Posts Tagged 'veneza'

dcpv – de veneza à toscana, não há nada igual.

número 420
09/06/2015

De Veneza à Toscana, não há nada igual.

Eu sempre quiz fazer uma viagem que incluísse, no mesmo roteiro, tanto a Toscana, quanto Veneza.

dsc00246

Nós quase fizemos isso quando fomos pra cidade aquática e logo após, para Florença.

dsc00320

Tecnicamente Florença fica na Toscana, mas apesar de belíssima, ela é uma cidade grande e não nos remete ao bucolismo daquela região.

dsc00277

Aproveitei este insight e bolei um menu com uma mistura de receitas destes lugares.

dsc00280

E, vocês verão, ficou muito típico e bacana.

Entrada – Linguiça Ensopada com Feijão Branco

Esta Salsicce all Ucclelletto vem diretamente da Toscana.

dsc00245

Taí uma receita pra comer até com um lanchinho a noite.

dsc00290

Fure 8 linguiças de porco (eu preferi cortá-las) e refogue-as no azeite com dois dentes de alho socados e algumas folhas de sálvia.

dsc00261

Assim que as linguiças estiverem douradas, junte 500 g de tomate maduro picado, tempere com sal e pimenta a gosto e cozinhe por mais 10 minutos.

dsc00262

Adicione 300g de feijão branco cozido (pode ser em lata), espere aquecer bem e sirva.

dsc00258

Ficou realmente simples e delicioso.

dsc00288

Ainda tivemos um upgrade ao optar pelo vinho tinto francês Villa Chavin Merlot Reserve que foi “facioli, cassoulento, bolaños, fazzulo

dsc00298

Principal – Massa fresca com molho de anchovas.

Bigoli in salsa d’acciughe. Esta seria a receita escolhida do Vêneto.

dsc00308

A Dé fez o macarrão mais uma vez.

dsc00281

E eu optei pelo cabelo de anjo em vez do bigoli.

dsc00299

O molho é muito simples (e supersaboroso). Aqueça um fio de azeite e refogue 3 cebolas grandes cortadas em fatias finas até ficarem transparentes.

dsc00266

Aumente o fogo, acrescente 150g de anchovas com o azeite da sua conserva e mexa até o pescado se desfazer.

dsc00269

Abaixe o fogo novamente, confira se o molho está homogêneo, tempere com pimenta e retire do fogo.

dsc00271

Cozinhe a massa em água abundante até ficar al dente, escorra e coloque-a na panela do molho.

dsc00301

Aqueça por mais 2 minutos, sacudindo a panela para que o molho se espalhe pelo macarrão, salpique salsinha picada e sirva.

dsc00305

Olha, é mais uma daquelas receitas pra se guardar no fundo do coração.

dsc00309

Resultou ainda melhor com a experiência que fizemos ao tomar um champagne Moet Chandon Frizz que por ser demisec foi “leviana, gelosa, icecube, felomenal” (este champagne é aquele que foi feito pra ser tomado com pedras de gelo).

dsc00313

Sobremesa – Pudim de arroz ao leite

Eu vivo arrumando trabalho pra Dé. Afinal de contas, este Budino di riso al latte da região do Vêneto é até que um pouco complicado de se fazer (especialmente em se tratando de uma receita italiana).

dsc00238

Inicie hidratando 100g de uvas-passas em água morna, deixando escorrer e secar.

dsc00239

Em fogo baixo, aqueça 1 litro de leite e acrescente 1 fava de baunilha. Antes do leite ferver, adicione 150 g de arroz para risoto e sem parar de mexer, cozinhe por 15 minutos.

dsc00241

Acrescente uma pitada de sal e 70g de açucar e deixe cozinhar por mais 10 minutos. Incorpore as passas, 100g de amêndoas em lâminas e raspas de um limão siciliano.

dsc00242

Mantenha em repouso por 5  minutos e distribua em forminhas untadas com manteiga.

dsc00248

Leve ao forno praquecido a 200°C por 3 minutos, desenforme e sirva quente ou frio. O resultado ficou muito bom e o doce lembra bastante um panetone feito de arroz.

dsc00315

Eis a opinião dos mais do que italianinhos:
Que comida! Cche comida! (Edu)
Beatifull moment!!! Espetáculo. (Mingão)
Cosa che qui! Espetáquila! (Deo)

dsc00294dsc00311

“Destino quase obrigatório dos turistas que desembarcam na Itália, o Vêneto exibe uma culinária tão sedutora quanto os canais e as famosas gôndolas da sua capital, Veneza”.

dsc00307

“Não são apenas as paisagens românticas difundidas no cinema que atraem turistas para a Toscana. A região também embriaga os sentidos pelos aromas e sabores de sua cozinha”.

dsc00291

Me diz se eu fiz certo ou não de juntar estas duas belezuras?

dsc00273

Arrivederci.

.

 

dcpv – vem vêneto.

número 383
22/04/14

Vem Vêneto.

“Na capital, o legado do passado mercante dos venezianos se revela no perfume e no sabor dos temperos e também no método de preparo dos pratos”.

E lá vamos nós apelar mais uma vez pra  Coleção Folha Cozinhas da Itália. Desta vez a região escolhida foi a do Vêneto, que fica no nordeste da Bota.

DSC01991

Não bastasse a existência da culinária veneziana, ainda vemos um apreço enorme por legumes e pelo arroz.

DSC02004

Portanto, falar da cozinha do Vêneto e não fazer um risotto é quase que uma verdadeira heresia.

DSC01984

Vamos lá, então, curtir o carnaval de sabores.

Entrada – Risi e bisi.

Este é o famoso arroz com ervilhas. E bacon. Portanto, é uma receita que não tem como dar errado.

DSC02005

Inicie fritando o bacon na própria gordura. Acrescente cebola picada, salsinha e mexa até ficar macia.

DSC01994

Junte a ervilha e o arroz arbóreo e refogue por alguns minutos.

DSC01995

Regue com vinho branco e espere evaporar um pouco, antes de acrescentar o caldo de legumes. Vá juntando caldo aos poucos até que o arroz fique al dente.

DSC01997

Finalize com manteiga e parmesão ralado e sirva imediatamente. Ficou bom (ficaria melhor se eu tivesse encontrado ervilhas frescas ou mesmo congeladas, em vez de em lata).

DSC02006

Acompanhamos com um bom tinto, o Caballo Loco Number Six que foi “semedo, estrebaria doida, crazy horse, joinha“.

DSC02001

Principal – Baccalà alla vicentina.

“Trazido da Noruéga pelos navegadores, o bacalhau seco conquistou o paladar dos moradores da região e inspirou a criação de pratos, sobretudo em províncias do interior como Vicenza, onde o acesso a peixes frescos era difícil”.

Aqui em FV também é assim! rs Então o negócio foi fazer este bacalhau, mesmo considerando que a sexta–feira Santa foi na semana passada!

DSC01981

Pra fazer, dessalgue o bacalhau e corte as postas em pedaços de 5 cm de largura. Empane as postas levemente na farinha. Aqueça um pouco de azeite e refogue cebola e salsinha cortadas e dois dentes de alho.

DSC01996

Disponha as postas sobre o refogado. Junte um pouco mais de azeite e deixe dourar um pouco.

DSC01998

Cubra com leite e cozinhe em fogo baixo por cerca de 20 minutos, até que o bacalhau fique bem tenro.

DSC02009

Descarte os dentes de alho e acrescente alcaparras. Sirva e se delicie.

DSC02013

Ainda mais tomando um rosé básico, o Regaleali Sicilia Tasca D’Almeida que foi “tosco, osê, pré-sal, limapersesco”.

DSC02014

Sobremesa – Rosada veneta.

Esta é mais uma daquelas receitas que tem vários nomes (Crema Catalana, Creme Brulée, etc), e é uma variação do mesmo tema.

DSC02019

Bata 2 ovos, 2 gemas, gotas de essência de baunilha e 60g de açúcar na batedeira até formar uma mistura volumosa e aerada.

DSC01975

Com a batedeira na velocidade mínima (para manter o volume) acrescente delicadamente 400ml de leite e raspas de 1 limão siciliano.

DSC01977

Despeje o creme em refratários e cozinhe em banho-maria, em forno pré-aquecido a 220°C, até ficar bem firme.

DSC01979

Quando for servir, polvilhe açúcar e finalize com um maçarico de cozinha para obter uma casquinha crocante.

DSC01988

Ficou uma delícia.

DSC02021

Eis a opinião dos navegadores:

DSC02018

Comida boa. Salgada, mas boa. (Edu)
Delícias salgadas. (Mingão)
Sapore di sale, mas gostoso pra car…amba! (Deo)

“Destino quase obrigatório dos turistas que desembarcam na Itália, o Vêneto exibe uma culinária tão sedutora quanto os canais e as famosas gôndolas da capital.

DSC02007

É a terra do carpaccio, do bacalhau à vicentina e, garantem os vênetos, do tiramisu”.

DSC02011

Ah, Veneza!!!

.

 

dcpv – dia viii – itália – veneza/florença – uma luz no fim do túnel, ops, sobre viagem de trem.

27/11/2012

Dia VIII –  Veneza / FlorençaUma luz no fim do túnel, ops, sobre viagem de trem.

Dia de muitas primeiras vezes.

DSC08529

A primeira na magnífica Florença.

DSC08639

A primeira viagem de trem entre grandes cidades italianas(Veneza/Florença), seguindo as indicações do nosso guru Ricardo Freire, que é um entusiasta deste meio de transporte.

DSC08605

Fizemos tudo direito e dentro dos horários.

DSC08532

As 11:30 hs em ponto estávamos na nossa limosine aquática, passeando pelo trajeto maravilhoso que existe entre o Hotel Palazzo Barbarigo e a estação de trem Santa Lúcia.

DSC08545

Este vale mais um fotoblog:

DSC08537

DSC08541

DSC08543

DSC08546

DSC08549

DSC08555

DSC08557

DSC08558

DSC08560

DSC08567

É claro que por ser a nossa primeira viagem sobre trilhos, surgiram alguns frissons que tentarei esclarecer:

DSC08570

1 – Chegue lá e fique atento a plataforma que o teu trem sairá. No nosso caso, ela foi informada quando faltavam somente 15 minutos pro embarque.

DSC08571

2 – A passagem que chega na sua casa é a própria. Você só precisa validá-la numa máquina, passando o código de barra.

DSC08604

3 – Não se importe com malas grandes. Você dá um jeito e as coloca ou na entrada do vagão, ou em divisórias no interior do próprio.

DSC08569

4 – Se puder, vá de primeira classe (a pequena diferença de preço, compensa). É mais confortável e você ainda tem direito a espumante e um lanchinho.

DSC08591

5 – Aí é só curtir e aproveitar a viagem.

DSC08575DSC08573

Chegamos em Florença e estava caindo um verdadeiro pé d’água.

DSC08612

Pegamos um taxi e chegamos rapidamente ao Hotel Continentale, que é de propriedade do grupo Salvatore Ferragamo.

DSC08618

Dá pra ter uma idéia do naipe da coisa, né?

DSC08645DSC08644

Ficamos num quartaço (grato, Tablet) …

DSC08606

… de frente pra Ponte Vecchio.

DSC08642

E chovia e chovia .

DSC08614

Mas a vista do Rio Arno e do anoitecer precoce era arrebatadora.

DSC08634

Aproveitamos pra dar uma volta pela região e começamos a busca do melhor gelato florentino pela Venchi, uma loja que vende chocolates desde 1878 (nota 9.67 no guia MicheLuz).

DSC08655

Voltamos rapidamente porque a chuva apertou de novo.

DSC08650

E por causa dela, optamos por tomar duas taças de vinho tinto no bar do hotel, …

DSC08628

… que por sinal, é uma beleza.

DSC08619

Como a chuva continuava, optei por trocar a reserva do restaurante pro jantar.

DSC08649

Em vez de ir na Trattoria 13 Gobbi, fomos ao Borgo San Jacopo, o restô oficial dos Ferragamo e que fica do outro lado do rio (certo, Jorge Drexler?).

DSC08704

E esta escolha se mostrou acertada. A nossa mesa com vista pro Rio Arno era muita boa.

DSC08634

Recebemos uma espuma de queijo

DSC08662

…  e pães mais do que especiais, como petiscos.

DSC08664

Como entradas, um prato com legumes caramelizados pra Dé …

DSC08673

… e pra mim, um flan de porcino, catafarra de pecorino e coscia de quaglia com fioci.

DSC08674

Acompanhamos com duas flutes de champanhe francesa.

DSC08666

Como principais, a Dé escolheu um Risotto com broccoletti, cuore de búfala

DSC08686

… e eu, Filetto de Cinta Senese, purê e rappa rossa e cipolle de Certaldo.

DSC08687

Tudo na medida e absolutamente perfeito.

DSC08683

Ainda pedimos uns sorvetes de sobremesa (8,5 no MicheLuz).

DSC08691

Pagamos a conta …

DSC08695

…e atravessamos a Ponte pra descansar um pouco.

DSC08706

Afinal de contas, amanhã teremos um passeio de SegWay por Florença (ou seria JetSky? rs).

DSC08635

Arrivederci.

Acompanhe os dias anteriores desta viagem:
Dia I – Verona – Itália – A terra da goiabada com queijo, ops, de Romeu e Julieta.
Dia II – Verona – Itália – Seguindo os passos dos amantes.
Dia III – Verona – Itália – Conhecendo o lago Garda.
Dia IV – Veneza – Itália – Quem vê o Canal Grande pela primeira vez e em grande estilo, jamais esquece.
Dia V – Veneza – Itália – O dia (e a noite) do misterioso fog.
Dia VI – Veneza – Itália – Tremenda dobradinha: Palácio dos Doges (e seu Itinerário Secreto) e passeio de gôndola.
Dia VII – Veneza – Itália – Aqui não tem nenhuma sonífera ilha (Murano, Burano e Torcello)

.

dcpv – dia VII – veneza – itália – aqui não tem nenhuma sonífera ilha (murano, burano e torcello)

26/11/2012

Dia VII – Veneza – Itália Aqui não tem nenhuma sonífera ilha (Murano, Burano e Torcello)

Mais um dia broncolhão em Veneza.

DSC08364

Sem chuva, mas broncolhão.

DSC08368

Acordamos até que tarde e tomamos o ótimo café da manhã do Hotel Palazzo Barbarigo.

DSC08365

Fomos passear pela parte mais ao Norte de Veneza, mais exatamente no Sestiére de Dorsoduro, com vistas pra Giudecca.

SONY DSC

Passamos novamente pelo campo de Santa Margherita e cruzamos vários lugares bacanas.

SONY DSC

Canais, ..

SONY DSC

… obras de arte feitas pelo homem …

DSC08372

… e pela ajuda da natureza, …

DSC08371

… uma feira- livre dentro dum barco, …

DSC08374

… uma oficina curiosa …

SONY DSC

… que é também uma fábrica de gôndolas (seção você sabia que: uma delas pode custar 50000€. Isto é pra você não reclamar do preço do passeio) e…

DSC08380

… chegamos ao píer do Dorsoduro.

DSC08385

A neblina estava brava …

DSC08384

… e o frio também.

DSC08388

Optamos por cruzar o Canal Grande pela ponte dall’Academia.

DSC08387

Passamos em mais uma igreja, …

DSC08392

… nos perdemos mais um montão de vezes, …

DSC08389

… vimos mais uma torre de igreja completamente torta (se prepare pra observar um montão delas), …

DSC08396

…e resolvemos retornar ao hotel, …

DSC08397

… pra pegar as nossas coisas e zarparmos (literalmente ) pro passeio da tarde.

DSC08399

Iríamos conhecer um trio de ilhas.

DSC08400

Antes disso fizemos um rápido almoço, tentando comer uns paninis muito bons. O único problema foi que ao iniciar o processo de degustação do meu, me senti como num filme do Hitchcock.

DSC08402

Pássaros me atacaram e simplesmente roubaram o meu sanduba!! 🙂
O jeito foi nos apresentarmos pro passeio e dividir o da Dé.

DSC08404

Com um tempo bem ruinzinho, entramos no nosso barco (éramos em 25 pessoas) e partimos pra conhecer Murano, a famosa ilha onde se fabricam os melhores apetrechos de vidro do mundo.

DSC08406

Estaria tudo certo caso a nossa guia não estivesse mancomunada com uma destas fábricas pega-turistas.

DSC08409

Ou seja, em vez de conhecermos a ilha, visitamos uma fábrica onde vimos um verdadeiro “mestre” fazer um vaso e um cavalinho,…

SONY DSC

… coisa que veríamos facilmente, caso fôssemos passear numa fábrica de vidro lá na grande FV.

DSC08411

O restante do tempo foi gasto com um “mala” que queria porque queria nos vender alguma coisa muita cara (e de mau gosto) por um preço exorbitante (recordamos de um caso parecido quando estávamos na Jordânia com um cadeirante que queria nos vender uma pesada mesa (??) de mosaico).

DSC08413

Pra não falar que não compramos nada, levamos uns briquedinhos pro Manolo, o nosso peixe.

DSC08422

Com esta pseudo visita a Murano, partimos pra conhecer Burano, a simpática ilha das rendas …

DSC08430

… e das casinhas coloridas.

DSC08435

Foi mais uma decepção, pois vimos tudo do barco!

DSC08446

Finalmente, íamos pra Torcello, a menor e hoje, menos conhecida das três (tem apenas 70 habitantes).

DSC08451

Ficamos lá por meia hora, o suficiente pra ver o quase nada que tínhamos disponível.

DSC08453

Andamos muito pra conhecer uma igreja, a Catedral Santa Maria Assunta, bastante velha ( do século 7) e foi só.

DSC08461

Voltamos pro barco …

DSC08466

…e quando pensamos que o passeio tinha sido uma “literal” barca furada, eis que a nossa guia anuncia que agora, sim, pararíamos em Burano pra ficarmos quase uma hora.

DSC08468

Olha, até o tempo colaborou e aproveitamos bastante.

DSC08472

Tudo bem que a guia estava louca pra nos deixar numa loja de rendas, mas desertamos e fomos tomar uns “bellos” capuccinos  acompanhados de panini e canoli.

DSC08481

Ainda conseguimos passear …

DSC08484

… e ver o lindo efeito que as casinhas coloridas causam na mente de turistas.

DSC08486

Foi um final feliz dum tour bastante conturbado.

DSC08488

Retornamos pra Veneza e completamos 20000 passos caminhados (quase um recorde) só neste dia.

DSC08492

Isso sem contar que jantaríamos no Harry’s Bar que fica a exatos 4000 passos (ida e volta) do nosso hotel.

DSC08500

Andamos os primeiros 2000 e chegamos na região da Piazza San Marco com bastante fome (obrigado, pássaros!).

DSC08494

Acontece que quem disse que encontrávamos o lugar?
Resultado? (e após o cruzamento de n vezes pela Piazza ?)

DSC08523

Mais 2400 passos até sentarmos na nossa mesa especial (reserve; este é o meu conselho).
E finalmente, comemos.

DSC08518

Chegamos e o chefe nos enviou um bolinho de carne muito bom. Chamamos 2 Bellinis (afinal de contas, foi aqui que este coquetel de suco de pêssego e Prosecco foi inventado, logo após o Harry ter descoberto que a cor do drinque era a mesma de um dos quadros que estava na parede do bar do famoso pintor Giovanni Bellini) …

DSC08501

… e pedimos as entradas. Pra Dé, excelentes alcachofras.

DSC08506

Pra mim,  mais uma invenção do local, il vero Carpaccio. Espetacular.

DSC08505

Pra acompanhar, um Pinot Grigio San Angelo Banfi 2011 e lá vieram os principais.

DSC08508

A Dé surpreendeu (??) e escolheu um  papardelle a carbonara.

DSC08513

Eu fui num risotto de lulas com sua sépia.

DSC08514

Ambos bons e muito saborosos.

DSC08510

Com a fome saciada, enfim, optamos por passar as sobremesas e terminamos esta lauta refeição com mais 2 expressos “daqueles”.

DSC08520

Só nos restou caminhar mais 2000 passos até o hotel e dormir o sono dos justos.

DSC08525

Arrivederci, que amanhã estaremos em Florença.

DSC09242

Acompanhe os dias anteriores desta viagem:
Dia I – Verona – Itália – A terra da goiabada com queijo, ops, de Romeu e Julieta.
Dia II – Verona – Itália – Seguindo os passos dos amantes.
Dia III – Verona – Itália – Conhecendo o lago Garda.
Dia IV – Veneza – Itália – Quem vê o Canal Grande pela primeira vez e em grande estilo, jamais esquece.
Dia V – Veneza – Itália – O dia (e a noite) do misterioso fog.
Dia VI – Veneza – Itália – Tremenda dobradinha: Palácio dos Doges (e seu Itinerário Secreto) e passeio de gôndola.

.

dcpv – dia VI – veneza – itália – tremenda dobradinha: palácio dos doges (e seu itinerário secreto) e passeio de gôndola.

25/11/2012

Dia VI VenezaItáliaTremenda dobradinha: palácio dos Doges (e seu itinerário secreto) e passeio de gôndola.

Mais uma vez o fog esteve presente na nossa manhã.

DSC08158

Acordamos com ele (estava pesado) …

DSC08162

… e fomos tomar café com ele.

DSC08155

Sabe que esta névoa toda dá muito mais mistério a Veneza?

DSC08156

Saímos bem cedo, porque tínhamos um passeio pelo Palácio dos Doges (mais conhecido como Palazzo Ducale), denominado Itinerários Secretos.

DSC08159

Este é um tour que é oferecido no site oficial dos museus de Veneza e com o acréscimo de alguns €, você tem direito, além da visita normal, a conhecer alas secretas do Palácio, guiado por uma pessoa especializada.

DSC08166

Iniciamos o passeio com ele.

DSC08177

A guia italiana nos levou a uma ala totalmente fechada ao público onde vimos a escada de ouro, …

DSC08191

… a boca da verdade, onde cidadãos colocavam denúncias que seriam investigadas pelo conselho, …

DSC08184

… as divisões burocráticas, …

DSC08194

… as celas (onde Casanova ficou preso e conseguiu fugir), …

DSC08209

… a sala de tortura, …

DSC08195

… a sala das armas, …

DSC08202

… enfim, tudo aquilo que não tem muito glamour, mas historicamente é bastante interessante.

DSC08204

Terminada esta parte, a guia te deixa livre pra fazer a visita propriamente dita.

DSC08207

E aí, sem poder tirar fotos, você verifica a suntuosidade em que os doges (um tipo de rainha da Inglaterra) viviam, …

DSC08206

… além de passar pelas celas dos nobres …

DSC08198

… e pela parte interna da famosa Ponte dos Suspiros (não se assuste, ela tem essa visão porque é fechada e só se pode vê-la externamente).

DSC08212

Terminamos o tour e fomos conhecer a Basilica di San Marco.

DSC08165

As fotos também são proibidas, mas o museu que fica na parte superior é imperdível.

DSC08169

Além de você conhecer todo o projeto e os mosaicos, ainda tem belas vistas da Piazza San Marco.

DSC08222

E lá fora, consegue ver finalmente como é a famosa (e fechada) Ponte dei Sospiri.

DSC08238

Como estávamos bem perto, aproveitamos pra almoçar na Trattoria L’Acciughetta.

DSC08262

É um lugar bem simples, mas com uma comida primorosa.

DSC08245

Pedimos uns mariscos ao molho como entradas

DSC08251

… e um vinho Branco Sauvignon do Friulli pra acompanhar.

DSC08248

Como principais, a Dé pediu uma Lasagna a Bolonhesa

DSC08259

… e eu, um Fetuccini aos Frutos do Mar.

DSC08257

Dois pratos saborosos e excelentes.

DSC08255DSC08256

Voltamos rapidamente ao hotel, porque tínhamos agendado um rolê de gôndola as 15:00 hs (um pouco antes de escurecer).

DSC08266

E neste horário, Nicolò, o nosso gondoleiro estava a postos na frente do hotel.

DSC08268

Consegui vê-lo pela janela do nosso quarto.

DSC08267

O restante foram 35 minutos de puro prazer e no dia do nosso 29º aniversário.

DSC08269

Passar e passear pelo Canal Grande vendo grandes palácios e monumentos …

DSC08276

… e se deleitando pelos pequenos canais internos; ..

DSC08279

… tudo foi extremamente encantador.

DSC08292

O tempo passou muito rapidamente e nem o frio atrapalhou.

DSC08304

Voltamos ao cais do hotel …

DSC08317

… e aproveitamos pra conhecer o Campo Santa Margherita, …

DSC08326

… um local muito bacana com vários bares/restaurantes e onde tomamos 2 proseccos pra comemorar o nosso níver.

DSC08332

Faltava o jantar.

DSC08335

E escolhi o restaurante quase que por exclusâo, já que a maioria deles estava fechada por ser domingo a noite.

DSC08361

Cismei com o Bistrot de Venise.

DSC08336

Ele fica próximo da Piazza San Marco, o que significa uma boa caminhada desde o nosso hotel (que fica em San Polo).

DSC07907

A idéia principal dos donos é fazer uma cozinha tipicamente veneziana e o lugar é muito bonito, além de se notabilizar por tocar música clássica.

DSC08359

Pra variar e mais uma vez, comemos muito bem.

DSC08337

Com a reserva feita (recomendo fazê-las sempre), tivemos a melhor mesa do local a disposição. Tínhamos uma visão privilegiada de todo o salão.

DSC08339

Pedimos como entrada, um cicchetti de frutos da mar, que vem a ser uma incrível mistura de várias entradas com os mais frescos linguados, vieiras, camarões que você possa imaginar.

DSC08348

Antes disso o chefe nos enviou um agradinho composto de camarão, molho de tomate e abobrinha.

DSC08341

Tomamos um ótimo vino bianco, o Pinot Vorberg Friuli 2011.

DSC08345

Como principais, a Dé foi fundo no princípio do estabelecimento, pedindo uma sopa de castanhas com pequenos ravioli recheados com abóbora e trufas negras, …

DSC08353

… enquanto eu, escolhi um prosaico, mas saboroso linguini de sarraceno com frutos do mar.

DSC08352

Todos os pratos estavam absolutamente perfeitos. Não arriscamos sobremesas, mas mesmo assim ganhamos uns docinhos pra acompanhar os nossos magníficos (e como todos são por aqui) expressos.

DSC08356

Pedimos a conta e fomos embora pensando nos momentos felizes que ainda virão.

DSC08347

Sabe que passear em Veneza, seja de gôndola, seja a pé, é sempre uma experiência inesquecível?

DSC08288

Arrivederci.

Acompanhe os dias anteriores desta viagem:
Dia I – Verona – Itália – A terra da goiabada com queijo, ops, de Romeu e Julieta.
Dia II – Verona – Itália – Seguindo os passos dos amantes.
Dia III – Verona – Itália – Conhecendo o lago Garda.
Dia IV – Veneza – Itália – Quem vê o Canal Grande pela primeira vez e em grande estilo, jamais esquece.
Dia V – Veneza – Itália – O dia (e a noite) do misterioso fog.

.

dcpv – dia V – Veneza – Itália – O dia (e a noite) do misterioso fog.

24/11/2012

Dia V VenezaItáliaO dia (e a noite) do misterioso fog.

Acordamos e a primeira olhada na janela indicava alguma coisa estranha.

DSC07988

Estava tudo muito enfumaçado.

DSC07978

Fomos tomar café (ótimo, por sinal)…

DSC07984DSC07986DSC07985

… e vimos que tudo continuava muito enfumaçado.

DSC07991

Pra nós, névoa sempre foi sinal de sol.

DSC07992

Então, saímos pra passear e ficamos a espera do astro-rei.

DSC07997

Aproveitamos pra fazer o tour número 10 do guia Veneza a pé – Insight Guides.

DSC08031

Que justamente contempla o Mercado de Rialto.

SONY DSC

É claro que os legumes …

DSC08000DSC08005

…  e as frutas são maravilhosos, …

DSC07999

… mas quando chegamos a Pescherie, a coisa descambou de vez pro queixo caído.

DSC08008

O que é aquilo tudo?

DSC08018

Estes momentos valem um extasiante fotoblog:

DSC08003

DSC08004

DSC08006

DSC08009

DSC08010

DSC08014

DSC08017

DSC08020

DSC08021

DSC08022

E bem que o sol ameaçou sair, mas foi somente um lampejo.

DSC08027

Enquanto isso, nos perdemos (literalmente) por San Polo.

SONY DSC

É claro que com a névoa intensa, tudo ficava mais bonito e mais misterioso.

DSC08042

A todo momento nos sentíamos como se estivéssemos num filme.

SONY DSC

Acabamos chegando a Ponte de le Tette (que fica ao lado do restaurante que jantamos ontem).

DSC08032

Ela tem esse nome, porque justamente neste lugar ficavam as prostitutas com, adivinhem, os seios nus.

DSC08030

Nos perdemos muitas mais vezes.

DSC08033

Quando te aconselham a se perder por aqui, tenha certeza que isso vai acontecer quer você queira ou não.

SONY DSC

Retornamos ao Canal Grande …

DSC08037

…  e fomos almoçar.

DSC08040

Mais precisamente ao lado do Mercado de Rialto, na Vini da Pinto.

DSC08065

É um lugar extremamente simples (os peixeiros comem lá), mas que tem uma comida soberba.

DSC08047

Pedimos 500 ml de vinho branco da casa (bem médio), …

DSC08054

…  alcachofras (a Dé continua fascinada por elas), …

DSC08059

… e uma caprese pra Dé.

DSC08056

Eu improvisei uma moulles et frites, com mariscos fresquíssimos (também, com esta vizinhança!) …

DSC08060

… e tenras batatas fritas.

DSC08062

Saciados, voltamos ao hotel pra dar uma breve descansada (em Veneza, fazendo uma siesta como os venezianos) e …

DSC08067

… retomamos à lida indo conhecer a região do Dorsoduro.

DSC08069

Aproveitamos o clima propício e tomamos uns sorvetinhos (é bom tomar sorvete no frio, né?).

DSC08072

A primeira parada foi na Scuola Grande de San Rocco, um lugar onde Ticiano mostrou do que é capaz.
Optamos por ir a pé até a extremidade do Sestiére.

DSC08074

Como escureceu muito cedo e a neblina permanecia, …

DSC08077

… tudo ficou mais belo ainda.

DSC08080

Passamos por várias pontes, …

DSC08083

… nos perdemos mais um milhão de vezes, …

DSC08085

… passamos na coleção Peggy Guggenheim, …

DSC08088

… chegamos ao extremo do Dorsoduro, na igreja Santa Maria della Salute, feita pra comemorar o fim da peste em 1630.

DSC08100

Voltamos tudo e claro, nos perdendo mais algumas vezes (ainda mais no escuro e com névoa!).

DSC08107

E foi muito bom, por que deste jeito, conseguimos conhecer mais intimamente esta cidade que é extremamente fotogênica.

DSC08092

Chegamos ao hotel a tempo de tomar uns Spritz, o drinque representante desta região italiana que é feito com Aperol (um tipo de Campari alaranjado), Prosecco e soda. É uma delícia.

DSC08112

A neblina continuava e a beleza do conjunto todo também.

DSC08116

Fomos jantar na Osteria da Fiore.

DSC08120

Por sorte, aos nos perdermos ontem pra encontrar a Antiche Carampane, passamos pela da Fiore. Portanto, a encontramos facilmente.

DSC08125

Mas como tivemos um probleminha no cofre do hotel, chegamos atrasados.

DSC08114

Nada demais, já que o lugar é a beira do mar (que novidade, em se tratando de Veneza! 🙂 ).
Fomos pedindo logo de cara, pra impressionar.

DSC08148

Como entrada e para compartir, uma bruschetta de lagostim com tomate assado e alecrim frito. Uma delícia.

DSC08134

A Dé pediu massa (pra variar): um Penne lisce com Capesante e brócolis, mais conhecido como “com vieiras e brócolis”.

DSC08136

Eu fui de Tonno in crosta crocante de mais e zafferano al profumo di vaniglia e patate novela, …

DSC08135

… também chamado de atum com crosta de milho e açafrão ao perfume de baunilha e batatas assadas, numa singela homenagem aos sócios. Sem trocadilho, o prato estava “demais”.

DSC08137

Tomamos um vino bianco Friuliano Colle Duga 2011 que casou perfeitamente com tudo (grazie, sommelier).

DSC08127

Olha, o Da Fiore merece todas as estrelas do Michelin que ele tem.

DSC08121

Ainda tomamos um expresso, com o acompanhamento das respectivas mignardises.

DSC08143DSC08144

Prontîssimo!

DSC08097

Voltamos ao hotel e só tivemos tempo de observar a lua e … a neblina.

DSC08090

Uma “meraviglia”.

DSC08153

Arrivederci.

Acompanhe os dias anteriores desta viagem:
Dia I – Verona – Itália – A terra da goiabada com queijo, ops, de Romeu e Julieta.
Dia II – Verona – Itália – Seguindo os passos dos amantes.
Dia III – Verona – Itália – Conhecendo o lago Garda.
Dia IV – Veneza – Itália – Quem vê o Canal Grande pela primeira vez e em grande estilo, jamais esquece.

.

dcpv – dia IV – veneza – itália – quem vê o canal grande pela primeira vez e em grande estilo, jamais esquece.

23/11/2012

Dia IV – Veneza – Itália – Quem vê o Canal Grande pela primeira vez  e em grande estilo, jamais esquece.

E o sol voltou.

DSC07806

É claro que estava frio, mas o sol ajuda bastante.

DSC07811

Tomamos o ótimo café da manhã do hotel, arrumamos tudo e zarpamos.

DSC07803

A idéia seria passar em Vicenza e Padova, dois excelentes bate-voltas pra quem está em Verona (ou Veneza ou Florença e ou até mesmo Milão).

DSC07830

Colocamos a função “se perca” no Giuseppe, o nosso GPS italiano e fomos.

DSC07824

Atravessamos um montão de cidadezinhas pequenas,  …

DSC07816

… com vistas bacanas…

DSC07815

… e paisagens deslumbrantes, até chegarmos em Vicenza.

DSC07827

Que é uma cidade bem grande e com uma arquitetura muito bem estruturada e criada pelo Andrea Palladio, o Frank Gehry daquela época.

DSC07828

Demos só uma passadinha, já que estacionar por lá se mostrou ser uma grande dificuldade.

DSC07826

Seguimos em direção de Pádua, outra cidade grande e bastante universitária.

DSC07842

Pra variar, vimos mais cidades pequenas e muito bonitinhas no meio do caminho.

DSC07837

Especialmente as que margeiam o rio, que neste horário próximo do por-do-sol, …

DSC07840

… tinham as imagens das suas casas refletidas na água.

DSC07839

Por falar em água, tínhamos horário marcado pra chegar em Veneza, a Recife italiana (esta piada é velha, mas é boa, né Márcia?).

DSC07849

Entregamos o carro na Europcar e as 15:00 hs, a Domênica estava nos esperando pra nos levar pra nossa limosine.

DSC07853

Sim, uma tremenda limosine aquática com direito a champanhe, …

DSC07852

… Bellini’s …

DSC07854

… e o melhor de tudo, te deixar no cais do hotel sem qualquer intermediário (e aqui em Veneza, estes podem ser os temidos degraus do zilhão de pontes que você cruzará pra chegar ao local de origem).

DSC07889

É claro que curtimos muito o Canal Grande.

DSC07873

Este momento de deslumbre vale o fotoblog:

DSC07857

DSC07859

DSC07860

DSC07861

DSC07864

DSC07866

DSC07868

DSC07878

DSC07881

E como estávamos em grande estilo, ficamos numa suite de frente pro Canal Grande,

DSC07885

… no hotel Palazzo Barbarigo.

DSC07888

Uma verdadeira beleza.

DSC07891

Após as apresentações resolvemos desopilar um pouco e caminhar até a Piazza San Marco.

DSC07896

O nosso hotel fica em San Polo.

DSC07892

Ou seja, rodamos muito e fomos apresentados a esta mística cidade.

DSC07897

Subimos, …

DSC07899

… descemos, …

DSC07902

… atavessamos pontes …

DSC07900

… e finalmente chegamos ao principal marco da cidade.

DSC07906

Quando vimos o Caffe Florian, …

DSC07910

… ouvindo música clássica ao vivo ao fundo, não resistimos:

DSC07916

… sentamos, …

DSC07909

… pedimos duas flutes de Viuvinha, …

DSC07915

… uns tramezzini de salmão defumado; …

DSC07914

… então prestamos atenção na arquitetura (como será que aqueles caras construiram isto tudo?) …

DSC07912

… e nos deixamos envolver pela aura do lugar. Que maravilha!

DSC07908

Voltamos, porque mais uma aventura nos esperaria: como encontrar o local do restaurante que jantaríamos? rs
Não sei se você sabe, mas aqui em Veneza, os lugares não tem um endereço dito comum.

DSC07918

O máximo que informam é o sestieri (um tipo de bairro) que ele fica e dá-lhe Google Maps.

DSC07920

Então, calcado nestas informações, saímos belos e fagueiros pra encontrar a Trattoria Antiche Carampane, um dica do grande Luiz Américo Camargo.

DSC07935

E demoramos mais ou menos meia hora pra percorrer um caminho que normalmente deveríamos fazer em 5 minutos. rs

DSC07964

Mas valeu cada um deles.

DSC07969

O lugar é realmente imperdível.

DSC07956

Pequeno, intimista e com uma comida inesquecível.

DSC07937

Sentamos numa mesa bastante apertada (o restaurante estava lotado), mas o que viria a seguir nos deixaria, literalmente, de bocas abertas.

DSC07946

Pedimos, pra começar, um antepasto misto clássico alla Veneziana, di solito con cicale di mare, gamberetti com Polenta  mórbida, baccalá mantecatto, etc, etc.

DSC07947

Dá pra imaginar este etc, etc? 🙂

DSC07945

Antes disso, nos serviram num cone de papel, uns excepcionais minúsculos camarõezinhos fritos. São viciantes.

DSC07933

Pra acompanhar, um Tokai Friuliano Vignai da Duline 2011 que não ficou atrás da magnífica entrada.

DSC07943

Como principais, escolhemos pastas. A Dé foi de Tagliolini con i Zotoi (piccoli Moscardini). Curiosidade; estes são pequenos e delicados bivalves, semelhantes a lulinhas.

DSC07950

Eu, Spaghetti in Cassopipa (ai frutti di mare speziati).

DSC07952

Ambos al dente e com um molho e ingredientes muito mais do que marcantes.

DSC07955

Foi uma refeição tão ótima, que optamos por não pedir nenhuma sobremesa, curtir os nossos “cortos” expressos e voltar pro hotel no faro!

DSC07958

Ah! A entrada oficial por terra do hotel é de cinema.

DSC07959

São três corredores imensos e estreitos de mais ou menos uns 150 m cada um que te fazem ter a certeza de nunca ter visto nada parecido.

DSC07921DSC07923

Esta cidade é realmente muito louca.

DSC07973

Arrivederci.

Acompanhe os dias anteriores desta viagem:
Dia I – Verona – Itália – A terra da goiabada com queijo, ops, de Romeu e Julieta.
Dia II – Verona – Itália – Seguindo os passos dos amantes.
Dia III – Verona – Itália – Conhecendo o lago Garda.

.


É só inserir o seu email, clicar no botão "Seguir" e a cada novo post publicado aqui, você receberá uma mensagem com o link. É fácil, qualquer criança brinca, qualquer criança se diverte! :)

Junte-se a 640 outros seguidores

Comentários

Blog Stats

  • 1,336,886 hits
junho 2017
S T Q Q S S D
« maio    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Atualizações Twitter