Posts Tagged 'vinho'

dcpv – twenty-third and last day – usa – califórnia – santa bárbara, aquela do trovão e das praias bonitas.

20/05/2020 (aproveitado em 17/04/2019)

Twenty-third and last day – USA – CalifórniaSanta Bárbara, aquela do trovão e das praias bonitas.

Hoje seria dia de explorar as praias de Santa Bárbara, …

… bem como os seus pontos turísticos,…

… e também o último dia efetivo desta nossa maravilhosa road trip.

E, pra variar, começou maravilhosamente.

O sol estava radiante.

Fomos tomar um café da manhã razoável no restô do hotel …

… e rumamos pra conhecer um bairro que está bombando por aqui.

É a Funk Zone, um junção de várias vinícolas, …

… lojas e galerias de arte.

Achamos bacana, mas esperávamos mais.

Pegamos o carro e fomos pro Jardim Botânico.

Que é muito singular,..

… pois é bastante roots …

… e selvático.

De qualquer forma, nos divertimos muito …

… vendo ambientes desérticos, …

… com suas flores características, …

… (dizem que algumas só existem na Califórnia …

… e isto é a mais absoluta verdade).

Mais um pouquinho …

… e vimos muitas mais flores campestres.

Continuamos pela área da floresta vermelha, …

… onde árvores rubras maravilhosas …

… te mostram o quão pequeno você é.

Mesmo!

Continuamos passeando por trilhas legais …

… e voltamos ao ponto de partida.

Antes de irmos embora, …

… fomos num mirante, …

… que fica do outro lado da rua, …

… e o skyline da cidade se abriu pra nós.

Que espetáculo!

De lá, passamos no Public Market.

Que é mais um lugar de bons pontos de venda de boa comida do que qualquer outra coisa.

Mas é muito bom, tão bom que optamos por almoçar/beliscar por lá.

Pedimos uma pizza margherita, …

… uma taça de Chardonnay napiano pra Dé e uma lager santabarbarense pra mim.

Detalhe: assistimos a um tremendo jogo da Champions League …

… onde o City ganhou do Totenham, mas não levou a vaga (bons tempos).

Saímos de lá pra conhecer as praias de Santa Bárbara.

A primeira, foi Arroyo Burro Beach.

Muito bacana e com uma infra de respeito, …

… com até um bom restaurante.

De lá, paramos em Leadbetter Beach, …

… muito mais perto do centro.

É muito legal também.

Continuamos indo pra East Beach, …

… também perto do Centro, …

… mas com um jeitão das praias de Santos (com um upgrade, certo?).

A seguir, Butterfly Beach, …

… bem bonita …

… e quase uma praia exclusiva do bairro.

Finalmente, Summerland Beach, …

… muito bonitinha, …

… com infra pequena, …

… mas muito organizada.

Como estávamos perto, …

… passamos por Montecito.

E Montecito é tão pequeno, que quando percebemos, já tínhamos passado. Hahaha

A última parada do dia …

… e tecnicamente da viagem, …

… seria o Franceschi Park.

E subimos, subimos e subimos.

Pra certamente, ter uma das melhores visões da cidade.

Que lugar! Que maravilha!

Voltamos pro hotel com a missão de encarar mais um por do sol daqueles.

E foi o que aconteceu.

Senhores, foi simplesmente uma performance incrível do Astro Rei …

… e acredito que só pra nós dois.

Cores extraordinárias, …

… nuances sensacionais, …

… enfim, uma maravilha.

E quando voltávamos do píer, …

… ainda saboreamos …

… muitos mais tons diferentes e …

… um anoitecer surpreendente.

Enfim, foi inesquecível.

O jantar estava reservado …

… e seria no Bouchon, que ao contrário do que eu pensava, não tem nada a ver com o do Keller em Yountville.

A Dé pediu um Halibut …

… e eu, um stinco de porco, que mais parecia um brontossauro.

Não foi entusiasmante, mas depois daquele por do sol, até pedra cairia bem. 🙂

Acordamos cedo e …

… tomamos café mais uma vez no hotel.

Demos mais uma boa olhadinha …

… em tudo e …

… zarpamos pro aeroporto.

E olha!

Foi uma grande sacada ir direto de Santa Barbara …

… pro nosso voo de volta.

Afinal de contas, …

… nos despedimos desta maravilhosa viagem …

… curtindo mais um pouco da não menos …

… Hwy1, a big star.

Devolvemos o carro, …

… aproveitamos o aeroporto de LA e …

… já começamos a recordar o que …

… certamente foi a melhor road trip de nossas vidas!

Ainda bem que a fizemos e neste formato!

Até a próxima!

Veja como foram os outros dias desta road trip californiana:
First day – USA – Los Angeles – Garota eu vou pra Califórnia, ver o papai Lebron
Second day – USA – Califórnia – San Diego de la Vega. 
Third  day – USA – Califórnia – San – Diego – Passeando num porta aviões.
Fourth day – USA – Califórnia – San Diego – Cruzeiro e show em igreja?
Fifth day – USA – Califórnia – San Diego – Fomos ver os Padres, Marcelo.
Sixth day – USA – Califórnia – San Diego/LA – Spring bloom, estão chegando as flores!
Seventh day – USA – Califórnia- Los Angeles – Friends pra sempre, dando um pulo nos irmãos Warner.
Eighth day – USA — Califórnia – Los Ageles – Until the sun comes up over Santa Monica boulevard/Michael, the Bublé.
Ninth day – USA – Califórnia – Eu quero falar com o San Luiz Obispo.
Tenth day – USA – Califórnia – San Luiz Obispo – Querida encolhi literalmente Los Olivos.
Eleventh day – USA – Califórnia – San Luiz Obispo/Carmel – bby-the-sea, a terra do Clint Eastwood.
Twelfth day – USA – Califórnia – Carmel-by-the-Sea – Uma cidade que podemos realmente chamar de charmosa.
Thirteenth day – USA – Califórnia – Carmel/Napa, o vale do nariz grande.
Fourteenth – day – USA – Califórnia – Yountville – Super fantástico o balão mágico no Napa Valley.
Fifteenth day – USA – Califórnia – Yountville – O poderoso Coppolla.
Sixteenth day – USA – Califórnia – Yountville – Fazendo nada, bebendo tudo e contando Carneros.
Seventeenth day – USA – Califórnia – Yountville/SF – If your’e going to San Francisco.
Eighteenth day – USA – Califórnia- San Francisco – Conhecendo o Vale do Silício (Apple, Google, Stanford, Facebook).Do U like?
Ninenteenth day – USA – Califórnia – San Francisco – I left my heart in…
Twentieth day – USA – Califórnia – San Francisco – Disney e shopping, shopping e Disney.
Twenty fisrt day – USA – Califórnia – San Francisco/Paso Robles – Uma parada no paraíso e enfim o Velho  Oeste?
Twenty-second day – USA – Califórnia – Paso Robles/Santa Bárbara – Maluco, maluco, maluco beleza!

.

 

 

 

dcpv – twenty-fisrt day – usa- califórnia – san francisco/paso robles – uma parada no paraíso e enfim o velho oeste?

13/05/2020 (flutuado em 15/04/2019)

Twenty-first day – USA – Califórnia – San Francisco/Paso Robles – Uma parada no Paraíso e enfim o Velho Oeste?

Hoje seria dia de conhecer a penúltima cidade desta road trip.

E também seria dia de muito mais road do que trip.

E que road!

Voltaríamos à Hwy 1 …

… e desta vez, descendo no sentido de SF para LA.

Como o trecho seria muito longo, …

… não dava pra inventar muitas paradas, …

… além das já esperadas …

… quando se vê o mar dramático da região.

Acordamos no horário normal, tomamos mais um café da manhã …

… numa destas lojinhas próximas ao hotel e zarpamos.

Seriam quase 2:30 hs de carro até o lugar pra almoçar.

Paramos pouco, …

… mas seletiva e rapidamente …

… em muitos pontos …

… pra ver a estrela da viagem, a paisagem da Hwy 1.

Que maravilha!

É um verdadeiro espetáculo …

… curtir como tudo fica tão bonito …

… e ao mesmo tempo, emocionante.

Pra melhorar, a Dé colocou The Killers no Spotify.

Uau e matador!

Curtimos muito …

… e chegamos ao Post Ranch Inn.

Este hotel fica em Big Sur …

… e ele é a nata das hospedagens.

Temos uma relação íntima com ele, …

… pois nos hospedamos lá na nossa outra viagem pra Califórnia.

Desta vez, optamos por almoçar no seu restaurante.

E ele continua incrível.

Chegamos ao Sierra Madre, o restô, …

… e nos lembramos de tudo.

Antes de mais nada, o visual deste lugar é inimaginável.

Ele fica pendurado num penhasco …

… com a vista do mar láaaaa embaixo.

Fomos alojados numa mesa sensacional …

… e escolhemos os nossos pratos.

A Dé foi de salada, …

… truta …

… e chocolate.

Eu, de couve flor empanada, …

… salmão …

… e bolo de oatmeal com sorvete de baunilha.

Tomamos duas taças dum Chardonnay francês que quase foram a atração do almoço.

Estava tudo muito bom, …

… mas a paisagem roubou mesmo a cena.

Pedimos cafezinhos e …

… demos aquela penúltima olhada.

Por estarmos atrasados, …

… optamos por picar a mula …

… e dá-lhe Hwy1.

Mais uma vez curtimos tudo, …

,.. mas quando tocou Some kind of Love, …

… paramos tudo.

Foi a conjunção total entre o material …

… e o espiritual.

Ainda demos uma passada pra ver …

… e sentir o cheiro (horrível) das focas elefantes …

… e fomos pra El Paso de Robles.

Chegamos e ficamos surpresos.

Com a graça da cidade, …

… com a categoria do hotel Cheval

… que tem um quarto de ótimo tamanho, …

… com amenidades especiais …

… e um atendimento personalizado.

Demos uma saída pra reconhecer a cidade.

Ela é bem bacana.

Voltamos pra nos preparar pro jantar …

… que seria no italiano Il Cortile.

Ele é bem conceituado …

… e estava cheio.

A Dé foi de Caprese…

… e eu, de spaghetti ao frutos do mar. Uau que comida!

Ainda bebemos duas taças dum Chardonnay californiano e estávamos praticamente prontos pra dormir.

Só não contávamos com o ótimo atendimento do nosso hotel.

O rapaz do front desk nos recebeu e perguntou se conhecíamos Smores?

Dissemos que não e prontamente ele se ofereceu pra fazê-los pra nós.

Pra quem não sabe, Smores são formados por dois biscoitos Graham …

… recheados com chocolate e marshmelllow derretidos apresentando um resultado delicioso.

Assim terminou o nosso dia.

Como cantaria Brandon Flowers, …

… “you got some kind of love”!

That’s it!

Veja como foram os outros dias desta road trip californiana:
First day – USA – Los Angeles – Garota eu vou pra Califórnia, ver o papai Lebron
Second day – USA – Califórnia – San Diego de la Vega. 
Third  day – USA – Califórnia – San – Diego – Passeando num porta aviões.
Fourth day – USA – Califórnia – San Diego – Cruzeiro e show em igreja?
Fifth day – USA – Califórnia – San Diego – Fomos ver os Padres, Marcelo.
Sixth day – USA – Califórnia – San Diego/LA – Spring bloom, estão chegando as flores!
Seventh day – USA – Califórnia- Los Angeles – Friends pra sempre, dando um pulo nos irmãos Warner.
Eighth day – USA — Califórnia – Los Ageles – Until the sun comes up over Santa Monica boulevard/Michael, the Bublé.
Ninth day – USA – Califórnia – Eu quero falar com o San Luiz Obispo.
Tenth day – USA – Califórnia – San Luiz Obispo – Querida encolhi literalmente Los Olivos.
Eleventh day – USA – Califórnia – San Luiz Obispo/Carmel – bby-the-sea, a terra do Clint Eastwood.
Twelfth day – USA – Califórnia – Carmel-by-the-Sea – Uma cidade que podemos realmente chamar de charmosa.
Thirteenth day – USA – Califórnia – Carmel/Napa, o vale do nariz grande.
Fourteenth – day – USA – Califórnia – Yountville – Super fantástico o balão mágico no Napa Valley.
Fifteenth day – USA – Califórnia – Yountville – O poderoso Coppolla.
Sixteenth day – USA – Califórnia – Yountville – Fazendo nada, bebendo tudo e contando Carneros.
Seventeenth day – USA – Califórnia – Yountville/SF – If your’e going to San Francisco.
Eighteenth day – USA – Califórnia- San Francisco – Conhecendo o Vale do Silício (Apple, Google, Stanford, Facebook).Do U like?
Ninenteenth day – USA – Califórnia – San Francisco – I left my heart in…
Twentieth day – USA – Califórnia – San Francisco – Disney e shopping, shopping e Disney.

.

 

 

dcpv – day seven – usa – supermercadeando por ny, a vingança. já ouviu falar do vertical horizon?

05/02/2020 (ouvido em 17/01/2019)

Day Seven – USA – Supermercadeando por NY, a vingança. Já ouviu falar do Vertical Horizon?

E o último dia visitas aos supermercados começou …

… com um café da manhã no Starbucks, o comum.

Dali partimos pra pegar o ônibus que levaria toda a turma pra conhecer formatos diferentes de supermercados.

Demorou quase uma hora pra chegar em New Jersey onde fica o Stew Leonard’s.

Que loja maluca e legal.

Tudo muito antigo, cenográfico e com muita personalidade.

Na verdade, você anda num circuito (lembra da Etna?) …

… e quando percebe, já está no caixa.

Sensacional …

… além da quantidade de coisas bacanas com que topa …

… pelo caminho.

Perto dali fica o Costco.

Ele é um tipo de Sams Club …

… só que neste caso, …

… muito melhorado.

Curtimos tudo …

… e também compramos muitas coisas …

… além de comer um cachorro quente muito bom.

Próxima parada?

No Shop Rite …

… uma loja bem comum …

… mas com um mix de produtos imenso …

… e com muitos clientes.

Ou seja, a estratégia deles está muito bem montada.

A próxima loja a conhecer seria o Target.

E que espetáculo!

Um estabelecimento totalmente novo …

… com uma programação visual leve e …

… antenada com os tempos de hoje …

… (barata e com um formato de internet) …

… super abastecida …

… e com uma linha, …

… especialmente de não alimentos, …

… admirável.

Ainda deu tempo de passarmos pelo Fairway.

Ele é um supermercado calcado na venda de perecíveis.

Tanto que uma boa parte da loja é climatizada, como uma câmara fria.

Até jaquetas térmicas eles deixam à disposição dos clientes.

Incrível, né?

Terminamos o tour no Zabar’s, uma espécie de Santa Luzia nova-iorquino.

Ela tem uma profusão de produtos de luxo …

… e muita, mas muita, variedade.

De lá nos despedimos da turma, …

… pegamos um Uber (eles funcionam muito bem por aqui) …

… e fomos direto pra loja da Bulgari.

A fachada dela é incrível …

… mas a da sua vizinha de luxo, a Louis Vuiton …

… é mais ainda.

É claro que estávamos na Quinta Avenida.

E aproveitamos pra conhecer algumas lojas diferentonas.

A primeira parada foi na Microsoft.

A loja é tudo o que se espera de um gigante da tecnologia (tudo bem que imita um pouco o estilo da Apple).

Moderna, clean e …

… muito interessante.

De lá, demos uma passada na Uniqlo

… pra Dé comprar umas blusinhas baratas e bastantes quentes.

Continuamos, visitando uma megablaster, a Nike.

Ela é visualmente sensacional.

São cinco andares de muita criatividade …

… e quase sentimos mesmo uma experiência de compra.

Os problemas começaram quando eu gostei dum tênis …

… e pedi pra experimentar.

Foram quase trinta minutos de espera pra que eu resolvesse ir embora …

… sem ao menos ser contestado do por que?

Resumo: detestei a loja e eis um exemplo de que vendedores sem atitude …

… podem por todo uma grande plano a perder.

Saímos de lá e fomos conhecer a Dyson.

E aí aconteceu tudo ao contrário do que na Nike.

O vendedor, super solícito, …

… nos explicou tudo e saímos encantados e …

… pensando em realmente comprar um aspirador, já que eles são incríveis. Hahaha

Pronto!

Ah, olha só quem nós encontramos? Neeeeext!

Retornamos pro hotel, …

… passando pela, …

… cada vez mais incrível, Times Square …

… e fomos nos preparar pra realizar um dos meus sonhos.

Sempre quis assistir a um show duma banda quase que desconhecida …

… num lugar pequeno. Chegamos ao Highline Ballroom (fica pertinho do hotel) …

… e foi só trocar os ingressos (reservados), ouvir novamente músicas do conjunto escolhido e aguardar pelo show.

Isto nos permitiu dar mais uma passada …

…   na Starbucks Reserve Roastery …

… pra tomar coquetéis a base de café…

… e comer pedaços de pizza, …

… um pão de azeitona com mortadela e uma salada de frango.

Tudo muito bom, como sempre.

Voltando ao show, o conjunto escolhido foi o Vertical Horizon (abra o Spotify), …

… (belo nome, né?) …

… e é claro que chegamos no horário.

Bom, o show foi demais.

Matt Scannell, líder e compositor das músicas do conjunto, …

… é uma figuraça.

E o espetáculo foi um desfilar de grandes músicas, …

… com o Matt e seus asseclas demonstrando um tal grau técnico, …

… que deixou todo mundo extasiado, Dé inclusa.

Esta experiência de ver o show num lugar desconhecido, intimista …

… foi muito boa e certamente repetiremos.

Aguarde-nos!

See U.

Veja os outros dias desta viagem:
day One – USA – New York, New York.
day Two – USA – Andando muito nas lojas diferenciadas de NY.
days Three and Four – USA – Varejando por NY.
days Five and Six – USA – Supermercadeando por NY, parte I.

.

 

 

dcpv – jour un – frança – alsácia – o primeiro chucrute e o primeiro riesling alsaciano a gente nunca esquece (ainda mais passando pela champagne).

04/12/18 (vivido e bebido em 04/12/2018)

Jour un – França – AlsáciaO primeiro chucrute e o primeiro Riesling alsaciano a gente nunca esquece (ainda mais passando pela Champagne).

Bom, a ideia desta viagem surgiu quase que do nada.

A Dé falou: precisamos ir pra França!

Ou melhor, temos que ir pra Paris.

Eu emendei: já que vamos pra nossa cidade, a cidade Luz, que tal também também conhecer alguma região que seja perto?

Com um esforço de reportagem, pensei na Alsácia!

Vinhos, chucrute, cidadezinhas bonitas, Natal!

Taí a combinação perfeita.

Como ir direto seria meio complicado (mais de quatro horas de carro logo após o voo) …

… a parada na região de Champagne tanto na ida …

… quanto na volta, seria obrigatória.

Meu Deus, que sacrifício! 😄

Iniciamos o nosso périplo, fazendo um voo tranquilo da Latam até Paris.

De lá, pegamos o nosso carro …

… e zarpamos pra Champagne.

Uma hora depois, …

… e com um por do sol daqueles, …

… estávamos no L’Assiette Champenoise, …

… um hotel 5 estrelas …

… e com um restô 3 estrelas do Michelin.

Era praticamente um céu estrelado.

O hotel é muito bacana …

… e o quartão, excelente.

Vale a pena ser um associado do R&C …

… e conseguir um upgrade quando da sua chegada.

Só tivemos tempo de dar uma descida até o bar …

… pra tomar duas flutes dum daqueles Champagnes desconhecidos (e maravilhosos) por nós …

… e já estávamos a postos pro jantar.

A minha opinião de que os restaurantes estrelados do Michelin …

…. são muito bons, …

… mas extremamente caros …

… e que você come demais, continua valendo.

Optamos pelo menu degustação mais simples…

… com paridade de vinhos, …

… mas ao final, tem-se a impressão de que comeu demais …

… e que, certamente, não é uma experiência a ser repetida (a partir deste jantar começamos a mudar a nossa opinião sobre este tipo de refeição).

Uma pena, pois tinha tudo pra dar certo.

Fomos dormir rapidamente no nosso ótimo quarto, …

… pois amanhã teríamos que dirigir por um bom trecho até Strasbourg, …

… no coração da Alsácia.

E foi o que fizemos.

Acordamos tarde …

… e pernas pra que te quero.

Demos uma parada pra tomar café num posto …

… e seguimos nos deliciando …

… com legítimas paisagens …

… de calendário.

Pra não ir direto pra Strasbourg, optamos por dar uma parada no Museu Lalique.

Pra quem não conhece, …

… René Lalique foi um daqueles gênios …

… além do seu tempo …

… que soube como nunca, explorar a sua capacidade de criação.

Primeiro, se transformou no primeiro joalheiro “profissa” do mundo …

… e logo depois, num mestre da arte de fazer tudo o que é obra de arte em forma de vidros.

Visitar o seu museu é extremamente emocionante …

… e educativo.

Todo o tour é ótimo.

De lá, partimos para Strasbourg.

Confesso que chegar ao Sofitel Grande Ile foi uma sucessão de surpresas.

Devido aos famosos Mercados de Natal, …

… o centro da cidade tinha o trânsito suspenso …

… e com a possível entrada de somente veículos autorizados.

Isto significava que você teria que ter uma autorização e passar por verificação policial, inclusive da sua bagagem.

Isto posto e feito, só nos restou chegar ao hotel após duas tentativas. 😀

Ele é muito bonito …

… e o quarto, bastante confortável.

Além de que ele se localiza muito próximo de tudo.

É claro que aproveitamos pra nos situar o mais rápido possível…

… indo conhecer os tão afamados Mercados de Natal.

Que beleza!

É tudo tão bonito …

… e tão iluminado …

… que você certamente volta a ser criança novamente …

… tamanha a graça de tudo.

Fomos ao mercado principal, …

… passamos pela Catedral …

… e pela árvore de Natal gigante da praça Kleber.

Olha, é demais …

… e você fica com a sensação de que tem que voltar muitas vezes mais.

Certamente, é o que faremos.

Tínhamos uma reserva no restô do hotel, mas ficamos na dúvida se valeria a pena ou não?

Por sorte, resolvemos honrar a reserva. E foi excelente.

Optamos por comer e beber frugalmente.

Um Sain Peter com purê de batatas e chucrute foi o prato escolhido por nós dois.

Um Riesling muito mineral alsaciano, um Frankstein, foi o vinho.

Subimos para o quarto felizes ao extremo e pensando, que é muito melhor simplificar, do que complicar.

É, la vie est belle!

Au revoir.

.

 

 

dcpv – giorno diciannove – itália – toscana – colle di volterra.

18/10/2017

Giorno diciannove – ItáliaToscana – Colle di Volterra.

Hoje seria o primeiro dia com a turma da Regina e do Mingão completa (6 pessoas) e a Marcia e o Déo, além da Dé e eu.

Ou seja, dez pessoas em dois carros e em plena Toscana.

Optei por visitarmos duas belas cidades: a primeira foi Colle di Val D’Elsa.

Ela não é propriamente uma villa turística.

Mas é linda.

Chegamos percebendo o visual da cidade alta encravada na colina …

… e aproveitamos pra passear muito, …

… já que ela é bastante comprida …

… e com vistas arrebatadoras da região …

… nos seus dois lados.

Subimos para o centro histórico e …

… praticamente escolhemos o lugar onde almoçaríamos.

Continuamos andando, …

… conhecemos uma ótima loja de cristais, especialidade de Colle, …

… e finalmente, paramos pra almoçar.

O L’Angolo é uma trattoria bem simples, …

… mas, honesta.

Toda a comida entregue foi muito boa.

Pedimos muitos raviólis de farro, …

… outros tantos gnocchi de urtiga, …

… pici al aglione …

… e pici cacio e pepe.

Harmonizamos com um bom Vernaccia bio que caiu muito bem com o incrível calor reinante.

Ainda passamos numa bela doceria pra adoçar a boca e continuar o tour.

Seguimos viagem para Volterra.

Que é um vilarejo etrusco muito charmoso.

Só a sua praça principal já vale a visita.

Mas todas as suas ruelas, …

… com os devidos entroncamentos, …

… acabam gerando imagens inesquecíveis.

E tudo fica melhor, …

… quando se encontra uma Enoteca (não me pergunte o nome? 😊) …

… em que seu proprietário, Massimo, é uma figuraça.

Fomos “obrigados” a fazer uma degustação …

… com três ótimos vinhos da região …

… e todos desconhecidos de nós, brasileiros.

É claro que pedimos uma boa tábua de frios para acompanhar tudo.

Voltamos nos divertindo com as imagens da cidade …

… e fomos brindados com um incrível …

… por do sol, …

… daqueles de nos fazer agradecer por estarmos vivos …

… e vivendo este momento lindo (ê, Roberto Carlos).

Ainda tivemos tempo de passar no mercado e comprar algumas coisas pra fazer o nosso jantar na nossa villa.

Abrimos os trabalhos com bons Spritz, …

… tomamos Vernaccias e Chiantis, comendo pasta com pangratatto …

… salada de verdes (com romãs do nosso quintal)…

… e de finocchio, mais conhecido como erva doce (deliciosa) …

… linguiças …

… e frango com creme de leite e ervas (sobras da feira de ontem).

Enfim, foi um jantar divertido e delicioso (é claro que terminamos com um limoncello).

Na verdade, ele poderia ser classificado como um com 8,5 graus na escala Richter.

Um verdadeiro estrondo Toscano!

Arrivederci.

Veja os outros dias desta epopéia:
giorno uno – itália – toscana, amore mio ou o inicio duma bela jornada!
giorno due – itália – toscana – um simples domingo.
giorno tre – itália – toscana – antinori, o visionário.
giorno quattro – itália – florença – lindíssima, como sempre!
giorno cinque – itália – san gimignano, a verdadeira manhattan toscana e porque não dizer, uma über model
 giorno sei – itália – toscana – siena e monteriggioni, a maior e menor, são belíssimas.
giorno sette – itália – toscana – eu prefiro as curvas das estradas de chianti.
Itália – Toscana – Giorno otto – Em Impruneta, como os imprunetanos!
Itália – Toscana – Giorno nove – Certaldo, uma cidade pra se conhecer em camadas.
giorno diece – Itália – Toscana – Comida pantragruélica com o maior açougueiro do mundo!
giorno undici – Itália – Toscana – Retornando à Florença, que continua mais bela do que nunca!
giorno dodici – itália – prada na toscana? e lucignano, você conhece?
giorno tredici – Itália – Toscana – My name is … (by Suzanne Vega)
giorno quattordici – Itália – Toscana – San Gimignano e Monteriggioni, a vingança!
giorno Quindici – Toscana – Impruneta – Nunca foi tão bom ficar em casa.
giorno Sedici – Itália – Toscana – Fiesole, vicino a Firenze.
giorno Diciotto – Itália – Toscana – Repetido mas bom demais.

.

dcpv – giorno tredici – itália – toscana – my name is … (by suzanne vega)

12/10/2017

Giorno tredici –  Itália – Toscana – My name is … (by Suzanne Vega)

Hoje seria mais um daqueles dias puxados.

Eu sei que estamos na fase slow trip.

Afinal de contas, 28 dias tranquilos numa villa na Toscana é o que todos desejam.

Mas quando a família está por aqui e somente por 5 dias, temos que acelerar.

Portanto, zarpamos pra Pisa rapidamente.

Ela fica a quase uma hora de Impruneta.

O caminho é bem bonito …

… e não tem como não chegar e não ficar impressionado com o conjunto todo do Batistério.

No período que você fica por lá …

… você só tira fotos dela, a torre inclinada.

Tudo bem que algumas são manjadas, mas não tem como não tirar …

… e de todas as maneiras possíveis.

É outra super model toscana.

Permanecemos lá por quase uma hora e meia …

… e partimos pra charmosa vizinha, Lucca, onde tínhamos uma reserva pro almoço, no restaurante Buca di Sant’Antonio.

O lugar é muito bacana e é realmente muito necessário utilizar o site de reservas The Fork.

Comemos ótimos bacalhaus, …

… gnocchi …

… stocafisso …

… pulpo ou polvo (adivinha pra quem?) …

… além de bebermos duas garrafas dum bianchetto da região.

As sobremesas também foram destaque.

Variadas e muito gostosas.

Logo após este regabofes slow food, aproveitamos pra conhecer a cidade.

E não tem como não lembrar da música da Susane Vega.

My name is Lucca. I live on the second floor … Hahahaha.

O lugar é muito charmoso …

… e tem várias alternativas para turistar.

Optamos por andar por toda a cidade, …

… atravessá-la …

… vendo os seus cantinhos mais belos até chegar na sua maior atração.

A muralha. Ela é um espetáculo.

Na verdade, é mais como uma rua pavimentada e arborizada.

E te dá vista, tanto da parte murada, como de paisagens externas.

Enfim, é uma grande passeio.

Retornamos pra Impruneta, porque o nosso objetivo seria fazer uma churrasco com a utilização da melhor matéria prima neste quesito, …

a carne Chianina.

Pra isto, contamos com a ajuda do Pietro, o proprietário da casa, que nos levou até um açougue espetacular em Impruneta, o Nannicini Simone.

Compramos tudo com, inclusive, suculentas Bistecas alla Fiorentina.

Voltamos pra casa e o Luiz, meu cunhado, assou a carne meticulosamente.

Comemos, graças a Dé, uma salada fresquíssima …

… e tomamos, Aperóis Spritz, …

… vários Chianti …

… junto com uma Magnum do Antinori (carraspanass vieram) …

… e depois, foi só curtir o ar …

… e as carnes toscanas.

Ma che Dario Cechini que nada!

É o Brasil superando a Itália…

… em todos os quesitos, especialmente na malemolência e na iireverência.

Arrivederci.

Veja os outros dias desta epopeia:
giorno uno – itália – toscana, amore mio ou o inicio duma bela jornada!
giorno due – itália – toscana – um simples domingo.
giorno tre – itália – toscana – antinori, o visionário.
giorno quattro – itália – florença – lindíssima, como sempre!
giorno cinque – itália – san gimignano, a verdadeira manhattan toscana e porque não dizer, uma über model
 giorno sei – itália – toscana – siena e monteriggioni, a maior e menor, são belíssimas.
giorno sette – itália – toscana – eu prefiro as curvas das estradas de chianti.
Itália – Toscana – Giorno otto – Em Impruneta, como os imprunetanos!
Itália – Toscana – Giorno nove – Certaldo, uma cidade pra se conhecer em camadas.
giorno diece – Itália – Toscana – Comida pantragruélica com o maior açougueiro do mundo!
giorno undici – Itália – Toscana – Retornando à Florença, que continua mais bela do que nunca!
giorno dodici – itália – prada na toscana? e lucignano, você conhece?

 

dcpv – dia tres – chile – vinícolas lapostolle e viu manent e copa do mundo: tudo a ver.

30/06/2018

Dia três – Chile Vinícolas Lapostolle e Viu Manent e Copa do Mundo: tudo a ver.

Hoje o dia seria muito diferente.

Afinal de contas não é sempre que se está viajando com uma Copa do Mundo acontecendo paralelamente.

Ainda mais com a abertura da fase de oitavas de final e com esta turma tão legal.

Bom, vamos começar do início.

O dia amanheceu broncolhaço …

… o que foi bom pra tomarmos o nosso café da manhã (e pras videiras) …

… e nos prepararmos pro jogaço França e Argentina.

Casa Lapostolle montou um telao numa sala, deixou um rosé da casa bem gelado e lá estávamos nós pra assistir ao grande embate.

E foi um jogão mesmo.

Torcemos muito (né, Dé e Álvaro?) e no final, os 4×3 pra França foi mais do que merecido.

Ainda deu tempo de acompanharmos o final do tour na Lapostolle.

E tudo por aqui é muito impressionante.

Desde a construção com 6 andares …

… passando pela escada espetacular …

… a sala de descanso dos barris (o santuário) …

… e a magnífica adega da Madame Lapostolle …

… que fica embaixo da mesa de degustação.

É um verdadeiro espetáculo.

Ainda passamos na lojinha …

… e fomos almoçar.

Em mais uma deferência especial, …

… o pessoal montou o nosso almoço na sala onde estava o telão …

… porque iria começar o jogo PortugalxUruguai.

Foi, digamos, uma refeição bastante desportiva.

Iniciamos com um tartar de Camarões e abacate …

… e como principal, um atum com molho vermelho e quinoa.

Tudo muito bom e bem temperado.

Os vinhos estavam ótimos e o Clos Apalta foi a estrela.

Ainda comemos um mil-folhas de maçã com sorvete de abacaxi e crumble.

Quando percebemos, o jogo já tinha acabado (vitória do Uruguai) …

… e estava no horário do nosso tour vespertino.

Iríamos conhecer a vizinha vinícola Viu Manent.

Ela é mais clássica e, aparentemente, não busca uma imagem natural ou biodinâmica.

Mas o mais interessante, …

… é que após uma explicação inicial, …

… mostrando toda a sua rica história, …

… nós fizemos um passeio de charrete …

… por toda a região de produção de uvas.

Não deixa de ser bacana …

…  charretear pela propriedade …

…  vendo todos os tons de marrom que as videiras sem folhas produzem.

Ainda passeamos pela área de produção de vinhos, …

… sim, foi aquele blá-blá-blá de colheita a mão e etc …

… e fomos pra degustação de 5 vinhos.

Confesso que não gostei muito da maioria deles, …

… mas o tour todo é bem bacana.

Voltamos pra Lapostolle, …

…. fomos dar uma descansada pra nos preparar pro nosso último jantar juntos por aqui.

Iniciamos com um grapefruit frizz e vários amuses.

Sentamos na nossa mesa exclusiva …

… e abrimos os trabalhos com uma casquinha de caranguejo que estava muito boa.

Acompanhamos com o razoável rosé Lapostolle do almoço.

Como principal, nos serviram um bife de tiras com beterraba e cebola assada.

E pra maridar, o glorioso ícone da Lapostolle, o Borobo 2014.

Perfeito.

Assim como foi todo o final de semana com o nosso grupo.

Ainda curtimos a sobremesa, que foi um musse de chocolate com sorvete de frutas vermelhas.

Foi um final doce para mais um doce encontro de todos.

Planejamos os próximos e certamente, tudo será regado a bom humor, gargalhadas e conversas impagáveis.

Que venham, então!

Hasta.

Acompanhe os outros dias desta mini big trip:
dia uno – Chile – Santiago – Vino, poesia, Isla Negra e ele, Neruda!
dia dos – Chile – Revisitando o vale do Colchágua e a magnífica vinícola Lapostolle.



.

 

dcpv – giorno cinque – itália – san gimignano, a verdadeira manhattan toscana e porque não dizer, uma über model

04/10/2017

Giorno cinque – Itália San Gimignano, a verdadeira Manhattan toscana e por que não dizer, uma übermodel.

Você sabe o que é uma übermodel, né?

Pois San Gimignano é a verdadeira übermodel das cidades toscanas.

É incrível como ela é bonita em todos os seus ângulos.

E olha que nem precisa ser um super fotógrafo para conseguir as melhores fotos.

Basta ter as condições climáticas ideais e um pouco, só um pouco, de boa vontade.

Acordamos tarde (ritmo toscano e devido aos Marques de Paula), tomamos uma ótimo café e …

… rumamos pra Manhattan Toscana.

E por que Manhattan Toscana?

Porque San Gimignano é reconhecida pelas suas altas e charmosas torres, …

… comparadas aos belos arranha-céus da famosa região nova-iorquina.

Cá pra nós, San Gimignano é muito mais bonita.

É claro que foi difícil encontrar lugar nos estacionamentos.

Afinal de contas, uma horda de turistas, assim como nós, estava disposta a ganhar seu dia tendo visões que gratificam estar vivo.

E a agradecer por cada momento que se passa por aqui,

Fizemos o circuito normal que todo turista que se espreme faz.

Entramos pela porta principal, onde não se vê nenhuma das torres, …

… subimos a rua principal, …

… e chegando próximo da Piazza della Cisterna, …

… você começa a ter a visão delas .

São esplendorosas e extremamente fotogênicas.

Ainda mais com este céu azul.

E estando na Piazza, você fica sem respiração ao presenciar tamanha beleza.

Como bônus, ainda toma um ótimo gelato no Dondoli,…

… que faz deste sorvete uma verdadeira obra de arte.

Resolvemos almoçar no extremo oposto da cidade, …

… o que nos obrigou a caminhar mais um pouco e descobrir mais alguns segredos desta bela modelo.

O almoço foi frugal e muito divertido.

Demos boas risadas tomando dois litros de um bianchetto feito com a uva icônica da região, a Vernaccia

… e comemos risotos, …

,.. papardelles, …

… lasanhas …

… e maialinos.

Retornamos pra Piazza e decidimos tomar uma saideira na enoteca Divinorum.

Sábia decisão.

O lugar é muito bacana …

… e sua parte externa tem uma das melhores vistas da região.

Aproveitamos pra tomar alguns Aperol Spritz …

…  e curtir cada vez mais a cidade.

Retornamos pelo lugar onde entramos…

… e conversamos muito sobre tudo o que acabamos de presenciar.

Foi um verdadeiro desfile de moda …

… onde a übermodel brilhou mais uma vez.

Como bônus, ainda chegamos na nossa villa, …

… a tempo de presenciar mais um daqueles pores do sol espetaculares …

… e que além de tirarem o fôlego, …

… te fazem agradecer por tudo (desculpem a redundância) o que você tem nesta vida.

Ainda tivemos tempo de tomar duas garrafas dum bom Chianti, …

… duas de um bom Vernaccia…

… além de cozinharmos pela primeira vez por aqui, …

… um ótimo fusilli com alho e peperoncini.

Taí mais um motivo pra agradecer. 🙂

Grazie e …

… arrivederci.

.

 

dia dodici – italia – toscana – um giro pela terra do pio II, pienza.

02/08/2016

Dia dodici – Itália – ToscanaUm giro pela terra do pio II, Pienza..

Dia de troca de hotel é dia perdido, certo?

Nem sempre.

Acordamos cedo pois tínhamos que ir pra Montalcino.

Melhor, iríamos para o Castello Banfi.