Posts Tagged 'starbucks roastery reserve'

dcpv – third day – usa – nyc – a cidade que nunca dorme (e nós também).

22/05/2021 (curtido em 11/01/2020)

Third Day – USA – NYCA cidade que nunca dorme (e nós também).

Primeiro dia completo em Nova York e …

… uma perspectiva de muitos kilometros rodados, opa, andados.

Iremos fazer um tour por lojas diferentonas e …

… com serviços pra lá de especiais.

É o início da nossa experiência com a NRF, …

… a maior feira de varejo do mundo …

… da qual participaremos a partir de amanhã.

De qualquer forma, peguei várias dicas em vários lugares (Santo Google incluso) e …

… partimos pra luta.

Antes de mais nada, …

… um lauto café da manhã …

… na maravilha das maravilhas …

… a Starbucks Reserve Roastery, nossa vizinha.

Incrível!

Quantas mais vezes vamos lá, …

… mais gostamos de absolutamente tudo.

Acho que tomaremos café da manhã todo dia por aqui. 😁

Retornamos pro hotel, …

… ele fica sobre o afamado High Line e …

… iniciamos o nosso roteiro pegando um uber pro Columbus Circle.

Lugar bacana, mas meio antigão.

Aproveitamos pra dar uma passeada pela lateral do Central Park …

… só pra matar as saudades.

Ô lugarzinho bonito, …

… ainda mais com a inesperada temperatura reinante …

… quase 20°C e em pleno inverno!

A primeira parada técnica foi na flagship da Neiman Marcus.

E foi poderosa.

A loja de departamentos se reinventou totalmente e …

… transformou o ato de comprar …

… numa verdadeira e real experiência.

Muito espaço, …

… uma decoração clean e marcante e …

… o melhor, um bar em cada andar …

… pra que você tenha onde esperar …

… enquanto o seu amorzinho experimenta aquelas coisinhas imprescindíveis.

Sensacional!

Demos uma entrada na 5th Ave e …

… rumamos pra Ikea Planning.

Taí um jeito diferente de vender/comprar móveis.

Muitos espaços bem definidos, …

… levando em consideração o quão exíguos são os apês hoje em dia.

De lá, passamos na Casa Barilla.

É um restaurante, quase uma cantina, …

… mais parecida com um McDonalds de pasta. Mamma mia!

Não ficamos muito entusiasmados.

Mais uma andada e …

… chegamos na NBC.

Foi só pra dar uma olhada e ver se tinha alguma camiseta nova do Seinfeld, …

… mas nada. Néééxxxxt!

Ao lado, fica a Casa Camper, uma marca espanhola de calçados que já foi bem bacana, pro nosso nível de conforto.

Como não poderia deixar de ser, …

… fomos até Times Square.

Sim, é um clichê, …

… mas é sempre espetacular.

Os telões estão cada vez mais com definições incríveis e …

… você não tem como não se maravilhar.

Assim como o McDonalds inovador que existe lá (atualização – ele fechou!).

Todo o atendimento é feito através de telões …

… onde você fecha a conta, …

… senta no seu lugar e espera o pedido chegar.

Testamos com uma batata frita, uma Coca e …

… ficamos muito satisfeitos.

Sem contar que a programação visual da loja resultou …

… muito interessante e modernosa.

Voltamos pra 5th, …

… pra explorar a parte esportiva.

Iniciamos com a flagship da Puma.

Uma loja muito tecnológica, …

… também com visual diferentão e …

… muitos produtos exclusivos.

Exploramos bastante, mas não compramos nada. Hahaha

Os tênis são bonitos, mas não tem muito conforto …

… o que hoje em dia é primordial pra que compremos.

Em seguida e logo ao lado, fica a loja da Adidas.

Ela ainda (a vimos no ano passado) impressiona pelo formato bacana, …

… com muitas alternativas de testar o produto antes de comprar …

… além da preocupação com o meio ambiente que …

… a empresa demonstra atualmente.

Outra loja que vimos foi a &other stories.

A ideia é bacana; eles juntam as roupas por temas (cores, ocasiões, etc) e não por marcas.

Mas a concepção é bem modesta.

Pela proximidade, …

… fomos num grande ícone nova-iorquino, …

… a Grand Central Terminal.

O lugar é absurdamente bonito e …

… ainda tivemos a oportunidade …

… de ver onde o magnífico (???) campeonato mundial de squash é realizado.

Olha, já estávamos bem cansados e …

… mesmo assim ainda passamos na Casa Escandinávia.

Achamos o lugar bem sem graça com a loja acompanhando o relator.

Apelamos prum Uber e …

… fomos nos esbaldar no Eataly Flatiron, …

… o mais roots que conhecemos (com exceção do Lingotto).

E ele não decepcionou.

Pedimos o básico: um prato com salumi e formaggio, …

… uma bella mozzarella de búfala e …

… duas taças dum ótimo Gavi de Gavi.

Olha a vida é muito boa aqui em NY …

… especialmente no Eataly Flatiron.

Vejam o viço destas …

… frutas e legumes!

Apelamos mais uma vez pro Uber …

… que funciona muito bem na Big Apple e …

… retornamos pro hotel …

… pra dar aquela descansada oficial.

Mesmo porque eu tinha reservado …

… um tour na Artechouse …

… que fica muito próximo daqui, no Chelsea Market.

A ideia toda é muito boa.

Ela é quase um Atelier des Lumieres (desculpaí!), …

… só que com obras específicas e de vanguarda de um determinado autor.

Já na apresentação, …

… a explicação foi muito interessante …

… com vários detalhes e …

… a expectativa aumentou muito.

Chegou a hora de ver realmente o que seria o espetáculo.

E aí a curuquice impera.

É um tal de imagens estroboscópicas pra lá e pra cá …

… junto com uma trilha sonora pífia …

… que mais parece um bate estacas de balada.

Ou seja, foi decepcionante (expectativa é fogo).

Ainda tentamos ficar mais um pouco, …

… mas não só a Dé, como eu, ficamos muito mareados e …

… o jeito foi ir embora, …

… aproveitando pra ter o primeiro contato …

… com o Chelsea Market.

Como tínhamos um compromisso pro jantar, …

… optamos por voltar pro hotel.

E logo depois, saímos pra conhecer um bar diferentão.

O Lyanees é um bar itinerante que pertence ao Mastercard.

Ele faz parte duma experiência que transporta lugares bacanas, …

… inclusive fisicamente, …

… pra NY e espera que você ache que está no localidade original.

Neste caso, é um bar londrino, escolhido como o melhor do mundo.

Tomamos dois coquetéis tradicionais, mas reinterpretados, um Cosmo e uma Margarita.

Foi divertido e logo ali ao lado, …

… fica o Pepolino, onde teríamos o nosso encontro oficial e …

… anual com casal Pellicano, Marcie (do ótimo blog Abrindo o bico) e Ciro (autor de frases geniais e impagáveis).

Como sempre, foi muito divertido e calamos, ops, conversamos bastante. 🙂

A comida? Foi ótima e muito Toscana.

Eu e a Dé dividimos uma salada de beterraba e …

… um branzino  com legumes cozidos à perfeição.

Tomamos um ótimo Gavi di Gavi e continuamos conversando.

Encerramos a noite com um docinho e …

… já marcamos o encontro de 2021 (mal sabíamos da pandemia).

Planejamento é sempre a chave do negócio.

See U.

Veja os outros dias desta interessante viagem:
First day – USA – Boston – Sem piadinhas, por favor!
Second day – USA – Boston/NYC – Um contraste incrível e uma constatação mais ainda. Incrível mesmo é o The Vessel.

.

 

 

dcpv – days five and six – usa – supermercadeando por ny – parte I

01/02/2020 (comp(a)rando em 15 e 16/01/2019)

Days Five and Six – USASupermercadeando por NY – Parte I.

Continuamos a nossa saga pela Grande Maçã.

Ou seja, hoje, terça feira, teríamos o último dia da feira, a NRF.

Pra quem não sabe, NRF significa National Retail Federation.

E a manhã foi sensacional.

Começamos tomando um …

… lautíssimo café da manhã …

… na Starbucks Roastery Reserve

… uma maravilha que os gênios marqueteiros inventaram.

Como estava muito frio, optamos por chamar um Uber …

… e ir pro Jacob Javits Center.

E curtimos demais todas as informações …

… que nos foram passadas.

Tivemos previsão de como seria o varejo do futuro …

… com todos as tecnologias que se apresentarão.

Resolvemos ir comer num restô pan-asiático, mais precisamente do Uzbequistão, no almoço.

Ele é quase uma boca de porco, mas foi bom.

Farida fica perto do pavilhão.

Se bem que andamos 10 minutos sobre um frio cortante.

Escolhemos buns como entrada, acompanhados de batata frita (oba) e vareniques.

Retornamos pra sessão da tarde, a última oficial.

E foi ruim de doer; jabás em cima de jabás e quando percebemos …

… estávamos voltando pelo High Line, …

… esta maravilha, …

… e com mais um tremendo por do sol.

E põe tremendo nisso.

Foi tão bonito que resolvemos ficar sentados num banco …

… sobre um frio enregelante só pra ver o sol se por completamente.

Continuamos pelo High Line …

… com visões maravilhosas …

… dum montão …

… de prédios espetaculares …

… e de obras de arte …

… que se …

… encontravam …

… pelo caminho.

Sem contar, …

… que as luzes …

… do poente …

… insistiam em continuar …

… brilhando intensamente.

Olha, tudo estava  tão bonito …

… que resolvemos …

… caminhar até o final …

… e retornar pro hotel.

Ficamos com um grande dilema.

Antes de resolvê-lo, optamos por dar uma passada …

… na Empire Cakes …

… e comer cupcakes de primeiríssima categoria.

Retornamos de vez pro hotel …

… e decidimos cancelar a reserva no restaurante Budakkan, um asiático de categoria.

Escolhemos ir até a Starbucks Roastery Reserve (que novidade!) …

… pra continuar nos admirando …

… com a sua arquitetura …

… especialmente de interiores …

… e degustar dois pedaços de pizza …

… e duas taças dum Zinfandel Californiano.

Foi o que faltava pra dar aquela descansada …

… e agradecer pelo hotel ser tão perto.

Ah, passamos na frente do restaurante e vimos uma multidão. Você acredita que o Bruce Willis estava jantando lá?

Caramba, por pouco ele não teve o prazer de jantar conosco! 😀

Acordamos cedo no outro dia, …

… porque faríamos muitas visitas em diferentes tipos de supermercados, comandados pelo pessoal da FGV.

Tomamos um rápido café da manhã no Starbucks …

… e fomos nos encontrar com o grupo.

Saímos de ônibus, com o tempo bem broncolhão …

… e fomos conhecer o Garden of Eden ,…

… um mercado de vizinhança metido a chic.

Continuamos com o Whole Foods da Union Square, …

… um clássico …

… e o Trader Joe’s, …

… um outro clássico.

Na sequência fomos ao West Side …

… (antes comemos um pedaço de pizza)…

… um reduto de bons FLV …

… e terminamos com um em franca decadência, …

… o Food Emporium.

Retornamos ao ônibus e rumamos pra New Jersey.

A primeira parada foi no Wegmans, …

… um hipermercado de categoria …

… onde aproveitamos pra almoçar por lá mesmo.

Logo em seguida, invadimos um Walmart …

… novíssimo, …

… quase cheirando a tinta.

Ali ao lado, fomos num Dollar Tree.

Um espetáculo, pois todo mundo comprou um montão de coisas, …

… pagando um dólar por cada uma delas.

Baratíssimo!

Finalizamos em mais um clássico, …

… o espartano Aldi.

Teoricamente não poderíamos tirar fotos, …

… mas dei um jeitinho, …

… apesar da operadora de caixa ter brigado comigo. 😀

Retornamos pra Manhatan …

… e para sorte nossa, a última visita …

… seria na Starbucks Reserve Roastery, …

… a nossa querida vizinha.

Nos maravilhamos novamente, não cansamos mesmo, …

… tomamos dois tremendos coquetéis a base de café, …

… comemos uns pedaços de pizza que nos foram ofertados …

… e resolvemos dar uma passada na tremenda loja da Patagonia ..

… e da Lululemon, antes do que seria a nossa saída pra jantar.

Não fomos, porque estávamos tão cansados que resolvemos improvisar comendo uma pipoca com queijo e a schiaciatta da Princi.

Quer melhor final de dia do que este?

See U!

Veja os outros dias desta viagem:
day One – USA – New York, New York.
day Two – USA – Andando muito nas lojas diferenciadas de NY.
days Three and Four – USA – Varejando por NY.

.

dcpv – day one – usa – new york, new york.

22/01/2020 (trabalhado em 11/01/2019)

Day One – USANew York, New York.

E lá fomos nós pra NY.

O motivo principal seria participar da maior feira de varejo do mundo, a NRF, a National Retail Federation  …

… e assim, nos informar sobre tudo o que de mais moderno acontece/acontecerá no nosso ramo.

Mas é claro que aproveitaremos da situação pra dar uma boa passeada pela Big Apple. 🙂

Saímos de SP na quinta à noite …

… e chegamos de madrugada em NY.

Desta vez, ficamos em pleno Meatpacking.

E no hotel Dream Downtown, …

… um lugar hyppado …

… e modernoso.

Gostamos muito do nosso quarto, …

… espaçoso …

… coisa rara por aqui …

… e extremamente bem localizado.

Pelo menos, pro que gostamos.

Tanto, que nem tivemos tempo de dar uma descansada …

… e já zarpamos pra nova, grande e bela …

… Starbucks Reserve Roastery.

Ela é grande mesmo, …

… lindíssima …

… e nos lembrou muito a de Seattle.

Tomamos um ótimo café da manhã por lá…

… e tivemos a certeza que retornaremos inúmeras vezes.

Voltamos pro hotel …

… e já partimos pro Soho, …

… pra dar uma passeada …

… e comprar roupas de inverno …

… porque estava frio demais.

Fomos direto pra Uniqlo, onde adquirimos camisetas, ceroulas, meias e até cuecas térmicas. Hahaha

Passamos em lojas de óculos …

… na Nike Lab …

… e fomos almoçar no La Mercerie.

O lugar é, …

… como diria a Hebe, uma gracinha.

Todo francesinho …

… com floricultura, …

… uma loja transada …

… além do restô, que é marcante …

… e com uma cozinha excelente.

Tomamos duas taças de ótimos vinhos brancos, …

…a Dé pediu uma massa recheada com alcachofras e trufas negras …

… enquanto eu, fui de aliche com torradas e manteiga de baunilha.

Tudo absolutamente perfeito.

Nos deliciamos com toda a cenografia …

… e zarpamos pro World Trade Center.

No caminho vimos uma manifestação dos little Gilets Jaunes. 🙂

E fomos mais precisamente praquela maravilha …

… de obra, o Oculus

… projetada pelo gênio, …

… Santiago Calatrava.

O que é aquilo, …

… minha gente?

Que ideia ,…

… que projeto …

… e que construção!

Lá mesmo, …

… conhecemos o Westfield, …

… com suas lojas …

… e um destaque especial …

… para o Eataly

… imenso ….

… e muito bem cenográfico.

De lá, para o Brookfield Place, …

… um mall bacana …

… é um pulinho.

E vimos o espetacular …

… por do sol …

… com todas as suas cores …

… e possíveis nuances.

Mais outra maravilha, como a Estátua da Liberdade!

Tanto, …

… que não nos cansamos …

… de tirar fotos, …

,.. e melhor, …

… de curtir muito tudo o que as nossas retinas …

… poderiam ver.

Ainda comemos cupcakes da Springle …

… passeamos pelo Eataly francês, …

… o Le District …

… e continuamos adorando o por do sol…

… que a esta hora, …

… já era um tramonto de primeira linha.

Retornamos pro hotel …

… e como estávamos literalmente pregados, …

… optamos por dar uma passada …

… no Chelsea Market, …

… que fica bem em frente …

… e comer algumas coisinhas no Starbucks Reserve Roastery , …

… tais como uma baguete de azeitonas, ….

… um pedaço de pizza de 5 queijos …

… e tomar Aperol Spritz, …

… simplesmente perfeitos.

Retornamos andando pro hotel …

… falando sobre …

… a tremenda sacada da Starbucks.

Isto é uma verdadeira experiência de compra.

See U!

.

dcpv – day fifteen – usa – seattle – em busca das folhas de outono perfeitas!

27/11/2019 (vivido coloridamente em 03/11/2018)

Day fifteen – USA – SeattleEm busca das folhas de outono perfeitas!

Hoje seria o nosso último dia em Seattle.

E teoricamente o último numa cidade é perdido, certo? Na na ni na ná.

Como o voo seria a noite, optamos por aproveitar o máximo possível.

Já que o dia estava lindo, resolvemos conhecer um montão de parques …

… e procurar as “autumn falls” imperdíveis.

Pra isso, seguimos as dicas da Flávia, a nossa guia no belíssimo passeio de ontem.

Tomamos o nosso café da manhã num Starbucks Reserve…

…(vc já viu ou ouviu falar desta maravilha?) …

… próxima do hotel.

Capuccinos e sandubas especiais formaram o nosso menu.

Pegamos a nossa máquina …

… e zarpamos pra primeira parada.

Kubota Garden é uma belezura.

Apesar do tempo ainda estar um pouco encoberto …

… vimos lugares especiais …

… como um jardim japonês lindíssimo …

… e o que seriam indícios de intensas folhagens de outono.

Demos uma boa volta …

… e seguimos pro Gene Coulon Memorial Park.

A chegada lá é …

… absolutamente triunfal.

A quantidade de árvores (atenção: estas fotos são reais e não espelhadas!) …

… com tom avermelhado …

… te fazem pensar …

… em como a natureza é bela.

Belíssima!

Confesso que ficamos passeando …

… a esmo …

… onde as árvores pareciam ser estrelas de Hollywood.

Que espetáculo!

Continuamos o nosso devaneio.

Próxima parada?

Arboretum Park …

… onde fica outro Jardim Japonês.

Normalmente, os jardins japoneses são insuperáveis.

Mas este passou da medida.

Ele é simplesmente lindo …

… e cada ângulo da sua visão …

… forma uma imagem inesquecível.

Este vale o mini fotoblog.

Maravilhados com tudo…

… resolvemos dar uma refrescada …

… e visitar uma vinícola em Wodenwood.

Chateau Ste Michelle é um daqueles  lugares …

… perfeitos.

A mansão, …

… o tour …

… (grátis e com 3 tastings) …

… te deixam de boca (literalmente) aberta.

Tudo é muito bacana …

… e a qualidade dos vinhos é marcante.

É claro que o tour acaba numa lojinha, …

… na verdade, uma lojona moderna e arrebatadora …

… onde nos obrigamos a comprar vinhos …

… que não encontramos por aqui na nossa terrinha.

Uau, que lugar!

De lá, fomos para o Volunteer Park.

Ao chegarmos, encontramos uma daquelas estufas …

… com muitas plantas diferentes …

… e uma lojinha simpática.

Mais um pouco pra frente, chegamos na “rosquinha”.

É através dela que se consegue uma foto clássica da Space Needle.

Tudo bem que ela fica pequenininha, mas é bem legal.

O tour continuou.

Baixamos no Gas Works Park.

A chegada é muito simpática.

Na verdade, é avassaladora.

Assim como a visão do parque.

Ele é quase que uma mistura de Mad Max …

… com a beleza das folhas de outono.

É uma “Autumn Fall” quase que enferrujada!

E a visão que se tem tanto da instalação …

… como do skyline da cidade é espetacular.

Lindo …

… e você chega a pensar quem foi o maluco-beleza …

… que idealizou isto tudo?

Que grande ideia!

Como despedida, fomos mais uma vez, …

… a terceira, na Starbucks Roastery Reserve.

Este lugar é realmente demais.

Ouso dizer que é quase uma Eataly, das iniciais.

Comemos focaccias, sandubas de mortadela italiana …

… e levamos um pacote de scchiacciata pra casa …

… além de tomarmos ótimos Aperol Spritz. Enfim, o sol brilhou pra nós, os Luz.

A princípio, demos uma abortada na última parada.

O tempo urgia e tínhamos que arrumar as malas.

Mas a vista da Space Needle da janela do nosso quarto …

… nos estimulou a ir até ela.

E apesar de perdermos o por do sol …

… chegamos no Olympic Sculpture Park na hora certa.

O Astro Rei já tinha se posto …

… mas a luz crepuscular deixava tudo de um jeito diferente.

E de uma maneira …

…  absolutamente sedutora.

Tiramos zilhões de fotos …

… deste pós por do sol incrível.

Foi o que podemos chamar …

… de uma magnífica despedida …

… de uma esplendorosa cidade que é Seattle.

Só nos restou ir pro aeroporto …

… e pensar como foi legal escolher Seattle como um lugar a conhecer.

Prazer, Seattle!

Hasta la vista, baby.

See U.

Veja como foram os outros dias desta viagem:
day One – USA/Canadá – Como chegar em Vancouver após divertidas 43 horas.
day Two – Canadá – Vancouver – Fazendo city tours, inclusive de hidroavião.
day Three – Canadá – Vancouver – Voando na NBA.
day Four – Canadá – Vancouver – Passeio por Granville Island/.
day Five – Canadá – Vancouver – Nem só de sol vive o turista.
dia Six – Canadá – Vancouver – Capilano/Grouse/cervejas: tripleta duca.
day Seven – Canadá – Vancouver – Sea to sky sobre rodas e que rodas!
dia Eight – Canadá – Vancouver – Sea to Sky, ô nominho verdadeiro e bonito!
day Nine – Canadá/USA – Vancouver/Seattle – Atravessando a fronteira num boa e legalmente.
day Ten – USA – Seattle – Conhecendo a fundo a exuberancia da Bainbridge Island.
day Eleven – USA – Seattle, a terra dos Seahawks.
day Twelve – USA – Seattle – Boeing e Starbucks Roastery Reserve: o dia das grandes descobertas.
day Thirteen – USA – Seattle – Dia tecnológico: MoPop, Miicrosoft e os Gates.
day Fourteen – USA – Sseattle – Um grande passeio guiado pela cidade incluindo o incrível museu do vidro.

.

 

 

dcpv – day fourteen – usa – seattle – um grande passeio guiado pela cidade, incluindo o incrível museu do vidro.

09/11/2019 (vivido em 02/11/2018)

Day fourteen – USA – SeattleUm grande passeio guiado pela cidade, incluindo o incrível museu do vidro.

Normalmente, deixo este tipo de passeio, o city tour, pro início do ciclo de cada uma das cidades da viagem.

Afinal de contas, tinha entrado em contato com a Flávia e a Mila (do blog Milla em Seattle) e marcamos o tour pra sábado.

Como apareceu o passeio a Bainbridge Island de última hora …

… e ele só seria feito neste dia, …

… adiamos os nossos pra segunda e terça de manhã.

Como o tempo não estaria bom (Seattle sendo Seattle) …

… optamos por transferir pra quarta, o dia inteiro.

E esta decisão foi sábia.

Acordamos cedo, …

… tomamos o nossa café da manhã no próprio quarto …

… e rumamos pra Space Needle.

Lá encontraríamos a Flávia.

E foi o que aconteceu.

A primeira experiência seria conhecer o Chihuly Garden and Glass.

Confesso que ja tinha pesquisado e achado interessante, …

… mas esse foi um caso em que as expectativas foram totalmente ultrapassadas.

Toda a obra do Edward (belo nome!) Chihuly é absolutamente espetacular.

Por causa de um evento no museu, …

… acabamos tendo que explorar primeiro a lojinha …

… em vez de adentrarmos logo.

E apesar dela não ter muita coisa interessante, …

… serviu pra termos o primeiro contato com a sua obra.

Agora, quando você vê as primeiras ao vivo …

… não tem como o teu queixo não ficar caído.

É de embasbacar.

Toda a produção, …

… a cenografia, a riqueza dos detalhes …

… te deixam em estado de graça.

Segue o obrigatório fotoblog desta imperdível visita (note que as obras são grandes, muito mais altas do que um homem).

Terminamos observando toda a parte externa …

… que também é espetacular …

… e nos proporcionou visões incríveis, …

… ainda mais com a adesão da Space Needle.

E foi justamente pra ela que nos deslocamos.

Subiríamos nela através de seus elevadores ultra-rápidos …

… e logo teríamos uma das mais belas vistas de Seattle.

O último andar dela é bastante convencional….

… e realmente te permite …

… ter vistas de 360° de tudo.

Já o penúltimo é o mais bacana, …

.. pois ele é giratório e melhor, …

… tem o piso de vidro.

Dá pra imaginar as incríveis visões que tivemos?

De lá dá pra observar o Museu Chihuly …

… e toda a planta do MoPop …

… que o gênio Frank Ghery criou.

Olhamos pra tudo o que é lugar, …

… pegamos algumas boas dicas com a Flávia …

… e descemos, …

… sempre com o melhor ângulo do museu.

Pegamos o trenzinho …

… pra nos deslocarmos pro centro da cidade.

Esta viagem também é muito divertida, …

… e inclusive, ele passa dentro do MoPop.

Descemos em downtown, …

… demos uma circulada …

… e fomos conhecer o conglomerado da Amazon.

O prédio de administração é notável e as Spheres são encantadoras.

Imagine um prédio em que a característica dele …

… é ser um lugar de relaxamento mental para os funcionários da Amazon…

… e tem internamente uma vegetação exuberante?

Uma pena que não se pode visitar internamente.

Com perdão do trocadilho, é amazing!

Já na Amazon Go claro que é possivel entrar! :).

Pra quem não sabe, ele é um minimercado, todo automatizado, …

… onde a entrada se dá através do celular (com o app da Amazon Go instalado) …

… pega-se as mercadorias e vai embora.

Simples, sem operadora de caixa, nem nada.

Você simplesmente pega a mercadoria e vai embora.

Alguns minutos depois recebe a mensagem deles explicitando o que gastou. Genial!

De lá, fomos para o icônico Pike Place Market.

Antes de conhecer o mercado mais antigo dos USA, …

… almoçamos frugalmente na hamburgueria do chef Tom Davis …

… e fomos realmente visitar o mercado municipal.

Que beleza!

Vimos a famosa dança dos peixes …

… frutas e verduras de primeira linha, …

… flores no mesmo patamar …

… além de vários produtos DOCG.

Experimentamos muitas coisas …

… e caminhamos para o Pier …

… onde faríamos um breve passeio de barco.

O destino seria West Seattle …

… e com a única missão de …

…ter a melhor visão do skyline da cidade, …

… que é tido como um dos mais bonitos do mundo.

Isto é a mais absoluta verdade.

Tivemos a possibilidade de …

… ver vários ângulos da cidade, …

… seja na ida …

… ou na volta.

Foi incrível.

Caminhamos de volta pro Pike Place Market …

… onde seria o término do tour.

Ainda demos uma breve parada numa cervejaria pra dar uma abastecida.

Retornamos, …

… nos despedimos da Flávia, …

… agradecemos pelos grandes momentos que tivemos …

… e retornamos a pé pro hotel.

Ufa, foram mais de 20000 passos …

… do mais puro prazer.

E por falar nele, …

… retornamos à nossa queridinha, a Starbucks Roastery Reserve …

… só pra curtir o seu eficiente visual, …

… tomar umas tacinhas dum Pinot Grigio italiano …

… e comer um pedaço duma focaccia muito boa …

… e uma schiacciata espetacular.

É, o dia foi todo bom demais.

E vimos mais ainda, …

… que Seattle  é uma daquelas jóias que …

… não podemos esquecer no porta-joias.

See U.

Veja como foram os outros dias desta viagem:
day One – USA/Canadá – Como chegar em Vancouver após divertidas 43 horas.
day Two – Canadá – Vancouver – Fazendo city tours, inclusive de hidroavião.
day Three – Canadá – Vancouver – Voando na NBA.
day Four – Canadá – Vancouver – Passeio por Granville Island/.
day Five – Canadá – Vancouver – Nem só de sol vive o turista.
dia Six – Canadá – Vancouver – Capilano/Grouse/cervejas: tripleta duca.
day Seven – Canadá – Vancouver – Sea to sky sobre rodas e que rodas!
dia Eight – Canadá – Vancouver – Sea to Sky, ô nominho verdadeiro e bonito!
day Nine – Canadá/USA – Vancouver/Seattle – Atravessando a fronteira num boa e legalmente.
day Ten – USA – Seattle – Conhecendo a fundo a exuberancia da Bainbridge Island.
day Eleven – USA – Seattle, a terra dos Seahawks.
day Twelve – USA – Seattle – Boeing e Starbucks Roastery Reserve: o dia das grandes descobertas.
day Thirteen – USA – Seattle – Dia tecnológico: MoPop, Miicrosoft e os Gates.

.

 

dcpv – day twelve – usa – seattle – boeing e starbucks roastery reserve: o dia das grandes descobertas.