que ficam praticamente no nível do solo.

Retornamos pra sede e …

… o crepúsculo nos chamava.

Que coisa linda!

A comida e os vinhos foram servidos.

Salada grega, …

… vinhos brancos, …

… charutinho feito com folhas de uva, …

… pão de azeite com anchovas…

… camarão com batata, …

… batatas com iogurte, …

… queijos, …

… mais vinhos, …

… enfim, foi uma daquelas refeições memoráveis.

Só nos restou retornar pro hotel e …

… nos aconchegar nos maravilhosos lençóis de n fios.

Uau, que dia!

Opa.

Veja os outros dias desta admirável viagem:
Proti iméra – Grécia/Suíça – Vitznau – Que cachoeira e que hotel!
Defteri iméra – Grécia – Suíça – Lucerna e Lauterbrunnen, a dupla Lu-La perfeita.
Tríti iméra – Suíça/Grécia – Vitznau/Santorini – Do primeiro para o terceiro e maravilhoso mundo grego.

.

 

dcpv – tríti iméra – suíça/grécia – vitznau/santorini – do primeiro para o terceiro e maravilhoso mundo grego.

27/09/2019

Tríti iméra – Suíça/Grécia – Vitznau/Santorini – Do primeiro para o terceiro e maravilhoso mundo grego.

Hoje seria, teoricamente, um dia perdido.

Afinal de contas, voaríamos da Suíça, …

… onde ficamos numa conexão de dois dias, …

… para a Grécia.

E num voo de Zurich direto pra Santorini.

Vamos começar do princípio.

O dia amanheceu lindamente, …

… o suficiente pra tomarmos aquele café da manhã especial, …

… dar mais uma bela olhada no Park Hotel Vitznau, …

… com suas adegas suntuosas …

… e diríamos, até extravagantes …

… suas piscinas …

… mais do que resplandecentes e …

… rumamos pro aeroporto de Zurich.

Antes de chegarmos lá pra entregar a nossa máquina, …

… uma Masseratti Levante, …

… fomos conhecer Zug.

Ela fica no caminho e …

… é conhecida como a cidade das cerejas.

E ela não deixou nada a desejar.

É uma mistura de lugar contemporâneo com um charme incrível, …

… e melhor, …

… com o lago a disposição.

Achamos um estacionamento próximo do Zentrum e …

… descobrimos um parque com um belíssimo …

… jardim de rosas.

Todo o centro é super charmoso …

… com muitas torres …

… relógios particulares …

… e muitas fontes …

… lindíssimas.

A região mais próxima ao lago Zug …

… também é sensacional …

… com marinas e …

… restaurantes aconchegantes.

Taí um lugar pra deixar na lista …

… pruma próxima visita a Zurich, …

… que com os preços que a Swiss está praticando …

… certamente será em breve.

Já estávamos quase no horário, …

… então partimos pro aeroporto de Zurich.

Devolvemos o bólido e …

… fomos curtir os serviços de lá.

É quase que um shopping completo …

… com inclusive, supermercados …

… e várias delicatessens.

Adoramos e certamente …

… faremos uma boa compra quando da nossa volta.

O restante foi curtir o tempo que tínhamos e quando percebemos, …

… estávamos embarcando pela Edelwaiss, direto pra Santorini.

O voo, …

… de quase 2,5 horas …

… foi ótimo e …

… deu pra aproveitar um cair do sol …

… de primeiríssima linha.

Chegamos perto das 19:00 hs em Santorini e …

… confesso, o choque foi grande.

Vocês sabem o que é sair do primeiríssimo mundo suíço, onde tudo funciona perfeitamente, …

… até as vaquinhas têm horários pra pastar e serem ordenhadas e chegar num aeroporto (???) semi indigente?

O próprio atendente da Hertz falava um inglês totalmente macarrônico e a ficha foi preenchida a mão e com lápis.

Pegamos o nosso possante (??) e zarpamos pra Oia (diga Ia). Pelo menos não tínhamos que nos preocupar com os amassados do carro! 🙂

As estradas são muito mal iluminadas e a nossa chegada ao Canaves Oia Suites …

… foi um pouco tumultuada, já que aparentemente o hotel fica na parte proibida pra veículos da cidade.

Achamos um lugarzinho pra estacionar, a Dé foi conversar na recepção e de repente, o tudo se descortinou.

O hotel é lindo, o quarto é lindo, …

… a vista é linda, enfim, o mundo é lindo! Hahaha

Foi o tempo de dar uma olhada em tudo, …

… tomar um banhão rapidaço e …

… ir jantar no restaurante Petra do próprio hotel, …

… que é simplesmente maravilhoso.

De frente pra Caldeira, …

… as mesas ficam praticamente dentro do mar e a comida é sublime.

Iniciamos tomando duas flutes duma Deutz porque a ocasião merecia.

É claro que escolhemos peixes.

A Dé foi de Black Code …

… e eu, um com uma casquinha crocante e extremamente saborosa.

Acompanhamos com duas taças de vinhos brancos da casa.

É claro que experimentamos uma sobremesa divina que encerrou o dia duma forma inesquecível.

Sem contar que, devido a nossa demora em pegar o carro, acabamos não vendo Santorini, …

… ou melhor Oia, ou melhor a Cratera, com a luz do dia.

Caramba, precisamos dormir logo …